História Sentimental - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, D.O, Joy, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Yeri
Tags As Garotas Da Escola Brief, Hetero, Joy, Sehun, Sentimental
Exibições 50
Palavras 3.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? Desculpem-me a demora, essa capítulo saiu mais atrasado do que eu esperava (o que é engraçado, já que com Clichê foi rapidinho até haha). Obrigada por todos os comentários, favoritos e as cobranças que vocês fizeram, é muito estimulante, sério.
Espero que vocês não tenham desistido de mim <3 porque eu não desisti de Sentimental haha.
Enfim, é isso.
Boa leitura <3

Capítulo 3 - Fallen


Me despeço do cliente que se dirige para a saída e sento na minha cadeira suspirando.

— E ai, Sooyoung? — Sunmi aparece com cinco capinhas novas na mão. — Pronta para cadastrar os filmes novos?

Na verdade, não.

— Sim — pego os filmes novos que estão deixados de lado na nossa área do balcão e começo a rasgar os plásticos em volta deles sem muita animação.

— Você parece um pouco distraída — comenta Sunmi, avaliando meu rosto. Dou de ombros e suspiro mais uma vez. — Tudo bem?

Não, não está nada bem porque eu passei o fim de semana inteiro pensando no rapaz que acabei de conhecer e só sei o nome o que consequentemente me fez divagar na prova de literatura e eu não sou aquilo que chamam de boa aluna em literatura.

— Sim, só estou um pouco cansada.

Que bela mentira, Sooyoung.

Jogo os plásticos no lixo ao meu lado e me viro de frente para o computador. Entro na parte em que cadastra os filmes no programa aberto e começo a escrever o nome do primeiro filme.

"Warcraft — O Primeiro Encontro de Dois Mundos".

— Olha, faz pouco tempo que você está aqui, mas eu já te conheço. Sou boa em ler as pessoas, e nesse momento você é tão fácil de ler quanto uma lista de compras — Sunmi diz, deixando as capinhas novas no balcão e cruzando os braços para me olhar melhor.

Termino de colocar o gênero, a distribuidora e o tempo, e enfim olho para ela.

— Tá, na verdade aconteceu algo sim.

Sunmi solta um gritinho e puxa sua cadeira para mais perto da minha, sentando-se em seguida enquanto coloca os cotovelos nos joelhos e apoia o queixo nas mãos, parecendo animadíssima para ouvir cada detalhe da minha história.

— Pronto, pode contar quem é o garoto e o que ele fez.

— Como você sabe que é um garoto? — às vezes Sunmi me assusta com duas deduções.

Ela revira os olhos e estala a língua no céu da boca: — Só um garoto para nos deixar assim.

Quis rebater que não, um único garoto não devia me deixar assim e que se questionar por que a sociedade em que vivemos é puramente consumista e se somos apenas um número no sistema é muito mais arrebatador e causa várias noites de insônia — ao menos em mim.

Mas é claro que não pude dizer nada disso pois dois clientes entraram na locadora. Melhor, um casal.

A garota é pequena e aparenta estar envergonhada com algo, já que seu rosto está vermelho. Ao lado dela um rapaz incrivelmente bem afeiçoado puxa delicadamente seu braço e aponta para um filme na prateleira.

Ah, esse é o Kim Junmyeon — Sunmi sussurra, não desviando seus olhos do rapaz. — Ele é cliente nosso desde que era pequeno e praticamente alugava filme toda semana, mas faz um tempo que não vem aqui. Agora acho que descobri o porquê.

— Você acha que ela é namorada dele? — também sussurro, ao questioná-la.

— Do jeito que ele é certinho, para estar trazendo essa garota aqui deve ser a noiva — Sunmi responde segundos antes do casal aparecer em nossa frente. — Boa tarde, vocês gostariam de uma indicação?

— Só queríamos verificar se vocês tem um filme aqui, Sunmi. — o rapaz sorri e vira o rosto para a garota que ainda parece muito tímida. — Qual é o nome mesmo, Joohyun?

— Orgulho e Preconceito.

— Ah, temos sim — sempre irei admirar essa capacidade da Sunmi de saber qual filme possuímos ou não sem ao menos olhar no sistema — Quer que eu vá buscar?

— Não precisa, só... — a garota começou, se interrompendo um pouco no meio da fala. — Só me diga onde está e eu procurarei.

— Está bem, está vendo a plaquinha amarela com romance em vermelho escrita nela? — a garota aquiesce. — Pois bem, está por ali. Acho que na terceira fileira da prateleira.

— Obrigada.

Nós três ficamos observando a garota se distanciar e ir até a área do romance.

— Faz tempo que você não vem, Junmyeon — Sunmi solta, totalmente à vontade em conversar com o rapaz.

— Sim, é que a faculdade começou a ocupar mais tempo que antes. Mas prometo que passarei aqui mais vezes.

— Tenho certeza que sim, ainda mais agora que possui uma namorada, não é? — Sunmi assobia e eu sinto a cor fugir do meu rosto. — Vocês formam um belo casal, mas jurava que eu ia desencalhar antes de você.

Sunmi! — ela não deve estar boa da cabeça, só pode.

— Não se preocupe, eu e Sunmi somos amigos, estou acostumado com esse jeito dela — o tal de Junmyeon dá risada da minha cara e eu sinto mais do que nunca a vontade de me jogar num buraco. — Te entendo, eu pensava a mesma coisa. Mas a Joohyun é... — seus olhos brilham ao citar o nome da garota. — Ela é incrível. E acho que é a certa. Vou levá-la em casa hoje para apresentar aos meus pais.

— Wow, ela deve ser a certa então — Sunmi balança a cabeça e dá  uma olhada na garota antes de voltar sua atenção para o rapaz. — Espero que vocês deem certo, você parece gostar bastante dela.

— Eu gosto — Junmyeon ri baixinho, suas bochechas se tornando rosadas.

A garota volta até onde estamos com o filme na mão.

— Achei — diz, parecendo sem graça. Sunmi pega o filme que a garota estendeu e já entra no cadastro de Junmyeon.

— Vocês vão levar só esse? — Sunmi indaga e Junmyeon diz que sim. — Se vocês pegarem três hoje fica para o sábado — comenta, como quem não quer nada abrindo seu melhor sorriso.

Junmyeon olha para Joohyun que dá de ombros.

Dou risada mentalmente de toda a situação.

 

~*~

 

— Não acredito que você os convenceu a levarem cinco filmes! — digo, após o casal sair.

— Já te disse que sou boa no que faço — é verdade, nunca vi ninguém ir contra uma sugestão de Sunmi. Ela já é incrivelmente bela e ainda possui esse poder de persuasão. Coitado do futuro namorado dela. — Não pense que esqueci de nossa conversa. Se não tivéssemos que cadastrar esses filmes logo, eu te encheria de perguntas.

— Então acho que fui salva pelos filmes.

— Por enquanto, senhorita — Sunmi diz, imitando a voz de uma senhora mais velha. Dou risada e pego o próximo filme para cadastrar.

No final,  conseguimos cadastrar tanto os DVDs quanto os Blu-Rays, o que foi um alívio para mim pois não gosto de deixar trabalho para depois. E também porque assim eu esqueceria um pouco o assunto "Sehun".

Mais algumas pessoas vieram para alugar alguns filmes e Sunmi praticamente fez o trabalho sozinha, atendendo todos e não os deixando sair sem levar pelo menos dois. Aproveitei para dar uma varrida nos corredores vazios e limpar algumas capinhas. Fiquei tão concentrada em limpar que não percebi Yerim chegando e me abraçando de lado.

— Você se assusta muito fácil, Sooyoung.

— Você que é muito habilidosa em assustar as pessoas — Yerim revira os olhos e estende a mão para mim. No centro da palma dela está uma bolinha vermelha

— Não acredito que você gastou dinheiro com isso.

— O que tem? Eu amo esses chicletes, sabe disso. Estou sendo uma ótima amiga te oferecendo um.

— Ah, claro que está — dou risada, depois de negar a bolinha vermelha de chiclete. Yerim dá de ombros e joga a bolinha da boca, onde já estava mastigando um outro chiclete. Como ela consegue por tanta coisa na boca? — Ahn...Você veio me buscar hoje?

Ela faz um sinal de certinho com a mão, parecendo mais preocupada em mastigar os chicletes do que me responder direito.

— Está bem, só vou avisar Sunmi que já estou indo — digo para minha amiga que me ignora totalmente.

Começo a andar em direção ao balcão, percebendo que Sunmi não está sozinha. Ela conversa animada com um rapaz incrivelmente alto.

Com um espanto e um pouco de vergonha, percebo que não é somente um rapaz. É o rapaz.

Sehun comenta algo que faz Sunmi rir daquele jeito que ela só faz quando acha algum garoto bonito.

Ah, Sooyoung! — com a voz afinada de propósito Sunmi grita meu nome, fazendo com que Sehun pare de olhá-la — Esse aqui é o Sehun, ele veio abrir cadastro com a gente, não é incrível?!

Mais incrível que isso é impossível, penso não sabendo muito bem como reagir ao sorriso enorme de Sunmi e a expressão surpresa de Sehun.

As sobrancelhas grossas dele se unem e ele parece ficar ainda mais espantado ao me ver.

— Park Sooyoung...você trabalha aqui?

Ah, sinto a vergonha tomar conta da minha feição enquanto Sunmi olha de mim para Sehun sem entender. Como não respondo nada e ele continua esperando que eu fale algo, Sunmi aproveita e aponta para Sehun falando sem som.

"É esse o garoto?"

Infelizmente,  Sunmi nunca foi a rainha da discrição e sorte, já que ao começar a falar ela acaba esbarrando em alguns filmes que caem do balcão.

— Me desculpe por isso — Sunmi diz, se agachando rapidamente para pegar os filmes que caíram. Fico feliz por ela não indagar muita coisa — Vocês já se conhecem?

— Hmmmm...Pode-se dizer que sim — Sehun abre um sorriso de lado, olhando de mim para Sunmi, que agora arruma os DVDs, com certo interesse. — Você não me disse que trabalha numa locadora.

— Você não me disse que gosta de assistir filmes. Estamos quites. — digo —  Além disso, não é como se conversássemos sobre muitas coisas. Acabamos de nos conhecer.

— Precisamos dar um jeito nisso — Sehun diz, a expressão séria como se a nossa falta de intimidade fosse um problema da humanidade a ser resolvido.

— Sair para comer ajuda — Sunmi solta, de repente. Olho para ela confusa e um sorriso sem graça se abre em seu rosto — É o que faço em situações assim.

— Você já passou por algo assim?

Não — ela responde minha pergunta, ainda sorrindo de forma suspeita — Mas se passasse, é o que eu faria — diz, falando bem baixinho como se fosse um segredo entre nós duas.

— Boa sugestão — Sehun diz e Sunmi concorda balançando a cabeça — Podíamos tentar, não é?

— O quê? Nós? — aponto de mim para ele. Sehun faz que sim.

— Eu é que não seria — Sunmi comenta, com um olhar divertido para nós dois. — Não me leve a mal, você é um grande partido e tudo o mais, porém já tenho um namorado.

Escondo minha incredulidade dentro de mim. Não acredito que ela mentiu assim na cara dura!

— Nós não vamos sair desse jeito — o tom envergonhado em minha voz é bem explícito.

— E quem disse que tem um jeito pra sair? Você só sai e pronto — Yerim aparece ao meu lado, me assustando — A propósito, sou a amiga dessa garota assustada ao meu lado. Meu nome é Yerim.

— Oh Sehun, prazer em conhecê-la — diz, parecendo maravilhado com o sorriso que Yerim dá a ele.

Oh Sehun? — o tom sugestivo de Yerim é mais uma coisa da qual me envergonho hoje. — Aquele Oh Sehun? O tipo DiCaprio? O da química?

— Tipo DiCaprio? — Sehun repete a frase de Yerim e ri, apesar de não parecer compreender direito o que significa.

— Ela só está brincando, é uma garota tão animada — dou uns tapinhas nas costas de Yerim, rindo de nervoso. Ela me olha como se eu estivesse perdendo a sanidade e eu ignoro — Eu acabei falando que você vai me ajudar a entrar no curso de engenharia química.

— Engenharia química? Mas você nem gosta de quím...ah, entendi — Sunmi me fita com aquela expressão de "eu faria o mesmo, garota".

Dou mais uma risada nervosa, a palma das mãos começando a suar e meu rosto só esquentando

— Você está bem, Sooyoung?

— Ela tem problemas em sair para conhecer as pessoas. Fica muito nervosa e começa a rir sem parar — Yerim responde a pergunta de Sehun, passando a mão teatralmente em meu cabelo.

— Nervosa? — Sehun parece surpreso.

— Muito — dessa vez quem responde é Sunmi, se aproximando de mim e também passando a mão no meu cabelo. — Sabe como é,  começa com uma risadinha engraçada e quando se dá conta está parecendo o Heath Ledger como o Coringa em Batman O Cavaleiro das Trevas.

— Isso não é verdade!

— Não se preocupe, é só levá-la para comer um doce que ela se acalma — Sunmi ignora minha tentativa de desmentí-la, claramente fracassada.

— Geralmente não é ao contrário? — Sehun entra na onda das duas e leva a mão ao queixo, acariciando-o enquanto faz uma expressão pensativa.

— Sim, porém essa garota aqui é toda ao contrário. Se você der um suco de maracujá, ela vai ficar toda elétrica, estabanada e pirada — Yerim diz, parando de acariciar meu cabelo após receber um tapa que dou em sua mão. Ela se aproxima de Sehun como se fosse contar um segredo — Mas se você quer saber, esse é o charme dela.

— Tá, o que raios está acontecendo aqui? — interrompo Sunmi que está prestes a falar algo. Os três riem do meu semblante o que só me deixa mais nervosa.

— Não é óbvio? Estamos confraternizando como os ótimos amigos que seremos — para meu completo choque, é Sehun que responde minha pergunta passando seu enorme braço pelos ombros de Yerim e Sunmi, sendo que a última estava ao meu lado poucos segundos atrás.

— Vocês são impossíveis!

Dou meia volta e começo a andar para onde eu estava antes de toda essa conversa maluca.

— Hey, Sooyoung — em poucos segundos Sehun já está ao meu lado, dessa vez, passando o braço pelos meus ombros. Sinto meu coração acelerar e o perfume que exala dele me deixar divagando. Nada muito forte ou muito fraco, na medida certa. Preciso me esforçar para ficar concentrada no que ele diz — Não precisa ficar brava, elas estavam só tirando uma com sua cara. Ou comigo.

— Não sei como é para você, mas para mim, isso é um grande motivo para ficar brava. Elas não fazem isso normalmente, e sinceramente, espero que este comportamento não faça mais parte da vida delas. Ou da sua — olho de lado para Sehun e o mesmo me observa com um sorrisinho maroto no rosto. Sinto vontade de dar um soco em seu rosto e então abraçá-lo. Droga.

— Desculpe se te ofendi, mas você precisava ver a sua expressão… — ele começa a rir, porém, pigarreia e tenta manter sua face séria. — Desculpa.

Ah… — suspiro, sabendo que mesmo que ficasse brava com os três, mais cedo ou mais tarde acabaria rindo do ocorrido com eles. — Tudo bem, só não acredite no que elas disseram. Bem, não em tudo. Eu realmente começo a rir sem parar quando fico nervosa, mas não é como o Coringa e tomar suco de maracujá me deixa mais agitada mesmo, só que não do jeito que elas falaram e…

— Acho que entendi — ele me corta, não aguentando guardar a risada para si — Você é um ser humano normal e com defeitos igual a todos. Dá pra aguentar.

— Rir igual ao coringa é um defeito? Porque para falar a verdade, não devia ser. Ele não é o vilão que todos gostam? Rir igual ao Coringa deveria ser um elogio.

— Um baita elogio, com certeza — Sehun balança a cabeça, concordando com minha afirmação — As pessoas são estranhas.

— As pessoas são estranhas. O que não é o nosso caso, claro.

— Claro que não — Sehun aperta a mão em meu braço — E fazemos uma bela dupla.

— Penso da mesma forma.

— Então, — Sehun me solta e me vira de frente pra ele — o lance de sair ainda está de pé?

Fico nervosa. Não aquele tipo de nervosismo onde queremos arrancar a cabeça de alguém — aquele que senti há alguns minutos atrás —, mas sim aquele que nos deixa sem saber o que fazer. É como se minha professora de literatura estivesse perguntando sobre a época do barroco e eu não soubesse como responder porque decidi assistir os quatro episódios restantes do anime Your Lie In April ao invés de estudar.

— Tinha mesmo um lance de sair? Porque eu fiquei um pouco confusa com toda aquela conversa esquisita de vocês e…

— Que tal depois do GAB? Eu estou precisando sair um pouco e acho que pode ser interessante.

— Interessante? — ugh, uma palavra estranha para se usar nesse momento — É, também acho.  Eu não tenho nada para fazer mesmo e vai ser legal, quer dizer, eu penso que sim. Posso saber onde nós...er...vamos?

— Te conto no dia — Sehun diz, simplista. — Eu vim aqui fazer um cadastro, mas creio que vou acabar saindo daqui sem um.

— Ah! Pode ir lá, a Sunmi abre para você — digo, me distanciando dele. — Foi legal te ver assim, sabe, menos sério e essas coisas. Não que você fosse sério e chato antes, mas agora está mais solto e é legal ser mais solto; não um mais solto tipo babaca que fala um monte de besteiras, algo não tão idiota e sério ao mesmo tempo, não sei se está dando para entender… — começo a falar e falar, sem conseguir parar e me enrolando a cada nova palavra enquanto Sehun apenas observa tudo achando graça. — Ah, caramba, alguém devia calar a minha boca porque não sei se consigo fazer isso sozinha… — sussurro a última parte, já evitando encará-lo.

— Você é uma figura, Sooyoung.

 

~*~

 

— “Você é uma figura”? Que tipo de rapaz fala uma coisa dessas? — questiona Sunmi, fazendo uma careta de desgosto.

— Eu sei. E “interessante”? Quem descreve um encontro assim? Ele é estranho, Sooyoung — Yerim comenta, dando uma colherada no pote de sorvete de flocos que Sunmi comprou para nós após abrir o cadastro de Sehun e o mesmo ir embora.

— Mas é um gato — Sunmi diz, após engolir o pedaço de sorvete que estava em sua colher.

— Isso ela tem razão — Yerim fala com a boca ainda cheia e um pouco de sorvete escorre de seus lábios. Sunmi pega um dos pequenos guardanapos que trouxe consigo e limpa a boca dela — Obrigada. Voltando ao assunto, ele é um gato. Um gato estranho? Talvez, mas ainda assim um gato. E não é qualquer gato não. Ele com certeza entraria no meu top 10.

— No meu também. Ele é tão bonito quanto aquele outro que você mostrou… — Sunmi começa a estalar os dedos, tentando recordar o nome. Seus olhos brilham como uma lâmpada quando ela se vira animada para mim — Kyungsoo. Sim, é esse o nome, tenho certeza. A gente não esquece um rapaz como aquele.

— Ah, o Kyungsoo — Yerim suspira e leva mais uma vez a colher até sua boca — Sabe, ele é tão bom quanto esse sorvete. E garotos não são assim, geralmente eles só nos trazem estresse e indisposição, mas o Kyungsoo…

— Desde quando você era a fim dele? — fico confusa, porém Yerim não percebe. Está muito ocupada comendo o sorvete e dizendo que Kyungsoo era como um pedaço de sorvete de flocos.

E quem não seria? Um homenzarrão daqueles — afirma Sunmi e Yerim ergue a mão direita para fazer um high five com ela. — Como nós dissemos, Sehun não fica atrás.

— Não — concorda Yerim.

E…? — ainda não entendo onde ela quer chegar.

— E isso significa, senhorita Park, que você vai ter que ralar muito essa bundinha se quiser ficar com ele. Quando fui abrir sua ficha, ele disse que estava solteiro, contudo, não duvido nada que você tenha alguém do sexo feminino atrás dele.

— Por que você está me dizendo isso? — fecho a cara para as duas e pego o pote de sorvete no meio delas. — Não é como se eu quisesse ter um relacionamento assim com ele.

As duas olham para mim sérias por um momento e então caem na gargalhada. Reviro os olhos e volto a comer o sorvete.


Notas Finais


Não sei se alguém percebeu, mas eu estou atualizando todas as minhas fics (socorro). Isso também me prejudicou para postar esse capítulo porque eu queria escrever pelo menos um capítulo de todas e então atualizar tudo, mas sinto que não conseguirei atualizar Born To Die | All You Need Is Love hoje, então caso alguém aqui leia essa fic minha, saiba que se não for hoje, vai ser segunda sem falta <3
Obrigada pela paciência <3
Beijos e até o próximo capítulo haha.
ps: essa Sooyoung tá caidinha pelo Sehun e só não sabe disso ainda jdsufhusdhfudshfuh.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...