História Sentimentos negados - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~PauloPeculiar

Postado
Categorias Originais
Tags Gay, Homofobia, Homossexualidade, Romance, Sexo
Visualizações 26
Palavras 1.083
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Josei, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 4 - Capitulo 4 PARTE-1


Fanfic / Fanfiction Sentimentos negados - Capítulo 4 - Capitulo 4 PARTE-1

Alec

Vou para a porta do apartamento,  sento no meio fio e fico pensando em minhas atitudes com Victor e sobre minhas alucinações

Não sei por quanto tempo vou conseguir ter meus sentimentos negados,  mas não posso me entregar a isso por mim e pelos meus pais


Meu celular vibra com uma mensagem,  número desconhecido. Por final era Victor, imaginava que minha mochila havia ficado lá na universidade e amanhã eu a buscaria.


-Por que você ainda é gentil comigo?  Mesmo sabendo que não quero ficar perto de você! Quem te passou meu número?

Desligo meu celular para não receber mais nenhuma mensagem e vou para minha casa. Por lá fico deitado em minha cama assistindo séries e filme até às 05:07 da manhã

Liguei meu celular para ajustar o despertador e fui dormir,  4 horas depois já estava acordado me arrumando para a faculdade ,  usei a mesma calça de antes, preta e justa, coloquei uma camisa branca justa mas não apertada marcando meu corpo e uma camisa de botões xadrez rosa de manda curta,  coloquei um tênis diferente do comum,  estava pensando em ir da faculdade para o cinema me destrair,  coloquei meu tênis rosa claro de cano baixo ajeitei o cabelo enquanto escovava os dentes e fui ao encontro de Victor para pegar minha mochila na escola.

Victor

Se eu dormi a noite? Quase nada, perdi a maior parte do meu sono da beleza, é tudo por culpa do meu gostoso.
Fiquei a noite inteira pensando em um plano para me aproximar do meu marido...
Droga!!! O que tá acontecendo comigo? Eu tô sendo muito gay ultimamente, se bem que eu sempre fui!
Mais já pensar naquele em casamento e adotar filhos? É ontem eu realmente não estava bem!
Lembre-se Victor! você só que ficar com o GOSTOSO! Talvez namorar...
Mais isso é plano para o futuro
Tenho que voltar a ter os pés no chão, e virar amigo do gostoso!
E nada melhor do que ir para a universidade, como uma calça marcando meu lindo bumbum, é um pouco desgastada na parte da frente, e uma blusa preta, marcando meus músculos um pouco definido.
Em outras palavras, super sexy!

Antes de sair de casa pego meu celular é olha meu whatsapp, e tinha uma mensagem do meu gostoso

~ porque você ainda é gentil comigo? Mesmo sabendo que eu não queria ficar perto de você. Quem te passou meu número?

Dou um leve sorriso de canto, mesmo ele tentando ser grosso, ainda continua fofo *_*

~ já disse, eu tenho interesse em você, por isso sou gentil!!
É um passarinho azul me falou seu número!
Bjsss do loiro mais lindo do mundo!
 Ainda com um sorriso no rosto, vou o mais lentamente possível para a universidade, pois tenho que chegar depois do meu gostoso, para poder sentar na sua frente... Se bem que não, pelo jeito como as coisa estão indo, eu que vou ficar atrás, beijar aquele pescoço, enquanto entro dentro daquele corpinho...
Merda! Tô ficando excitado!! Tenho que parar de pensar nisso!!
Alec

Cheguei mais cedo na aula,  aproveitei para comprar uma coxinha na lanchonete e fiquei sentado na mesa olhando a janela para ver o céu que estava azul apenas com algumas nuvens. Mas novamente aquilo me fazia pensar em Victor que havia me tomado completamente.

Victor
Chego da universidade e vejo meu gostoso sentado, distraido olhando a janela. E é claro que não vou deixar uma oportunidade dessas passar, vou bem devagar e o abraço por trás, respirando em seu pescoço, sentindo aquele doce cheiro.
É claro que já estava esperando ele me dar um soco, e começar com suas doce grosseria. Mais sou surpreendido quando ele coloca suas mãos por cima da minha, foi um rápido toque.
 Para não ficar um clima ainda mais estranho, roubo um pedaço da sua coxinha, dou a volta e sento na sua frente.  

Alec
Continuo a comer minha coxinha e sou surpreendido por Victor pelas costas. Sinto seus braços se envolverem em mim por trás e sua respiração em meu pescoço, por um momento meu coração parou e segurei suas mãos. Mas na mesma hora pensei em toda violência que havia sofrido quando adolescente e comportamento agressivo voltou.
          
Fico um pouco tímido após ser surpreende pelo abraço e minha bochecha fica completamente vermelha. E depois ter um pedaço da minha coxinha roubada,  achei até fofo ele ter feito isso. Mas rápido já me esquivo dele com um pouco de grosseria.



E iniciamos um diálogo:

-O que você está fazendo ? Eu não sou gay e não te dei essa intimidade !
Devolve minha mochila e vai procurar seu rumo.E pra sua informação a coxinha já é um pedaço pequeno e você ainda pega ela!  E você quase comeu minha mão junto !

- calma aí gatinho, não precisa mostrar suas garras!E também não precisa virar um tomate


- o que você quer Victor? E eu não estou vermelho!

Victor

Se eu não estivesse perto o bastante não teria escutado essa última frase.
E pelo amor de Deus, alguém tem um pote tamanho gigante para guardar essa divindade das fofuras!!!
- Eu quero um tratado de paz, pois é como dizer, melhor ser amigo do que ser ignorado

-Com você não quero tratado, nem amizade , quero distância!

- Poxa gatinho assim você me mágoa!! Já sei!! Perai que eu já volto!!

Digo com meu melhor sorriso de canto, e vou correndo para a lanchonete comprar 2 coxinhas, se ele não quer cooperar, então vou suborna-lo!
Volto e sento novamente no meu lugar, virando de frente para meu moreno gostoso, se eu pudesse o comeria em vez da coxinha!!
Mais tenho que manter os pés no chão, então o entrego uma.

- Aqui a sua!

Alec

- Não fez mais que sua obrigação

 Por um momento esqueci de meu medo é aceitei a coxinha , com um sorriso, e novamente fiquei  vermelho de tímido.

-Obvio tenho que cuidar do meu gatinho


Victor está sendo tão fofo e bom comigo que me faz sentir culpado, e apenas pego minha mochila de sua mesa e corro para a porta da universidade sem olhar para trás. Lá mando uma mensagem para ele agradecendo o favor.
~Obrigado por guardar minha mochila para mim, e pela coxinha  mas não quero que tenha falsas esperanças, eu não quero nada  com você, e nem com ninguém!

 Aproveito os 3 minutos que tenho antes das aulas começarem para olhar os filmes que estão em lançamento no cinema. 


Notas Finais


Próxima parte está muito legal, aguardem que hoje ela vai estar pronta!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...