História Sem Pistas - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, CL (Chaelin Lee)
Personagens G-Dragon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lee Chaelin "CL", Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Seungri, Suga, T.O.P, V
Exibições 7
Palavras 1.806
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meu amores, tudo bom com vocês? Espero que sim, desculpas por não ter conseguido postar ontem, mas hoje eu estou aqui.
Espero que gostem e gostem das ideias malucas que se formam nessa minha cabeça.
Boa leitura!
P.S: Não liguem os erros de ortografia!!! ♥♥♥

Capítulo 14 - Capítulo XI


Fanfic / Fanfiction Sem Pistas - Capítulo 14 - Capítulo XI

A primeira coisa que chamou a atenção de Jung era a boneca - a mesma boneca nua que ela tinha encontrado mais cedo naquela árvore perto de Fungston, exatamente na mesma pose. Por um momento, ele ficou surpreso ao vê-la deixada lá no laboratório do FBI, rodeada por uma variedade de equipamentos da mais alta tecnologia atual. Parecia estranhamente fora de lugar para ele - como uma espécie de santuário doentio para uma era não-digital ultrapassada. Agora, a boneca era apenas mais um elemento de provas, protegida por um saco plástico. Ela sabia que a equipe tinha sido enviada para recuperá-la, logo que ela ligara da cena. Mesmo assim, era uma visão chocante. O agente especial Namjoon adiantou-se para cumprimentá-lo. "Faz um longo tempo, agente Hoseok," disse ele calorosamente. "Bem-vindo de volta." "É bom estar de volta, senhor," disse Hope. Ele caminhou até a mesa para sentar-se com Tae e o técnico de laboratório, Jin. Quaisquer que fossem os escrúpulos e incertezas que ele estava sentindo, ele realmente se sentia bem em ver Kim Namjoon novamente. Jung Hoseok gostava de seu estilo direto e rigoroso e ele sempre o tratou com respeito e consideração. "Como é que foram as coisas com o senador?" Perguntou Namjoon. "Nada bem, senhor," respondeu. Ele notou um tremor de aborrecimento no rosto de seu chefe. "Você acha que ele vai nos dar algum problema?" "Tenho quase certeza disso. Sinto muito, senhor.” Namjoon assentiu com simpatia. “Tenho certeza de que não é sua culpa," disse ele. O comportamento do senador Jalgueri era, sem dúvida, típico dos políticos narcisistas, costumado a ter aliados comprados com o dinheiro público, usava seu olhar para intimidar as pessoas. Mas comigo nada disso funcionava, ele poderia pensar que está me convencendo com sua história, entretanto sei ver de longe quem mente. Kim, provavelmente, estava bastante acostumado com isso. Jin digitava e, em seguida, imagens de fotografias macabras, relatórios oficiais e notícias surgiram em televisores grandes ao redor da sala. "Fizemos algumas buscas mais aprofundadas e não é que você estava certo, agente Hoseok," disse Jin. "O mesmo assassino já apareceu antes, muito antes do assassinato em Fungston." Hopi ouviu um grunhido de satisfação de Taehyung e, por um segundo, Hoseok sentiu justificado, sentiu sua confiança de si mesmo voltar. Mas então seu espírito afundou. Outra mulher tinha sofrido uma morte terrível. Não havia nenhum motivo para celebração. Ele, na verdade, tinha desejado não ter razão. Por que eu não posso desfrutar a sensação de estar certo de vez em quando? perguntou-se. Um mapa gigantesco de Seul se desdobrou ao longo do principal monitor de tela plana, e então enfatizou a parte norte do estado. Jin marcou um ponto alto no mapa, perto da fronteira. "A primeira vítima foi Sook Kamazi, trinta e cinco anos de idade," informou Jin. "Seu corpo foi encontrado abandonado em terras agrícolas. Ela foi morta no dia 15 de maio, há quase dois anos. O FBI não foi chamado neste caso. A polícia local deixou o caso esfriar.” Jung olhou para as fotos da cena do crime que Jin exibiu em um dos monitores. O assassino, obviamente, não tinha tentado colocar o corpo em uma pose. Ele tinha acabado de largá-lo com pressa e fugiu. "Dois anos atrás," disse ele, pensando, concentrando-se. Uma parte dele estava surpreso por ele estar envolvido com isso há tanto tempo. No entanto, outra parte dele sabia que esses assassinos doentes poderiam operar durante anos. Eles podiam ter uma paciência estranha. Ele examinou as fotos. “Vejo que ele não tinha desenvolvido seu estilo,” observou. “Correto,” concordou Jin. “Há uma peruca ali, e o cabelo foi cortado curto, mas ele não deixou uma rosa. No entanto, ela foi sufocada até a morte com uma fita cor de rosa." "Ele teve pressa na preparação," disse Hoseok. "Seu nervosismo o atrapalhou. Foi a primeira vez dele, ele não tinha auto confiança. Ele fez um pouco melhor com Elizabeth Coreldol, mas só ao matar Laysa Normany que ele realmente acertou seu passo." Ele lembrou-se de algo que queria perguntar. "Você encontrou alguma ligação entre as vítimas? Ou entre as crianças das duas mães?" "Nada," respondeu Jin. "A verificação dos grupos de pais não teve nenhum resultado. Nenhuma delas parecia conhecer a outra." Isso o desanimou, mas não o surpreendeu de forma alguma. "E quanto à primeira mulher?" Hopi perguntou. "Ela era mãe, eu suponho." "Não," disse Jin rapidamente, como se estivesse esperando por esse questionamento, “Ela era casada, mas sem filhos.” Jung ficou pasmo. Ele certeza que o assassino estava objetivando mães. Como ele poderia ter começado errado? Ele podia sentir sua crescente auto confiança, de repente, desinflar. Com a hesitação de Hoseok, Tae perguntou: "Então, quão próximos estamos para identificar um suspeito? Você foi capaz de obter algum daqueles carrapichos no local do assassinato?" "Não tive essa sorte," disse Jin. "Nós encontramos vestígios de couro, em vez de sangue. O assassino usou luvas. Ele parecia ser melindroso. Mesmo na primeira cena, ele não deixou qualquer vestígio ou DNA." Jung Hoseok suspirou. Ele tinha sido tão esperançoso de que havia encontrado algo que os outros tinham negligenciado. Mas agora ele sentiu que estava errado. Eles estavam de volta à estaca zero. "Obsessivo com os detalhes," ele comentou. "Mesmo assim, eu acho que nós estamos nos aproximando dele," um, Sook Kamazi, ao norte daqui, segundo, Elizabeth Coreldol, perto de Fungston, mais ao sul e, terceiro, Laysa Normany, para o oeste, no Parque." Ao olhar, Hope viu que os três locais formaram um triângulo no mapa. "Nós estamos olhando para uma área de cerca de mil milhas quadradas," disse Jin. "Mas isso não é tão ruim quanto parece. Estamos falando de áreas rurais na sua maioria, com algumas pequenas cidades. No norte, você entra em algumas grandes propriedades, como a do senador. Muitos campos abertos." Hopi viu um olhar de satisfação profissional no rosto de Jin. Obviamente ele amava seu trabalho. "O que eu vou fazer é reunir os dados de todos os criminosos sexuais registrados que vivem nesta área," disse Jin. Ele digitou um comando e o triângulo foi de marcas pequenas e avermelhadas. "Agora vamos eliminar os pederastas," disse ele. "Podemos ter certeza de que o nosso assassino não é um deles." Jin digitou um outro comando e cerca de metade dos pontos desapareceu. "Agora vamos reduzir a apenas os casos graves - caras que estiveram na prisão por estupro ou assassinato ou ambos." "Não," Jung disse inesperadamente. "Isso está errado." Todos os três homens o encararam com surpresa. "Nós não estamos procurando um criminoso violento," disse ela. Jin resmungou. "Até parece que não!" Ele protestou. Um silêncio se instalou. Hoseok sentiu uma visão se construindo, mas ainda não tinha tomado forma em sua mente. Ele ficou olhando para a boneca, que ainda estava sentada grotescamente sobre a mesa, parecendo mais fora do lugar que nunca. Se você pudesse falar, ele pensou. Então ele começou lentamente a listar seus pensamentos. “Quero dizer, não obviamente violento. Sook Kamazi não foi estuprada. Nós já sabíamos que Coreldol e Normany também não foram." "Todos elas foram torturadas e mortas," Jin resmungou. A tensão encheu a sala, enquanto Kim Namjoon parecia preocupado, Taehyung estava olhando fixamente para um dos monitores. Jung Hoseok apontou para as imagens de perto do cadáver horrivelmente mutilado de Sook Kamazi. "Seu primeiro assassinato foi o mais violento," disse ele. "Essas feridas são profundas e feias - piores do que suas duas próximas vítimas. Aposto que seus peritos já determinaram que ele infligiu estas feridas bem rapidamente, uma após a outra." Seokjin assentiu com admiração. "Você está certo." Namjoon olhou para Hoseok com curiosidade. "O que isso lhe diz?" Perguntou Kim Namjoon. Jung respirou longa e profundamente. Ele encontrou-se escorregando na mente do assassino novamente. “Eu tenho certeza de uma coisa,” disse ele. “Ele nunca teve relações sexuais com outro ser humano em sua vida. Ele encontrou-se um encontro amoroso. Ele é caseiro e pouco atraente. As mulheres sempre o rejeitaram." Hope parou por um momento, juntando seus pensamentos. "Um dia, ele finalmente teve uma ideia," disse ele. "Ele sequestrou Sook Kamazi, a prendeu, tirou suas roupas e tentou estuprá-la." Jin engasgou com súbita compreensão. "Mas ele não conseguiu!" Jin disse. "Correto, ele é completamente impotente," disse ele. "E, quando ele não conseguiu violá-la, ele teve um acesso de raiva. Ele começou a esfaqueá-la - o mais perto que podia chegar da penetração sexual. Foi o primeiro ato de violência que ele cometeu em sua vida. Meu palpite é que ele nem sequer se preocupou em mantê-la viva por muito tempo." Jin apontou para um parágrafo em suas próprias palavras. "E ele gostou," disse ele. "Gostou do terror e da dor de Kamazi. Ele gostou de todos os cortes e facadas. Então fez o seu ritual desde então. E aprendeu a apreciar seu tempo com isso, desfrutar de cada minuto. Com Laysa Normany, o medo e a tortura continuaram por mais de uma semana." Um calafrio de silêncio caiu sobre a sala. "E sobre a conexão com a boneca?" Perguntou Nam. "Por que você está tão certo de que ele está criando uma boneca?" "Os corpos certamente se parecem com bonecas," respondeu Tae. "Pelo menos os dois últimos. Hoseok está certo sobre isso." "Trata-se de bonecas," disse ele calmamente. "Mas eu não sei exatamente o porquê. Há provavelmente algum tipo de elemento de vingança aqui." Finalmente, Jin perguntou: "Então, você acha que nós estamos procurando qualquer criminoso registrado?” “Pode ser,” disse ele. “Mas não um estuprador, nem um predador violento. Seria alguém mais inócuo, menos ameaçador – um tarado, ou um exibicionista, ou alguém que se masturba em público." Jin digitava vigorosamente. "Certo," disse ele. "Vou me livrar dos criminosos violentos." O número de pontos vermelhos no mapa diminuiu para um punhado. "Então, quem nos resta?" Hoseok perguntou a Seokjin. Jin olhou para alguns registros, então suspirou. "Eu acho que o encontrei," disse Jin. "Acho que eu tenho o seu homem. O nome dele é Choi Seung-hyun, pela polícia é conhecido como T.O.P. E veja só isso. Ele estava trabalhando em uma loja de brinquedos quando foi pego exibindo bonecas em posições excêntricas. Como se elas estivessem tendo todos os tipos de sexo bizarro. O proprietário chamou a polícia. T.O.P obteve liberdade condicional, mas as autoridades ficaram de olho nele desde então." Namjoon coçou o queixo, pensativo. "Poderia ser o nossa cara," disse ele. “Eu e o agente Hoseok deveríamos investiga-lo agora? Tae perguntou. “Não temos o suficiente para trazê-lo," disse Namjoon. "Nem para obter um mandado para qualquer tipo de apuração. É melhor não alarmá-lo. Se ele for o nosso homem e for tão inteligente quanto nós pensamos que é, ele é capaz de escapar por entre nossos dedos. Façam uma pequena visita a ele amanhã. Descubra o que ele tem a dizer sobre si mesmo. Lidem com ele com cuidado."


Notas Finais


Eai gostaram? Espero que sim. O T.O.P ta bem loko né galera kk
Eai será que ele é o assassino?

P.S: Eu estou com um grupo no wpp quem quiser entrar é só clicar no link.

Beijos e até o próximo capitulo ♥

Link do Grupo: https://chat.whatsapp.com/5zRJJnLvOZIBqK2CN29AXQ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...