História Senhorita Frieza - Imagine Jin (BTS) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jin, Personagens Originais, Rap Monster
Tags Bangtan Boys, Bts, Jin, Kim Seokjin, Rap Monster
Exibições 894
Palavras 1.849
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, voltei mais rápido do imaginava! O capítulo tá fresquinho, acabei de escrever...
Espero que gostem!!!

Capítulo 3 - O tombo


Fanfic / Fanfiction Senhorita Frieza - Imagine Jin (BTS) - Capítulo 3 - O tombo

~ "Sogang Business School" 10:30 a.m

   Depois daquele sonho ridículo resolvi que não escutaria mais música alguma para não correr o risco de dormir de novo. Então acabei prestando atenção na aula. O professor acabou passando um trabalho em dupla, e olha quem vai ser minha dupla, Seokjin olha que interessante! Sim eu estou sendo muito irônica. Porra o que custava me colocarem com outra pessoa qualquer. Tinha que ser ele?!

   - É... Vai ser na minha casa ou na sua?

   - Eu na minha e você na sua que tal? - Digo com um sorrisinho de satisfação.

   - Olha se você não quer a nota tudo bem eu faço sozinho, mas eu não vou colocar seu nome sem nem ter feito.

   - E quem disse que eu não vou fazer essa droga?

   - Você deu a entender...

   - Na minha casa, sábado.

   - Tá bem, depois me passa seu endereço. - Dito isso o garoto se virou para frente e não me incomodou mais.

  As aulas foram passando até que na hora da saída estava eu do lado de fora da sala esperando o Nam, mas ele não apareceu, acabei tendo de ir sozinha. E advinha quem apareceu? É Kwan de novo e ele não estava sozinho tinha um outro garoto, ele não era alto como Namjoon, mas era forte, o garoto era do time de basquete do colégio.

   - Então agora você está namorando o magrelo?

   - Não te interessa.- comecei a andar o mais rápido possível para passar deles, mas senti uma mão agarrar em meus cabelos.

   - Onde pensa que vai princesa? - Kwan era quem estava me segurando e o outro estava a minha frente, então o acertei num só chute entre as pernas este caiu gemendo de dor.

    - Me larga !

    - Se é o que você quer... - Kwan me jogou no chão com toda a força. Mas eu me levantei e fiquei de frente para ele.

   - Você tem certeza que vai mexer comigo Kwan?

   - Por que? O que você vai fazer comigo? Me dar outro tapa?

   - O seu amigo já está no chão... - Kwan me empurrou contra a parede com força, senti uma dor no meu ombro direito de imediato.

   - Você é tão abusada garota, acha que pode se meter comigo, acha mesmo que consegue lutar contra mim?

  Eu já não tinha força no braço para arrebentar a cara dele, então fiquei em silêncio.

  - FALA - Gritou Kwan segurando-me pelos ombros me batendo contra a parede por diversas vezes. - Você não consegue não é?

  - Ela não, mas eu sim! - Dito isso, só consegui ver quando Kwan caiu no chão e alguém estava em cima dele. Esse alguém era Seokjin, que batia com toda força no garoto. Eu estava ficando tonta pela dor do meu ombro.
  Vi outra pessoa chegar, e gritar para Jin que já estava bom, que podia parar e se virou para mim no chão.

   - Você está bem?

   - S-Sim... - Digo tentando conter a dor.

   - Jin, temos que leva-la para a enfermaria. - Disse J-Hope, provavelmente era amigo de Seokjin.

   Vi quando Jin se levantou, chutou Kwan pela última vez e Disse-lhe para não mexer mais comigo ou a surra seria pior. E então ele veio até mim.

   - Ei, você pode andar?

   - E-eu posso... - Digo tentando me levantar, mas sem apoio do braço, nada poderia fazer.

   Vendo que meu esforço era em vão, Jin se aproxima para me levar no colo.

   - Não. - Desta vez o espasmo de dor foi maior, não pude conter o grito. - Ai!

   - Onde dói?

    - N-no ombro.

    - Os dois?

     - Sim.

     - Não me bate, mas eu tenho que te levar. - Diz Seokjin me erguendo em seus braços.

     - Vai na frente Hoseok e explica tudo para a enfermeira, que a _____ caiu da escada.

  Então Hoseok sai correndo à nossa frente e nos deixa completamente sozinhos.

    - Porque você não bateu nele também?

    - Eu não t-tive como, meu ombro já estava assim quando... ai... Eu tentei revidar. Eles eram dois, um e-eu pude derrubar.

    - Mas porque eles te bateram?

    - Pura diversão... - Eu tinha que omitir os fatos, pois Jin não precisava saber de nada.

    - Entendi. Por isso aquele seu amigo estava com você por toda a parte hoje, aquele cara tentou algo ontem também não é? Mas eu interrompi.

    - Foi, v-você interrompeu. Mas ontem eu que bati nele.

   Quando chegamos Hoseok já estava lá com a enfermeira do lado de fora me esperando, Seokjin me deitou na maca e não saiu dali enquanto a enfermeira não disse o que era. Eu tinha deslocado o ombro, por isso da dor, então ela o colocou no lugar, me deu uns remédios e eu ainda tive uns incômodos mas nada que eu não pudesse aguentar. Seokjin ainda estava ali, parado na porta, me encarando.

   - O que foi? Porque me olha assim? - Perguntei mesmo com medo da resposta.

   - N-Não é nada, enfermeira ela já pode ir?

   - Sim, mas você tem que tomar cuidado, essas escadas são perigosas mocinha.

   - Pode deixar... - Digo com um sorrisinho simpático no rosto.

   - O que foi? Vai ficar olhando ao invés de ajudar? - Digo incomodada com Seokjin me olhando daquela maneira.

   - Desculpa. - Diz o garoto me ajudando a levantar. - Obrigado - ele diz a enfermeira e saímos de lá.

   - Você não precisava ter feito aquilo...

   - É, eu sei, mas eu não conseguiria te deixar lá e apanhar para dois garotos.

   - Eu só trato você mal, e você ainda me ajuda... Apesar de tudo... Obrigada.

   - Tudo bem. Eu sou um cara legal.

    - Menos, bem menos. - Digo e o garoto ri alto.

    - Daqui eu sigo sozinha.

    - Você está maluca que eu vou te deixar sozinha correndo risco daquele cara aparecer.

    - Seokjin não precisa. Eu vou sozinha.

    - Me chama de Jin, e eu faço questão. Me carro tá ali, vem comigo, eu não vou te fazer mal algum. Fica tranquila.

    - Tá bem! Nem pense em me fazer algo Jin. Eu já mostrei que posso te fazer sentir dor.

    - É eu sei que pode, e como pode. Aquilo doeu sabia?

    - Eu sei! - Cai na gargalhada me lembrando do ocorrido.

   Eu não queria tratar Jin daquele jeito, mas ele me ajudou hoje, eu poderia estar bem pior se ele não tivesse chegado. Hoje eu lhe daria um desconto. Só hoje. Entrei em seu Hatch 2016 azul.

   - Eu pensei que seria rosa...

   - Eu gosto de rosa, mas não é pra tanto.

    - Então tá...
 
                           ***

      - É ali - Digo apontando para minha casa.

      - Okay. - Jin estacionou o carro. - Vou te ajudar...

  O garoto desceu do carro abriu a porta para mim, passou meu braço livre por seu pescoço e desceu sua mão até minha cintura. Droga a chave está no bolso da minha calça.

    - Caso você não saiba, eu posso andar...

    - Ah, é verdade. - Disse o garoto sem jeito. - Cadê sua chave? Pode pega-la?

    - N-no bolso de trás da calça. Acho que posso. - Disse levando meu braço "melhor" até o bolso, mas não chegava, pois a chave estava no outro bolso.

    - Não me bate, licença. - Disse descendo sua mão até meu bolso, retirou a chave e me entregou.

    - É bom você não se lembrar que fez isso.

    - Não precisa ameaçar, ninguém vai saber. Você mora sozinha?

    - Minha mãe está viajando.

    - Ah ta... Está entregue senhorita... Nos vemos amanhã.

    - Mais uma vez valeu pela ajuda, obrigada por lembrar que tenho que te olhar amanhã.

    - De nada! Ah e agora não precisa mais me passar seu endereço. - Seokjin diz sorrindo e ascenando para mim.

   Eu simplesmente o ingnorei, para não perder o costume e entrei dentro de casa. Me deitei no sofá da sala e ali mesmo adormeci, acordei com meu celular tocando, era o Namjoon. Pragejei-o mentalmente e atendi.
       
         - Chamada on -
 
  - O que foi?

    - Está em casa mau humorada?

    - Sim...

    - Estou chegando.

    - Tá, a porta está aberta só entrar. - Eu estava tratando-o da forma mais seca, por ele ter me deixado e me feito passar pelo que passei.

       - Chamada encerrada -

   Minutos depois a porta se abriu, Nam estava com sacolas de super mercado nas mãos, as largou no mesmo instante em que me viu com o imobilizador de ombro.

    - O que aconteceu com você?

    - Eu cai da escada, por que meu amigo não foi me buscar na sala como tinha prometido!

    - Foi o Kwan?

    - O que você acha Nam?

     - Tá me perdoa, é que eu estava com a Kim. Não tive como te avisar, mas o que aquele imbecil fez com você?

     - Me bateu, mas o Jin me ajudou, por sorte eu não estou mais quebrada. Por falar em Jin quero te pedir uma coisa...

     - O que?

     - Vem pra cá no sábado.

     - Por que?

     - O professor de física marcou um trabalho em dupla e a minha dupla é esse garoto.

     - Ah você não quer ficar sozinha com ele, mas eu lamento, já tenho compromisso sábado.

     - Naaaam, por favor. - Digo fazendo manha...

     - Desculpa mas é o encontro da minha vida, não posso deixar a Kim sozinha.

     - Você é um idiota. - Digo cruzando os braços emburrada.

     - Ah criança grande. Vem cá - Nam se sentou do meu lado e me abraçou. - Me desculpa por te fazer passar por isso. Me desculpa pequena.

      - Tá tudo bem Nam, já passou. Eu fiquei com raiva de vc, mas tá tudo bem...

      - É bom mesmo. - Diz sorrindo mostrando suas covinhas. - Trouxe as coisas pra você fazer aquele doce do Brasil. Brrrigo-deiru. Não sei falar isso.

      - Brigadeiro Nam, Bri-ga-dei-ro.

      - Tá, eu não consigo.

      - Aigo! Vai ter que me ajudar, por que... - Digo apontando para o meu braço "ruim". - Mas sem quebrar nada.

      - Tá bom, eu vou tentar...

  E assim fizemos, comemos brigadeiro a noite toda e Nam acabou dormindo no meu sofá. O lugar já era dele de costume, eu fui para o meu quarto, fiz minhas higienes e me deitei também.


Notas Finais


Perdoem qualquer erro, acontece.
Obrigada por ler, COMENTEM !!!
BEIJO GRANDE 😘❤
Meu twitter : @Anndy_stg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...