História Selvagem - Capítulo 38


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Tara Chambler
Visualizações 111
Palavras 744
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tentei um capítulo no celular e gostei ❤️ Me digam o que acharam.
Boa leitura ❤️

Capítulo 38 - Errado


POV Fleur

Era errado.

Um louco que torturou meus amigos e eu, ex prisioneiro que poderia atacar a qualquer momento o lugar onde minha filha vivia, um sádico estrategista que poderia estar comigo por conveniência e devia estar mesmo, eu era uma guarda costas para ele, a proteção para todos os inimigos que conquistou no caminho. Que merda eu estava fazendo?

Era errado.

Mas eu me sentia confortável com aquela presença perigosa, seu jeito irônico e despojado, eu me sentia tranquila, leve, a vontade para ser eu mesma. As insinuações, provocações, joguinhos sadicos, as manhãs turbulentas fugindo de ex salvadores e as noites em claro vigiando o lugar após tentativas de ataques, tudo que ele fazia parecia calculado e tendencioso, mas incrivelmente natural e espontâneo.

Eu me sentia uma adolescente que fugiu de uma família conservadora para viver em um trailer com o namorado badboy.

Errado e delicioso.

Não importava o que passávamos durante o dia, nossas noites eram sempre divertidas, cozinhávamos juntos, ouvíamos musicas e riamos de banalidades.

- Então eu disse que daria uma detenção por fumarem maconha escondidos debaixo da arquibancada e a garota ofereceu um boquete para deixar a história pra lá. - Ele terminou outra curta história sobre seus dias de professor de educação física.

- O que?! - Eu gargalhei, derramando um pouco de molho pelo fogão. Estávamos preparando um macarrão com queijo pronto, ou melhor, o incrementando. - E você aceitou?

- Nem fodendo, eu não queria arriscar meu emprego e já tinha quem fizesse aquele serviço para mim. - Negan explicou aproximando-se, segurou meu rosto com delicadeza e deu sua típica risadinha maliciosa. - Tem um pouco de molho no seu rosto. Bem aqui...

Sussurrou a última parte, meu corpo entrou em chamas mais rápido que um isqueiro, ele sempre ter esse poder. Senti sua respiração chocar contra minha bochecha cada vez mais forte, ele puxou meu rosto para cima e roçou a ponta da língua no canto dos Meus lábios, um simples gesto que me estremeceu dos pés à cabeça. Negan lambeu a região entre minha bochecha e Meus lábios lentamente, como se quisesse fazer aquele momento durar mais do que deveria e eu compreendia aquela ação, mesmo longe de Daryl eu evitava qualquer sinal verde, até aquele momento, eu estava tão imersa na onda cômica e descontraída da história que mal cogitei o que estava acontecendo ali. Antes de afastar-se ele aproveitou para roubar um breve selar de lábios, eram macios e quentes, certamente habilidosos. 

- Te deixei molhada, não é? - Negan deu um meio sorriso, voltando a atenção a panela.

- Encharcada. - Confessei bem humorada, arrancando uma expressão mista em surpresa e empolgação que me fez rir. - Eu não esperava por isso.

- Se esperasse não permitiria. - Ele constatou um pouco decepcionado. - Você não vive mais com ele, saiu da pior forma possível, traída e psicologicamente abalada. Minha flor, você visitou a pequena várias vezes, todos sabem onde estamos e ele nem deu sinal de vida. Ele a soltou, por que ainda se sente presa?

- Você não acha estranho? Ele é um bom homem, apesar da péssima auto estima tem uma honra e lealdade invejáveis, você o conheceu e foi isso que o atraiu nele. Por que um homem assim faria algo tão desonroso e desleal? E por que ele não lutou para ficar com a Beth? Eu só... - Suspirei cabisbaixa, sentando-me em um cadeira. - Eu só, sei lá, esperava mais. Acho que ainda espero.

- Todos esperávamos mais. - Sentou-se ao meu lado. - A diferença entre nós nesse momento é que eu não espero mais nada daquele caipira, mas espero de você.

- As vezes você diz coisas tão lindas, tão lindas que nem parecem sair de uma pessoa que quebrou a cabeça de tantas pessoas boas. 

- E você acha mesmo que alguém que quebrou cabeças com um bastão de baseball não pode esperar algo de uma mulher que matou a própria mãe? - Ele retrucou com seu melhor sorriso.

E assim o Negan que eu conhecia estava de volta. Terminamos o jantar e o devoramos enquanto trocávamos farpas, aquela disputa maldosa por incrível que pareça me deixava tranquila, assim eu não pensava no beijo que havia acabado de acontecer, foi bom, ótimo, delicioso! Mas não era o momento.
 

E havia um momento certo? Não, nada ali era e nunca seria certo.

Era tudo um grande erro.

E eu estava amando errar.


Notas Finais


Flegan é real! ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...