História Sem Fronteiras - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 14
Palavras 1.539
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Mistério, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Continuação do capítulo de ontem, achei que ficou muito curto então postei outra hoje (e também por causa de uma amiga minha que ficou me enchendo o saco por causa disso).
Esse capítulo foi tenso mas...... Não falo mais nada leia e descubra o que aconteceu!

Capítulo 6 - Brigas


Depois que pararam de se beijar, Amy olhou para a tela que mostrava os batimentos cardíacos de Harshaw e viu que eles estavam acelerados demais, mas as vezes eles davam uma queda brusca.

-Isso está certo? –Perguntou Amy.

-Eu não sei, eu não me lembro de quase nada. –Respondeu Harshaw.

-Vejo que você ainda está aqui. –Disse o médico. –O quê? Harshaw acordou? Isso é impossível, ele não poderia estar acordado.

-Vai ter algum problema com ele? –Perguntou Amy.

-Depende de como ele se sente. –Respondeu o médico.

-Eu estou bem doutor, só as dores que com certeza iriam acontecer. –Disse Harshaw.

-Tudo bem então, eu vou te dar seus remédios e vou atender uma senhora que está me esperando. –Disse o médico tirando alguns remédios da caixa que estava na prateleira.

Harshaw tomou os remédios com a ajuda de Amy.

Amy ligou para Jason para dizer que Harshaw havia acordado e em alguns minutos, Jason estava no quarto de Harshaw, Amy teve sorte que era final de semana assim poderia ficar mais tempo com Harshaw no hospital, e não precisaria ir para universidade estudar. Jason e Amy ficaram lá até as 21:00, depois disso Jason disse para Amy que ele iria ficar com Harshaw e era para ela ir para casa, por mais que ela não quisesse ir, ela concordou e ligou para seus pais.

-Como você se sente irmãozinho? –Perguntou Jason.

-Só um pouco de dores normais, mas nada com o que se preocupar. –Respondeu Harshaw.

-Já é tarde, vamos dormir eu tenho que trabalhar cedo amanhã mas você já terá companhia antes de eu acordar. –Disse Jason. –Você tem sorte de ter Amy como sua namorada.

-Eu sei. –Falou Harshaw. –Mas eu faria a mesma coisa por ela.

Jason então tapou Harshaw com um cobertor que estava na cama, inclinou a poltrona e se tapou com um cobertor que havia trazido de casa.

2:50 am.

Jason estava dormindo quando de repente se acordou com um barulho que parecia um despertador, mas não ficava parando e voltado seguia sempre o mesmo barulho sem parar.

-Mas que barulho é esse? –Pensou Jason.

Olhou para Harshaw e viu os batimentos cardíacos dele, estavam em zero, esse era o motivo do barulho, e sem pensar duas vezes correu para a porta.

-ALGUÉM! AJUDEM AQUI! OS BATIMENTOS DO MEU IRMÃO PARARAM! –Gritou Jason no corredor.

Não demorou muita para ele ver um médico e duas enfermeiras correndo em direção ao quarto de Harshaw, entraram como se não houvesse amanhã(e nesse momento não haveria mesmo para Harshaw).

-Peguem a maca lá fora. –Disse o médico para as enfermeiras.

Elas trouxeram uma maca e colocaram Harshaw em cima dela e levaram correndo para a sala de cirurgia para saberem qual era o problema.

-Você terá que ficar ai fora garoto. –Falou o médico para Jason.

-Mas ele é meu irmão! –Disse Jason.

-Eu sei, mas agora não importa quem seja quem. –Falou o médico.

Jason não falou nada apenas se sentou em um banco que havia ao lado de porta, ouvia o médico e as enfermeiras falando sobre Harshaw, e como ele estava. Jason pegou seu celular e colocou no contato da Amy, mas quando ele foi ligar desistiu, não queria que ela passasse por mais alguma coisa, afinal, ela viu ele ser atropelado e achava que a culpa toda era dela.

5:30 am.

Jason estava quase dormindo no banco, tinha se passado duas horas e nenhuma notícia, nenhum médico saia nenhuma enfermeira saia, estava quase tudo um silêncio, estavam chegando algumas pessoas para começarem seus turnos no hospital, pessoas indo visitar seus entes que estavam ali, Jason torcia para que nenhuma dessas pessoas fosse Amy.

Jason foi pegar um copo de água, mas antes de dar 10 passos ele ouviu a porta da sala de cirurgia se abrindo, olhou para trás e viu o médico saindo de lá.

-Doutor, meu irmão está bem? –Perguntou Jason desesperado.

-São muito raros casos assim. –Começou falando o médico. –Harshaw está recuperando seus batimentos, ele ficou morto por 25 minutos, ele tem muita sorte, a vontade de viver dele é imensa, em todos esses meus anos trabalhando aqui nada disso tinha acontecido, ele ficará em vigia 24 horas por dia e ele não receberá visitas por uma semana.

-Por que por uma semana? –Perguntou Jason.

-Você tem que entender que ele está muito fraco, e ele só ficará forte o bastante daqui uma semana. –Respondeu o médico.

-Tudo bem então. –Disse Jason abaixando a cabeça. –Mas o que ele teve pra isso acontecer?

-Uma das artérias teve um corte, vazando pouco sangue, mas o bastante para o coração parar de bater. –Respondeu o médico. –Mas agora  isso não vai mais acontecer, ele está bem e nós vamos cuidar muito bem dele.

Jason apenas concordou e foi para o hall de entrada do hospital, comprou uma água na cantina e enquanto andava viu Amy indo em direção a ele, ela perguntou se poderia entrar no quarto e Jason contou toda história para Amy, ela começou a chorar, mas Jason acalmou ela um pouco, foram andando até a casa de Amy para ela voltar a dormir, mas era óbvio que ela não iria conseguir já que estava pensando somente em Harshaw.

 Jason havia deixado seu carro em casa, por isso teve que voltar andando.

-Pai, Harshaw ficou morto por 25 minutos, mas ele está bem agora, não precisa se preocupar. –Disse Jason a seu pai.

-Bem feito para aquele garoto, ninguém manda se atirar na frente de um carro para salvar uma garota chata. –Disse o pai de Jason.

Jason estava de costas quando seu pai disse isso, mas quando ele ouviu virou um pouco a cabeça e olhou para seu pai com os olhos cheios de raiva.

-Como você pode dizer isso do seu PRÓPRIO FILHO!? –Gritou Jason.

-Olha como você fala comigo.

-Eu falo do jeito que eu quiser, olha como você está falando do meu irmão.

-Você não tem direito algum de falar assim com seu pai.

-Você não vê o que está falando? Está dizendo que a namorada do seu filho é chata, e que ele merecia estar naquele hospital!

-Mas ele merece mesmo.

-VOCÊ É O PIOR PAI DE TODOS OS TEMPOS. –Gritou Jason.

-EU DEI UMA CASA PARA VOCÊS, EU DOU COMIDA, LUZ, ÁGUA, UMA CAMA! E VOCÊ AINDA DIZ QUE EU SOU UM PÉSSIMO PAI!

-NÃO FEZ MAIS QUE SUA OBRIGAÇÃO! –Gritou Jason enquanto empurrava seu pai.

-Você não deveria ter feito isso. –O pai de Jason levantou ele para cima e jogou contra a parede.

Jason caiu no chão chorando, estava deitado ali como se estivesse morto. Olhou para cima e viu seu pai olhando ele e depois andando em direção a porta.

-Eu gostava de você, mas você virou pior que Harshaw, agora limpe essa casa e vai arrumar um emprego seu vagabundo, por que você já está com 24 anos e nem um emprego você tem. –Falou o pai de Jason enquanto ia para a porta.

-Eu já tenho um emprego, mas você não liga para nenhum de nós, você só liga para si mesmo, nem para a mamãe você ligava. –Retrucou Jason.

-Aquela puta nunca mereceu meu respeito.

-Ela tinha um respeito absoluto por você, mas você nunca ligava, sempre saia à noite para pegar aquelas vagabundas que ficam nas ruas ganhando dinheiro com sexo. –Falou Jason. –Você é o pior ser humano que existe.

O pai de Jason saiu sem ouvir nada, bateu a porta e foi embora dali, não bateu nenhum sentimento de culpa, pois sabia que havia feito o certo encarando seu pai.

1 Semana depois.

Jason ainda não tirava Harshaw da cabeça, estava ansioso para ver como seu irmão estava. Então acordou bem cedo pegou seu carro e ligou para Amy para avisar que estava indo para a casa dela buscar ela para ir para o hospital.

Chegou na casa de Amy e foi para o hospital, chegando lá pediu para a recepcionista se podia entrar, ela respondeu que sim então os dois foram para o quarto de Harshaw, a porta estava meio aberta, Jason entrou sem mais nem menos, quando entrou se assustou com quem estava ali.

-O quê você está fazendo aqui? –Perguntou Jason com uma cara séria.

-Estou visitando meu filho, não posso mais? –Respondeu o pai de Jason.

-Você não tem o direito de nos chamar de filho, agora saia desse quarto.

-Tudo bem, mas você vai se arrepender de ter falado isso. –Falou o pai de Jason saindo do quarto.

-Por que você falou assim com ele? –Perguntou Amy.

-Uma longa história. –Respondeu Jason.

Os dois esperaram Harshaw acordar, demorou uma hora até Harshaw acordar, e quando acordou, Amy foi a primeira a se levantar.

-Amor. –Falou Amy andando até a cama de Harshaw.

-O quê? O que aconteceu? –Perguntou Harshaw com a cabeça meio zonza ainda.

-Uma longa história mano. –Respondeu Jason.

-Pois é, nunca mais nos assuste assim. –Falou Amy dando um beijo em Harshaw.

Depois de algum tempo Jason teve que ir embora, se despediu de todo mundo e foi pegar seu carro para ir embora.

Amy ficou ali por mais um tempo, sempre do lado de Harshaw, beijando-o e abraçando-o e conversando com ele.


Notas Finais


Gostaram? Se gostaram divulgue pra outras pessoas!
Obrigado a todos que leram, beijinhos da luz e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...