História Sensações - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Amor, Drama, Hentai, Ino, Itachi, Morte, Naruhina, Naruto, Nejisaku, Romance, Sakura, Sasusaku
Visualizações 210
Palavras 1.755
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Josei, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!
Desculpem a demora, mas não vou jsutificar mais uma vez o que tem me afastado das fics, quem acompanha deve ter lido o jornal que postei aqui na página e para os que não leram deixarei o link lá embaixo.
Agora sobre a fic, mais um capítulo escrito com muito carinho e espero que vocês gostem e comentem! Quero agradecer especialmente a uma leitora que tem sempre mandado mensagens para que eu continie e não desista, EmmaWoodhouse, mujito obrigado! S2
Beijos à todos e boa leitura ;)

Capítulo 13 - Casa de praia


Não demorou para que todos soubessem da estadia de Shikamaru no Japão e quisessem se reunir com ele também, e uma ótima oportunidade foi o aniversário de Hinata. Sendo assim na noite de sexta-feira Sakura se viu às voltas com a arrumação das malas. Era apenas um final de semana, mas ela nunca tinha viajado com Masami, portanto ficava na dúvida do que levar.

-Sakura-chan! Está ficando tarde!

-Naruto, não me apressa! Eu não posso esquecer nada!

-Sakura-chan, parece que você está levando a casa inteira, como vai esquecer?

-Em vez de reclamar poderia ser útil levando as malas para o carro.

-Ela está tão linda, faz apenas duas semanas que não a vejo e já acho que ela está muito diferente.

Hinata veio pelo corredor com Masami adormecida em seus braços. Sakura sorriu para a amiga.

-Achei que a Ino estaria aqui te ajudando, mas ela me disse que iria com Shikamaru.

Sakura assentiu, a verdade é que ela e Ino estavam distantes depois da última discussão.

Hinata percebeu o desconforto de Sakura, como já conhecia as duas à um longo tempo sabia que aquilo significava algum desentendimento. Então resolveu amenizar a situação, um gesto típico seu.

-Ela e Shikamaru sempre foram bons amigos, devem ter muito o que conversar durante a viagem.

-Não duvido, Ino tem sempre muito o que falar.

Hinata riu.

-Por um lado é bom que ela chegue amanhã , Hanabi chega hoje à noite com Neji.

Sakura notou a expressão da amiga.

-Ino não vai estragar seu dia, não se preocupe com isso.

-Não me preocupo por Ino, mas por Hanabi.

Bem, quanto a isso Sakura não podia fazer nada. Hanabi tinha um bom histórico de confusões e problemas que se alguma forma atingiam a irmã.

-Itachi não confirmou?

-Ele vai chegar domingo.

Sakura suspirou.

-Não consigo entendê-lo.

Hinata sabia o que ela queria dizer, como também sabia que ela não diria.

-Eu também não concordo com esse namoro.

A rosada ergueu os olhos para encarar a amiga.

-Ah... Me desculpa Hinata.

-Não tenho o que desculpar, sei que Hanabi nunca foi amigável com você ou com Ino, eu entendo.

-Não é só isso, na verdade eu sempre alimentei um desejo de que eles ficassem juntos. Além de vê-la feliz, ela também faria parte da minha família.

Hinata observou a amiga ajeitar os cabelos atrás da orelha e virar o rosto.

-Mas isso nem faz mais sentido.

Masami puxou seus cabelos chamando sua atenção e sorriu de forma doce e inocente, ela era tão parecida com o pai.

-Se passaram dois anos e ainda parece muito recente, não é?

-Eu me pergunto se algum dia vai deixar de ser.

Ela fechou a mala, ainda de costas para Hinata.

-Ei! Essa é a última?

O clima pesado foi quebrado pela voz alto de Naruto. Ele olhou para ambas esperando uma resposta, Sakura ainda de costas.

Hinata se levantou e pegou a alça da frasqueira enquanto ajeitava Masami no outro braço. Olhou fixamente nos olhos azuis do marido e sorriu.

-Vou descer na frente.

Ele podia ser bobo e escandaloso, mas não era burro. Em passos largos e silenciosos se aproximou da amiga.

Com um toque gentil envolveu o braço dela e puxou levemente para poder encará-la, não foi surpresa encontrar os olhos verdes marejados. Ele não falou nada apenas a envolveu em seus braços.

Abraçar Naruto, era como abraçar o sol. Ele tinha o corpo quente e forte e sempre conseguia trasmitir suas emoções de forma muito clara apenas com o toque, e tudo que ela podia sentir era amor. Suas lágrimas escorreram silenciosamente.

-Eu faria qualquer coisa para ver um sorriso nos seus lábios outra vez.

-Eu me sinto tão só...

Eram nas reuniões que a falta dele se tornava ainda mais evidente.

-Eu sei.

Ele a apertou mais forte contra seu corpo e foi correspondido.

Sakura escondeu o rosto no peito do amigo e se permitiu chorar outra vez.

 

Apesar de cansativa a viagem foi muito tranquila, as mulheres conversaram sobre diversos assuntos, principalmente sobre moda e trabalho.

Quando chegaram próximos o suficiente da bela casa o silêncio se fez. Hinata parecia deslumbrada e sem palavras, mais impressionada agora, de frente para o belo lugar que ele escolhera.

A casa ficava depois de uma enorme pedra, era a única ali, as demais ficavam antes da pedra, por isso era isolada e silenciosa. Para chegar à praia bastava atravessar um pequena faixa da calçada e da rua de acesso.

A casa era toda de madeira, dois andares com uma enorme varanda no primeiro, que garantia uma visão privilegiada da praia. No segundo andar apenas o quarto principal contava com uma varanda. O jardim da entrada era grande e decorado com mesas de piquenique, sofás e poltronas.

-N-Naruto-Kun, é lindo...

Aos poucos um sorriso foi brotando nos lábios rosados, assim que ele parou o carro ela saltou.

Sakura demorou para sair do carro. Então ele aproveitou o momento para abraçar Hinata por trás e sussurrar em seu ouvido.

-O quarto tem uma varanda grande, você vai gostar da vista para a praia.

Ela se virou em seus braços e tocou seu rosto em uma carícia terna e gentil.

-Eu te amo Naruto-kun.

Nas pontas dos pés ela lhe deu um selinho.

-Eu também.

-Mas tem algo que eu quero de presente.

-Hinata eu achei que você tinha gostad....

-Eu gostei muito, mas esse é especial.

Cada vez mais confuso ele franziu as sobrancelhas e Hinata não deixou de sorrir, ele era adorável.

Ela o abraçou, e nas pontas dos pés chegou próximo o suficiente para que pusesse sussurrar em seu ouvido.

-Naruto, eu quero um filho seu.

 

Era madrugada  enquanto Neji dirigia pela estrada que beirava o litoral, ele tinha se atrasado com alguns assuntos de última hora da empresa. 

Hanabi vinha silenciosa ao seu lado durante quase todo o percurso, então ele a observava. Ela estava muito magra e pálida, parecia doente.

Neji era um homem paciente, sabia esperar o momento certo de falar. E ali naquele silêncio, sem público para presenciar um possível escândalo ou sem ter motivos ou oportunidade de fugir, eles poderiam conversar.

-Itachi não vem?

-Vem.

-Hinata me falou sobre o relacionamento de vocês.

-Se ela não falasse você saberia de qualquer forma.

-Sim, saberia.

Ela o encarou.

-Você odeia isso não é? O precioso nome da família em fofocas e escândalos.

Neji se manteve em silêncio, sabia que ela queria apenas brigar. Ela bufou irritada.

-Sua irmã está preocupada com você.

-Ah não venha me dizer que é por causa do meu peso. Isso é ridículo, eu não sou mais criança!

O tom dela era exaltado, mas Neji sempre mantinha a calma.

-Mas se comporta como uma. Você toma atitudes precipitadas, gosta de chamar atenção.

Neji suspirou.

-Hanabi...

-Você sempre vai defendê-la, vocês dois são perfeitos não é? Ah graças a Deus!

Ele tinha acabado de estacionar em frente a bela casa de praia, ao lado de um carro que já estava estacionado. Hababi nem ao menos esperou ele destravar as portas, puxou o pino e abriu a parta, mas Neji segurou seu pulso e acabou esbarrando na bolsa dela, fazendo boa parte do conteúdo virar no banco do carro.

-Ah merda!

Os olhos dele fixaram o maço de cigarros e a pequena garrafa de vidro. Ele foi mais rápido do que ela, que tentava juntar os itens rapidamente.

Hanabi parou abruptamente e o olhar meio apavorado a denunciou. Neji encarou os olhos claros como que os seus enquanto abria a garrafa. O cheiro era de Vodka.

-Você está andando com isso na bolsa.

Não era uma pergunta.

Ele pegou o maço de cigarro também.

-Você fuma agora. Mais o quê tem feito Hanabi?

 

Sakura não conseguira dormir facilmente, era sempre assim, tinha um pouco de dificuldade para dormir em lugares estranhos, mas sua filha parecia não compartilhar deste traço da sua personalidade.

Masami suspirava tranquilamente em seu sono infantil, ora sorria ora exibia caretas. Ela cobriu o corpinho pequeno com a mantinha e beijou suavemente a pele macia do rosto de sua bebê.

Olhou pela janela semi-aberta e contemplou a luz da lua cheia que banhava seu quarto em um tom prateado, ventava lá fora.

Vestindo um casaco branco de lã Sakura abriu a porta e desceu as escadas.

Quando abriu a porta principal o vento e o cheiro da maresia a atingiram afastando seus cabelos do rosto, o som das ondas era mais alto ali.

A vista era incrível, ausência de postes de luz e prédios fazia com que as luzes das estrelas e da lua se destacassem, as ondas pareciam prateadas.

Ela decidiu prender os cabelos em um nó no topo da cabeça, encostou a cabeça no pilar de madeira da varanda e fechou os olhos para sentir a brisa fresca.

Quando ouviu o som de vozes, uma delas bem exaltada.

-Droga Neji! Você não é o meu pai!

Sakura conhecia aquela voz, Hanabi veio andando em passos duros, não viu que estava ali, passou direto e entrou na casa, o rosto vermelho, estava irada.

Sakura voltou seus para o homem alto que trancava o carro branco, ele parecia impenetrável como sempre, se mantinha calmo.

Ao contrário de Hanabi, ele a notou enquanto se aproximava.

Era a primeira vez Sakura via ele usar roupas informais, ele parecia mais bonito , menos formal, usava uma camisa branca de praia com um tecido leve e calças no mesmo tecido de uma azul bem claro.

E de repente ela se sentiu um pouco constrangida e puxou o casaco para mais próximo do corpo.

A voz de Ino soou claramente em seus pensamentos:

"...Neji sente alguma coisa por você e você sente atração por ele."

Era impossível dizer que a amiga estava enganada, não enquanto olhava para ele e sentia a pulsação aumentar gradualmente.

Os cabelos castanhos estavam soltos e balançavam suavemente com a brisa marítima, a cor castanha contrastava com o as cores claras das roupas.

-Konbawan, Sakura.

-Konbawan.

Ela podia perceber, por mais que ele não demonstrasse podia perceber a tensão no leve franzir do cenho. E por mais estranho que fosse, aquilo a fez se sentir mais relaxada.

Ele era um homem normal como qualquer outro e sem que percebesse as palavras fluíram de seus lábios.

-Você está preocupado.

Ele suspirou e assentiu.

Sakura se aproximou e parou ao seu lado, tocou a mão grande e quente que repousava ao lado do corpo masculino.

-Caminhe comigo, por favor.

Ele hesitou por um breve momento, surpreso, para logo após envolver sua mão.

-Hai.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...