História Selvagem - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Carl Grimes, Carol Peletier, Daryl Dixon, Enid, Eugene Porter, Gabriel Stokes, Maggie Greene, Michonne, Morgan Jones, Negan, Paul "Jesus" Monroe, Personagens Originais, Rick Grimes, Rosita Espinosa, Tara Chambler
Visualizações 94
Palavras 631
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Sci-Fi, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei, eu estava de férias kkkkkk mas não resisti! A verdade é que quero terminar a história antes da 8 temporada começar para não ter bloqueio de criatividade.
Então talvez saia um cap por semana esse mês e no próximo voltem os diários. ❤️
Boa leitura!!! ❤️❤️❤️❤️

Capítulo 47 - Terceira Temporada: Hope


 

Infelizmente os esforços de Fleur e Negan foram em vão, os sussurradores estavam sempre um passo à frente e assim que nomearam o novo líder arquitetaram a retaliação. A guerra que ocorreu fora pior que a primeira contra Negan e a derrota de Rick e os outros era inevitável, assim aconteceu.

Poucos sobreviveram, Maggie, Michonne, Carl, Paul, Daryl, Jack, Enid, Tara e alguns inocentes que foram escondidos durante a batalha. Com a morte do xerife e redução do número de sobreviventes, Maggie tomou a liderança e o pequeno grupo passou a migrar de casa em casa até chegarem ao limite do litoral, um casarão de madeira  construído à beira da praia, aquele seria a nova casa deles e Maggie a nomeou de Hope.

POV Elizabeth 

Os donos da taverna nos informaram que os sussurradores estavam expandindo para o lado contrário ao nosso, ficamos aliviados com a notícia e passamos a noite ali para retornar ao litoral no dia seguinte. Dividíamos um quarto em um silêncio confortável quando gritos começaram a ecoar pela casa.

- Senhor! Se acalme ou teremos que atirar! - Ouvimos a dona pedir.

- Eu já disse que quero as crianças e o homem caolho! - Uma voz familiar ecoou aterrorizante.

Ao reconhecer a voz rapidamente nos levantamos, juntamos nossos pertences e corremos escadaria abaixo encontrando-o apontando sua crossbow em direção ao casal.

- Papai! - Eu disse em repreensão, ele me encarou por alguns segundos e abaixou a arma, guardando-a nas costas. 

- O que faz aqui Daryl? Aconteceu alguma coisa? - Carl perguntou preocupado.

- Vamos. - Papai se limitou a dizer, encarando os donos da taverna com desconfiança. - Pague logo esses idiotas suicidas.

Carl e Enid obedeceram a ordem do papai e partimos para o trailer, deixando os cavalos como parte do pagamento. Assim que dobramos a pequena quadra onde se situava a taverna, Enid tomou o volante do trailer a Carl encarou papai preocupado.

- Então. - Carl cruzou os braços.

- Maggie me mandou para guia-los, nós mudamos outra vez. - Papai estava desconfortável explicando aquilo, algo estava errado.

- Eles?

- Não são sussurradores, uma alcateia de lobos. Há dias ouvimos uivos e pessoas destroçadas nos arredores, isso está atraindo mais mortos e decidimos migrar antes que os sussurradores sejam atraídos também.

- Mas tio Daryl, se os lobos comem os mortos eles não estão nos protegendo também? - Judith perguntou curiosa.

- É verdade. E os sussurradores não vão querer se infiltrar em uma horda que corre risco de ser atacada por lobos, se reagirem são mordidos e se não reagirem também são mordidos. São como guarda costas.

- Vocês não entenderam. - Carl me interrompeu. - Daryl não disse que encontraram mortos destroçados, encontraram pessoas, humanos não transformados.

- Canibais com lobos? - Judith franziu o cenho.

- P-papai... - Sussurrei quase sem voz, Meus olhos estavam arregalados e a garganta seca. Em dez anos após a derrota para os sussurradores essa era a primeira vez que tínhamos uma suspeita do paradeiro dela, tão perto, se realmente fosse... - É-é ela?

- Não! - Papai serrou os punhos. - Você sabe que não pode ser ela Elizabeth, não se iluda! São canibais e nós mudamos para o norte. - Grunhiu furioso e levantou-se, caminhando pesado até Enid. - Eu dirijo.

Papai era assim, solitário e arisco, qualquer comentário torto o irritava, mas nada o afetava tanto quanto falar da minha mãe. Eu sei que ele se arrepende dos erros que cometeu no passado, uma vez Paul disse que tenho o rosto da mamãe e os olhos do papai, deve ser difícil para ele me ver, uma pequena versão do amor jogado fora com seus olhos, papai sempre se perde olhando em meus olhos, talvez se perca no próprio reflexo.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...