História Sempre ao seu Lado - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gajeel Redfox
Tags Fary Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Nalu
Exibições 217
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


capitulo novo pessoal
espero que gostem

Capítulo 7 - Novo emprego


Fanfic / Fanfiction Sempre ao seu Lado - Capítulo 7 - Novo emprego

Cap. 7

 

Levy

Gajeel me coloca gentilmente no chão, ele aproxima seu rosto do meu, sinto meu coração disparar, fico na ponta dos pés pra poder alcançar seu rosto, estávamos prestes a nos beijarmos quando somos interrompidos por uma garota baixa de cabelos azuis escuros, ela deve ter uns catorze anos no máximo.

Wendy: Gaj-sama os livros do mês chegaram, você pode me ajudar carregando eles, alguns são realmente pesados.

Gajeel: ok Wendy já estou indo

Wendy ao perceber ser fuzilada pelos olhares do Gajeel sai apressada de perto de nos 

Gajeel: bem baixinha tenho que trabalhar, deixa que eu compro esse livro eu tenho desconto aqui, e que tal você me explica o que está fazendo no shopping

Levy: fiquei de encontrar as meninas no café da Erza, bem vou indo, até mais tarde no bar

Noto que além da roupa de costume do Gajeel ele está usando um avental cinza com o nome da livraria bordado, a uma plaquinha de identificação presa em seu pescoço, em baixo do seu nome tinha escrito gerente, sempre imaginei que o Gajeel tivesse um trabalho mais braçal ou ligado ao rock, adorava imaginar ele de mecânico ou de atendente de uma loja de rock mais gerente de uma livraria era algo que nunca tinha pensado, pelo visto o Gajeel e cheio de surpresas, perto da livraria estava o café da Erza, ele pode até ser pequeno porem tem um ar aconchegante, suas paredes eram verdes com cinza, do lado de fora há um letreiro escrito Titania doces, o nome e bem estranho mas combina com a Erza, encontro as meninas sentadas numa das mesas.

Erza: que bom que veio Levy, estávamos te esperando para almoçar

Lucy: a Erza acabou de fazer um cheesecake de morango o cheiro está ótimo, eu fiz um yakisoba pro almoço.

Levy: vamos comer então, aposto que o cheesecake vai estar divino

Comemos e conversamos bastante naquela tarde, Erza e Lucy cozinham muito bem, eu estava me preparando para sair quando uma mulher alta de cabelos azuis escuros entra na loja e me abraça forte, noto que lagrimas começam a descer de seus olhos azuis

Juvia: Levy como está o idiota do Gaj-ni

Aquilo foi estranho eu não sabia nem como responder, essa deve ser a Juvia a irmã do Gajeel, não faço a mínima ideia de como ela sabe meu nome

Levy: ele vai bem

Juvia: ele está dormindo bem? E seus remédios anda tomando na hora certa?

Levy: Bem ele não dorme tão tarde, quanto aos remédios não sei responder

Juvia: Juvia se preocupa muito com o Gaj-ni por mais que ele odeie admitir ele precisa de ajuda quanto seu lado emocional

Depois do que Juvia falou me lembro dos remédios antidepressivos que o Gajeel tem no banheiro

Levy: o que ele tem para precisar tomar remédios tão fortes

Juvia: Gajeel passou por diversos problemas a alguns anos atrás, eles deixaram marcas permanentes nele, a alguns que nem mesmo eu sei, mas não cabe a Juvia te contar do passado dele, se você quiser saber pergunte ao próprio

Levy: entendo, um passado doloroso não deve ser contado pelos outros

Olho no relógio já são 17:20, me despido das garotas, a conversa estava boa mas preciso sair não quero chegar atrasada no meu primeiro dia de trabalho, o ônibus não demora muito para passar, chego no bar as 17:50, o transito estava começando a piorar logo iria ter um engarrafamento, já estou com dó do Gajeel que vai ter que enfrentar esse engarrafamento, no bar encontro a gerente, era uma mossa muito bonita, alta de seios volumosos, vestia um vestido vermelho purpura, o que mais me chamou atenção na garota foi seus longos cabelos prateados.

Mira: boa noite você deve ser a nova garçonete, me chamo Mira

Levy: prazer meu nome e Levy

Mira: tem um avental lá na cozinha pra você usar, seu expediente e das 18 às 23, bem boa sorte no trabalho

Levy: obrigado Mira, não vou decepcionar

Mira acenou e saiu em direção do balcão, vou pra cozinha pegar o avental, na cozinha começo ouvir gemidos vindo da bodega, pouco tempo depois vejo Cana saindo da bodega com seu cabelo bagunçado, atrás dela está o loiro brutamonte

Cana: Levy o que está fazendo aqui

Levy: eu trabalho aqui sua desmiolada

Mira: meninas já tem clientes no bar, apressem se

Aos poucos o bar começou a encher bastante, no começo eu me atrapalhei bastante a bandeja era pesada e tremulava bastante, Cana e Mira me ajudaram muito dando, até que eu pegasse o jeito, eram umas 20h quando vejo o Gajeel entrar no bar, ele estava com sua típica cara de poucos amigos, ele se senta sozinho numa mesa pequena no canto do bar ao lado da cozinha, vou atende ló

Levy: olá senhor o que gostaria de pedir

Gajeel: que tal uma garçonete baixinha de cabelos azuis

Levy: seu idiota peça algo que está no cardápio, ou vá em outro bar

 Gajeel: em outros bares não tem uma garçonete tão linda como você, bem me vê uma porção de fritas com uma soda

Gajeel e um idiota ele só faz isso para me deixar envergonhada, anoto o pedido dele e saio da mesa dele indo pra cozinha.

Gajeel:

Desde que cheguei no bar não consigo tirar os olhos da pequena, prefiro não pedir nada alcoólico para não causar nenhum problema pra ela, já estou com ciúmes dos olhares maliciosos de alguns babacas, se eu ficar bêbado vou acabar fazendo alguma besteira, fico enrolando no bar até dar a hora do expediente da nanica acabar, saímos juntos do bar, Levy estava bem cansada

Gajeel: você trabalhou muito hoje pequena se quiser eu te carrego até em casa, hehe

Levy: eu consigo andar Gajeel, obrigado

Gajeel: você não sabe o que está perdendo pequena

Chegamos no apartamento, eu vou direto pro banheiro tomar um banho gelado para esfriar meus pensamentos, visto uma calça moletom e vou pro sofá, a pequena entra no banheiro, depois de algum tempo ouço a porta do banheiro ser aberta, ela estava usando aquela camisola azul linda

Gajeel: pequena vem cá

Ela se aproxima com passos cambaleantes por conta do cansaço

Levy: o que foi seu bruto idiota

Sem pensar duas vezes eu pego ela pela cintura e a abraço no sofá, beijo sua cabeça, ela estava quente, pude ver sua cor mudar de alva para rubra, seu cheiro era inebriante e doce, quase que involuntariamente eu dou um beijo nela, o beijo era doce e nossas línguas travavam uma árdua guerra, nos separamos quando o ar fez falta, pude ver a pequena estava ainda mais vermelha porem agora tinha um lindo sorriso estampado em seu rosto    

 

 


Notas Finais


desculpem pela demora pessoal hoje foi um dia bem cheio pra min, mais ta ae
e ai oque acharam do capitulo novo =P


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...