História Send Nudes - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Mikoto Uchiha, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku, Send Nudes
Visualizações 874
Palavras 2.261
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ALELUIA!
Pois é! Eu sei que demorei mas eu estava num bloqueio terrível com essa fic e como já avisei antes, estou bem atarefada ultimamente, mas finalmente consegui terminar essa delícia de fic!

Amei escrever essa estória que era uma mera oneshot para o SasuSaku Month de 2016 e na minha antiga conta teve muita repercussão, e mesmo não tendo tanta "fama" quanto tinha na minha antiga conta, eu AMEI compartilhar essa estória aqui com vocês <3

Queria agradecer a cada um que comentou e que mesmo com a demora, não desfavoritou e não desistiu de esperar. Eu disse que não ia abandonar e cumpri minha promessa xD

Bom, agradecimentos a parte, vamos logo a história, não quero enrolar!

Espero que gostem e boa leitura <3

Capítulo 10 - Ten


10 anos depois...

 

- Papai, acorda! Vai se atrasar! – Ouço a voz doce de minha filha e sinto sua mão me cutucando frenéticamente para me acordar.

- Uhhmmm...Já acordei...Já acordei... – Só não tiro a coberta toda porque estou pelado.

- Agora falta a mamãe. – Ela já ia se jogar em cima de Sakura, mas eu fui mais rápido e a peguei no ar.

Sempre fui nerd, mas eu era bom no beisebol.

- Pode deixar que eu mesmo acordo a sua mãe. – A coloquei no chão. – Já escovou os dentes? – Perguntei, e ela sorriu abertamente, exibindo os dentes e a pasta no canto da boca.

- Já!

- Então vai se arrumar para ir pra escola, se não irá se atrasar. – Ela sorriu e ficou esperando eu levantar, mais quando viu que eu fiquei, foi sozinha para o quarto.

Ufa, foi por pouco.

Sabe, não era fácil ter privacidade quando você tem filho. Ainda mais eu que tenho uma menina.

Já esqueci de quantas vezes ela já quase nos pegou quando eu e Sakura...Bem...Nos conhecíamos melhor...Se é que vocês me entendem...

Sarada estava animada hoje. E já sei muito bem o porquê.

Hoje é seu aniversário.

9 anos atrás eu recebia a notícia de que aos meus 16 anos eu já seria pai. Eu, que nunca tinha transado, sequer tinha uma namorada, seria pai.

Eu sabia – sempre soube – que Sakura era especial. 5 anos de amor platônico não é pra qualquer um e no fundo eu sabia que algo iria acontecer. Que um dia ela falaria comigo e que aí eu teria que fazer a minha parte.

E fiz.

Foi tudo muito rápido. Conversamos muito no whats, ela me mandou um nude – e que nude! – combinamos de ver GOT lá na minha antiga casa, transamos, eu quase morri, fiquei no hospital, ela foi me ver todos os dias, sumiu, e depois...

Eu seria pai.

Me lembro bem, como se fosse semana passada.

A cara de pitbull raivoso do meu pai e a cara de gazela brava do meu irmão quando chegaram em casa quase me fizeram cagar de tanto nervoso.

 

______________________________________________________

 

- Me conta essa história direito Itachi...Como assim, um bebê do seu irmão? – Meu pai já estava bufando atrás de mim. Ele se segurava pra não se exaltar, mais eu via a veia em sua testa estalando e isso queria dizer que ele estava, muito, muito puto.

- Ahm...Então... – Porra, eu só queria estar no meu quarto com a Aika nesse momento!

- Sem Enrolar Itachi, fale logo! – Fudeu. Se eu não quissesse ser morto, era melhor eu abrir a boca.

Desculpa Irmãonzinho.

-...É pai. Meu irmão fez um filho. Você vai ser vovô. – Tentei dar uma descontraída, mas pela cara de quem comeu cebola do meu pai (ele odiava cebola) não deu muito certo.

- Sasuke fez um filho...Seu irmão... Fez um filho? – Ele não estava querendo acreditar. Ele nem acreditava e já estava com raiva. Kami!

-...Sim. – Confessei respirando fundo. Eu queria muito estar com a Aika naquele momento.

- QUEM É A MALDITA? – Meu pai explodiu. Todos que passavam olhavam pra ele e seu rosto já estava vermelho. Faltava babar de raiva.

- Papai...Por favor se acalme...

- Quem é Itachi?? Quem fez a cabeça do meu filho para dar um golpe desses? – Eu não estava acreditando no que eu estava ouvindo.

Isso é sério?

Golpe?

Eu achava que isso só acontecia no Brasil...Mas enfim...

Eu não ia deixar meu pai fazer isso com Sakura. Mesmo a conhecendo pouco, sei que é uma boa menina e que jamais teria más intenções para com Sasuke.

- Ela não é uma golpista. É a namorada dele. – Eu nem sabia se eles estavam de fato namorando, mas foi a melhor escolha para pelo menos tentar amenizar a situação.

- Golpista sim! Seu irmão sempre foi estudioso, um menino exemplar, e agora vem uma menina do nada dizendo estar grávida dele? Sasuke tem 16 anos! Isso lá é idade para ser pai? – Ah se ele soubesse que os jovens de hoje estão começando bem mais cedo do que 16...

- Pai, essa menina não veio do nada. Eles estudam na mesma escola, Sasuke gosta dela a muito tempo. Eles começaram a se conhecer melhor e bom...O resto o senhor já deve saber. E saberia de tudo isso se ficasse mais tempo em casa. – Eu tantava explicar da melhor forma possível, tentando manter o tom civilizado, mas meu pai era um neandertal.

- Não interessa Itachi! Uma gravidez agora está fora de cogitação...Vai sugar o último resto de dinheiro da família... – Meu pai já estava um pouco mais “calmo” – Vermelho, mas já não gritava – e esfregava a testa com destra, limpando o suor causado pelo estresse.

Eu sabia que a empresa não estava em seus melhores dias, mas eu não contava que seria tão grave.

Não queria concordar, mas meu pai tinha razão.

Não por Sakura ser golpista, mas pela gravidez.

Mesmo sabendo que não seria de sua índole aplicar o famoso golpe da barriga, ainda mais num jovem de 16 anos, nerd e desempregado, tenho que adimitir que foi irresponsável. De ambas as partes.

Eu não queria passar a mão na cabeça de ninguém, mas eu não ia deixar meu pai falar atrocidades em relação a Sakura, mesmo a conhecendo pouco.

Meu pai suspirou pesado e pediu que fóssemos para casa. Eu estava sentindo pena de Sasuke pelo o que estava por vir.

 

______________________________________________________

 

- Sasuke Uchiha? – O tom alto na voz do meu pai fazia até o mais corajosos dos homens peidarem de medo.

Eu estava recém chegado em casa, depois de um longo tempo no hospital me recuperando do tiro e Sakura estava ao meu lado.

E quando ouvi meu pai falar meu nome completo, quase me mijei.

-...Sim? – Fiz minha melhor cara de “Estou em casa, mas ainda me recupero de um tiro. UM TIRO PAI!”

- Venha até o quarto. – Me fazer levantar no estado em que eu estava, era a prova viva se que meu pai, no mínimo estava MUITO puto comigo.

Chegando na sala de tortura, eu já via a minha vida passar diante dos meus olhos. Meus 16 anos mal vividos, 5 deles admirando de longe a Sakura, e agora, eu nem sabia se ia ver o rosto do meu filho.

Ou filha.

Bom, enquanto eu rezava para todas as entidades existentes do planeta, eu ouvia meu pai bufar de fúria a cada passo que dava, e me perguntava se ele não estava nem com um pingo de pena do próprio filho vítima de um tiro por um louco que por sinal conseguiu escapar.

Enquanto eu pensava, ele soltou mais uma bufada.

É, pelo visto, não.

Ao entrar no quarto, e quando ouvi a porta bater com força atrás de mim, me condenei por não ter me despedido direito de Sakura.

Que merda.

Meu pai encostou na porta e cruzou os braços.

Os olhos fechados, semicerrados e as sombracelhas unidas, ele não precisava dizer nada.

Quem tinha que falar era eu.

Engoli a saliva duramente, como se fosse um bolo de merda e tomei coragem.

Abri a boca e...

- Um filho? – A voz grossa de meu pai ecoou no quarto pouco iluminado. – Um filho Sasuke? – Os olhos abertos, gritando fúria em minha direção, faria qualquer um cagar de medo.

Mas aquilo estava começando a me deixar intrigado e um pouco puto.

- É pai, um filho. – Se eu fosse morrer, seria com honra.

- Tem noção do que fez? ...Claro que não, só tem 16 anos e...

- Tenho total noção do que fiz pai. E não é por eu ter só 16 anos. Sei muito bem das coisas que faço e...Não me arrependo. – Eu não iria mentir. Estava na hora de por as cartas na mesa e eu faria isso sem máscaras e sem mentiras.

- Como vai sustentar essa criança? Você ainda estuda e o que vai ser de você agora? E essa garota? Pelo que sei ela é apenas uma qualquer...Sem uma família de nome e...

- Ela não é uma qualquer. – Agora ele conseguiu me deixar muito puto.

- Ela era namoradinha daquele bandido que quase matou você. Abre o olho Sasuke, ela não é ninguém...

- Ela é a mãe do meu filho, e meça suas palavras quando for falar dela. – Encarei ele de igual para igual.

Ele poderia fazer o que quiser comigo, mas abrir a boca pra falar merda da Sakura e do meu filho, eu não deixaria nem que me matasse.

- É a mãe do seu filho, mas é sua mulher? – Meu pai perguntou e eu sinceramente, pensei sobre a pergunta.

Sakura e eu transamos, isso é um fato.

Mas foi apenas isso. Não temos um compromisso e não acho que o que temos pode ser chamado de relacionamento.

De minha parte, já estaríamos namorando há 5 anos, mas parando pra pensar, tudo aconteceu tão rápido que não deu tempo sequer de pensar em algo como relacionamento.

- Não. – Era a verdade.

- Bom, eu não vou negar que essa história toda me deixou muito chateado, mas não dá para voltar no tempo e desfazer. Agora você, já que não se arrepende de nada e sabe muito bem o que fez, irá arcar com as consequências.... – O silêncio é quase palpável. – Irá se casar.

Pera...

QUE?

- O que...

- Irá se casar o mais rápido possível. Somos Uchihas e não quero nosso nome envolvido em mais um escândalo. Já basta a empresa dando dor de cabeça... – Meu pai apertou a ponte do nariz e respirou fundo. – Vou ver se arrumo um emprego para você como jovem aprendiz na empresa e irei naquela igreja perto da escola para marcar a data.

- Acho que quem tem que decidir isso sou eu e ela, não é?

- Não Sasuke. Você vai se casar sim.

- Não vou não!

- Vai sim.

- Não!

- Sim!

- Não!!

- Sim!!

___________________________________________________

 

Bom, acho que já sabem a resposta né?

Por favor, não entendam mal, eu não queria me casar porque eu não queria – acreditem, eu queria muito casar com Sakura – mas nós nem namoramos, e iríamos nos casar?

Bom, eu sei que isso não era motivo, e que iríamos ser pais em breve, mas veja bem, sou homem. Homens tem em seu DNA um medo natural de casamento. Mesmo se for com a menina que ele gosta há 5 anos.

Mas...Valeu a pena.

Nesses 10 anos, nossa vida não foi nada fácil. Pra mim, trabalhar e estudar foi uma experiência nova e cansativa, mas quando eu chegava em casa e via o sorriso de Sakura, isso me dava forçar para ir fazer tudo de novo no dia seguinte.

Sakura passou a morar na minha casa. Ela morava sozinha e minha mãe, a chamou para morar conosco, o que não agradou nada meu pai. Mas eu não iria deixar ela morar sozinha e grávida de um filho meu, então concordei com mãmãe e Sakura foi morar conosco.

Depois de uns meses, fiquei sabendo que Sasori tinha sido preso. A família inteira respirou aliviada e finalmente aquele cabelo de mestruação estava atrás das grades.

Ver a barriga de Sakura crescendo fazia meu amor por ela e por nossa filha – sim, era uma menina – aumentar cada vez mais. Éramos novos, de fato, mas o amor não tem idade. Filosofei agora hein?

E então, numa madrugada, Sakura me chuta forte e gritando que a bolsa tinha estourado, me fez fazer dar um salto carpado da cama e levá-la no colo até o carro de Itachi e voar para o hospital.

Já na sala de operação, ouvindo os gritos de minha esposa – sim, já estávamos casados – eu não estava mais aguentando esperar quando ouvi o choro dela.

Minha filha.

Era linda. Um pedacinho de gente com cabelos pretos e com os olhos de Sakura.

E foi então que apesar de tudo o que aconteceu, valeu a pena.

Aquele pedaço, aquele pequeno pedaço, era chamado: Felicidade.

Tá, não sou o Will Smith, mas eu estava feliz sim.

E sou até hoje.

A vida de ninguém é fácil, e a minha também não foi. Ser pai cedo foi sim complicado e já deixo avisado que por favor, usem camisinha!!

Mas hoje, já burro velho, pretendo sim ter mais filhos e dar muitos irmãos para Sarada. Quem reclamava era Sakura, sempre falando que quem iria carregar e sofrer pra parir era ela e que uma só já estava bom.

Pra mim não tava bom não.

E por isso, decidi acordá-la de um jeito que sei que ela vai gostar e quem sabe essa manhã não dê frutos?

Enfio meu nariz na nuca dela, fazendo-a  murmurar e finalmente acordar.

- Bom dia. – Falo já virando-a para cima e cobrindo o corpo dela com o meu.

- Bom dia. – Ela sorri e isso me dá forçar para continuar.

Beijo os lábios dela, sentindo meu sabre de luz acender e ficar duro.

Eu já estava entre as pernas de Sakura, ofegante e a beijando com vigor, já sentindo as unhas curtas dela arranharem minhas costas e meu Deus! Como eu estava sentindo falta disso.

Trabalhar e fazer faculdade não é fácil, tempo é uma coisa que você simplesmente não tem.

A coisa estava esquentando muito e eu já poderia até mesmo ver um outro filho na barriga de Sakura quando a porta abriu e Sakura gritou.

Eu xingava muitos palavrões em minha cabeça e me afastei rapidamente de Sakura, vendo Sarada na porta com o celular na mão.

- Papai, o que é nude?

Ninguém merece!

 

 

Fim.


Notas Finais


Mais uma vez muito obrigada a todo mundo que acompanhou e até a próxima <3

Amo vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...