História Seoul In Luv - Capítulo 14


Escrita por: ~

Exibições 11
Palavras 2.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


------- Capítulo 14 -------

:D

Boa Leitura ♥

Capítulo 14 - Stupid Liar


- Acalmem-se! – Hope disse enquanto analisava a plateia. – Aquela ali, o que acham?
- Acho que o Jimin irá gostar dela! – disse Taehyung.
- Tragam aquela garota ali por favor produção. – Disse Namjoon olhando ansioso para Jimin.
Alguns seguranças se aproximaram de mim e me conduziram até o palco, eu não sabia exatamente como agir, eu havia sido escolhida para seduzir Park Jimin e ainda estava tendo oportunidade de conhecer meu grupo ultimate, realmente eu não havia sido treinada para isso.
- Qual o seu nome? – Jin e Kook me perguntaram.
- Meu nome é Mi-cha Phong. – sorri toda animada, porém um pouco ainda tímida.
- Uau! Parece que o Jimin se deu bem. – Suga comentou e sorriu.
- Então senhorita Phong, seduza o nosso Jimin. – Namjoon me olhou com aquela carinha de pensamentos impuros.
Eu não fazia ideia de como eu seduziria o Jimin, muito menos em como me aproximaria dele, eu jamais havia imaginado que algum dia eu conheceria o BTS e que eu teria uma oportunidade como aquela. Então agindo no improviso eu comecei a dançar sensualmente, a única coisa que eu tinha garantia que daria certo, em partes eu me senti um pouco mau por fazer isso, desde a época em que eu conheci Suni eu havia criado essa coreografia na intenção de algum dia dançar para ela, mas a vida estava tão do avesso que naquele momento eu estava dançando aquela coreografia para o bias dela.
Agora eu já me sentia a vontade e não ligava se milhares de pessoas me viam dançando, talvez meu sonho bobo de criança, o de me tornar uma idol pudesse voltar para minha lista de objetivos. Tudo estava dando certo e ia bem, até que no meio de um passo eu fui surpreendida.
- Você é muito linda. – Jimin me puxou pelo braço e em segundos senti seus lábios encostando nos meus.
Eu estava sem reação e bem, meu corpo conduziu a situação, ou melhor, minha boca e minha língua conduziram a situação, eu retribui o beijo intensamente até ele ser interrompido por Kook.
- Parece que você seduziu demais! – Kook sussurrou em meu ouvido enquanto ele tentava me afastar de Jimin.
- Me desculpe. – sussurrei de volta e me dirigi para fora do palco.
Como qualquer fã eu deveria estar muito feliz, mas aquele ato me deixou triste. Jimin poderia ser o cara que qualquer mulher gostaria de estar envolvida e de trocar diversos beijos, mas uma coisa que aprendi desde cedo é que eu não era uma qualquer, eu era e sou alguém que dispensaria todos os idols do mundo só para ter Suni Hyung ao meu lado.
O show terminou e pelo que percebi a maioria das armys haviam esquecido que naquela noite havia rolado um beijo, o que graças a Deus eu agradeci muito, não queria ser linchada até chegar á festa de Yang. Por mais que meu humor não estava para festa eu resolvi tentar me distrair e tirar um pouco daquela tristeza de dentro de mim. Mi-cha Phong não pode se dar ao luxo de diminuir seu brilho diante das concorrentes, principalmente quando o campo dos holofotes era seu habitat natural e eu estava em meu habitat natural.
- Meu Deus Mi-cha, você é muito sortuda! – Kim gritou se aproximando.
- Obrigada! – abri um sorriso. – Ei, fiquei sabendo que aqui tinha uma piscina, você quer ir?
- Claro! Ainda mais que a Yang disponibilizou biquínis da loja da mãe dela para dar para todas as convidadas. Se eu não me engano temos que pegá-los no andar de cima. –Kim sorriu animada.
- Você vem Orimi? – puxei a garota que parecia bastante isolada e triste.
- Eu... Está bem! – Orimi parecia envergonhada.
- Então vamos! – sorri.
A casa de Yang era enorme, havia diversos quartos , porém todos estavam trancados, acho que os pais dela não queriam bagunça. No final de um corredor havia uma pequena fila de garotas e de rapazes, foi fácil perceber que aquele era o closet para pegar e experimentar os biquínis e sungas.
- Ei a Sook estava com vocês também não é? – Kim tentou puxar assunto.
- Sim, ela adorou o show. – dei uma olhada no tamanho da fila. – Particularmente acho que a noite dela não foi perfeita pela minha presença, algo me diz que ela não gosta muito de mim.
- Ei Mi-cha, a Sook é mais reservada e as vezes transpassa isso, não acho que ela tenha motivos para não gostar de você. – Orimi sorriu e colocou a mão em meu ombro.
- Faz sentido. – Kim sorriu também.
- Se vocês dizem. – retribui o sorriso e tentei mudar de assunto. – Essa fila está enorme.
- São biquínis exclusivos da nova coleção. – os olhos de Kim começaram a brilhar. – A maioria das pessoas vieram na festa por causa deles.
- Quanta consideração! – Orimi revirou os olhos. – Está quase na nossa vez, veja.
- Ainda bem. – olhei em direção a fila novamente e haviam somente duas garotas a nossa frente.
- Estão indo de três em três. – Kim observou.
- Deviam ter feito assim desde o início. – reclamei.
- Sua vez Kim! – Orimi disse quando a moça que estava coordenando a fila chamou as duas garotas na nossa frente e Kim.
- Até mais. – Kim sorriu e entrou no closet.
- Esses biquínis devem ser bem bonitos. – falei curiosa.
- São sim e bem caros, é bastante bondade da mãe da Yang dar eles aos convidados. Coitado mesmo é das garotas que estão menstruadas e não poderão prová-los e usá-los hoje! – Orimi começou a brincar com algumas mechas de seu cabelo.
- Menstrua... – meu coração por um segundo parou e minha noção de tempo voltou a dar sinais de existência em meu cérebro. – Ei, se importa de guardar meu lugar na fila? Preciso ir no banheiro conferir se... Bem, com o show eu havia me esquecido, sabe como é.
- Tudo bem. – Orimi me encarou e sorriu. – Não demore muito, vou deixar seis entrarem na nossa frente.
- Obrigada! – Eu sorri e desci correndo em direção ao banheiro.
Tanta coisa para esquecer e eu esqueci justamente do meu período menstrual, parabéns Mi-cha. Enquanto eu descia as escadas, reparei que todos que curtiam a festa estavam bastante animados e que muitos casais que eu suspeitava antes, estavam se pegando. Outra coisa que eu notei é que depois do show a maioria das pessoas se dispersaram, Hye estava com o seu secreto namorado próximos ao jardim, Luana estava dançando com um outro garoto mais ao fundo na pista de dança, Min-suh estava com um grupo de colegas conversando animadamente, cada uma em um ponto oposto ao da outra, isso chegava a ser engraçado, porém me intrigava o fato de não ver Sook, Chung, Yang e Suni em nenhum local da festa, pois eu jurava que havia as visto entrar na casa.
O banheiro parecia inexistente, eu andava pela casa inteira e não achava, até que descobri que este ficava pro lado do bar em um corredor, eu segui calmamente tentando não me esbarrar nas pessoas que estavam bêbadas e tentavam mais e mais se embebedarem, sinceramente eu considerava pessoas assim bem vazias, como se não tivessem um conteúdo importante a apresentar e precisavam de álcool para parecerem interessantes. No final do corredor, finalmente eu encontraria o banheiro, acho que a Orimi a esta altura gostaria de me matar.
O corredor estava bem escuro apenas a luz do banheiro iluminava e indicava o local, de longe eu consegui ver uma garota deitada no chão, acho que talvez ela estivesse passando mau, a medida que eu fui me aproximando eu comecei a ouvir gemidos e respirações ofegantes, a garota que estava deitada no chão permaneci de olhos fechados e ao que parece os gemidos eram dela e de mais alguém.
Não sei o porque, mas algo dizia a minha intuição para eu não me aproximar mais, mas eu estava um pouco curiosa e bem... quem não gostaria de saber um babado em primeira mão?! Quando cheguei bem próximo reparei que a garota deitada era a Yang e meu Deus eu jamais imaginaria que ela em uma festa, em um banheiro, como?! Ok, agora minha curiosidade gritava dentro de mim juntamente com a minha intuição, mas eu precisava saber quem estava na parte de dentro do banheiro e infelizmente me arrependo de não ter seguido minha intuição.
Eu tentei não me esbarrar em Yang e fazer o menor barulho possível, mas quando olhei para dentro do banheiro eu acabei sem querer chutando alguma coisa. Suni estava dentro do banheiro, mais precisamente chupando a intimidade de Yang.
Eu não sabia mais o que de ruim poderia acontecer naquele dia, aquela cena conseguia ser pior do que qualquer cena ruim que eu tenha visto em toda a minha vida, após o choque eu me retirei me segurando para não começar a chorar, eu não conseguia acreditar que... que aquilo...
Eu comecei a correr, subi as escadas correndo e me dirigi ao encontro de Orimi que estava sozinha próxima ao closet.
- Você demorou muito! – Orimi me olhou com um pouco de raiva, porém notou o meu estado. – O que foi?
- Ela estava com... as duas estavam no banheiro transando... – eu tentei dizer em meio a soluços.
- Ela? As duas? – Orimi me abraçou e tentou conter as lágrimas que caiam em meu rosto.
- A Suni... eu... – continuei chorando. – eu não acredito que esse tempo todo... não acredito que ela esperou ter a chance de eu me distanciar para tentar ficar com ela!
- Mi-cha eu... – Orimi me abraçou forte.
- Não acredito que ela mentiu pra mim, que ela escolheu de propósito perder minha amizade para poder se aproximar daquela vadia! – eu dei um soco na parede. – Eu odeio a Suni, eu odeio as duas!
- Mi-cha, vamos entrar no closet. Ninguém precisa ver você assim. – Orimi falou me levanto para dentro do closet e fechando a porta.
- Porque eu fui tão idiota? – novamente voltei a socar a parede.
- Mi-cha! – Orimi falou em um tom mais auto.
- O que é? – me virei para ela e realmente não entendi nada, Orimi havia tirado seu vestido e ficado somente de lingerie. – Se você quiser provar algum biquíni e ir nadar tudo bem, eu não ligo de ficar aqui sozinha chorando a noite toda.
- Mi-cha... – ela me chamou novamente, mas agora retirando seu sutiã. – Você está com raiva?
- O que você está fazendo? – perguntei agora sem nenhuma expressão.
- Você está com raiva? – Orimi se aproximou e pegou minha mão.
- Estou... Orimi porque você está semi nua? – a encarei e percebi que já estávamos bem próximas uma da outra.
- Desconte sua raiva em mim. – ela pegou minha mão e a colocou dentro de sua calcinha me fazendo tocar em sua intimidade.
- Isso não é certo... – tentei argumentar, mas já estava começando a ficar excitada com isso.
- O que a Suni fez com você também não. – ela sussurrou em meu ouvido e depois mordeu levemente minha orelha. – Canalize toda a sua raiva em mim.
- Mmm... – minha respiração começou a ficar pesada. – Se é isso que você quer.
Eu derrubei Orimi no chão e tirei sua calcinha brutalmente, resolvi tirar minha roupa também para provocá-la um pouco sem deixá-la me tocar, comecei a massagear seus seios com bastante força arrancando vários gemidos dela.
- Então você realmente quer assim? – perguntei aproximando meu rosto de seus seios.
- S-sim... – Orimi não conseguia parar de gemer.
- Não reclame se eu te machucar. – dei o alerta e comecei a morder fortemente o bico de seus seios.
A garota não parava quieta e isso me forçou a deixar meu lado sádico aflorar um pouco. Peguei alguns biquínis e com a parte de cima deles amarrei suas mãos para trás, e quanto as suas pernas eu consegui imobilizá-las com o peso do meu corpo. Algo que eu nunca havia reparado é que apesar de ser bastante tímida Orimi era uma garota bastante bonita.
Eu voltei a massagear seus seios, enquanto isso me dirigia lentamente até sua boceta que a essa altura estava bastante molhada, sem cerimônia nenhuma comecei a chupá-la e a enfiar a minha língua dentro em busca de seu ponto g o que arrancou gritos de Orimi, que me fez interromper meu trabalho por um instante.
- Sem gritar por favor! – a encarei.
- Você é muito boa nisso Mi-cha... – ela disse ofegante. – Me desculpe.
- Só desculparei se você gozar. – lhe lancei um olhar sapeca e voltei a chupá-la.
Não demorou muito tempo e Orimi gozou, após isso desamarrei suas mãos e começamos com posições, acho que ficamos nisso por cerca de quatro horas sem parar, até que ouvimos nossos nomes sendo chamados na portaria para irmos embora.
- A carona chegou. – falei enquanto procurava minhas roupas para me vestir.
- Se sente melhor? – Orimi pegou suas roupas e começou a vestir.
- Não, mas estou um pouco mais calma. – a olhei. – Obrigada, mas não faça mais isso... Nem comigo e nem com ninguém.
- Eu só... – Orimi tentou dizer quando foi interrompida pelo meu dedo indicador.
- Você não é objeto de ninguém, se continuar com isso outras pessoas podem te fazer de segunda opção. Eu jamais te tratarei assim, nós podemos considerar essa noite como algo que rolou porque estávamos com vontade de nos aliviar. Eu quero a sua amizade, mas por favor não me faça te magoar. – eu pedi retirando o dedo de sua boca.
- Você ama muito a Suni não é? – Ela me encarou.
- Do mesmo modo que você ama a Chung. Se caso isso não dê certo eu prefiro tentar apagar a Suni de vez da minha mente e do meu coração antes de começar qualquer coisa com qualquer pessoa. – peguei minha bolsa e sapatos.
- Acho que a gente devia beber alguma coisa antes de ir. – Orimi sorriu e me abraçou.
- Concordo plenamente. – eu sorri.
Nós saímos do closet e bebemos dois copos de vodka antes de irmos embora. Dentro do carro Orimi pegou rapidamente no sono enquanto eu fiquei pensando em tudo que havia acontecido naquele dia, minha vida estava uma bagunça e ás férias já eram na próxima semana, talvez para tentar me organizar eu devesse viajar...
[...]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...