História Sem Pistas - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Black Pink, CL (Chaelin Lee), Got7
Personagens G-Dragon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lee Chaelin "CL", Lisa, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Seungri, Suga, T.O.P, Taeyang, V, Yugyeom
Exibições 17
Palavras 1.482
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ressurgi das cinzas amores da minha vida.
Postei esse capítulo, e a loka aqui acho que tinha que tem BlackPink
Que já teve a Lisa, no capítulo anterior.
Também nesse tempo que fiquei sem postar, fiz a capa para os capítulos.
Espero que gostem e boa leitura ♥

Capítulo 9 - Capítulo VIII


Fanfic / Fanfiction Sem Pistas - Capítulo 9 - Capítulo VIII

Taehyung encontrou-se em um mar de olhos azuis, nenhum deles era natural, eram artificiais e todos os encaravam. Seus casos costumavam não afeta-lo, mas esse era diferente, estava tendo um pesadelo agora. Aqui, do centro da loja de bonecas, pequenos olhos artificiais estavam simplesmente completava todo o redor, todos eles bem abertos e brilhantes e alertas. Os pequenos lábios rubis-vermelhos das bonecas, a maioria deles sorrindo, eram um incômodo também, rígidos e imóveis. Levando-se em todos esses detalhes, Tae perguntou-se como ele não conseguiu perceber a intenção do assassino - de fazer suas vítimas parecerem com bonecas o máximo possível. Ele precisou de Hoseok para fazer essa conexão. Graças a Deus ele está de volta, ele pensou. Ainda assim, Taehyung não podia deixar de se preocupar com ele. Ele tinha ficado deslumbrado com seu brilhante trabalho lá no Parque. Mas, depois, quando ele o levou para casa, ele parecia exausto e desmoralizado. Ele mal lhe dirigiu uma palavra durante toda a viagem de carro. Talvez tivesse sido demais para ele, voltar à rotina. Mesmo assim, ele desejou que Hope estivesse ali agora. Ele pediu-lhe para analisar as lojas de bonecas na área enquanto ele iria revisitar a cena do crime que eles tinham examinado há alguns meses. De todas as lojas que foi revistada, ela era a mais elegante das que ele tinha visitado. Ficava em um canto de Busan, a loja provavelmente recebia um monte de clientes ricos de condados próximo ao estabelecimento. Ele caminhou ao redor, investigando. Uma boneca pequena chamou sua atenção. Com seu sorriso pintado fortemente em seu rosto e pele branca como a neve, que o fez lembrar da última vítima. Apesar de ter estar totalmente vestida, diferente do cadáver, em um vestido lilás com vários laços nos punhos e bainha, ela também estava sentada em uma posição perturbadoramente similar ao mesmo. Tae virou-se e viu-se diante de uma pequena mulher, com um sorriso doce e amável. De repente ele ouviu sua voz suave e bonita. “Eu acho que você enganou de seção, moço” Algo sobre ela lhe dizia que ela era a encarregada dali, embora tivesse um sorriso doce, tinha feições de uma mulher incomodada.
"Por que você acha isso?" ele hesitou a perguntar. A mulher riu. "Porque você não tem filhas. Posso te dizer isso por intuição, eu acho, tenho uma história com esse material e os compradores deles, e você não se encaixa nesses padrões, e também por ser muito novo." Tae estava atordoado pela percepção dela e muito impressionado. Ela ofereceu a mão a Taehyung. "Roseanne Park Chaeyoung," disse ela. Tae apertou sua mão gélida fazendo-o se arrepiar "Kim Taehyung. Acho que você é a dona desta loja." Ela riu novamente. "Vejo que você tem algum tipo de instinto, também," ela falou sorrindo. "Prazer em conhecê-lo Kim Taehyung. Mas você tem filhos, não é? Dois, suponho." Ele sorriu. Seus instintos eram bastante afiados para sua idade, tudo bem. Ele percebeu que ela e Hoseok iriam desfrutar a companhia um do outro. "Acertou," ele respondeu surpreendido. "Quantos anos?" Ela perguntou. " Cinco e Três." Ela olhou ao redor do lugar. "Eu não tenho tenho muita coisa para eles aqui. Ah, na verdade, tenho alguns soldados de brinquedo no corredor ao lado. Mas os meninos não gostam mais deste tipo de coisa, não é? Só querem saber de jogos aqueles violentos e corridas." "Temo que sim." Ela olhou para ele de forma avaliadora. "Você não está aqui para comprar uma boneca, né?" Ela perguntou. Kim sorriu e balançou a cabeça. "Você é boa," ele respondeu. "Você é um policial, talvez?" Ela perguntou. Taehyung riu baixinho, surpreendido novamente e pegou seu distintivo. "Não exatamente, mas um bom palpite." "Ah, céus." ela disse, preocupada. "O que o FBI quer com a minha lojinha? Eu estou em algum tipo de lista? " "De certa forma," disse Tae apavorando a menina, que já estava bem pálida. "Mas não é nada para se preocupar. Sua loja surgiu em nossa busca de lojas nesta área que vende bonecas antigas e colecionáveis." Na verdade, ele não sabia exatamente qual ele estava procurando. Hopi tinha sugerido que ele fosse para alguns desses lugares, supondo que o assassino poderia ter frequentado, ou pelo menos visitado em alguma ocasião as lojas citadas. O que ele estava esperando, ele dos funcionários conhecesse o assassino? Duvidoso que sim, tudo pode se esperar de Hope. Provavelmente todos os homens que iam ali, se houvesse algum, eram esquisitos. Era mais provável que Hoseok estivesse tentando conseguir mais visões de dentro da mente do assassino, sua maneira de olhar o mundo. Se for isso mesmo, Tae achou que iria acabar decepcionado, por não encontrava respostas, e sim mais perguntas, sem as respostas. Ele simplesmente não tinha a mente dele, nem o talento para entrar facilmente nas cabeças dos assassinos, e saber o que se passa por dentro delas. Parecia-lhe que ele estava tentando obter mais informações. Havia dezenas de lojas de bonecas na lista que fora passada para Taehyung que eles estavam procurando. Seria melhor, pensou ele, deixar a equipe do Namjoon continuar rastreando os fabricantes da boneca. Apesar de, até agora, nada ter sido encontrado. "Eu ia perguntar que tipo de caso é," disse Rosé, que me permitiu chama-la assim, "mas eu provavelmente não deveria." "Não," Tae disse, "você - não depois que o pessoal do senador See Lee Jalgueri tinham colocado um comunicado de imprensa sobre o assunto. A mídia agora estava impregnada com a notícia. Como de costume, o Escritório estava tremendo sob um ataque de toques de telefone e a internet estava repleta de teorias bizarras e sem sentidos. A coisa toda tinha se tornado uma dor. Mas por que contar à Rosé sobre isso? Ela parecia tão boa e pura, sua loja tão íntegra e inocente, que Taetae não queria aborrecê-la com algo tão triste e chocante como um assassino em série obcecado por bonecas, e mulheres de sua idade. Ainda assim, havia uma coisa que ele queria saber. "Diga-me uma coisa," ele pediu. "Quantas vendas você faz para adultos - quero dizer adultos sem filhos? Quando você usa seu instinto para descobrir melhor seu cliente” "Oh, essas são a maioria das minhas vendas. Para colecionadores." Tae ficou intrigado. Ele nunca teria imaginado isso. "Por que você acha que é isso?" Ele perguntou. A mulher sorriu, um sorriso distante e estranho e falou num tom suave. “Porque as pessoas morrem, Kim Taehyung."
Agora Tae estava realmente assustado.
“Perdão?" Disse ele.
"A medida que envelhecemos, nós perdemos pessoas. Nossos amigos e entes queridos morrem. Ficamos de luto. As bonecas param o tempo para nós. Elas fazem-nos esquecer da nossa dor. Elas nos confortam e nos consolam. Bem, olhe à sua volta. Eu tenho bonecas que tem mais de um século de idade e algumas que são quase novas. Entre elas, você provavelmente não consegue dizer a diferença. São eternas".
Taehyung olhou ao seu redor, assustado com todos aqueles olhos centenários olhando para ele perguntando-se quantas pessoas aquelas bonecas já teriam vivido mais. Ele se perguntou o que elas haviam testemunhados - o amor, a raiva, o ódio, a tristeza, a violência. E ainda elas o encaravam com expressão vazia. Elas não faziam sentido para ele.
Pessoas tem que envelhecer, ele pensou. Elas devem ficar velhas, enrugadas e grisalhas, como ele o fizera devido à todo o mal e horror que havia no mundo. Dado tudo o que ele tinha visto, seria um pecado, ele pensou, se ele ainda parecesse o mesmo. As cenas dos assassinatos tinham invadido seu interior como se fosse um animal vivo, o fizeram desejar não ser mais jovem.
“Elas também - não estão vivas", Bill disse finalmente. Seu sorriso virou agrodoce quase com pena.
“Isso é verdade, Bill? A maioria dos meu clientes não pensam assim. Eu também não tenho certeza quanto a mim."
Um estranho silêncio se seguiu. A mulher o rompeu com uma risada. "Vai ter uma conversão de bonecas, pode dar uma passada lá." Tae agradeceu e saiu da loja, grato pela dica. Ele esperava que Hope fosse com ele. Ele lembrou que ele deveria entrevistar o senador Lee e sua esposa à tarde. É um compromisso importante - ter boas informações, mas por razões diplomáticas. Lee realmente estava complicando a situação do Escritório. Hope foi a única agente a convence-lo de que eles estavam fazendo tudo o que podiam. Mas ele realmente iria aparecer? Tae se perguntou. Parecia-lhe muito bizarro ele não ter certeza sobre isso. Até seis meses atrás, Hopi era a única coisa confiável em sua vida. Ele sempre confiou plenamente nele. Mas sua óbvia angústia o preocupava. Mais do que isso, ele sentia falta dele. Assustado como ele às vezes ficava com sua mente brilhante, ele precisava dele em um trabalho como aquele. Durante as últimas seis semanas, ele também percebeu que precisava de sua amizade. Ou, no fundo, era mais do que isso?

(…)


Notas Finais


Eai gostaram? Espero que sim, comentem o que acharam e até o próximo capítulo.
Kissus de nutella ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...