História Seoul In Luv - Capítulo 15


Escrita por: ~

Exibições 7
Palavras 1.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


------- Capítulo 15 -------

:D

Capítulo 15 - Heart Attack


Fanfic / Fanfiction Seoul In Luv - Capítulo 15 - Heart Attack

"- Parece que o Jimin tem muita sorte. "
Aquela maldita frase não saia da minha cabeça, eu sabia, eu tinha certeza que um idol jamais se apaixonaria realmente por alguém, e que o Suga era apenas mais um Don Juan famoso. Aquilo me deixava com muito ódio, como eu, Kim Sun Hee tinha me permitido ser tão burra e inocente?! Como eu pude ao menos imaginar que aquele cara gostava de mim? Que ele somente repararia em mim?!
- Sua vez Kim! – Orimi disse quando a moça que estava coordenando a fila chamou as duas garotas que estava na minha frente.
- Até mais. – eu sorri e entrei no closet.
Mesmo com uma festa tão agitada e animada, minha cabeça só se focava naquele idiota e isso fazia com que eu me sentisse mais otária ainda.
- Então meu bem, já conhece nossos produtos? Tem preferência por alguma estampa? – perguntou a moça que parecia trabalhar para a mãe de Yang.
- Sim, eu... – demorei um pouco para raciocinar. – Eu queria um maiô, com uma cor mais discreta, mas também quero um modelo que valorize meu corpo.
- Eu acho que tenho o que você procura. – a moça disse, se retirando e buscando algo no fim do corredor do closet.
Ok que eu odiava maiôs, mas custava nada arriscar em algo que eu odiava, já que o que eu gostava só me dava dor de cabeça.
- Aqui está! – a moça voltou e abriu um saquinho que continha um maiô preto.
- Uau! – falei assim que vi o modelo do maiô.
- Acho que serve em você, qualquer coisa é só me chamar que eu vejo se tem um tamanho maior, a senhorita pode experimentar lá no fim do corredor a esquerda. – ela apontou para o corredor que ela tinha acabado de voltar.
- Ok, obrigada! – respondi me dirigindo ao local que ela havia indicado.
O maiô era simplesmente maravilhoso e nem um pouco brega, eu realmente estava impressionada com o modelo que até demorei um pouco para vestir de tanto admirá-lo, assim que o coloquei ele me serviu perfeitamente e instantaneamente minha autoestima subiu e eu consegui esquecer Min Yoongi um pouco.
Eu saí do closet e fui direto para a piscina, as pessoas já estavam lá se divertindo que nem repararam que mais ao fundo havia uma sauna, como eu nunca fui muito de me enturmar, resolvi me afastar e ficar na sauna sozinha e aproveitando a solidão e a paz. A casa estava com caixas de som espalhadas por todos os cômodos e áreas, mesmo de dentro da sauna eu conseguia escutar as músicas que tocava, naquele momento estava tocando uma remix de Heart Attack do AOA o que me fez lembrar do MV e me sentir como a ChoA, o problema era que infelizmente eu não era tão linda e elegante como ela e que meu Luv era mais idiota que o cara do MV.
- Boa Noite! – falou um rapaz entrando na sauna.
- Boa Noite! – eu respondi, ficando um pouco corada.
- Qual seu nome? – ele se aproximou e se sentou ao meu lado.
- Kim Sun Hee. – falei olhando para o chão da sauna.
- Meu nome é Kwan Ryu. – ele abaixou a cabeça procurando meu rosto. – Porque uma garota linda como você está aqui sozinha? Rapazes abusados podem tentar ficar trancados com você aqui enquanto as pessoas se divertem na festa.
-E-eu... – respirei fundo, mas minhas mãos já soavam frio. Eu já tinha ouvido falar daquele garoto na escola, e as coisas que eu ouvi não eram coisas boas. – Eu só queria me aquecer, lá fora estava um pouco frio e muito barulhento, minha cabeça dói muito.
- Quer que... – ele se aproximou mais quase me beijando. – Eu te ajude a se aquecer?
- J-já tem um tempo que eu estou aqui, já me aqueci. – eu me levantei rapidamente e me dirigi a porta da sauna. – Até mais.
- Eu acho que não. – ele me soltou um sorrisinho safado olhando em minha direção.
- O quê? – eu tentei abrir a porta, mas ela parecia estar trancada. – Não quer abrir...
- Talvez devemos ficar aqui não acha? – Kwan se levantou e começou a ameaçar abaixar a sunga com suas mãos.
- Não, não acho! SOCORRO!! – comecei a gritar em desespero.
- Não adianta gritar, ninguém irá te ouvir gatinha. – ele começou a se aproximar.
- SOCORRO, ALGUÉM AÍ, SOCORRO EU ESTOU TRANCADA COM UM MALUCO! – gritei o mais alto que eu pude.
- Espero que você grite da mesma forma logo, logo. – ele mordeu o lábio e tirou a sunga, mostrando seu membro.
- POR FAVOR, ELE VAI ME ESTUPRAR, ALGUÉM ME TIRA DAQUI, EU NUNCA PEDI NADA. – comecei a chorar e a bater na porta. – SOCORRO!
- Sabia que eu acho muito sexy, quando vejo garotas chorando de medo?! – Kwan começou a me encoxar.
- SOCORRO! ME AJUDEM!!! – eu já soluçava de tanto chorar.
Aquele tarado psicopata, se aproveitava ao máximo do meu medo e de toda a minha aflição, naquele momento eu já me arrependia de ter escolhido aquele maiô e de ter ido para aquela sauna maldita. Kwan percorria suas mãos imundas por todo meu corpo e seu membro já ereto forçava a parte de baixo do maiô contra a minha bunda.
- Me deixa ir por favor! – implorei.
- Daqui a pouquinho, me satisfaça primeiro meu amor. – ele respondeu mordendo meu pescoço.
- SOCORRO!! – gritei pela última vez.
Eu achava que realmente ninguém iria aparecer, até que de repente a porta da sauna foi destrancada e um garoto apareceu dando um soco em Kwan o jogando pra longe de mim. Eu saí correndo e só parei na entrada da sauna, eu precisava saber quem tinha me salvado daquele monstro. Me sentei no chão ainda chorando e em pânico, eu estava com extremo nojo do meu corpo, nojo de todas as partes em que foram tocadas por Kwan, eu queria muito esquecer daquilo tudo, deletar, apagar minhas memórias, qualquer coisa...
- Você está bem? – um garoto se aproximou e me trouxe um roupão.
- E-eu... – me levantei e o abracei chorando mais ainda.
- Ei, vai ficar tudo bem, já acabou. Ele vai te deixar em paz, assim que o Suga sair da sauna a gente vai te levar pra delegacia e você vai registrar um boletim contra aquele cara.
- S-suga? – consegui dizer em meio ao choro.
- Ele me fez vir aqui junto com ele só pra te ver. – o garoto respondeu.
- Quem é você? – me soltei dele e o olhei, mas minha vista estava embaçada.
- Jeon Jungkook, mas pode me chamar de Kook. – ele tocou meu rosto limpando minhas lágrimas.
- E-eu me chamo Kim... Kim Sun Hee. – tentei parar de chorar.
- Olá Kim! – ele sorriu e me puxou novamente para um abraço. – Como eu disse vai ficar tudo bem.
- Obrigada. – respirei fundo e as lágrimas cessaram, o abraço de Kook era bem quentinho e transmitia segurança.
- Ei, como ela está? – falou uma voz vindo correndo da sauna.
- Parou de chorar um pouco. – Kook me soltou e me entregou a Suga.
- Não me assuste desse jeito, e se eu não tivesse vindo aqui e escutado seus gritos? Se eu não tivesse sentido saudades de você? Aquele cara queria te estuprar. – Suga disse de modo grosseiro, até que em um olhar de Kook ele suavizou as palavras. – Não quero que nada de ruim aconteça com você Kim, eu não me perdoaria se algo de ruim acontecesse a você.
- Desculpa... – murmurei.
- Não é sua culpa. – ele me olhou nos olhos. – A culpa é daquele cara idiota que não sabe respeitar uma garota, que não sabe que numa festa na piscina é normal garotas usarem trajes de banho para nadar ou ir na sauna, que não sabe ter limites e nem nunca teve limites. Você não é culpada, eu... sei lá eu acho que você deve estar com nojo de você pelo o que ele fez, mas não sinta nojo, por favor.
- Está bem. – reparei em seu olhar.
- E por favor, jamais ande sozinha pelos cantos, foi difícil te achar eu e o Kook reviramos a casa toda te procurando, por sorte nós resolvemos checar a sauna, e arrumar a chave foi difícil, esse cara deve ter pedido alguém pra trancar vocês.
- Eu só queria ficar um pouco sozinha, minha cabeça tava doendo. – me aproximei e o abracei. – Obrigada por sentir saudade de mim, por ter me procurado e por ter me salvado.
- Eu sempre... – ele abaixou a cabeça em meu ombro e me abraçou forte. – serei seu herói.
- cof cof... Acho que temos que ir registrar o boletim de ocorrência. – Kook tossiu.
- Realmente, temos que ir. – Suga me soltou do abraço.
Os garotos esperaram eu me trocar e descer para ir com eles até a delegacia mais próxima, dentro do carro eu fui no banco de trás com Kook, enquanto no banco do motorista, Suga se mantinha bastante enfurecido e seu pé pisava forte no acelerador.
- Ele não está acelerando demais? – perguntei para Kook.
- O Hyung está irritado, quanto mais cedo ele conseguir que aquele cara da sauna seja punido, melhor ele se acalma.
- Ele estava com saudade mesmo? – murmurei.
- Não sei o que você fez com ele, mas ele se importa muito com você. – Kook sorriu. – E ao que parece, você gosta muito dele também.
- Ei! – corei.
- Seu coração bateu forte quando eu disse o nome dele para você. – Kook me encarou. – Isso foi bem fofinho.
- Como pode saber se meu coração bateu forte ou não? – fiz cara de birra.
- Se a senhorita não se lembra, você me abraçou chorando. – ele sorriu.
- Ér... – eu senti minhas bochechas queimarem.
- Se não quiser que ele saiba tudo bem, eu deixarei você contar pra ele quando se sentir a vontade. – Kook acariciou minha bochecha.
- Já vou estacionar. – Suga falou alto e lançou um olhar para Kook pelo retrovisor.
- Ok Hyung. – Kook se afastou de mim timidamente.
Nós descemos do carro e eu registrei o boletim de ocorrência, após sair da delegacia os meninos me levaram para o dormitório deles na BigHit.
- Eu deveria ir para a escola. – comentei.
- Quem garante que aquele cara não vai ir lá tentar fazer algo com você?! Kim, você ficará aqui e dormirá no meu quarto. – Suga falou.
- No seu quarto? – Kook encarou Suga.
- Eu dormirei no chão. – Suga o encarou de volta.
- Ah, então tudo bem. – Kook suspirou. – Eu vou indo, boa noite senhorita Kim, boa noite Hyung!
- Boa noite, ei, amanhã eu vou com você comprar toddynhos. Uma recompensa por hoje. – Suga lançou um olhar de agradecimento.
- Se eu te ajudar sempre, vou ganhar toddynhos todo dia como recompensa? – Kook olhou esperançoso.
- Se fazer uma pergunta idiota de novo eu não te dou nem um grão de arroz. – Suga revirou os olhos.
- Está bem. – Kook saiu correndo.
- Vai dormir mesmo no chão? – me voltei para Suga.
- Naquele motel eu dormir no chão e deixei você na cama? – Suga sorriu.
- Não. – o encarei.
- Acha mesmo que aqui seria diferente? – ele bagunçou meu cabelo.
- Não. – comecei a rir.
- Acho que está na hora de princesas dormirem. – ele me pegou no colo.
- Ei, me põe no chão! – protestei.
- Os heróis não carregam as mocinhas assim? – ele me olhou.
- Sim, mas... – fui interrompida com um beijo.
- Como eu disse, eu sempre serei seu herói.
[...]


Notas Finais


Desculpe pela demora, mas minha vida está bem corrida e tá sobrando pouco tempo para escrever. Espero que tenham gostado. *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...