História Sekkusu to Aijou - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gray Fullbuster, Happy, Natsu Dragneel
Tags Bara, Gratsu, Hyper Cock, Love, Muscle, Yaoi
Exibições 253
Palavras 1.870
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sabem o que me dói nesse momento? A minha gatinha peludinha e gorduchinha estar miando por mim e eu não poder acudir ela porque estou com o nariz ferrado pela alergia à pêlo e o ar frio lá fora.
Boas Lonjuras!

~Rockeiro Sem-Noção.

Capítulo 11 - Está Na Hora da Filmagem


 

“Lista de compras –
Onigiris;
nikkumans;
aspirinas;
caderno de desenho e lápis;
cup noodles;
ração para Happy
:
Não esquecer de fazer oden para o jantar.”

 

Gray puxou o papel rabiscado da porta da geladeira e o leu. Ao lado das palavras que ele escreveu, tinha o desenho de um pau gozando – ou seja, Natsu passara por ali. Quando Gray se virou, Natsu surgiu do nada e o beijou.

 

O marmanjo dos olhos índigos riu e colocou as mãos nos ombros largos do marmanjo dos cabelos rosados. Seus beijos eram sempre repentinos e gostosos. Ele enfiava sua língua em sua goela como se estivesse passando fome. Natsu envolveu a cintura delgada de Gray com os seus braços musculosos e o apertou com força até fazê-lo gemer e rir entre o beijo.

 

Por fim, os dois marmanjos separaram os seus lábios e voltaram à respirar. Gray sorriu divertidamente enquanto Natsu ficou alisando e dando tapas em seu peito musculoso e desnudo.

 

-O que é isso aí?-Natsu perguntou, olhando para o papel.

 

-A lista de compras.-Gray respondeu.

 

-Mas a cozinha já não está cheia para esse inverno?-Natsu diz inocentemente.

 

-E você não andou insinuando que queria comer uma fileira de nikkumans em cima do meu abdômen?-Gray retrucou, rindo.

 

-Ah, isso seria uma experiência incrível...-Natsu riu maliciosamente.

 

-Eu vou ter que sair do nosso aconchego caseiro para comprar essas coisinhas lá na Lawson...-Gray suspirou preguiçosamente ao se encostar na mesa da cozinha.

 

-Eu não quero ficar sozinho aqui, Gray.-Natsu faz um beiço manhoso.-Eu vou acabar me masturbando e isso é muito triste!

 

-Por quê masturbação seria uma coisa triste?-Gray questionou.

 

-Isso é o que fazem as pessoas solitárias e cheias de fogo do qual não podem compartilhar porque não tem ninguém na vida!-Natsu diz como se fosse a coisa mais horrível do mundo.

 

-Então, você vem comigo.-Gray propôs, dando um sorriso divertido.-Só não me arraste para trás de uma lixeira num beco sem saída outra vez. Eu senti cheiro de lixo reciclado no meio do sexo oral.

 

-Eu prometo que não faço mais isso...-Natsu sorriu bobamente.

 

-É bom mesmo.-Gray diz, voltando a olhar para a lista de compras em sua mão.-Acho que tem ovos o suficiente aí para fazer o yude tamago, mas eu estou com uma vontade louca de comer um onigiri de porco e...

 

Gray calou-se quando sentiu dedos apertando e torcendo um dos seus mamilos bicudos. Ele olhou para baixo e viu Natsu brincando com seu mamilo.

 

-Para com isso.-Gray pediu, sorrindo.

 

-Não.-Natsu sorriu de novo.-É gostosinho.

 

O marmanjo dos olhos índigos sorriu e agarrou o mamilo bicudo do marmanjo dos cabelos rosados para apertá-lo e torcê-lo. Natsu se aproximou mais de Gray e começou a passar a mão em seu peito e em seu abdômen definidos. Os dois vestiam cuecas, mas, talvez, estas não iriam resistir por muito tempo em seus corpos tão másculos e sensuais que fariam qualquer roupa criar pernas e sair correndo dos seus músculos.

 

Natsu levou sua mão até o pau enorme de Gray e o apertou por cima da cueca enquanto ele apertava os músculos de suas costas largas e musculosas. Eles se olharam e sorriram um para o outro.

 

-O que nós estamos fazendo?-Natsu sussurrou sensualmente.-Sem preliminares... vamos lá. Vamos chegar aos “finalmentes”.

 

-Natsu, você transa mais do que coelho no cio.-Gray diz entre dentes.-E se fosse heterossexual, já teria 10 famílias completas!

 

-Mas como eu não sou heterossexual.-Natsu está dizendo num sorriso bobo e safado.-Eu prefiro me esfregar num corpo gostoso assim e gozar bastante.

 

Ele se aproximou ainda mais do seu macho e fez com que seus corpos musculosos se colassem um no outro. Natsu já lambia o pescoço de Gray e apertava um dos seus peitorais definidos com força. O outro apenas gemia e ofegava de prazer.

 

-Natsu, seu tanuki pervertido...-Gray murmurou, rindo.-Eu tenho que fazer essas compras e depois fazer o jantar...

 

-A gente faz isso depois.-Natsu ronronou eroticamente, mordiscando a orelha do seu macho.-Vamos nos comer agora.

 

-Não!-Gray apertou o pau duro de Natsu com força e foi o suficiente para fazer o seu macho gritar e se jogar na geladeira.

 

O marmanjo dos cabelos rosados ficou respirando pesadamente com o rosto vermelho e o pau enorme pulsando dentro da cueca boxer. Por outro lado, o marmanjo de olhos índigos não deixou de rir dessa reação exagerada e suculenta.

 

-Sempre funciona.-Gray não deixa de rir.-Olha só. Vamos fazer o seguinte: a gente faz as compras, fazemos o jantar e depois o meu corpo vai ser todo seu o resto da noite.

 

-Então...-Natsu sorri largamente.-Que tal se nós fazermos um vídeo?

 

-Vídeo?-Gray passou a mão no rosto.-Por Kannon, Natsu, eu disse para você parar com essa mania de filmes pornôs. Da última vez, você quase postou na Internet um vídeo de mim se masturbando na cama e nós não transamos por terríveis 3 horas!

 

-Eu sei. Foi como 3 milênios em abstinência de sexo.-Natsu assentiu – depois voltou à sorrir.-Mas dessa vez é diferente, Gray. A Internet não vai entrar na roda. Esses filmes pornôs serão só nossos.

 

-Sei.-Gray balançou a cabeça, sorrindo com diversão.-E como vai ser esse vídeo?

 

-Vai ser meio que...-Natsu procura as palavras.-Coleção de outono e inverno! Eu filmo você masturbando o seu pauzão na sua melhor roupa de inverno e você vai tirando cada peça de roupa bem devagar até ficar todo peladinho. E se eu não me aguentar... é sexo na certa.

 

Em resposta, Gray apenas sorriu para o seu macho.

 

-Combinado.-Gray diz, por fim.

 

:

 

Gray acabara de fazer um saque de 50 mil ienes num caixa eletrônico da Lawson. Ele guardou tudo na carteira e foi atrás de Natsu pelas gôndolas daquele konbini. Seu macho tinha a mania de comprar coisas e mais coisas sem parar, então ele tinha de encontrá-lo o mais rápido possível antes que ele levasse para casa toda a Lawson.

 

Natsu parecia estar escolhendo alguns dos sorvete em um freezer quando Gray finalmente o encontrou. O marmanjo dos olhos índigos parou ao lado do marmanjo de cabelos rosados sem deixar de notar como ele estava sensual naquela roupa de frio. Mas é claro que ele ficaria ainda mais sensual sem roupa nenhuma.

 

-Qual dos dois, Gray?-Natsu voltou-se para ele.-Pino? Ou Shirokuma de morangos?

 

-Leva os dois.-Gray respondeu.-Vamos ver se você se resfria de novo.

 

-Gray, o inverno está quase acabando.-Natsu estrilou.-Tem algum problema em eu ser precavido?

 

-Eu vou ter que fazer uma porção de sopas e macarrões.-Gray está dizendo.-Afora, os remédios de resfriado que eu vou ter que comprar para você.

 

-Eu sei me cuidar muito bem, valeu?-Natsu retrucou.

 

O marmanjo dos cabelos rosados colocou os dois sorvetes dentro de uma cesta toda cheia no chão. Eles já tinham comprado tudo da lista de compras e logo poderiam voltar para o aconchego caseiro e caloroso de seu apartamento, assim que pagassem tudo no caixa.

 

Gray pegou a cesta do chão, mas Natsu agarrou a alça dela, fazendo o seu macho parar naquele corredor.

 

-O que foi?-Gray encarou-o.

 

-Eu vi cuecas lindas num outro corredor!-Natsu exclamou, todo sorridente.-E tem aqueles CDs novos da Namie Amuro!

 

-Por quê você não compra esse konbini todo?-Gray zombou.-Só deve custar 1 milhão de ienes.

 

-Bom, você acabou de sacar 50 mil ienes daquele caixa...-Natsu sorriu bobamente.

 

Por um momento, Gray ficou encarando Natsu e depois partiu para cima dele e o beijou com força. Os dois marmanjos se agarraram um ao outro e a cesta de compras quase foi para o chão.

 

Naquele momento, não havia ninguém naquele corredor – mas as câmeras registravam tudo. Além disso, os amantes de arte erótica e mangá de bara sempre acreditaram que Natsu e Gray eram namorados e por isso faziam de tudo para conseguir apenas uma foto deles juntos.

 

Quando os marmanjos separaram seus lábios, os dois sorriram com os rostos vermelhos e ofegantes.

 

-Escuta aqui...-Gray riu bobamente.-Quando chegarmos em casa... eu vou preparar um bom jantar e depois... eu vou deixar você fazer o que quiser com o meu corpo.

 

-Hmm, macho gostoso.-Natsu mordeu o lábio.-Será que a gente pode fazer só uma rapidinha na...

 

-Não!-Gray esbravejou antes de sair andando com a cesta de compras na mão.

 

E Natsu ficou naquele corredor com uma carinha de tacho e um pau duro pulsando dentro da calça.

 

:

 

Um dos talentos culinários de Gray era o oden, uma variedade de pratos de inverno cozidos em molho dashi e molho shoyu como yude tamago, shirataki, ganmodoki com atsuage, satsuma-age e tsukune.

 

Natsu amava devorar cada um dos pratos de inverno quentinhos que Gray fazia para ele, mesmo que ele preferisse devorar coisas geladas em pleno inverno de Tokyo.

 

Sobre a mesa da cozinha, tinha uma porção de cumbucas e pratinhos com todas aquelas delícias. Gray já tinha se dado por satisfeito e fazia carinho em Happy, que estava sentadinho em seu colo. Por outro lado, Natsu ainda devorava as almôndegas de frango do tsukune – ele parecia uma raposa voraz devorando alguma pobre presa.

 

Gray não podia acreditar como um marmanjo gostoso daquele poderia comer tanto. Era como o caso de Takeru Kobayashi, que devorava montanhas de cachorros-quentes, mas que permanecia com um suculento abdômen definido.

 

-Vem cá, Natsu, como é que você consegue comer tanto?-Gray perguntou-lhe.-Se fosse eu, essa mesa já estaria lavada de vômito.

 

-Deveria saber que a sua comida me satisfaz.-Natsu diz com a boca cheia.-E eu sigo à risca a filosofia do Mottainai.

 

-Tá bom.-Gray riu.-O nosso país pode ter sofrido guerras, destruições, fome e isolamento totais, mas você não precisa comer tudo que tem na casa até porque eu não quero que o meu machão fique fisicamente repulsivo.

 

Natsu engoliu tudo em sua boca e finalmente relaxou em sua cadeira tão logo massageou o seu abdômen definido com um sorriso de pura satisfação. Gray não deixou de sorrir com isso – ele se sentia satisfeito por alguém amar sua comida. Isso era bom.

 

Com uma fingida carinha inocente, Natsu começou a passar sua mão pelo seu peito musculoso e desnudo, ele ficou roçando seus dedos em um de seus mamilos bicudos, deixando-o bem durinho e eriçado. Ele lambeu os lábios e gemeu um pouco. Enquanto isso, Gray só ficou assistindo tudo, sentindo seu próprio tesão gritar para ser aliviado.

 

Natsu olhou para a sala de estar e viu que as luzes de neón de Tokyo já brilhavam na noite de inverno.

 

-Eu vou ali e já volto.-Natsu se levantou da cadeira num pulo e saiu correndo.

 

Mesmo na rapidez do marmanjo dos cabelos rosados, o marmanjo dos olhos índigos percebeu a ereção enorme e dura dentro de sua cueca.

 

Happy pulou do colo de Gray e saiu andando para a sala de estar, onde ele foi se aconchegar lá no sofá.

 

Com um suspiro longo, Gray passeou a mão por todo o seu corpo musculoso e a enfiou dentro de sua cueca tão logo puxou seu pau duro e monstruoso para fora dela. O membro estava tão carregado de tesão que suas veias pareciam mais grossas e sua glande babava tanto que criava pequenas bolhas brilhantes.

 

-Gray?-a voz sensual e viril de Natsu veio aos seus ouvidos.

 

O marmanjo dos olhos índigos se virou e viu o marmanjo dos cabelos rosados segurando uma câmera filmadora da Nikon.

 

-Está na hora da filmagem!-Natsu exclamou, sorrindo.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...