História Sem amor, sem fraquezas - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Jay Park
Personagens Jay Park, Rap Monster
Tags Bdsm, Imagine, Jaypark, Rapmonster
Visualizações 0
Palavras 1.256
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, espero que gostem.

Capítulo 1 - That pain


Fanfic / Fanfiction Sem amor, sem fraquezas - Capítulo 1 - That pain

                       Pov's ______ on

SOCORRO, ALGUÉM POR FAVOR-eu gritava até sentir minha garganta arder. -ALGUÉM ME AJUDA EU IMPLORO-as lágrimas já se faziam presente no meu rosto, eram lágrimas de desespero, eu estava em perigo, eu estava exausta,estava chovendo muito forte, e eu corria sem rumo, com pouquíssimas roupas.

-POR FAVOOR ALGUÉM-cheguei em um beco, já visto antes por mim, as lágrimas já escorriam de forma mais afoita, tendo certeza que aquele seria meu fim.... Não podia, eu tinha que ser forte pela minha filha, ela tinha que viver. -SOCORRO- a qualquer hora ele podia chegar, eu olhava pra cima e perguntava a Deus o motivo de tanta dor.

-Deus não existe- levei um susto ao ver aquela sombra a minha frente, automaticamente abracei as minhas pernas.

-Não precisa ter medo pequena- falou aquele ser encapuzado de voz feminina, logo em seguida estendendo a mão, eu não tinha oque fazer a não ser confiar. Eu me levantei com ajuda daquele ser até então desconhecido por mim, ela colocou um casaco por cima do meus ombros, e eu sorri em gratidão.

Ficamos caminhando durante um bom tempo, e em momento algum ela revelou o rosto, paramos em frente de uma pequena casa que assemelhava-se muito a uma residência abandonada.

-Pode entrar- eu obedeci um pouco receosa. -Fique a vontade- a simpatia era uma coisa presente no seu tom de voz.

-Muito obrigada mesmo- falei com a voz ainda um pouco embargada. -Eu serei grata eternamente- pra mim aquela moça só podia ser um anjo enviado de Deus que segundo ela, não existia, eu realmente estava feliz, e acariciava minha barriga em uma tentativa de dizer para aquela criança que ficaria tudo bem.

-Bom, não precisa agradecer, mas você não falou seu nome- falou arqueando uma sombracelha

-Kiarah, Kim Kiarah- me sentei a sua frente esuperando ela retirar o capuz e revelar seu rosto.

-E o seu?- falei pensativa- Já sei, Sun Hee, Junrin, Seohyun??- Ela soltou uma risada, e foi tirando lentamente o capuz que cobria seus cabelos e parte de seu rosto.

-Lembra de mim?-disse sugestivamente.

-AII MEU DEUS COMO??? -eu corri para abraça-lá, um abraço apertado cheio de saudades.

-______, EU...EU..- minha respiração e meus batimentos estavam acelerados, lágrimas já se faziam presentes. -EU ACHEI QUE VOCÊ TINHA MORRIDO- a essa altura eu já não controlava as lágrimas .

-Calma pequena- ela passava as mãos em minha bochecha secando minhas lágrimas - Eu não morri, eu estou aqui, pra você e por você- abriu aquele sorriso que só ela tinha, tudo nela era tão único,principalmente seu sorriso.

______ era uma amiga que trabalhava naquele inferno, mas conhecido como boate, só de falar disso eu sinto meu estômago revirar, aquele lugar me dava nojo, muito nojo, lugar onde velhos imundos iam apenas com intuito de satisfazer seu desejos pobres garotas como eu, que foram enganadas, achando que vieram a capital pra trabalhar em um trabalho minimamente decente, mas foi o mais puro engano, eu fui trazida para me submeter a qualquer tipo de serviço, dos mais comuns até os mais peculiares de qualquer cliente que fosse à aquela espelunca. Você tem noção disso? eles tocavan no meu corpo, contra a minha vontade, e o pior que eu não podia reclamar, eu tinha que fingir gostar, eu me sentia suja, suja no mais íntimo da minha alma, não importava quantos banhos eu tomasse, eu me sentia tão imunda quantos aqueles velhos que visitam aquele lugar, buscando apenas o prazer. Mas foi um daqueles velhos que me engravidou, e me deu minha filha, tudo que eu tinha. Meu bem mais preciso.

Foi lá que conheci Kim _____, que assim como eu ela veio em busca de um trabalho, ele foi enganada assim como eu, isso que me dava mais ódio, ver tocarem nela, eu já dormir com vários caras pra poupar ela, eu suportava que tocassem em mim, mas nela não, eu já fui torturada pelos seguranças no lugar dela, ver tocarem ela era meu maior pesadelo, ela era minha melhor amiga, minha irmã, talvez até mais que isso, ela era o amor da minha vida, ela era meu tudo. Quando descobri que ela tinha morrido, meu mundo caiu, eu entrei em depressão profunda, eu comecei a sofrer de insônia, ela era meu tudo, e sem ela eu era nada, foi nessa época que eu descobri que estava grávida, sim, eu tinha achado uma razão pra viver, mas eu tive que fugir pra razão da minha existência continuar viva.

Sair dos meu devaneios quando escutei aquela voz doce me chamar .

-Você precisa comer pequena- apenas concordei com a cabeça.

-Você quer ajuda?- disso com um sorriso nos lábios.

-Desculpa pequena, mas você é um fracasso na cozinha- e eu nem poderia descordar. Alguns minutos depois ela voltou com uma sopa em uma tigela rasa.

-Eu posso não cozinhar bem, mas você não cozinha muito melhor do que eu- olhei para aquela gororoba vendo oque eu ia ter que enfrentar.

-Come logo, vadia- um sorriso sarcástico, okay eu vou ter que comer mesmo isso. Quando terminei de comer observei que ela tinha dormido, ela dormia tão serenamente, seus traços era delicados, seu lábios cheinhos e avermelhados, sua pele levemente pálida, seus fios longos e negros chegavam na altura de sua cintura fina; ousaria dizer que uma das pessoas mais belas que já vi em toda minha miserável existência nesse planeta. Começando a sentir sono fui até a simples cozinha guardar meu prato, quando observei a lixeira, vi uma embalagem estranha, me agachei pra ver a embalagem, comecei a sentir meu corpo fraquejar, logo me sentando no chão; eu comecei a vomitar; sentir minha garganta arder; aquilo...aquilo era veneno, não, não podia ser, só podia está havendo um engano, ela... -Sim é isso mesmo que você ta pensando- passou as mãos em meus cabelos ela, ela não podia, ela era meu tudo.

-Não, essa não é você, não é, essa não é minha ______.- eu não parava de torcir, eu não parava de chorar, sentia meu coração partir, nenhuma tortura psicológica ou física se comparava a essa, não podia ser .

-Primeiramente, eu não sou sua, depois você não me conhece, essa sou eu, pobre Kiarah. - falou dando um riso sarcástico, se ajoelhado é ficando a minha altura.

-Nós somos como irmãs, isso é um pesadelo, e eu vou acordar, e vai ficar tudo bem - eu torcia cada vez mas e sentiria que a qualquer momento, minha garganta iria estourar.

-Eu nunca fui sua amiga. Não tem aquele cara que juramos matar juntas??? Eu trabalho pra ele, eu trabalho pra Park Jaebeom. foi tão fácil se aproveitar da garotinha frágil, que se sentia suja, por transar com velhos imundos, ah garota, você é tão ingênua- se abaixou e sentou a meu lado com um sorriso ainda mais sarcástico nos lábios.

-Eu amei você com toda minha alma, você tapou o vácuo que a dor deixou- ela ia me interromper, mas eu não deixei.

- Eu não te odeio por isso, ela ia ter seu nome- falei apontando pra minha barriga, segurei a mão dela. -______, mesmo que você me destrua, você não pode arrancar minhas esperanças, porque você é minha esperança, você pra mim é tão única, eu vou amar você até que o mundo pare de girar, eu não pude ter seu amor nessa vida, quem sabe numa próxima meu amor, adeus- sentir minha visão escurecer, eu não conseguia mais me mover,eu já não conseguia mais respirar , mais ainda sentia aquela dor, aquela dor chamada amor.


Notas Finais


Oque acharam?? Não deixem de comentar por favor. Eu pretendo postar regularmente, é isso. Vejo vcs no próximo capítulo que deve sair em breve. Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...