História Selfie - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kiba Inuzuka, Konohamaru, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Temari, TenTen Mitsashi, Toneri Otsutsuki
Tags Comedia, Drama, Naruhina, Naruto, Nejiten, Romance, Sasusaku, Selfie
Exibições 107
Palavras 2.644
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Comédia, Famí­lia, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiee povo!
Apareci para vcs!
Desculpe pela demora, foi um pouco dificil fazer este capitulo.
Espero que gostem !
Tenham uma boa leitura e até a próxima.

Capítulo 11 - Capitulo 10:Não estou disposta


Hinata P.O.V

Finalmente chegamos em casa, me atirei no sofá como se não queria nada naquele momento. Cobri meu rosto com a almofada, ouvi Mikasav conversando com a Asuna, não consegui compreender por causa do objeto que estava cobrindo meus ouvidos. Quando me virei para trás, Mikasa estava saindo de minha casa, Asuna se aproximava de mim com um copo de agua.

-Precisa se hidratar, Hinata-sama.

-Ah, obrigada. –peguei o copo bebendo um pouco. –Meu carro está aqui?

-Sim. Seu primo fez questão de trazê-lo até aqui.

-hum, que bom. –levei minha mão até meu rosto, cobrindo um de meus olhos. –Ainda estou com dor de cabeça.

-Beba bastante agua. Logo deve de passar. Qualquer coisa estarei limpando os banheiros.

Asuna sorriu para mim e se retirou da sala. Coloquei o copo em cima da mesinha que estava na minha frente e voltei a deitar no sofá. Meu rosto ficava quente toda vez que lembrava da manhã que passei na casa do Naruto, algumas vezes cobria meu rosto com a almofada tentando esconder a vergonha.

Ouço a campainha tocando, apenas tentei ignorar. Porém a pessoa que estava atrás da porta era insistente demais, tocando várias vezes. Irritada, levantei do sofá num só pulo, minha raiva era tanta que batia forte o pé ao caminhar.

-O que?!? –abri a porta tão forte que pensei que ia arranca-la!

-E ae, Hinata! –era apenas o Kiba, ele me abraçou tão forte que pensei que ia perder o ar e desmaiar. –Te vi ontem na televisão! Estava incrível!

-Ah, o-obrigada. –usei minhas mãos para pedi espaço. –Que surpresa te ver aqui.

-Vim te dá o dinheiro para pagar sua vizinha.

-Obrigada. Entre.

-Até quando temos que pagar ela? –ele pegava a carteira contando o dinheiro.

-Mais dois meses. –fiquei na frente dele cruzando os braços.

-Nossa, deve ter ficado horrível o jardim dela. –ele me entregava o dinheiro.

-Sim, e até minha casa. –enrolei o dinheiro colocando de baixa do jarro de flores que ficava na mesa da sala. –Mas isso não vou te cobrar. Deseja algo?

-Não, só vim entregar o dinheiro. Estou no meu horário do almoço.

-Ah sim. –sentei no sofá.

-Está bem?

-Só com dor de cabeça, apenas.

-Come algo gelado, melhora.

-Gelado? –estranhei aquilo. –Mas não piora?

-Só não come rápido. Tem sorvete na sua casa? –ele se dirigiu até minha cozinha.

-Sai daí, Kiba! –voltei a deitar no sofá novamente.

-Deixa de ser chata. –ouço ele mexendo nas minhas coisas, espero que não quebre nada. –Aqui, achei um pouco. É de flocos, não é seu favorito? –ele me entregava a taça cheia do sorvete.

-É sim. –peguei a taça. –Não sei se vou conseguir comer.

-Come, vai melhorar! –ele se sentou no chão, me encarou por alguns segundos, aos poucos ele aproximava suas mãos de meu rosto, acariciando.

-Sabe que isso tudo não vai te tirar de pagar a dispensa do jardim da Senhora Yuri. –comi algumas colheres do sorvete.

-Longe de mim que estou te subornando. –ele recuava de uma maneira brusca.

-Como sabia que eu estava em casa? –comi mais um pouco do sorvete.

-Não sabia, apenas chutei.

-Desculpe não ser tão receptiva, mas estou bem mal.

-Deu para reparar. –ele olhava para seu relógio de pulso. –Está quase no meu horário, na próxima vez venho mais cedo.

-Tudo bem.

-Não se esqueça de ligar pro Shino. –ele se levantou do chão rapidamente. –Ele tem sinal lá na Amazônia.

-Ele já chegou lá? –voltei a sentar no sofá. –Espero que ele não invente de ficar mandando fotos nos insetos que encontra lá.

-Tenho medo que ele traga aquela aranha peluda. –ele se aproximava da porta. –Na última vez que ele trouxe uma “lembrancinha” matei sem querer. 

-Só você? –falei num tom irônico.

-Pois é. –ele ria um pouco. –Até mais, Hinata.

-Até, Kiba.

 Quando ele foi embora, levantei do sofá pra pôr a taça na pia, Asuna estava na calçada do lado de fora jogando um pouco de agua para limpar. Eu estava tão indisposta que até olhar o movimento da vassoura me cansava.

Ouço meu celular tocando, criei forças para procurar ele na sala. Infelizmente parou de tocar, quando pensei em sentar ele volta a tocar. Encontrei ele no meio de minhas almofadas, olhando a tela percebo que é meu primo me ligando.

Ligação:

-Alo?

-Ah está viva ainda. Pensei que não ia mais aparecer.

-Tive uma noite muito estranha...

-Espero que não tenha feito nada para aparecer nos programas de fofocas!

-Não, não... Só estou cansada e com dor de cabeça.

-Isso é sinal que ainda está viva. Eu vou desligar, tenho umas provas para corrigir.

-Tudo bem..

Ligação off:

Sabia que não ia prestar mais naquele dia, então resolvi ir até meu quarto e dormi até acordar disposta.

[...]

Naruto P.O.V

Estávamos no estacionamento da emissora, Konohamaru estava confirmando se o Shikamaru já estava em seu escritório. Era nossa última chance, entrar no escritório, fazer uma cópia do roteiro e depois entregar a ele, como se nada tivesse acontecido.

-Ele saiu para comprar alguma coisa. É a nossa chance! –konohamaru guardou seu celular na sua mochila.

-Certo, temos que ser rápidos!

Passando pelos seguranças, entramos no local. Sem demostrar que estávamos desesperados, apressando um pouco os passos. De longe percebemos que a Mei Terumi estava atrás de mim, tentamos despistar ela, mas todo local que íamos, ela estava lá.

-Vai na minha frente, vou tentar distrai-la.

-Ok. –Konohamaru correu procurando o escritório de Shikamaru.

-NARUTO!!! –a doida se atirou em cima de mim, pensei que ia me matar.

-O-olá Mei. Hehe! Como vai você?

-Não tente disfarçar! –ela me puxou pela gola da blusa. –Precisa mudar o meu par romântico! Eu não aguento mais aquele cara!

-Mas o que tem de errado? –me afastei um pouco dela.

-Ele me deixa nervosa. –ela se afasta de mim dando as costas. –Sei lá sabe. É muito estranho.

-Entendo... –olhei para o lado e vi que Konohamaru estava me chamando.

-Não acho ele estranho, mas sei lá. Ele me dá uma sensação estranha, entende? –ela continuava refletir.

-Sim, sim. –aos poucos estava me afastando dela, quando percebi que ela ia ficar ali falando à toa, corri em direção do konohamaru.

-Não sei como explicar? – ela se vira para trás, percebendo que não estava mais ali. –Por que ainda tento?

Quando me aproximei da sala, olhei para os lados vendo se tinha alguém por perto. Konohamaru estava grampeando as folhas, me aproximei dele para ajudar a organiza-las.

-Mais rápido! Logo ele vai estar aqui! –coloquei algumas folhas na pasta.

-Estou tentando!

Por mais alguns minutos conseguimos terminar nosso plano. Deixamos tudo em seu devido lugar, encostamos a porta. Corremos até o estúdio, faltava pouco para começar as audiências, deixei o roteiro com os autores. Sentei em uma das cadeiras da plateia, respirei bem fundo.

 -Então, conseguiram cuidar do roteiro? –Shikamaru senta no meu lado, senti algo apertando meu coração.

-A-ah, s-sim! –tentei não parentar que estava desesperado.

-Finalmente fizeram algo sério. –ele bebe um pouco de seu café.

-Falei que podia confiar nessa vez.  

~~~~Silêncio~~~~~

-Eu sei que fizeram. –ele ainda estava concentrado no café.

-C-como? –fiquei surpreso, depois de tudo, como ele descobriu?

-Câmeras. E também estava passando na frente da sala de segurança e vi os dois entrando na minha sala.

-Ah... Isso... resumi muita coisa.

-Vocês dois são idiotas! Por que não me falaram?

-Por causa do teu último aviso. –estava um pouco preocupado com resposta dele.

-Idiotas! Se eu deixá-los por alguns segundos sozinhos, tudo aqui vai pegar fogo. –ele se levanta da cadeira. –Na próxima vez, avise!

-Sim... –levei minha mão até o peito, meu coração estava batendo muito rápido.

[...]

Hinata P.O.V

Ouvi um zumbido muito chato, quando abri os olhos percebi que ainda estava noite. Peguei meu celular para ver as horas, era apenas 4 horas da madrugada. Levantei da cama, ainda estava usando o mesmo vestido, minha boca estava seca, meus lábios rachados, senti um gosto estranho de sangue em minha boca.

Abri a porta do meu quarto, tudo estava escuro, nem a luz da lua iluminava direito. Com cuidado me dirigi até a cozinha para beber um pouco de agua. Ouvi um som estranho vindo do corredor, voltei alguns passos para trás e avistei algo vindo da escuridão. Me encostei na parede, senti minhas pernas fraquejar um pouco. Respirei fundo, precisava ficar calma, olhei para os lados e avistei uma espátula em cima do armário, consegui pega-la, aproximei ela de meu peito esperando que o tal vulto se aproximasse.

Fechei os olhos segurando firme a espátula, quando senti que estava perto, permaneci no lugar. Não tive coragem de abordar, meu coração estava pulsando tão rápido, parecia que ia sair de meu peito.

-Hinata-sama?

-AAAh, meu Deus! É você, Asuna. –respirei tão fundo de aliviada.

-Sim, vim pegar um pouco de agua. –ela se dirigiu até a geladeira. –Por que está levantada?

-Vim também beber um pouco de agua... –coloquei a espátula em cima do balcão.

-Por que estava com isso nas mãos? –ela pegou a jarra com a agua geladinha.

-Por nada sabe? –limpei a garganta.

-Oh, tudo bem. –ela serviu os copos. –Então acordou mais disposta?

-Acordei. –bebi um pouco da agua. –Esqueci que tenho que cobrar o dinheiro do evento que a Hanabi e eu queremos ir.

-E aonde vai ser?

-Shibuya.

-Mesmo sendo um bairro perto daqui, nunca fui lá. Já vi algumas imagens do famoso cruzamento.

-Sim. Lá é lindo demais. –terminei de beber a agua, colocando o copo na pia.

-Sim. –ela guardou a agua na geladeira. –Vamos voltar a dormi?

-Vamos. Espero que ainda me resta um pouco de sono.

Mesmo ter dito aquilo, capotei na cama apenas em um segundo. Estava entrando um vento tão morno, refrescante pela janela, só senti-lo me deu sono na mesma hora.

Quando amanheceu, acordei tão disposta. Levantei da cama saltitante, fiz toda minha higiene matinal no banheiro, voltei para meu quarto para escolher minha roupa, mas antes peguei meu celular para colocar uma música enquanto escolhesse a minha roupa.

O brilho, brilho, o brilho, brilho

 

Eu brilho mesmo se estou escondida, o que devo fazer? Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu brilho mesmo estando enrolada num véu, eu brilho, isso é óbvio.

-Acho que vou bem alegre para trabalhar. –abri cada porta de meu guarda roupa.

Peguei um top preto com estampa de rosas, uma saia rosada de cintura longa rosa, junto com um cinto fino na cor preta, como de manhã ainda tem um ventinho fresco, peguei um casaco na cor saffron, e para finalizar uma sandália de salto alto grosso estilo pep toe na cor tea rose. Peguei o modelador para fazer meu cachos, finalmente meu look estava pronto.

-Ainda falta algo. –procurei em minhas coisas um óculos.

-Hinata-sama, não vai se atrasar. –Asuna passava pela minha porta.

-Não, não. –sorri para ela, enquanto pegava meu óculos. A armação era fina na cor coral, e as lentes num tom de rosa simples.

-Está tão radiante, Hinata-sama.

-Obrigada, Asuna.

As outras pessoas gostam de mim também, sou eu quem está brilhando

Você tem que ser cuidadoso até o fim

Você é quem roubou essa jóia, não é?

Esteja ao meu lado o tempo todo, só fique ao meu lado

Não tire seus olhos de mim, se apaixone por meus encantos

-Não vai pegar uma bolsa, Hinata-sama? –ela se dirigiu até meu cabide que só tinha bolsas.

-Falando nisso, preciso comprar mais. –peguei meu celular, utilizando a câmera para ver como estava. –Ainda falta algo.

-Batom?

-Sim, mas qual?

-Um rosa simples ficaria bem, Hinata-sama.

-Boa ideia. –procurei na minha penteadeira um batom matte na cor rosa boca. –Posso ir trabalhar agora.

-Tome cuidado no transito.

-Obrigada, Asuna. Até mais.

Apressei meu passo para chegar na porta, como sempre tomei cuidado quando estava na rua. Já fazia um tempo que não batia de frente com a Senhora Yuri, isso era realmente estranho. Meu carro estava me esperando, olhei ele todinho para ver se não tinha um arranhão, ainda bem.

Liguei o carro, olhei pelo retrovisor se não tinha nada atrás, tudo estava tranquilo naquela manhã, nada de ruim ia acontecer.

Eu brilho mesmo se estou escondida, o que devo fazer? Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu brilho mesmo estando enrolada num véu, eu brilho, isso é óbvio.

Em um mundo desconhecido você vai perder a noção do tempo

Mesmo quando abrir seus olhos de manhã, seu sonho vai continuar

Consegui chegar a tempo na empresa, peguei minha mochila que sempre deixo dentro do carro, peguei meu perfume e usei. Sai do carro, alguns funcionários estavam passando por mim. Entrando no prédio, Paul já estava sentado no sofá da recepção, cumprimentei ele e outros funcionários

-Tudo está indo bem. –Coloquei os fones para ouvir minha música.

Quando apertei o botão para chamar o elevador, ouvi alguns gritos, mas ignorei. Quando abriu a porta e pensei entrar, alguém me segurou pelo braço.

-Te peguei!

-Mas o que significa isso? –terei um de meus fones e virei para trás.

-Mal educada! É assim que recebe tua irmã?

-Ai, Hanabi, me deu um susto.

Eu quero estar bonita pra você, eu quero ficar mais linda e brilhar

Porque você é o único que não sabe meu verdadeiro valor?

Eu brilho mesmo se estou escondida, o que devo fazer? Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu brilho mesmo estando enrolada num véu, eu brilho, isso é óbvio.

-Vim te dizer que o Neji já me deu o dinheiro para o evento. –ela me mostrava a carteira dela.

-Isso é ótimo. Eu ia ligar para ele mais tarde.

-SIIM! –ela me olha um pouco séria. –Mas antes gostaria de te pedi uma coisa.

-Aiai. Diga. –Tirei meu óculos.

-Sabe, tem um colega meu lá na faculdade. – rosto dela fica um pouco vermelho. –Na verdade, ele não é do mesmo curso que eu. Eu o conheci no primeiro dia de faculdade no intervalo, e ele gosta das mesma coisas que eu.

-Ah que fofo. E você gosta dele? –dei um empurrão de leve nela.

-E-eu acho que sim. –ela respirava fundo para falar. –Então, eu gostaria de perguntar se ele pode vir junto?

-Claro que não. Não precisava fazer todo esse drama. –dei uma piscada para ela.

-Obrigada, onee-chan! –ela me abraçou forte. –Eu o trouxe aqui para te conhecer.

Você é tão calmo, você é tão arrogante

Eu não consigo ver o fim da fila de pessoas que me querem

Inacreditavelmente, você é tão indiferente, eu sou uma estrela caída do céu

Eu brilho mesmo se estou escondida, o que devo fazer? Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu brilho mesmo estando enrolada num véu, eu brilho, isso é óbvio.

Hanabi me pegou pela mão e me levou até o rapaz. Ele estava sentado em um dos sofá, lendo um livro. Ele me lembrava alguém, mas não sei quem.

-Hinata, esse é meu amigo Konohamaru.

-Olá. –estendi a mão para ele.

-Olá. Prazer conhece-la.

-O prazer é todo meu. Então você vai vir junto com a gente no evento?

-Sim, se não se importa quero levar um amigo.

-Oh. –olhei para Hanabi. –Não me importo. Pode levar.

Olhe para mim, eu sou seu brilho, para onde você está olhando? Olhe para mim

Mesmo que eu use roupas apagadas eu ainda brilho

Eu brilho mesmo se estou escondida, o que devo fazer? Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu chamo sua atenção imediatamente

Eu brilho mesmo estando enrolada num véu, eu brilho, isso é óbvio.

-Legal. Vou ligar para ele mais tarde. Obrigado, senhorita.

-Não precisa agradecer. Gosto de ver que minha irmã encontrou pessoas boas na faculdade. Falando em faculdade, não deverias está lá, Hanabi?

-E-estamos voltando. –ela puxo o rapaz pelo braço. –Até mais, onee-chan!

-Até. –abanei a mão eles. –Espero que não me fazem de babá.

 


Notas Finais


Oiee gente! Mals pela demora, estava com dificuldades para finalizar o capitulo.
Espero que gostem, dei um certo trabalho kk
Avisar aqui para vcs, que quando eu terminar a fic Estrela Azul, farei outra sobre Naruhina.
Já estou com a capa pronta, e uma parte do primeiro capitulo pronto em minha cabeça.
Quando der eu posto e deixarei o link aqui para vcs, caso querem ler.
Até a próxima e bjss
AAh e a Musica é Twinkle das girls generation

Look da Hinata:http://www.muitochique.com/wp-content/uploads/2015/08/Saia-rodada-ano-novo.jpg (roupa do meio)
Sapatos:http://www.sapatosfemininos.net/wp-content/uploads/2016/05/Sapatos-de-Salto-Grosso-da-Moda-2016-12.jpg
Oculos:https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSJywnyh3U0_PN3FUjA1XczoKBg16xxW9WA7L4uFhjdJw894ArG (o de cima)
Batom:http://www.tblogsshop.com.br/media/catalog/product/cache/1/thumbnail/9df78eab33525d08d6e5fb8d27136e95/a/n/ana_bolena1_1000x1000.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...