História Sentindo o Coração - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kaede, Kagome, Kirara, Miroku, Rin, Sango, Sesshoumaru, Shippou
Tags Inuyasha, Rin, Sesshoumaru, Sessrin
Visualizações 191
Palavras 1.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 22 - Satori


Fanfic / Fanfiction Sentindo o Coração - Capítulo 22 - Satori

Rin permaneceu em silencio nos braços de seu amado, sentiu muita falta de seu cheiro e toque durante o tempo que ficaram separados.

Ela percebeu que pelo jeito de Sesshoumaru agir, ele estava indo para um lugar especifico e resolveu quebrar o silencio:

 

 

-Onde estamos indo?

-Para onde minha mãe está.

-O que? -Ela assustou-se. -O que faremos lá? Acabamos de passar por uma tempestade, por que entraremos em outra em seguida?

-O que lhe deixa insegura para continuar comigo é minha mãe e suas palavras, e naquele dia eu não a impedi de deixa-la dessa maneira, mas hoje direi tudo, para você nunca mais sentir-se assim em relação a mim.

-Você está irreconhecível.

-Não me importo com muitas pessoas, mas quando alguma é importante para mim, eu faço de tudo por ela... Você deveria saber disso.

-Uma humana como eu, ser especial para um Youkai como você é um privilégio. -Ela “brincou” com a situação, lhe oferecendo um lindo sorriso.

 

 

Ele apenas apreciou aquele belo sorriu por alguns instantes e voltou sua atenção ao percurso. Sentiu um peso imenso durante duas semanas, mas agora estava leve e entendeu o motivo da melhora.

 

*** *** ***

 

Ao ver aquela imensa escada seu coração acelerou, não tinha boas lembras daquele local. Com o faro muito aguçado, a mãe sentiu que tinha visitas e se apresentou.

 

 

-O que faz aqui com essa garota, Sesshoumaru?

-Não é “garota” como se ela fosse qualquer uma, é Rin, a única. 

-Ouvi dizer que ela havia lhe deixado e estava noiva de um humano.

 

 

Sesshoumaru resolveu subir, para poderem conversar adequadamente. O albino segurou o braço da morena que corou, ajudando a subir com aquele Kimono grande e pesado.

 

 

-Você quase conseguiu... -Começa o youkai ficando de frente com sua mãe. -Você sempre foi manipuladora.

-Apenas quis ajudar meu filho, mas infelizmente ele é um tolo... Como uma mulher como eu pode ter um filho tão idiota?!

-Idiota é você que acabará sozinha. Meu pai, no começo eu o culpava por ter lhe trocado por uma humana, mas hoje eu entendo, ficar ao lado de uma mulher como você é muito ruim.

-Você não pode dizer muita coisa, pois também é sozinho.

-Não, eu não sou sozinho. No passado eu também pensava assim, mas agora vejo que tenho pessoas ao meu lado. Rin, Jaken, Inuyasha... Não são muitos, mas são verdadeiros.

-Inuyasha? Você tentou mata-lo com ciúmes até pouco tempo e agora diz que confia nele? Você não é mais meu filho, pois eu não o reconheço, Sesshoumaru.

-Inuyasha mesmo depois de tudo me convenceu a ir ao encontro de Rin, pois sabia que seria o melhor para nós dois... Mesmo sendo um meio-youkai, ele consegue ser melhor que você que é um de sangue puro.

-Insolente. -Ela depositou um tapa no rosto do filho com muita força.

-Sesshoumaru... -Rin preocupou-se naquele momento.

-Fique fora disso, ainda não terminei minha conversa com ela. -Avisa o albino mantendo o corpo na frente da jovem para protege-la. -Não seguirei suas ordenas, minha decisão está tomada, ficarei com uma humana.

-Você pode me esquecer.

-Eu já te esqueci faz muito tempo, pois nunca foi presente, nunca me ajudou, então para mim você está morta a muito tempo.

-Como ousa dizer algo do gênero? Somos Youkais frios, não precisamos desses afetos insignificantes.

-Sim, você tem razão e talvez seja por isso que eu me interessei por uma humana, pois eles são totalmente diferentes de nós e sabem aprender a amar qualquer espécie, diferente de nós que tratamos humanos com insignificantes só por serem mais frágeis.

-Você está se tornando fraco e insignificante igual a eles.

-Sua presença me deixa enjoado. Eu vim aqui para lhe dizer tudo que preciso, e não enrolarei mais. Rin está grávida e eu sou o pai, não me importo se você aceitará ou não, apenas ordeno que fique longe da mãe e da criança.

-Não... -A mais velha ficou paralisada, não podia acreditar naquilo. -Como essa barbaridade aconteceu... Você dentou-se com uma humana, Sesshoumaru.

-Sim, e não foi apenas uma vez e continuarei a me deitar com essa humana todas as noites.

-Se eu soubesse que isso aconteceria, teria acabado com ela quando ainda era uma criança e você ainda não tinha esses sentimentos.

-Naquela época eu já sentia algo por Rin, ela já havia despertado algo em mim, mas tudo mudou ainda mais quando cresceu.

-Você está perdido...

-Espero ser claro... Nunca mais tente deixar Rin insegura, eu nunca vou deixa-la, nunca vou trai-la, ela será minha prioridade para sempre, então nunca mais tente colocar besteira em sua cabeça, ou melhor, nunca mais se aproxime dela. E ao contrário do que você disse, minha vida não irá se transformar em um inferno só porque eu ficarei com uma humana, você usou Izayoi e meu pai como exemplo, mas a vida dele não se transformou em um inferno, ele viveu feliz até seus últimos minutos de vida... Hoje eu consigo enxergar isso.

-Tenho vergonhada de você, tenho nojo de compartilhar o meu sangue com um imundo como você... Você é forte, bonito, pode conseguir tudo que quer, mas insiste em desonrar esse sangue.

-Com ousa falar assim do seu próprio filho?! -Rin perdeu a paciência, não podia deixar uma mãe tratar o filho daquela maneira.

 

 

Ela depositou um tapa no rosto da albina, e a mesma não pode detê-la, pois não esperava um comportamento desses vindo daquela humana frágil. Até mesmo Sesshoumaru ficou surpreso e paralisou.

 

 

-Como ousa me tocar com suas mãos imundas?!

 

 

Os olhos da mãe começaram a mudar de cor e ela começou a se transformar, Sesshoumaru entrou novamente na frente de Rin e se transformou para protege-la.

 

 

-Vocês são enormes e extremamente parecidos. -Sussurra Rin impressionada. -Mesmo sendo uma mulher fria e extremamente irônica ela é linda, assim como o senhor Sesshoumaru.

 

 

A mãe tentava alcançar Rin, mas Sesshoumaru extremamente furioso não a deixava se aproximar da jovem que estava assustada. Uma intensa luta começou, ambos eram fortes e estavam com muita raiva. Ele levou algumas mordidas, deixando Rin preocupada, mas também revidou, ambos estavam empatados.

Continuaram com aquela luta agressiva por muito tempo, até que começaram a se cansar e a primeira a ceder foi a mulher que foi arremessado por Sesshoumaru e acabou voltando a sua antiga forma por conta do cansaço e ele fez o mesmo também muito cansado.

 

 

-Nunca mais chegue perto de nós.

-Você se tornou um fracasso igual ao seu pai.

-Por que você precisa menosprezar os outros para sentir-se melhor? -Começa Rin cansada da situação. -Você é uma mulher extremamente atraente, linda, por que não tenta seguir em frente? O pai de Sesshoumaru morreu a muito tempo, não faz mais sentido odiá-lo e culpa-lo... Ele escolheu Izayoi porque nasceram para ficarem juntos, você ainda não encontrou essa pessoa, mas esqueça tudo, esqueça o passado e tente encontrar a pessoa que foi feita para você passar o resto de sua vida. Apesar de tudo, vocês tiveram um lindo filho, muito talentoso, por que menospreza-lo assim? Sei que as mães só querem proteger seus filhos, mas você sabe que eu não farei nada ruim a ele... Sei que não gosta de humanos, mas me deixe provar para você que sou digna.

 

 

A mais velha ficou paralisada, realmente estava cega, havia colocado em sua cabeça que humanos não podiam ficar com Youkais e nem percebeu, mas quem havia criado aquela regra?

 

 

-Antes de conhece-lo, quando eu ainda era muito jovem e ingênua, eu me apaixonei por um humano, mas ele me dispensou, por ser um youkai, disse que nós somos uma ameaça para a humanidade. Depois vi o que aconteceu com InuTaisho ao se envolver com uma humana, seu fim foi trágico, mesmo assim eu não consegui odiá-lo apenas o achei tolo e idiota e coloquei em minha cabeça que isso não pode acontecer, mas esqueci que continuo viva, que tudo vem mudando.

-Mesmo sendo fria, tenho certeza que você sempre quis um gesto de carinho de Sesshoumaru, nem que fosse indiretamente... Ser sozinha é ruim e desesperador, mesmo que não gostamos de admitir. Quando perdi minha família, se não tivesse encontrado o senhor Sesshoumaru, teria ficado assim, pena que você não encontrou uma pessoa como seu filho para ajudá-la.

-Isso não importa, pois agora eu encontrei... Você. Rin, você consegue alcançar meu coração, você consegue entender coisas que nem mesmo eu sei sobre mim. Podem ir, eu ficarei longe de vocês, prometo.

-Voltaremos para visita-la quando a criança nascer, faço questão que conheça o primeiro (a) filho (a) de seu filho.

-Provavelmente Sesshoumaru nunca lhe contou, afinal, apenas pessoas que gosto sabem... Meu nome é Satori.

-Bonito como você, Satori. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...