História Senhorita Jodie. - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Depressão, Morte
Visualizações 1
Palavras 1.209
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Josei, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 5 - Verdades Em Um Cigarro.


Fanfic / Fanfiction Senhorita Jodie. - Capítulo 5 - Verdades Em Um Cigarro.

(Narrador Desconhecido)

Eddienarrando:


Eu não sabia o que estava fazendo, tão perdido quanto tua mente enlouquecida. Senhorita Jodie, ou melhor... Jodie, já que eu falei um "Oi" com você. Jodie, eu estudei sua história e você desde daquele dia, o dia em que você chorou na escola, durante o ensino fundamental. Desde aquele dia eu estudei você para quando tivesse coragem de falar com você, eu soubesse o que falar, e sabe por que eu era tão mulherengo? Para chamar sua atenção, eu podia chamar a atenção de lindas, perfeitas e interessantes mulheres, mas eu queria seus olhos e sua atenção em mim, eu dei um jeito de morar ao seu lado, me casei com a Lara porque ela tinha uma boa condição e eu não iria precisar trabalhar, assim teria mais tempo para te estudar, eu forço sentimentos pela Lara porque eu não quero machucar ela, mas eu tenho somente olhos para sua mente. Sua mente louca e bagunçada, não quero e nunca quis te seduzir, porque este efeito não acontecia em você. Jodie, eu sabia sobre o vídeo, mas e daí? Que diferença isto faz? Faz uma somente, você foi injustiçada, você era apaixonada por uma pessoa terrível que fez o vídeo e o postou, você ficou traumatizada.
Eu sabia que havia algo errado com esse "plantão" a noite da Lara, mas você perguntar na frente dela como se soubesse que tudo o que ela falaria era mentira, me deixou mais encantado pela sua mente, algo que eu queria tanto. Meu irmão, Jared, disse que se não falasse com você logo, iria ser tarde demais. Dito e feito, tarde demais, estou preso a uma mulher que eu não amo e sai toda noite Lara seu "plantão" que nem se quer é real.
Cansado de ficar em casa vomitando, eu fiz a escovação em meus dentes, coloquei um casaco, tomei um pouco de água e fui até a casa da irmã da Lara, a Catherine, ao chegar lá, eu bati na porta.
   -Cat, a Lara tá aí?-Eu perguntei, e a Catherine abriu a porta me olhando confusa.


   -Vocês brigaram?


   -Não, é porque ela disse que estaria aqui ou na lanchonete fazendo o plantão.
    -Eddie, ninguém trabalha a noite lá, NINGUÉM, ela não está em plantão algum na lanchonete, só se for em outro lugar.


A Cat era da família da Lara, mas é uma pessoa maravilhosa e realista, a namorada dela tem sorte. Diferente da Lara, uma pessoa que mentia tanto que eu apenas concordava para te estudar, se não fosse por isto eu nem trocaria mais uma palavra com ela.
Eu era e sou obcecado por você, seu corpo? Não,e sim suas palavras e sua alma.
E então eu saí de lá, liguei para ela mas a mesma ignorou, eu liguei inúmeras vezes, mas sempre caia na caixa postal, eu nunca fui ciumento, mas eu estava enlouquecendo, não era preocupação com ela, e sim com as condições que eu ia ter que aguentar sozinho, eu não sou um golpista, eu gostava um pouco dela sim, mas comparando a você, era um porcento. Como uma pessoa sempre atenta, eu percebi que ela havia deixado algo nos lembretes do meu telefone, ela era idiota? Não, apenas logado com minha conta no próprio telefone, e de uma forma os lembretes, avisos, mensagens, tudo, aparecia em meu celular. E então eu vi um lembrete chamado "casa do Jared", eu parei de andar instantaneamente, e então fui até o endereço do Jared, meu próprio irmão, eu não estava querendo acreditar, e então quando eu cheguei... Lá estava ela, beijando meu irmão já nua e ele também, eles não me viram e então eu apenas fechei a porta, abaixei a cabeça e sai andando... Eu andei até em casa, um longo caminho, mas andei, eu sempre andei para esquecer os problemas e coisas ao tipo.
Mas sabe o que me surpreendeu mesmo em tudo isso? O destino me fez bater na sua porta ao invés da minha e me arrastar até o chão, levando meu corpo junto as minhas lágrimas desesperadas. Até que eu ouço um som de tranca, eu me levantar rapidamente e você abrir a porta do seu apartamento, me olhando já de pijama e com um rosto de sono, eu juro... Não me movi, meu corpo fez isso sozinho, mas eu te ataquei em um abraço, não quis saber, apenas comecei a te abraçar até ouvir a porta se fechar e eu ser encostado na mesma, eu apenas abri meus olhos.
   -O que houve?-Vocês perguntou enquanto olhava nos meus olhos.
   -Desculpa, eu vou me retirar, eu não sabia que era você e que era tua casa.
   -Por favor, diga o que houve...
   -Não somos íntimos, se eu falar você não vai saber modificar algo.
   -Não é modificar, é ajudar você a fazer isto. Eu sou fraca demais para algo do tipo, não acha?
   -Não é isso, é que eu... Erh... Não nos conhecemos bem, é isso.
   -Okay, okay... Mas me diga o motivo de suas lágrimas, senhor cirrose.
   -Ah, não irei lhe falar.-Eu fui abrir a porta, apenas movendo minha mão para cima para alcançar a maçaneta e abrir a mesma e sair de lá em direção a porta ao lado, minha casa.
Eu senti algo um pouco fraco, porém ainda forte em cima da minha mão e quando olhei era a sua. A sua mão... Parece loucura, mas é verdade, eu comecei a tremer instantaneamente, você me enlouquece. É tão clichê, mas eu realmente estou louco por você. Minha mente se quebra quando você impede de eu ir embora. Se fosse para queimar no inferno eterno, eu queria ir por você, não com você, não quero te fazer sofrer. 
Quando você em soltou, infelizmente, eu te olhei nos olhos e você olhou para o chão enquanto se afastava.
   - Licença, desculpa o incômodo.-Eu abri a porta e sai de lá rápido, desculpa meu comportamento, eu estou muito machucado para falar com alguém ou algo, preciso somente dormir, fumar ou me embebedar com as coisas que eu tinha guardado, você não era oferecida, um abraço me ajudou mais que todas as bebidas, mas não era o suficiente, eu era ganancioso, eu sou ganancioso. E nunca irei parar de ser.
Eu nunca fui alguém fácil, e muito menos indefeso, mas você... Você simplesmente me deixou como um recém nascido querendo lutar com um adulto. Eu sai de lá rápido para não atacar você. Eu sei que é errado te observar, eu sei. Eu peço desculpas, mas foi inevitável... No dia do vídeo, eu fui tentar impedir, eu juro, mas eu era fraco demais. Um soco no meu nariz, e eu desmaiei, sem nem mais nem menos tempo, foi instantâneo. Eu tentei, mas falhei, falhei com uma pessoa tão especial para mim antes mesmo do seu primeiro "Oi", mas já era especial.
Eu entrei em casa, tranquei a porta e fui até a cozinha desesperado por um cigarro sem demora. Eu era fumante antes mesmo dos dezoito anos, é errado, mas eu gostava. E um vício substituí o outro, eu usava o cigarro para substituir o de te observar, afinal, isso era horrível para qualquer pessoa.


Jodie, eu tinha inveja da sua força para viver.

Eu tenho inveja da sua força para viver.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...