História Sem querer amei você - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Júlio Cocielo
Tags Amizade, Cocielo, Colegial, Julio, Julio Cocielo, Sem Querer Te Amei
Exibições 154
Palavras 987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Famí­lia, Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤️

Desculpem os erros ortográficos

Capítulo 12 - Doze


Júlio

Cinco dias que a Alice voltou pra Belo Horizonte, os cinco dias mais confusos da minha vida e o canal, eventos, Alice, Rebeca... Enfim ontem a tia Lúcia,a mãe da Alice ligou pra mim pra saber se tava tudo bem provavelmente a Alice não deve ter cada contado, ela falou que tava em Fernando de Noranha como ela havia me dito, e que tentava falar com a Alice já tinha 3 dias mais só dava desligado, inventei a desculpa que e Alice ficou na casa da minha mãe e esqueceu o celular aqui, e ela acreditou, e falou que era pra mim ficar lá na casa dela em BH no primeiro momento não aceitei, mas acabei aceitando já que seria a única forma de terma conversar decente com a Alice já que quando eu ia mandar uma mensagem para ela falando que a gente precisava conversar ela be bloqueou e também quando ligava para ela caia na caixa postal sem ao menos chamar, provavelmente ela deve ter bloqueado meu numero da agenda dela.

Um dia antes de ir pra BH a Rebeca cismou que cismou que queria ir, eu falei que não, mais ela falou que se eu fosse acabaria tudo entre a gente. Ai vocês me perguntam mais e Alice? Eu nem sei o que ela tem a falar sobre o que aconteceu, imagina eu? E mesmo assim se não trocaria o certo pelo duvidoso, afinal são 3 anos de namoro por uma transa, uma transa foda mais ainda sim só uma transa.

Ai vocês me perguntam de novo, você e cara de pau assim mesmo? de ficar na casa dela. Eu ainda tenho certeza que podemos esquecer isso e ser "melhores amigos" que nem antes não e mesmo?

Mais meu "planinho" de se "melhores amigos" não valeu de nada quando a vir naquele pijama vermelho que a deixava extremamente sexy não aguentei e a beijei de novo, não na frente da Rebeca digamos que eu dei meus "pulos" e aquele beijo foi o que eu precisava naquele momento já que a Rebeca veio tagarelando no meu ouvido a viagem inteira. Mais a porrah da Rebeca fez o favor de atrapalhar.

Mais quando a Rebeca cismou de tomar banho,a Alice parou na minha frente e ficou me encarando

- o que que foi? - falo deixando o celular no sofá e olhando para ela.

- Você ainda tem coragem de perguntar o que que foi! Sinceramente você tá fazendo papel ridículo. Primeiro, o que rolou entre a gente foi errado e não deveria ter acontecido o que aconteceu ali na porta. Segundo, por acaso você contou pra ela? Pra mim tanto faz, mas só para mim saber se corre o risco dela dar algum ataque, pra mim ficar preparada para sentar a mão na cara dela e terceiro, eu ainda não tô entendendo O que você está fazendo aqui!

- Primeiro, o que rolou entre a gente foi ótimo e você tem que concordar. - falo levantando do sofá que estava sentado e ficando na frente dela, como eu sou bem maior eu levantei seu rosto com a mão fazendo ela me encarar - Segundo, eu não contei. - falo chegando meu rosto mais perto dela. - Terceiro, eu precisava te ver, e saber no que você tá pensando a respeito do melhor sexo da sua vida e dos nossos beijos, ah e desse também. - falo colando nossos Lábios, estávamos numa sincronização marivlhosa até alguem tocar campainha fazendo nos assustar e para o beijo, que porrah sera que essa desgraça não podia vim outra hora náo, ela saiu indo ate a porta sem ao menos olhar na minha cara, me jogo no sofá bufando, fico olhando pro teto e me perco nos meu pensamentos, até ouvir uma porta batendo no andar de cima da casa, e olho prós lados eu não vejo ninguém, provavelmente a Alice já deve ter subido com algumas das suas amigas para fofocar o quanto eu fodo e beijo bem...

Subo as escada e quando estou passando pelo correndo ouço um barulho de algo cair no chão e resolvo ver se tá tudo bem, quando eu rodo a marçaneta persebo que estar destrancada, quando abro a porta vejo a Alice sentada em cima da sua penteadeira enquanto ela beija um muleke! Que aperta sua bunda. Que porrah que ta acontecendo? aqui quem e esse arrombado?! viado do caralho!!

-Que porrah e essa?! - falo puxando o menino de cima da Alice e o jogando no chão e indo pra cima dele e dei um soco cruzado no menino que não reagiu, sinto as umas mãos me puxando pra cima então vejo que a Alice.

-Para porrah o que você acha que ta fazendo?! - fala ela me dando socos no peito.

-Eu vou embora. Depois a gente conversa Alice - fala o viado arombadooooo!

- Vai mesmo e não volte seu desgraçado!

- cala sua boca Júlio! - fala a Alice apontado o dedo na minha cara. - Se ta bem yago? - fala o olhando pra ele mais me empurrando pra longe do garoto.

- Sim, já tomei piores. Só não te batir porque diferente de você eu respeito a casa das pessoas! - fala arrombado.

- Eu vou te matar caralho! - falo indo até ele mais a Alice me impede.

- para o porra!! - fala entrando na minha frete - vai lá yago qualquer coisa me liga, e desculpa o ocorrido. - fala ela me segundo mas só que mais vez olhando pra arrombado!

Ele apenas afirma que sim com a cabeça e saí com a mão onde levou o soco, e como o observo sair da porta percebo que a Rebeca está na porta sem entender nada, ele passa por ela e da um sorrisinho e ela da espeço pra ele passar, e ass que ele passa ela vira e fala.

-Será que eu posso saber o que aconteceu aqui? - fala a Rebeca com as mãos na cintura.

...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...