História Sentimentos - Min Yoongi (Daddy Kink) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Daddy Kink, Min Yoongi, Sayke, Suga
Visualizações 1.300
Palavras 1.100
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente, a única coisa que eu tenho à dizer é; OBRIGADAAA, SARANGHAE, LOVES SNNDNDNDNS

Thanks :')

Boa leitura.

Capítulo 3 - "Minha" - III


Fanfic / Fanfiction Sentimentos - Min Yoongi (Daddy Kink) - Capítulo 3 - "Minha" - III

Amanheci com os olhos doendo. Fiquei até tarde fazendo o maldito dever do professor Namjoon. Ah, eu não gosto desse homem, sempre me olha de forma estranha.

Me levantei da cama e fui ao banheiro fazer minhas necessidades e tomar um banho rápido, talvez eu desperte com esse banho? Não. Mas não vou fedendo para a escola.

Pus meu uniforme e calcei meus sapatos. Olhei em meu celular, mas não havia nenhuma mensagem do meu Daddy, não irei puxar assunto. Ele que puxe primeiro.

Peguei uma maçã e sai de casa, o Campus não era tão longe, então passaria, no mínimo, uns quatorze minutos andando.

(...)

Após as duas primeiras aulas de Biologia, com  a professora Choa, o professor Namjoon pediu licença e entrou.

— S/A? — Tae me cutucou.

— O que foi? — Disse rapidamente.

— Posso sentar ao seu lado?

— Claro.

Isso estava estranho. V se posicionou ao meu lado e pegou os matérias que precisaríamos nesta aula.

— Você fez o dever dele? — Sussurrou e eu revirei os olhos.

— Olha Tae, eu gosto muito de você. Mas você só me procura quando quer algo. Vá para seu lugar.

— Não S/A. Eu quero lhe dizer algo.

Revirei os olhos e passei o dever para o mesmo.

— Bem, hoje começaremos com a raiz quadrada...

(...)

O sinal havia batido. Os alunos saíram como loucos. Eu queria que já fosse a hora de ir embora, mas – infelizmente – era apenas o intervalo. Pelo menos, terei tempo de tomar um ar.

Fui para parte afastada do Campus, e me sentei para desfrutar do meu sanduíche. Observei Momo se aproximar de mim com um sorriso radiante nos lábios. Ela era minha melhor amiga, mas como eu era do primeiro ano, e ela do segundo, ficamos em salas separadas – obviamente.

Mas antes que a mesma chegasse até mim, uma silhueta entrou em minha frente. Taehyung.

Vi Momo sorrir maliciosa e dar as costas indo na direção contraria qual estava vindo.

— S/A! Eu precisava falar com você... — Disse baixo se sentando no banco qual eu estava.

— Pode falar TaeTae. — Disse simples lhe oferecendo um pouco do meu lanche. V assentiu sorrindo e mordeu um pedaço do pão. No canto de sua boca, havia CatChup e eu ri baixo. Aproximei nossos rostos e limpei a machinha.

Um clima estranho se instalou e eu fiz questão de quebrar o mesmo.

— O que você queria me dizer, Alien?

— Aish, não me chame assim. Eu sou completamente normal.

— E eu sou o fantasminha camarada. — Sussurrei e o mais velho semicerrou os olhos.

— O que disse? — Ditou brincalhão. — Mas enfim. Eu queria lhe fazer uma pergunta.

Vamos, deixe de enrolações. — Idaguei fazendo aegyo.

— Tão fofa. — Apertou minha bochecha. — S/N... O que você faria para chamar a atenção de uma pessoa que você gosta?

— Você fez a pergunta para a pessoa errada, Kim... Eu não sei. Não sou alguém que corre atrás de alguém, até porque, sou tímida demais para isso... — Ri baixinho. — Mas se eu fosse um garoto, daria-lhe presentes, chocolates e lhe faria surpresas. Mulheres adoram isso.

— Entendi... Obrigado S/N! — Riu se levantando. Deu um beijinho em minha bochecha antes de sair dali.

Senti minhas bochechas ficarem quentes, e sorri passando a mão no local, tocado pelos lábios do Kim.

Me senti desconfortável, como se eu fosse observada. Olhei ao redor, mas só, árvores e um grande muro me faziam companhia. O sinal tocou e eu retornei à minha sala novamente.

Antes que eu pudesse entrar na sala, um grupinho de garotos me parou. O grupinho de Min Yoongi, ele andava acompanhado de mais quatro amigos; Park Jimin, Jung Hoseok, Kim Taehyung e SeokJin.

— É a nerdzinha. — Hoseok zombou de minha cara. Senti meu sangue ferver.

— Mas olha! — Park Jimin afastou minhas madeixas de meu olho. — Ela até que é bonitinha.

— E gostosinha também. — SeokJin complementou.

— Por que vai procurar sua namorada, SeokJin? — Esbravejei. — Estou escutando os gemidos dela com o JB daqui.

— O que?! Quem você pensa que é para falar assim comigo, vadia?! — Perguntou possesso de raiva vindo até mim. Min Yoongi entrou na sua frente juntamente com o V.

— Não trisque nela! — V e Yoongi disseram em uníssono.

— Vão defender a nerdzinha? É isso mesmo? — Hoseok gargalhou sarcástico.

— Por que não brigam com alguém do tamanho de vocês?! — Suga esbravejou. O restante do grupo ficou em silêncio. Todos tinham medo dele.

— Hyung... — Jimin disse baixo.

— Silêncio. — O pálido ordenou.

Eu não entendo. Eles o obedecem apenas por respeito ao mais velho, ou tem medo mesmo? Mas até SeokJin abaixa a cabeça para o pálido. Estranho.

— S/N, vem. — Yoongi me puxou. Fiz uma careta e observei os meninos logo atrás de nós, com semblantes confusos.

— Onde estamos indo?

— Fique quieta.

Eu era a típica nerd mesmo, não vou negar, trancinhas, óculos fundo de garrafa, e a boca de metal. Eu me odeio.

— Y-Yoongi? — Chamei o mesmo quando entramos na biblioteca superior do Campus.

— Você não fecha a boca? — Riu sarcástico e eu arqueei as sombrancelhas confusa. Fui surpreendida pelos lábios doces, do mais velho nos meus. Arregalei os olhos – já naturalmente arregalados –, tentei empurrar o pálido, perda de tempo. Quando seus braços passaram ao redor de minha cintura, eu mandei minha sanidade para puta que pariu.

Eu apenas queria mais e mais. O Min me pegou no colo me fazendo entrelaçar minhas pernas em sua cintura. Segurou-me pelo traseiro roçando minha intimidade contra seu pau.

Arfei baixinho, e separei meus lábios ao do maior – já que estava ficando sem ar –, O pálido sorriu ladino e me desceu, deu-me um selinho e sussurrou antes de sair dali:


— Aqui, amanhã, no mesmo horário.


Meu coração estava à mil. Aquilo realmente havia acontecido? Céus. Isso foi tão bom...

(...)

Assim que as aulas finalmente acabaram fui direto para casa. Quando cheguei, minha Omma estava na cozinha preparando um bolo. Fui até a mesma e lhe dei um beijinho na bochecha.


— Como foi seu dia, filha? — Perguntou.


— Estranho... — Fiz um careta e ela riu.


— Vá para o seu quarto para se arrumar e depois desça para comer bolo. Está quase pronto.


— Okay, Omma.


Subi para meu quarto e peguei meu celular.

Você tem quatro novas mensagens

Daddy: Baby?

Daddy: Eu lhe vi hoje... Aquela saia estava bem curta, não é mesmo?

Daddy: Vi você jogando conversa fora com aquele seu amigo esquisito.

Daddy: Não quero que fique trocando palavras com ele.

Eu: O que?! A vida é minha.

Eu: Faço o que eu bem entender.

Eu: Como sabe onde é minha faculdade?

Daddy: Não Baby, a vida era sua, antes que você aceitasse ser MINHA BabyGirl.


Notas Finais


E aí? Comente, huh? KKKKKKKK.

Até a próxima, florezinhas.

Perfil: @Sayke


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...