História Sem Reservas - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Lexa, Octavia Blake, Raven Reyes
Tags Aden, Clarke, Clexa, Lexa
Exibições 173
Palavras 1.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, obrigada a todos que estão comentando e favoritando.
Vamos a história.

Capítulo 10 - Capítulo 10


Fanfic / Fanfiction Sem Reservas - Capítulo 10 - Capítulo 10

Clarke Pov

Quando soltei Aden, já estávamos perto do apartamento, sigo até lá e o vejo entrando e se trancando no quarto. Resolvo deixá-lo sozinho para se acalmar e antes de ir ao restaurante tentar conversar de novo.

Depois de um tempo, bato a sua porta, mas não tem nenhuma resposta. Abro a porta e o vejo folheando o álbum de fotos da minha irmã.

-Aden. Posso entrar?

-Não.

-Aden, por favor. Eu sinto muito.

-Saia.

Quando fecho a porta escuto seu choro que dói em mim, mas no momento não posso fazer muita coisa. Desço até o apartamento de Bellamy e quem abre são seus filhos.

-Oi, meninos. Seu pai está ai?

-Sim. Pai! –Os dois gritam juntos.

-Oi.

-Oi, Bellamy.

-Como você está?

-Bem. Posso te pedir um favor?

-Claro.

-Sei que está em cima da hora, mas tenho que ir trabalhar e Aden e eu tivemos uma pequena briga.

-Quer que eu fique de olho nele?

-Se você poder checá-lo uma hora ou outra.

-Sem problemas. Tem uma chave? – Diz Bellamy prestativo.

-Claro, tenho uma chave aqui. -Digo dando uma chave a ele.

-Obrigada, Bellamy.

-E como você está?

-Tudo isso é muito novo pra mim.

-Eu sei o que pode te ajudar. – Ele diz e pega um cartão dentro do apartamento. – Ligue para este número. É Anna. É amável com os meninos. Me salvou depois do meu divorcio. Tenho certeza que ela poderá cuidar de Aden toda vez que você precisar.

-Obrigada.

-De nada.

Vou até o restaurante, mas trabalho dispersa pensando se Aden está bem. Quando estamos limpando a cozinha, Lexa lê a critica sobre mim.

- “Srta. Griffin apresenta pedacinhos de trufas em uma salada de chicória acompanhada de um maravilhoso e saboroso halibute (peixe) ligeiramente cozido no vapor. Tudo isso enfeitado com a gloriosa canção de uma emulsão de açafrão.” –Ela para pra fazer sua observação. –Este cara não consegue se decidir se você é cozinheira ou compositora.

Eu limpando o balcão e essa folgada sentada lendo.

-“Sua artística e distinta codorna com trufas deixa muito claro que é hora de ter uma grande Sous-Chef para completar seu estilo singular.”

Paro de limpar e olho para ela.

-É isso o que diz?

-Queria ver se estava prestando atenção. – Diz dando aquele sorriso de lado característico seu. –Parece que você precisa de uma bebida.

-Eu nunca bebo no trabalho.

Após todos os funcionários terem ido embora, Lexa acabou me convencendo e aceitei uma bebida; ela escolheu um belo vinho e alguns queijos para acompanhar. Ficamos conversando sobre tudo que se possa imaginar e escutando sua maldita ópera.

-Diga outras coisas que você nunca faz.

-Como assim?

-Bem, você nunca come sobremesa, nunca bebe no trabalho. Estou esperando você dizer que nunca sai com mulheres que cantam ópera.

Entendo onde Lexa quer chegar e tenho certeza que por causa da bebida digo o que ela estava esperando.

-Eu nunca saio com mulheres que cantam ópera.

Lexa ri e levanta sua taça de vinho para brindarmos.

-Isso! – Ela fala comemorando.

Na hora de ir embora, Lexa insiste em me levar até em casa por causa da chuva. Chegando, ela desce do carro e dá a volta embaixo de chuva para abrir a porta pra mim.

Abro o guarda- chuva que bate em seu rosto tão lindo.

-Uow, calma Clarke. –Diz Lexa rindo e segurando em minha cintura.

-Eu consigo.

Vamos correndo até a entrada do prédio e ela sobe as escadas comigo.

-Tenho uma pegadinha para você. Quais são os três segredos da cozinha francesa?

-Qual é? Todo mundo sabe disso.

-Ah é? Então quais são senhora sabe tudo. –Falo debochada.

-Manteiga, manteiga e manteiga.

-Você é boa.

Chegamos a porta do meu apartamento e me viro para Lexa.

-Você não tinha que fazer isto. Não estou tão bêbada assim.

Coloco a chave para abrir e porta se abre sozinha.

-Oooh Bellamy. Oi.

Bellamy encara Lexa e ela faz o mesmo com ele.

-Lexa, este é o Bellamy, ele mora lá embaixo. – Aponto para Lexa e digo. –Esta é Lexa, nós cozinhamos juntos.

-Como vai? –Diz Lexa apertando a mão dele.

-Você obviamente não mora neste prédio. –Bellamy diz irônico.

-Como está Aden?

-Ele está dormindo, é um ótimo menino. Tenha uma boa noite Clarke.

-Obrigada, Bellamy.

Lexa e Bellamy se encaram mais uma vez antes dele descer.

-Ele é tão doce. Ele só estava cuidando do Aden. É um homem muito doce, amável. Não poderia ter um vizinho melhor.

Lexa balança a cabeça e levanta as sobrancelhas enquanto falo.

-Ele é sempre tão...

Ela não me deixa terminar e coloca o dedo em minha boca. Vem em minha direção e me beija, um beijo simples e doce.

-Tome uma aspirina. – Lexa fala sorrindo e já descendo as escadas.

Vou até minha cama e simplesmente desmaio. Durante a madrugada, escuto a luz do corredor sendo acesa e escuto passos também, me levanto e sigo o som da televisão, pela porta vejo Aden sentado no chão vendo vídeos caseiros feitos por Anya, me sento ao seu lado. Na TV passam imagens de Anya e Aden na praia rindo e brincando, olho para ele que está segurando o choro e abraço de lado, depois de alguns minutos ele deita a cabeça em meu ombro. Assistimos ao vídeo até acabar e depois nos deitamos abraçados na mesma cama.

Já de manha, observo meu anjinho dormindo tranquilamente ao meu lado.

-É hora de levantar, querido.

-Não quero ir para escola hoje. –Diz Aden com a voz de preguiça.

-Quer saber? Eu não quero ir trabalhar hoje.

Aden sorri pra mim. –Sério?

-Hoje será o nosso dia.

Lexa Pov

Vou ao trabalho ansiosa para ver Clarke, mas ela não vem na preparação, acho que deve ser algo com Aden.

Estamos todos comendo quando Harper começa a ler um bilhete que Octavia mandou para todos.

“A todos do Skykru, 22, permitam-me apresentar-lhes minha pequena Emma. Três quilos e 40 cm. Ela está ansiosa para conhecer todos vocês. Com amor, Octavia”

-Deixe-me ver a foto. –Raven fala. –Ela é linda.

-Clarke está atrasada.

-Ela me pediu um dia livre. Assunto pessoal. –Raven fala para mim.

Será que assustei ela com o beijo, será que é esse assunto pessoal?

Clarke Pov

Aden e eu quando finalmente conseguimos levantar, tomamos café na cama, depois pego Monopoly para jogarmos.

-Um, dois, três, quatro, cinco. Isso! Park Place. E com o hotel, 1.500. –Falo a Aden que acabou de parar num lugar o qual já comprei.

-Eu não tenho o suficiente.

-Hipoteque, hipoteque querido. Vamos, adoro este jogo. –Falo super animada.

Aden me dá o dinheiro e começo a sacudir o dado.

-Obrigada. O que eu preciso? Preciso de um 9, me dê um nove. –Beijo o dado antes de jogá-lo.

Aden balança a cabeça e coloca a mão sobre os olhos, sabe que se eu conseguir um nove, ganho o jogo.

-Isso!

-NÃO! –Aden fala emburrado. –Não, isso não é justo.

-Sou rica!Sou rica!- Falo rindo e pegando mais dinheiro.

Aden pega o travesseiro e bate em mim, solto o dinheiro e olho séria pra ele.

-Sabe o que isso significa?

-Não, o que significa? –Ele pergunta preocupado.

-GUERRA!

Pego um travesseiro e bato nele, que começa a rir e me bater também, ele sai correndo pelo apartamento e corro atrás dele.

-Vou te pegar garoto.

Escuto seus pés na madeira e seu grito, como ele foi para a sala, volto até a porta e fico escondida, escuto seus pés mais próximos, quando ele tá perto bato com o travesseiro.

-Não. –Diz Aden rindo e tentando se defender.

Ele corre para a sala de novo e vou atrás dele desta vez, o jogo no sofá e o amasso com o travesseiro, Aden ri tanto que fica mole. Quando ele consegue levantar, começa a me bater de novo.

-Lutarei com você. Tem uma almofada?

Ficamos lutando até que as penas dos travesseiros começaram a voar para todo o lado, nos deitamos no chão sobre as penas rindo e exaustos.


Notas Finais


O próximo capítulo acontece algo interessante com Lexa e Clarke kkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...