História Sempre Te Encontrarei - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome, Miroku, Rin, Sango, Sesshoumaru
Tags Rin, Sesshoumaru
Exibições 310
Palavras 2.627
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa tarde gente ^^
Quero agradecer pelos novos favoritos e os comentários do capítulo anterior.
O nome dessa capítulo, eu não sei se tem muito haver com o que escrevi, mas minha criatividade tá faltando até pra isso.

Boa leitura a todos :)

Capítulo 26 - O quase descontrole


Fanfic / Fanfiction Sempre Te Encontrarei - Capítulo 26 - O quase descontrole

Capítulo Vinte e Seis

O quase descontrole

Uma semana depois

Férias! A tão sonhada e aclamada "férias"! Rin e Sango estavam alegres. Finalmente teriam mais tempo para curtir com os seus namorados.

Kagome estava animada, mas nem tanto. Tinha a questão do casamento e isso a estava deixando de cabelos em pé. Seu pai reclamava o tempo inteiro, sobre a gravidez não planejada, e sua mãe vinha falando sobre os preparativos do casamento.

A menina já não aguentava mais. Ela achava que enlouqueceria a qualquer momento. Se já não bastasse a pressão que foi tirar notas altas nas provas finais, por exigência do seu pai, ela ainda tinha que ficar decidindo que tipo de arranjo estaria nas mesas. Ela nem sabia a diferença entre branco e marfim, como escolheria entre rosas e lírios?

Kagome: Não nasci pra isso. - Suspirou

Rin: Ah Kah! É divertido, admita.

Sango: Eu também acho.

As três estavam reunidas na casa da Higurashi, fazendo os planejamentos para o casamento.

Kagome: Estão falando isso porque não são vocês. Quero ver quando for o casamento de vocês.

Sango: Não quero nada luxuoso, mas aposto que meu pai vai querer que seja.

Rin: Por que? O casamento é seu.

Sango: Sim, mas ele sempre quis que o meu casamento fosse de princesa.

Rin: Você é uma princesa. - Lembrou a amiga

Sango: É, bom, tem isso... Enfim, ele quer que o meu casamento seja de princesa, então tenho certeza que ele não vai me deixar ter o casamento simples que quero.

Kagome: Converse com ele, San. Seu pai deve respeitar sua decisão.

Sango: Não acho que ele vá desistir dessa ideia. - Disse cabisbaixa

Rin: Posso conversar com ele, se quiser.

Sango: Jura? - Ficou com os olhinhos brilhando e as orelhinhas mexendo, fazendo um barulhinho fofo - Vou adorar, Rin.

Rin: É, mas não agora. Ta cedo pra isso e já temos um casamento a caminho. - As outras duas riram e então voltaram a discutir sobre os preparativos

Horas depois

InuYasha foi buscar a irmã e a mãe, na casa de sua namorada. Ao chegar na porta, ele já sabia que teria confusão.

Depois de cumprimentar sua namorada e sogros, ele voltou pro carro, mas já foi avisando...

InuYasha: Rin, não se aproxime do papai.

Rin: Por que?

InuYasha: Você acabou de entrar em período fértil e não queremos que ele perca o controle.

Sango: Mas o papai vem se controlando. Se ele ainda não perdeu o controle, por que perderia hoje? Tudo bem, teve aquele dia, mas ele nunca mais fez nada.

InuYasha: Eu sei, mas é melhor prevenir do que remediar.

Chegaram a casa dos Taisho, porém Rin foi para a sua própria casa.

Sesshoumaru, de dentro da casa, sentiu que o cheiro de sua amada estava ainda mais doce do que o normal. Fechou os olhos e inalou aquele aroma profundamente. Sentiu seus olhos começarem a ficar vermelhos, mas ele precisava se controlar.

Sango: Pai, chegamos! - Disse ao entrar em casa. Não precisou gritar, pois todos ali têm uma boa audição

InuYasha: Ele está se controlando, San. Vamos deixá-lo em paz.

Ele sabia que o pai estava no quarto e sabia que ele sempre ficava trancado, quando esses dias chegavam.

--------

Já era noite, todos estavam dormindo, com exceção de um certo Dai-Youkai de cabelos platinados.

Ele estava na sacada do seu quarto, apenas com a calça de dormir, olhando para a lua, porém o cheiro que o vento trazia o deixava excitado e tirava todo o seu sono.

É sempre assim. Quando Rin entra no seu período fértil, ele fica trancado em seu quarto e não sai nem pra comer. Quando os pais da menina precisam trabalhar, Sango e InuYasha dormiam com ela, na casa dela.

Eles estão namorando já faz alguns meses e só tiveram alguns momentos um pouco mais íntimos, o que estava enlouquecendo o youkai. Ele a queria. A queria mais que tudo nesse mundo. É pedir de mais que eles possam, finalmente, fazer amor? Ele está a mais de 500 anos na seca. Ele a esperou pacientemente e, agora que finalmente a tem como namorada, tem que esperar para tê-la em seus braços? Isso ai já é muita tortura.

Não aguentando mais a ereção entre suas pernas, Sesshoumaru rosnou baixo e decidiu fazer uma loucura. Ele alçou voo e então foi até a casa que fica em frente a sua. Pra sua extrema sorte, a janela do quarto estava aberta. Isso o fez sorrir malicioso.

Sem esperar mais, o youkai entrou no local e viu sua preciosa rainha dormindo feito um anjo. Lentamente, como um predador que está de olho em sua presa, ele se aproximou da cama e então tapou a boca da menina, com uma das mãos, enquanto deitava sobre o ela.

Rin, assustada, gritou, porém o barulho foi abafado pela mão do youkai.

Sesshoumaru: Acalme-se minha hime. Não irei machucá-la.

Aos poucos, assim que o coração da menina foi parando de bater tão rápido, o prateado foi retirando sua mão e a deixou falar.

Rin: O que faz aqui? - Disse baixo, para que seus pais não a ouvissem

Sesshoumaru: O que você acha? Vim te ver. - Sorriu malicioso

Rin: Você não deveria vir aqui. Sabe em que estado me encontro.

Sesshoumaru: Tsc! Não me importo. Quero você, minha humana. - Roçou o nariz contra a pele do pescoço dela, enquanto falava com manha

A morena não podia negar que aquilo mexeu com ela e a deixou arrepiada.

Rin: Sesshoumaru, saia daqui. Será melhor pra todos.

Sesshoumaru: Mas eu quero ficar com você. - Continuava na mesma posição e o hálito quente dele fazia a menina sentir sua intimidade ficar molhada - Você quer que este Sesshoumaru fique. - Afirmou de forma maliciosa - Seu cheiro não me engana, doce Rin.

Rin: Por favor! - Disse com a voz sôfrega, pois aquela aproximação estava mexendo com ela

Tentando manter a calma, para não explodir de raiva e alertar os pais da menina sobre a sua presença, o youkai respirou fundo.

Sesshoumaru: Rin, estou louco de desejo por você. Sabe que não estou falando isso por causa do período em que você se encontra. Sabe que te desejo não é de hoje. Não quero lhe pressionar, mas está difícil de me segurar. Quero seguir seu ritmo e respeitar seu tempo, mas eu sou homem. Se não quer se entregar a mim, tudo bem, mas podemos fazer outras coisas para satisfazer um ao outro.

Corada, a menina decidiu perguntar.

Rin: Você quer dizer sexo oral?

Sesshoumaru: Exatamente! - Abriu um largo sorriso - E é exatamente isso que farei agora, você querendo ou não.

Sem esperar, o homem rasgou a camisola branca, a qual continha um enorme desenho do Mickey, deixando a menina apenas de calcinha, também branca e que tinha pequenos desenhos de flores.

A morena ficou constrangida, é claro. Ela sabia que aos olhos de um homem, aquelas roupas não eram nem um pouco sexys. O que ela não sabia é que Sesshoumaru não se importa com isso. Para ele, Rin é sexy de qualquer jeito.

Ele começou a beijá-la no pescoço, foi descendo até o vale dos seios, passou pelo meio deles, foi até a barriga, brincou com o umbigo dela e depois refez todo o seu trajeto.

Rin tentava, a todo custo, segurar seus gemidos. Aquilo era torturante demais. Além de torturante, era loucura. Como ela podia fazer aquele tipo de coisa na sua casa, com os seus pais no quarto ao lado? E se eles ouvissem? E se os pegassem no flagra? Seu pai surtaria, com toda a certeza desse mundo. Além de surtar, ele seria capaz de proibir seu namoro, talvez até a mandasse pra um convento, ou sabe-se lá o que.

Sesshoumaru não estava se importando nem um pouco com tudo aquilo. Ele, simplesmente, continuava a beijá-la e chupá-la sem pressa.

Sesshoumaru começou a dar atenção aos seios da garota. Chupava, beijava, mordia, lambia e apertava ambos os seios, alternadamente, até ficar satisfeito. Desceu sua boca para a barriga dela, onde deixou várias marcas vermelhas e roxas. Desceu mais um pouco, até que chegou ao seu destino. Rasgou a calcinha da menina, jogou as pernas da morena sobre os seus ombros e então começou a chupá-la com gosto.

Ele precisava fazer isso. Precisava sentir aquele gosto tão doce em sua boca. Se Rin já era doce por natureza, nesse período ela ficava ainda mais e era essa doçura que ele tanto ansiava em sentir.

Sua língua brincava por entre as dobras da namorada. Às vezes ele ia rápido, às vezes ia lento, outras usava só a ponta da língua e em algumas vezes tentava colocar todo o clitóris dela em sua boca.

Sesshoumaru ronronava satisfeito, enquanto fazia toda aquela "loucura". Loucura essa que Rin estava adorando. Ela mordia seus lábios com tanta força, que tinha certeza que eles já estavam feridos. Agarrando os lençóis com força, a garota se contorcia, enquanto permitia que o seu youkai fizesse com ela o que bem entendesse.  

Colocando um de seus dedos na intimidade da namorada, Sesshoumaru a viu arquear um pouco o corpo, enquanto deixava um gemido escapar por entre seus lábios. Lógico que ele gostou daquilo, mas ouviu o pai da garota resmungar no outro quarto, porém ele permanecia dormindo. Isso o preocupou um pouco, então parou o que estava fazendo, deixando uma Rin confusa.

Levantou-se da cama, sem dizer nada, e foi até a porta, trancando-a. Logo após, ele voltou a ficar entre as pernas da namorada e continuou a "torturá-la". Rin já não aguentava mais aquilo. Ela sentia que a qualquer momento se desmancharia na boca do namorado, e não estava errada em pensar assim.

Sesshoumaru já tinha dois dedos se movimentando na intimidade da garota e a sentiu contrair uma última vez, antes de gozar e chamar pelo nome dele, em forma de sussurro.

Sesshoumaru: Você é tão deliciosa. - Começou a beijá-la na boca, logo após ter lambido até a última gota de gozo da menina

Rin: Sesshy. - Sussurrou contra os lábios dele, que mordeu o lábio inferior dela, a fazendo gemer baixo - Me ensine a fazer o mesmo com você.

Sesshoumaru: Tem certeza? - Tentou não demonstrar, mas ele estava ansioso por aquele momento

Rin: Tenho sim. - Respondeu corada, tentando não gaguejar e mostrar certeza

O youkai rolou pro lado e a menina sentou na cama. Sesshoumaru sempre dormia sem camisa, mesmo com o tempo frio, então tudo o que ela precisou fazer foi retirar a calça dele.

Ao vê-lo nu, bem na sua frente, Rin não pôde evitar o fato que ficou corada. Olhou para os olhos dourados que a encaravam, e corou mais ainda por causa da intensidade daquele olhar.

Sesshoumaru: Não faça, se não estiver certa sobre isso.

Rin: Eu quero! - O youkai sorriu de lado

Sesshoumaru: Então faça o que deseja.

Rin: E como devo fazer? Eu não faço ideia de como começar.

Segurando na mão direita de sua amada, Sesshoumaru a guiou até seu membro. A garota arregalou os olhos, ao tocá-lo daquele jeito, mas não se afastou.

Ainda segurando na mão dela, Sesshoumaru começou a movimentá-la, lentamente, pra cima e pra baixo. Ao perceber que já havia pegado o ritmo, ele permitiu que ela fizesse sozinha.

Rin achava estranho fazer aquele tipo de coisa, porém ela queria agradar ao seu namorado, então não ousou em parar. Na verdade, ela ousou de outra forma.

Ainda movimentando sua mão, ela começou a chupar o pescoço do youkai, que rosnou baixo. Um pouco tímida, ela decidiu usar as duas mãos para explorar o peitoral e aquela barriga tanquinho, que sempre a fizeram babar.

Sesshoumaru estava gostando de ser tocado daquela forma tão inexperiente. Isso o atiçava cada vez e sua fera estava tentando tomar o controle. Seus olhos começaram a ficar vermelhos, mas Rin não se importou com isso, ela apenas continuou matando sua curiosidade sobre o corpo daquele youkai. Tudo o que ela queria, já que havia se soltado, era sentir a pele dele em contato com a sua.

Por todo o local que suas mãos passavam, ela distribuía pequenos selinhos. Às vezes ela ousava um pouco mais e dava um chupão, ou uma mordida, e Sesshoumaru sentiu que "explodiria" a qualquer momento.

Sesshoumaru: Rin, assim você vai acabar me matando. - Disse com a voz sôfrega

Querendo dar ainda mais prazer a ele, a garota levou sua boca até o membro do Dai-Youkai e dei um beijo ali. O ouviu gemer e então começou a chupar apenas a cabecinha, sem usar os dentes por medo de machucá-lo.

Sesshoumaru trincou os dentes e segurou um rosnado em sua garganta. Aquela altura, seus olhos já estavam completamente vermelhos, porém sua fera ainda não estava no controle. O youkai lutava internamente com ela, pois não queria fazer uma besteira muito grande. Sabia que, se perdesse o controle, tomaria sua humana nos braços e a comeria a noite toda até ela dizer chega, ou até ele não aguentar mais. Como não queria obrigá-la a nada disso, manter o controle era necessário.

Rin passeava com sua língua por toda a extensão do membro do seu youkai, e depois voltava a chupar a cabecinha. Ela não queria arriscar colocá-lo por inteiro em sua boca, pois aquela era sua primeira vez fazendo aquilo e queria ir com calma. Um outro dia, talvez, ela pode tentar essa proeza de "engoli-lo" por inteiro. 

Já não aguentando mais aquela onda de prazer, Sesshoumaru gozou e se sentiu livre. Parecia que um peso enorme saiu de suas costas. Ele estava mais "leve", por assim dizer. Ao olhar para sua rainha, viu que ela se engasgou ao tentar engolir todo o seu gozo, e isso o fez sorrir.

A beijou com fervor e sorriu durante o beijo, por estar sentindo o gosto de sua essência se misturar com o gosto dela, que ainda estava em sua boca. Se o gosto da Rin já o levava a loucura, os dois gostos juntos o fazia perder completamente a cabeça. Era excitante demais, porém ele sabia que não podia continuar.

Sesshoumaru: Deixarei que descanse, Rin. Sei que está cansada e também sei que não vai querer fazer mais nada comigo, além do que já fizemos. As mulheres costumam pensar na primeira vez perfeita, e imagino que não seja diferente com você.

Rin: Não quero que seja perfeita. Eu só quero que minha primeira vez seja com alguém especial. Sei que já encontrei essa pessoa, eu só não quero apressar as coisas.

O youkai acariciou o rosto da menina e então a beijou na testa.

Sesshoumaru: Já disse que vou esperar o seu tempo. Farei com que sua primeira vez seja a melhor de toda a história. - Disse de uma forma um pouco convencida, o que fez a morena rir

Rin: Nos vemos amanhã?

Sesshoumaru: Acho melhor não arriscarmos. Hoje eu invadi o seu quarto, e amanhã será o que? É melhor esperarmos esses outros dois dias.

Rin: Tudo bem. - Suspirou de forma triste - Sabe? Eu... Bom, eu gostei dessa noite. - Disse em voz baixa, por estar com vergonha

Sesshoumaru: Saiba então... - A segurou pelo queixo e ergueu seu rosto - Que eu também gostei e gostei muito. - A beijou novamente, mas logo se separaram - Já vou!

Rin: Tudo bem.

O youkai levantou da cama e colocou sua calça. Beijou a amada nos lábios mais uma vez, saindo pela janela, logo após. Feliz da vida, o prateado entrou em seu quarto e deitou em sua cama.

Com um sorriso de orelha a orelha, Sesshoumaru se permitiu fechar os olhos para dormir. Aquela, sem sombra de dúvidas, foi a melhor noite da sua vida. Bom, a melhor noite da sua vida até agora.


Notas Finais


Eu continuo travada pra escrever essa fic. Sinto muito =/ Mas vou deixar o link de outras fanfics de minha autoria, caso alguém queira ler.
Espero que tenham gostado. Obrigada pela presença de todos. Bjs e até o próximo *Sem previsão*

Freedom (Fic sobre a escravidão no Brasil): https://spiritfanfics.com/historia/freedom-6946454

Os agentes (Finalizada): https://spiritfanfics.com/historia/fanfiction-inuyasha-os-agentes-4930097

Caminhos diferentes (Versão alternativa de Os Agentes): https://spiritfanfics.com/historia/fanfiction-inuyasha-caminhos-diferentes-6241747

Se apaixonar por mim não é uma coisa ruim (Finalizada/ 4 Capítulos): https://spiritfanfics.com/historia/se-apaixonar-por-mim-nao-e-uma-coisa-ruim-6876619

Primeiras lágrimas (one-shot): https://spiritfanfics.com/historia/primeiras-lagrimas-6894187

Na fila do banco (one-shot): https://spiritfanfics.com/historia/fanfiction-inuyasha-na-fila-do-banco-5801823

Ela me hipnotizou (Finalizada/ 2 Capítulos): https://spiritfanfics.com/historia/fanfiction-inuyasha-ela-me-hipnotizou-6092846


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...