História Sem Saída - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Zayn Malik
Exibições 95
Palavras 1.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


BOA LEITURA

Capítulo 5 - Pump


Fanfic / Fanfiction Sem Saída - Capítulo 5 - Pump

• Zayn Malik •

- Eu não posso te responder isso sozinha. Vou chamar o John, ele também faz parte disso. - Encaro Sarah sem nenhuma reação, deixando a mesma claramente recuada. - Só peço que me perdoa, por favor. Eu amo você como se tivesse lhe carregado no meu ventre por nove meses, é um amor que eu sinto e que ninguém vai tirar de mim. 

Não consigo reagir ou dizer algo, estou estático até agora, mas sinto Sarah me abraçando e dizendo que me ama enquanto eu consigo apenas pensar no quanto minha vida vai mudar a partir de agora. 

Quando eu fico sozinho no meu quarto consigo respirar melhor, mas meus olhos começam a arder e me recuso a chorar. Não posso chorar, eu me recuso. 

Escuto a campainha, um singelo sorriso parece iluminar meu rosto só de imaginar ser Jade. Ainda bem que ela voltou rápido!

Abro a porta do meu quarto, limpando meus olhos durante o caminho, não querendo deixar tão na cara de que estou acabado. 

Antes de chegar na sala eu paro de andar, prestando atenção nos barulhos que vem de lá. São dois homens, sem dúvida alguma e quando dou mais um passo vejo Sarah lutando contra eles como se fosse mestre naquilo. 

Seus movimentos são rápidos, elaborados e ela parece forte demais para uma simples dona de casa. 

Depois de derrubar um quebrando sua perna e quebrando seu pescoço, o outro a agarrou pelos ombros, me fazendo entrar em alerta e antes que eu pudesse ajudar, ele tira uma arma da cintura e sem pensar duas vezes dispara contra a barriga de Sarah, a jogando no chão. 

Pensar que ela mentiu pra mim durante 16 anos não diminuiu o que eu sempre sentia e não consigo imaginar sendo criado por outra pessoa. 

Então ver a minha mãe morrendo bem na minha frente me dá uma sensação indescritível. Me sinto detonado e sem forças. 

Minhas pernas desabam, isso chama a atenção do careca e mesmo não querendo tenho que me levantar e correr, subindo as escadas como um flash. 

Tranco a porta do meu quarto, mas sem perder a adrenalina pulo a janela, caindo na grama do quintal sem ter um arranhão. 

Me ponho a correr entre a vizinhança, pulando as cercas e desviando dos cachorros barulhentos. 

Me pergunto para onde vou agora, me lembro da casa de Jade, mas ela vem na minha mente com tudo e me lembro de ter que voltar, já que eu a ia encontrar lá em casa. 

Dar meia volta não parece ser a ideia mais inteligente no momento, mas não posso permitir que Jade caia nas mãos daquele homem. 

• Jade O'Connor •

- Você vai ficar na casa desse garoto? - Meu tio pergunta emburrado quando para na casa de Zayn. 

- Quando o senhor e o papai vão entender que eu o amo e ele me ama? Nos conhecemos desde criança e pensei que esse ciúmes já tinha passado. 

- Você é a única neta e sobrinha da família, nós sempre vamos ter ciúmes e te proteger. 

- É o Zayn, tio. Acho que está tudo bem. 

Não seguro a risada quando seus olhos verdes rodam. Abro a porta do carro e desço do mesmo, pegando minha mochila. Acho que vamos dormir por aqui mesmo. 

Me despeço do meu tio e quando seu carro sai da rua, vou para a porta da frente. Para a minha surpresa ela está aberta, completamente escancarada e olho lá pra dentro, tomando um susto ao ver Sarah jogada no chao e sangrando. 

Morta. 

Antes que eu fizesse qualquer coisa, sinto uma mão grande e áspera tampar minha boca e a outra segurar meu braço com força. 

- Boa noite princesa. - Tremo dos pés à cabeça com a voz do homem no meu ouvido, enchendo meus olhos de lágrimas. - O que acha de entrarmos? 

Sem nem esperar minha resposta sou jogada contra o chão da sala, bem ao lado de Sarah. É assustadora a forma que ela me olha, ou parece estar olhando, como se mesmo morta pudesse dizer para eu correr. 

- Vamos as regras. Primeiro, não grite, ou você vai acabar como a sua sogrinha. - Um soluço escapa da minha boca quando ele destrava a arma, apontando pra mim. - Segundo, você vai me dar pistas sobre o seu namorado. 

- O que você fez com ele? - Pergunto cheia de medo, temendo que algo possa ter acontecido com Zayn. 

- Nada. Ele fugiu. Esperto, não? Mas deixou você aqui e pelo que ouvi ter você nas mãos é um troféu. Bom, eu quero saber para onde ele pode ter ido. - O careca resmunga cheio de humor, me dando nojo. 

- Eu não sei. Mas mesmo se soubesse, acha mesmo que eu falaria? 

- Está brincando com a sorte? Eu te mato aqui e agora, sem exitar. 

- Não mata não. Sou a única forma de trazer Zayn até você e se me matar, sabe que ele mataria você também. 

- Ele não é homem o suficiente pra isso. - Ele rosna sem paciência, vindo a passos pesados até mim. 

- Então tenta, vamos ver o que acontece depois que você me matar. 

Mesmo assustada e com medo, não posso deixar que esse homem me coloque louca. A única parte que me preocupa é Zayn, e o que esse homem pode fazer para afetar meu bebê. 

Ele não veio planejado, mas posso garantir que essa criança representa o mundo para mim. 

- Então vamos ver se Zain é mesmo o homem super protetor que todos falam. - Meus olhos parecem saltar de órbita quando ele aponta a arma na minha cabeça, me fazendo chorar automaticamente. - Não chora princesa, não vai doer, eu prometo...

- Solta ela, agora. - Um alívio imenso toma conta de mim quando escuto a voz de John, olho para trás, encontrando o homem com uma arma em mãos. 

Sinto sua dor em mim quando ele olha para sua esposa no chao, mas é forte o suficiente para ficar atento a situação. 

- John...

- Calma querida, tá tudo bem. - Ele me garante, fazendo o careca soltar uma risada. - Deixa ela ir, não há nada que ela possa fazer por você. 

- E você pode? Yeaser colocou aquele garoto nas suas mãos e achou que tudo ficaria bem? Quanto tempo achou que ia durar essa mentira? Nós procuramos vocês por dezesseis anos. Agora finalmente tudo isso vai acabar. 

Antes que ele pudesse atirar contra John, eu não poderia deixar que mais ninguém saísse da vida de Zayn. Seguro a perna do homem, mordo com força sua canela e com isso ele se assusta, jogando a arma no chão. 

John avança contra ele, o segura pelo pescoço e sem pensar duas vezes me levanto, ouvindo John gritar para que eu corra e é isso que faço. 

Quando chego na porta dos fundos ela é praticamente aberta para eu passar, mas ao invés de ser mais um capanga é apenas Zayn, que me olha de cima em baixo com uma preocupação enorme estampada nos olhos. 

- Você ta bem? O que te fizeram? 

- Nada, não fizeram nada. - Trato logo de o acalmar. - Seu pai está com um deles na sala, vai o ajudar, sua mãe...

- Ei, Calma, eu sei. - Sinto uma dor crescer no meu peito só de imaginar como a cabeça de Zayn está agora. - Eu vou, mas você tem que prometer se esconder em qualquer canto dessa casa, quando tudo acabar eu vou atrás de você. 

Concordo rapidamente, sinto meu coração acelerar quando Zayn abre a gaveta e pega uma faca enorme. 

Isso tudo só pode ser uma brincadeira. 

• Zayn Malik • 

John parece preocupado ao me ver, seus olhos demonstram puro medo, mas não posso simplesmente dar as costas pra ele e fugir sem ao menos ajudar. 

Sinto meu sangue ferver quando o homem me enxerga ali, sorridente ao me ver. 

- Foge, Zayn, agora. - John grita, mas antes que eu negasse ou fizesse qualquer outra coisa ele se cala, enquanto o careca atira contra suas costas. 

Droga. Não. 

- Sua vez garotão. - Seu sorriso me deixa com náuseas, mas sem tempo para lamentar a morte daqueles que me criaram, eu jogo a faca em direção ao seu peito, mas acaba acertando em seu ombro. 

- Não, é a sua vez. - Eu rosno sem paciência e exaltado, sentindo o pingo de paciência em mim for embora. Antes que ele reagisse eu peguei a arma ao lado de John e atiro em sua perna, o obrigando a cair no chão. - Quem é o você e o que quer? 

- Você não me amedronta. 

- Nao é a minha vontade. Só quero saber o que está acontecendo. Eu sei que Trisha e Yeaser Malik são os meus pais, vocês estão atrás de mim por causa dele e eu quero saber o porquê. 

Um barulho de passos no corredor chama minha atenção e fico em alerta ao ver Jade ali. Eu deveria saber que nada a manteria longe. 

- Me diz. - Eu rosno com a cabeça explodindo, querendo acabar logo com tudo isso. 

Nas mãos de Jade tem uma barra de ferro, que com certeza estava junto com as outras ao lado da lareira. Pego o mesmo de sua mão e com toda a minha força bato a barra contra sua perna, ouvindo seu grito alto escoar pela casa inteira. 

- Diz. 

- Zayn, para. - Ouço Jade mandar, mas minha raiva está tão grande e tomou conta de mim, então apenas vejo a vontade de matar esse desgraçado. 

Ele não tinha o direito de entrar na minha casa e matar os meus pais, então não vai sair daqui vivo nem se implorar. 

- Zain, para. Tem uma bomba no forno. - Eu paro com a barra de ferro, sentindo meus sentidos ficarem atentos. 

Largo a barra no chão, agarro a mão de Jade e corro com ela até a cozinha, abrindo forno e assustando com todos aqueles fios ligados a um relógio. 

Ele marca apenas dez segundos e sem pensar duas vezes corro com Jade agarrada no meu braço. 

10

9

8

CONTINUA



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...