História Selected - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Ares, Hades, Hefesto, Hera (Juno), Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson, Personagens Originais, Poseidon, Will Solace, Zeus
Tags Jercy, Solangelo
Visualizações 9
Palavras 3.336
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Científica, Josei, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, como estão? Espero que bem semideuses.

Hoje tem capitulo, desta vez narrado pelo ponto de vista da Alisson, nossa filha de Hades - e como todo o filho(a) de Hades, nossa querida não tem lá uma passado bonito e fofo, irei revelar alguns pontos neste capitulo, mas guardarei algumas informações.

O próximo será narrado pelo ponto de vista da nossa audaciosa filha de Hefesto (<3)

O titulo do capítulo de hoje é '' Piloto Automático '' uma música do Supercombo que se encaixa muito na visão que tenho sobre dois filhos de Hades em especial ( Nico personagem favorito <3 ). Imaginem como se fosse a Alisson cantando para vocês.

Bom, até mais semideuses e boa leitura.

- J.

Capítulo 4 - Piloto Automático


Fanfic / Fanfiction Selected - Capítulo 4 - Piloto Automático

Capítulo III – Piloto Automático

Alisson

 

ALISSON ARGENT DEFINIDAMENTE ERA UMA FILHA DE HADES, seu defeito mortal, o rancor queimava dentro de si, ela não conseguia esquecer as coisas, ou perdoar, ela era diferente de Nico que fora capaz de perdoar algo – que ela não perguntou o que.  Não, Alisson não conseguia perdoar o lobisomem que matou sua mãe, não conseguiria perdoar Perséfone e Hera por serem culpadas por seus anos congelada, ela não conseguiria perdoar nada.

Bufou, colocando as mãos nos bolsos e seguindo a filha de Hefesto. Joe estava com um mapa e ela dizia algumas coisas para Aria e Jeffrey que estavam ao seu lado, ouvindo o que a ruiva dizia e debatendo algumas coisas, com o mapa eles seguiam para fora do Parque – que era grande demais para o gosto da mesma.

Argent suspirou, olhando para as sombras, lá era seu lar, ela era parte da escuridão, mas porque parecia que se ela se junta-se finalmente a elas, tudo daria errado. As palavras de Will Solace – o namorado de Nico, e o intrometido filho de Apolo que conseguiu a fazer tomar banho de sol – sobre ‘’Tomar cuidado para não se tonar um poço de escuridão’’ não saiam de sua mente.

Ela virou o rosto, vendo Diego andando ao seu lado, ele era amigável com sigo, parecia ter o olhar de que a queria proteger, mas Alisson não precisava de proteção.

Toda sua vida ela viveu no piloto automático, fazendo tudo sem se importa com os acasos. Como uma boa filha de Hades, ela tinha um passado infeliz, uma vida de pesares maiores do que ela gostaria.

Passou a mão sobre os cabelos negros, para logo em seguida afundar o rosto na jaqueta que usava, ela continuou a caminhar.

- Chegamos ao fim do Parque. – A voz de Aria invadiu seus ouvidos, Alisson levantou o olhar, vendo o portão de entregada do parque, que para eles, seria a saída finalmente. – Segundo Joe, seguiremos em frente, dobrando a direta logo estaremos na estação de trem.

- E lidaremos com a bruxa dois, o maravilha. – John resmungou, mas se calou ao levar um tapa na cabeça fraco de Aria.

- Calado cabeça de vento. – Retrucou a mesma.

- Ah... é melhor irmos indo. – Comentou Joe, aparentemente pela visão de Alisson, ela estava se controlando para não rir do filho de Despina.

Jeffrey estava ao lado da mesma, o filho de Zeus não tirava os olhos de Joe, Alisson estava começando a achar que ele realmente gostava dela, Afrodite, pensou na deusa que lhe causou tantos problemas, mas que estava fazendo seus amigos terem um interesse amoroso, ou não, eles, Joe e Jeffrey pareciam estar se gostando sem a interferência da deusa, aos olhos da filha do Rei do Submundo, parecia amor verdadeiro, o mesmo que sua mãe sentira por Hades – Ela e seu péssimo gosto para homens.

Eles começaram a caminhar pelas ruas, Alisson não estava atenta as conversas dos outros cinco semideuses, ela apenas continuava caminhando, com a espada de Ferro Estígio na cintura, mochila nas costas, a mesma seguia inerte em seus pensamentos, deixando seus amigos – era estranho para si ter amigos, tinha Jeffrey, o filho de Zeus, ao qual passou o tempo congelado com ela, era seu amigo, bom para si, ele era seu amigo – a guiar.

‘’Argent’’ quando Alisson era menor, ela costumava perguntar a mãe porque seu sobrenome era ‘’Argent’’ e de onde venho. Sua mãe, Kate, dizia que vinha do Frances, que traduzido para o Italiano – sim, Alisson era italiana – significava ‘’Prata’’, a mesma coisa significava no inglês, ‘’Prata’’.

A morena não sabia o porquê estava pensando no passado, nos momentos com sua mãe em Palermo, nos momentos que ela sorria para si e dizia que a amava, antes que ter sua garganta cortada por um lobisomem, as garras – para Alisson, o rancor contra tais criaturas era muito grande, ficara feliz em saber que Nico havia matado Licaão, a deixara até feliz, se é que ela podia ser feliz novamente.

Alisson tinha clara certeza de que Hera tinha seus motivos secretos para ter a trazido do gelo, pois bondade no coração é que não era, a Deusa era a visão de deusa de bengala vinda do tártaro, bom para Alisson era isso.

- Ei Alisson. – A morena parou, vendo Diego segurar seu braço e a encarar, os amigos estavam parados perto da entrada da estação de trem. – Está tudo bem?

Os olhos do filho de Ares demostravam preocupação, Alisson sentiu seu coração bater numa forma mais rápida. Eu tinha que ser de outra era. Pensou a mesma. Recompondo-se e respondendo o mesmo.

- Sim, estou bem.

- Tem certeza.

- Tenho Drews, tenho. - Chamou o mesmo pelo sobrenome, o moreno a encarou, mas por fim, suspirou, soltando seu braço.

- Então essa é a Estação Grand Central atualmente, está um pouco diferente. – Comentou Alisson.

- Você já esteve aqui!? – Questionou John, virando-se rapidamente para a mesma.

- No passado. – Resmungou a mesma, a voz dizia que ela não falaria mais nada.

- Bom, é aqui que entramos. – Comentou Joe Jones, a filha de Hefesto, seguindo na frente – havia dobrado o mapa e guardado na mochila – ao seu lado ia Jeffrey, que ainda não tirava os olhos dela.

Parecem um casal de livros de aventura, ou terror, ou drama, ou a porra que for. Pensou Alisson, dando de ombros e seguindo ao lado de Diego, os amigos a sua frente.

Alisson achava cada um deles diferente de alguma forma.

Joe Jones era a filha de Hefesto e como tal, ela não possuía bons problemas para lidar com formas de vida orgânicas, parecia se dar melhor com maquinas. Tirando os cinco semideuses ali e os irmão dela, com eles, Joe parecia mais amigável. Alisson também notara, que ela tinha uma nuvem no olhar, uma dor escondida com um sorriso nos lábios. Ela costuma gesticular com as mãos com frequência e raramente – quase nunca – olha nos olhos de Jeffrey, mas quando olha. A Argent nota haver uma alegria. Ela era forte, dirigiu um ônibus, lutou com uma Fúria sozinha – antes de chegarem ao acampamento – sobreviveu a um quase afogamento, dirigiu o ônibus novamente e o manteve inteiro – até ele ser parcialmente destruído por um ciclope com raiva – e mesmo assim, se manteve firme e aceitou aquela missão. Ela era uma filha do fogo, forte.

John Grimm. O filho de Despina. Cabeça de vento – como Aria o chamava. Não sabia muito dele, mas pelo que seus olhos viam, ele era alguém que se assemelhava a Percy Jackson, em questão de personalidade. Ele sorria e sempre estava fazendo alguma brincadeira com Cecil Markowitz – filho de Hermes -, mas quando tratava-se de Aria Magnos, ele sempre estava lá.

Aria Magnos e Jeffrey H. Walker, seus pontos de interrogação, Alisson não muito sabia deles, Jeffrey era seu amigo e Aria era sua amiga também. Filhos de Zeus e Poseidon respectivamente, Alisson sabia que os dois eram fortes, mas pareciam esconder muito mais do que se pensa.

E por fim, Diego Drews, o filho de Ares, e que fazia seu pobre coração pular como numa batida de havey metal.

Alisson balançou a cabeça, pensar em Drews lhe dava borboletas esqueléticas no estomago se agitando. A filha de Hades olhou para as várias pessoas no local, viu Joe apontar para uma a escada que aparentava dar para o subsolo e somente eles estavam vendo aquilo – deveria ser a Nevoa agindo, ou o pouco que restou dela.

- Vamos seguir aquelas escadas, os mortais não estão a vendo, significa que aquilo é do nosso mundo e a Nevoa ainda está fazendo efeito. – Jeffrey pronunciou, como um líder nato os guiou a frente.

Um filho de Zeus. Um líder nato.

Alisson apenas caminhou, mas parou por alguns segundos, direcionou seu olhar para o lado, tendo certeza de que verá um homem parado, com vestes medievais, pegando fogo, saindo cinzas de seu corpo, a encarando firmemente.

Balançou a cabeça, seguindo Diego que ia à sua frente, eles sumiram na Nevoa que ainda tinha efeito naquele local.

- Mas essas escadas não tem fim, pelos deuses, mas que droga. – Resmungou John, quase escorregando nas escadas.

- Cuidado cabeça de vento. – Retrucou Aria, que ia mais à frente.

- O lugar cheira a morte. – Alertou Alisson.

- Tão vento, se Alisson disse que cheira a morte, significa que estamos perto, ou aquela bruxa vais nos receber com beijos e sorrisos, aposto que não. – Comentou John, sorrindo para Alisson.

A filha de Hades deu de ombros, seguindo seu caminho. As escadas eram negras e Alisson via as pinturas de corvos e lobos nas paredes. Havia tochas presas nas paredes iluminando o caminho, eles estavam descendo cada vez mais fundo na escuridão.

Uma voz chamou a atenção dos seis semideuses. – Olha só, receber visita de semideuses, a que ponto cheguei. – Era uma voz feminina, Jeffrey e Diego desembainharam suas espadas e olharam para os lados.

- Apareça. – Dissera Jeffrey, com firmeza na frase.

-Um filho de Zeus. – Ela disse. – Jeffrey H. Walker, olha só, alguém de outro tempo.

- Você é a bruxa? – Diego disse, virando-se para o lado, tentando achar a mesma.

Alisson olhou para cima, a passagem havia se fechado e não tinha como voltar, mas havia sombras no local, ela poderia tirar todos dali, se houvesse necessidade de tal ato.

- Um filho de Ares... Diego Drews. – Ela parou por um momento de falar. – Sabe, tantos anos sozinha que eu desenvolvi um hobby. – Desenvolveu um hobby? Tá brincando comigo. Pensou Alisson, tocando a parede com a mão esquerda, tentando sentir algo. – ‘’Jeffrey’’ é um nome derivado orginalmente do germânico, que significa “pacificador da cidade”, olha, combina com você, filho de Zeus.

- Serio, eu não me importo do que meu nome se origina... – O filho de Zeus grunhiu. – Apareça!

- Não quero, estragou meu divertimento.

- Você é leal a Hécate. – A fala venho de Joe, que não estava em modo de defesa e nem portando uma arma na mão, ela estava calma e encarava a escuridão. – Sou Joe Jones.

- Uma filha de Hefesto, é a primeira vez que vejo uma filha de Hefesto. – A fala alcançou os ouvidos de todos e Joe suspirou.

- Sim, meu pai é Hefesto. Em nome dos deuses, precisamos de sua ajuda. Hécate foi sequestrada.

Silencio.

Alisson estava começando a achar que a voz desistiu deles, mas suas observações se erraram, quando, em meio a escuridão, uma porta se abriu, no meio das escadas. Uma figura de cabelos negros como a noite, de olhos azuis como o céu apareceu, iluminada pelas tochas – que a deixavam mais bela – ela encarou os semideuses.

- Somente as mulheres me acompanharam, os homens iram esperar aqui. – Dissera a mesma. Jeffrey iria protestar, mas Joe virou-se para ele e Alisson teve certeza de que ela disse algo, mas não conseguiu ouvir.

- Tudo bem. – Respondeu a ruiva.

- Me sigam, semideusas. – Ela virou-se, voltando para onde seja que for, Alisson desceu e ao lado de Aria e Joe, entraram pela porta.

Assim que as semideusas entraram, a porta fechou e elas se viram numa linda sala – parece com as salas das grandes casas Vitorianas. Lembrou-se Alisson.

- Sentem-se – A bruxa apontou para o sofá de três lugares a direta delas. As garotas sentaram, vendo a mulher sentar-se na cadeira a frente, os cabelos negros caiam sobre os ombros, a deixando mais bela.

Ela tinha um sorriso calmo nos lábios e olhava diretamente para cada uma delas. – Uma filha de Hefesto, uma filha de Hades e uma filha de Poseidon, primeira vez que vejo filhas desses três deuses juntos. – Comentou a mesma.

Seu sorriso alargou-se ao encarar os cabelos escarlates de Joe, Alisson observou a mesma admirar os cabelos ruivos da garota. – Ruiva, sempre achei o vermelho uma cor tão linda. Combina com você, filha do fogo. – Dissera a mesma, mudando o olhar para Aria, encarando as orbes castanhas da mesma. – Esses olhos, você definidamente é filha de Poseidon.

E finalmente ela encarou Alisson, seu sorriso sumiu e ela manteve seu olhar penetrante na filha de Hades. Os olhos negros de Alisson encaravam a mesma, e ela sabia que coisa boa não era. – Filha de Hades, como tal, carregas o sofrimento gravado em você, seu rancor é seu defeito mortal. Típico de uma filha dele. – Ele pode não ser o melhor pai do mundo, mas também não fale assim dele. Pensou Alisson.

‘’Não confie nela, Alisson. Ela é traiçoeira, não confie nela, minha filha.’’ Uma voz em sua mente, fez Alisson olhar para os lados alarmada, ela virou-se para Joe, que tinha o mesmo olhar que si.

‘’Não confie nela.’’ Estava escrito nos olhos dela, assim como nos de Aria, elas pareciam também ter ouvido algo. Mas Alisson duvidava que fosse a mesma voz, aquela voz, a voz de seu pai. Provável que elas tenham sido avisadas por seus pais – Hefesto e Poseidon.

- Então vai nos ajudar? – Aria foi mais firme em sua fala.

- Ajudar?

- Sua deusa, Hécate, ela foi sequestrada, quanto mais fraca fica a Névoa, mas fraca a linha entre os dois mundos fica fraca, uma hora os mortais vão ver seu esconderijo e vão atacar, magia é forte, mas antes que você faça algo, bombas e armas de fogo já terão destruído este lugar. – Joe foi firme, ela mantinha a mão perto do peito, onde escondida, encontrava-se sua adaga.

- Ah sim, minha deusa, Hécate. – Ela pareceu se lembrar. – Mas vocês, sabem ao menos meu nome, antes de pedir minha ajuda? – Ela levantou uma sobrancelha sorrindo para as três.

Droga. Quírion não havia dito o nome da mesma.

’Juliet Asmard’’ A mesma voz, seu pai.

- Juliet Asmard. – Respondeu a morena, a mulher direcionou o olhar para a mesma sorrindo.

- Muito bem filha de Hades, parece que sabem.

- Então, vai ajudar?

- E porque faria isso? – Ela as encarou sorrindo.

- Horas, não es leal a Hécate!? – Grunhiu Aria, Joe estava a dois passos de jogar algo na mesma e Alisson sabia que coisa boa não viria daquela luta, principalmente com uma bruxa como aquela.

- Leal sou, mas Hécate está tendo o que merece. Anastásia foi leal a ela, e Hécate não impediu que a mesma fosse jogada no Tártaro por ter amado seu pai, filha de Hefesto. Tudo por culpa de uma deusa medíocre do amor, que não aceita ter uma mulher com fama de mais bela que a mesma, amando seu marido e ainda por cima, podendo ser o que aquela deusa nunca será, fiel. – Rosnou a mesma.

- Então nossa conversa termina aqui. – Respondeu Joe.

- Ah não mesmo, vou levar vocês como prémios para a Anastásia, para ela as matar e as seus amigos também. – Dissera a mesma, pondo-se de pé.

- É uma pena que não irei com você, e aliás, esse vestido é horroroso. – Alfinetou Joe, jogando a na mulher um vidro negro, a mesma desviou, mas ao chocar-se no chão, liberou uma fumaça negra que tomou a volta da mesma.

Esperta. Pensou Alisson, levantando-se junto das duas garotas. A porta não estava mais ali.

- Segurem-se em mim. – Dissera Alisson, segurando firme as mãos de ambas, mentalizando onde Jeffrey, Diego e John estavam, do outro lado, ela precisava chegar lá.

- Pode ser perigoso.

- Não temos tempo. – Alisson retrucou Aria, olhando para trás, e vendo a nevoa negra começar a sumir, dando um lugar a uma Juliet raivosa. – Firmes.

- Suas desgraçadas! Filha de Hefesto volte aqui! – A mulher gritou, mas as garotas sumiram na escuridão novamente.

Do lado de fora, John andava de um lado para o outro, as escadas de cima voltaram a aparecer e ele estava pensando que as três estava demorando muito. Jeffrey ainda segurava sua espada e não tirava o olhar do local onde Joe havia entrada, ele estava preocupado com a mesma.

Diego estava encostado na parede, pensando no que aquela bruxa tramava, levando somente as três garotas. Mas sua linha de raciocínio foi cortada, assim que das sombras surgiu Alisson, Aria e Joe.

Alisson quase caio nas escadas, mas manteve-se firme. – Temos que ir, agora. – Nenhum dos três perguntou nada.

Jeffrey puxou a mão de Joe e subiram rapidamente, o mesmo fizera Aria puxando a mão de John para subirem. Alisson se apoiou no mesmo. – Me ajude a subir, por favor. – Pediu baixo e o moreno não hesitou em ajudar a mesma.

Eles subiram as escadas quase caindo e escorregando, mas conseguiram sair.

Assim que colocaram seus pés para fora daquelas escadas, eles encararam a mesma se fechar e um frio na espinha correu por todos.

- Deixa eu ver, a bruxa não sei do que, não vai nos ajudar? – Comentou John num tom questionário e sarcástico.

- Não, ela está do lado de Anastásia. – Respondeu Alisson, soltando-se de Diego e agradeceu apenas com um olhar, o moreno a encarou, por fim, suspirando.

- Gente, temos outros problemas. – Alisson seguiu o olhar de Joe, que apontava para os turistas e pessoas no lugar, cochichando e olhando para os seis.

- É melhor irmos. – Jeffrey respondeu, puxando Joe pela mão – que resmungou algo, como saber andar sozinha. Alisson, John, Diego e Aria os seguiram a passos rápidos, rapidamente saindo do lugar.

- Onde vamos agora?  - Quem soltou a pergunta foi Diego, olhando para trás, garantindo que não havia ninguém os seguido ou cochichando sobre eles.

- Primeiros temos que achar um lugar para passar a noite, depois teremos que usar o jeito antigo. – Respondeu Joe, soltando a mão de Jeffrey e Alisson viu ambos desviarem o olhar um do outro.

- Que jeito antigo? – Aria questionou vendo a mesma segurar alguns dracmas na mão.

- Moiras, ou Parcas, se preferir o nome Romano. – Respondeu a mesma, guardando os dracmas e pegando seu Mapa. – Aqui diz que tem um motel barato aqui perto, podemos ficar lá e sair durante o dia, será melhor. – Comentou a mesma, olhando para o mapa e falando com Jeffrey e Diego sobre as direções.

Parcas. Alisson lembrava-se de seu tutor falar delas uma vez, antes ou depois, de tentar matar ela, Alisson não se lembrava-se muito bem.

- Temos dinheiro para um motel? – Questionou John.

- Temos.

- Onde você conseguiu esse dinheiro Joe? – Perguntou o loiro de forma divertida.

- Acha mesmo que os filhos de Hermes são os únicos que sabem roubar naquele acampamento, posso pegar as minas do Chalé de Ares sem nem verem, não duvide do que sou capaz, John. – John está certo, ela é pior que os filhos de Hermes. Pensou Alisson, rindo inteiramente de seus pensamentos.

- Céus, too achando que Hefesto deveria virar o deus dos Ladrões, a filha dele rouba melhor que os de Hermes. – Respondeu o loiro, rindo fraco logo em seguida. Era bom o clima entre eles melhorar, pois acabaram de sair de um quase sequestro por parte de uma bruxa.

Porque ela não nós seguiu? Questionou-se Alisson, suspirando e dando de ombros.

- Que tal andarmos logo? – Perguntou a mesma.

- Boa ideia Argent, ficar aqui não vai ajudar em nada. Então Joe, já sabe pra onde vamos? – Questionou Magnos.

- Ah sim, esquerda. Motel é o que temos pra hoje.

- Espero que tenha comida, porque too faminto. – Comentou John.

- Não me diga cabeça de vento, isso é uma novidade e tanto. – Ironizou Aria, vendo o mesmo sorrir para ela.

- Sei que me ama, Aria.

- Em seus sonhos talvez, aqui, só anda. – Retrucou a mesma, caminhando e deixando um filho de Despina sorridente para trás.

- Vamos? – Alisson virou-se, vendo Diego e encarar.

- Vamos. – Respondeu, seguindo ao lado de Diego, os outros quatros semideuses, Joe e Jeffrey iam na frente conversando sobre algo. Aria e John ia atrás, retrucando a fala um do outro, e por fim, Alisson e Diego iam mais atrás, apenas caminhando lado a lado.

O futuro não era o temor deles.

E sim como seria o final daquela noite, será que estarão vivos até lá?

Ninguém sabe....

Talvez as Parcas saibam... ou não.


Notas Finais


Bom é isso, os vejo no próximo capítulo, narrado pela visão da nossa audaciosa filha de Hefesto, Joe Jones. <3
Até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...