História Sequestrada - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Álcool, Drogas, Justin Bieber, Romance, Sexo
Exibições 112
Palavras 1.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi suas lindasss, voltei, espero que gostem desse caps.

Capítulo 8 - A proposta


Fanfic / Fanfiction Sequestrada - Capítulo 8 - A proposta

                Atlanta: 14h13pm

           Estava jogada em minha cama , vendo tudo a minha volta de ponta cabeça, exatamente como a minha vida se encontrava naquele exato momento.

    Passei a noite toda pensando       em várias possibilidades que estejam fazendo Justin me manter presa aqui.  E nenhuma das opções  servia. 

      Justin, pra variar não estava em casa, praticamente ele nunca estava, sempre vive ocupado com seu trabalho que eu não sei qual é, mas que eu ainda vou descobrir. 

   O dia estava tedioso, qual a graça de estar parcialmente liberta se não tem nada pra fazer aqui, essa casa é imensa, só acho que deveria ter um parque de diversões aqui, eu seria uma presa feliz.

FLORENCE"OF

BIEBER"ON

   Estacionava meu Porsche em frente a boate Red Slep, uma de minhas boates mais famosas de Atlanta.  Hoje, era dia de conferir as novas garotas que chegaram para servir meus clientes, precisava dar um confere no material, se é que vocês me entende.

-Olá Bieber - disse Sheila minha ex puta particular me dando um selinho. Sheila é a garota que cuida das putas, e ensina tudo o que elas devem fazer para agradar nossos clientes.

-Vamos logo, que eu tenho muito o que fazer hoje - disse me desvencilhiando de seus braços. Caminhei até um puff, me sentando no mesmo, repousando meus pés encima de uma das mesas, bebendo um gole de meu Whisky em seguida.   Sheila subiu para o andar de cima da boate, provavelmente para chamar as garotas.

     Minutos depois, algumas garotas descerem do andar de cima, sendo auxiliadas por Sheila, subiram no palco que ali havia, ficando enfileiradas sobre a passarela.  

-Vamos começar- Disse Sheila . Levantei meu copo de whisky no ar, em um "sim" silencioso. -Bom, essas são , Bruna, Roxxe, Deborah, Ashley, Pâmela, Julya, Rose, Carla, Stéfany, Caroline, Thaís, Letícia e Alinne - Disse Sheila apontando para cada umas das putas apresentando-as.  Dei um sorrisinho.

-Podem tirar-  disse olhando cada movimento que as putas faziam, enquanto as mesmas tiravam suas roupas ficando completamente nuas. Era cada par de peitos, que meu deus, poderia mamar o dia inteiro, que o bebê aqui não ia se satisfazer. -ri com meus pensamentos- Fiz um movimento circular com meu dedo indicador, e as putas deram uma voltinha, me dando uma visão de seus corpos perfeitamente desenhados . Uma puta mais gostosa que a outra.   Uma música eletrônica começou a tocar ~Dancem~  disse Sheila, e as putas começaram a dançar sensualmente, passando as mãos em seus corpos, isso tava me deixando de pau duro, puta que pariu.  Mas tinha uma que me chamou atenção, ela dançava de um jeito que me deixou hipnotizado, ela descia e subia sensualmente, jogando seus cabelos longos.

Sheila parou a música, fazendo as putas voltarem a posição de antes. 

-Então chefinho? - perguntou Sheila.

-Estão aprovadas - disse levantando de onde estava sentado- Quero todas produzidas e prontas as 18h da tarde - informei. -Podem ir - Completei.  Esperei uma das putas que acabará de mexer comigo passar ao meu lado. -Qual seu nome? - perguntei segurando em seu braço.

-Bruna- disse a mesma já com um sorriso safado nos lábios.

-Então né Bruno, sabia que você me deixou de pau duro - susurrei em seu ouvido

-Sério? -

-Sim gracinha, e agora você vai ter que dar um jeito nisso- falei a puxando para meu escritório.

A vadia gemia encima do meu pau,igual uma cadela no cio enquanto kikava sem parar encima da minha piroca. Já estava exausto, e faltava pouco, bem pouco, pra mim gozar, e transa tava tão boa, poderia ficar fodendo sua buceta por um bom tempo.  Fechei meus olhos e apertei com toda força os seios daquela vadia, quando gozei gostoso, sentindo um alívio me dominar, no momento em que voltei a abrir meus olhos, foquei os mesmos no rosto daquela vadia, vendo a face angelical de Florence, ela estava com um sorriso safado nos lábios, seus cabelos ruivos estavam grudados em sua testa por conta do suor.

-Satisfeito BB - disse a mesma. Por um momento um sorriso brotou em meus lábios, mas segundos depois, cai na real, fechei meus olhos com força abrindo-os novamente em seguida, vendo novamente a morena encima de mim. Joguei a mesma para o lado, ouvindo-a resmungar. Levantei da cama, vestindo minhas roupas em seguida. -Já vai BB ?- perguntou a puta.

-Tenho mais oq fazer - falei grosso.

-Nossa BB, que bicho te mordeu? -disse a mesma enroscando seus braços em meu pescoço, enquanto colocava meus Supras.

-Nada que seja da sua conta-disse me desvencilhiando de seus braços- E não me chame de BB, pra você é Bieber - completei saindo de meu escritório.

~Vai voltar~ Ouvi a voz de Sheila.

-Vou, só vou em casa tomar um banho, to fedendo a perfume barato de puta. -falei saindo da boate.

     No caminho pra casa, o ocorrido de hoje não saia de minha mente, isso me deixou irritado.

Cheguei em casa e fui direto ao meu quarto, passando em frente ao quarto da Florence, o mesmo estava com a porta fechada, o barulho da Tv era bem audível, pensei em ver como estava, mas desisti, quando o ocorrido de hoje veio em mente, me fazendo bufar.

BIEBER"OF

FLORENCE"ON

     Estava em meu quarto assistindo House, uma de minhas séries favoritas, depois de tanto insistir, Justin resolveu colocar uma Tv em meu quarto. O volume da mesma estava alto, mas não tanto, por que consegui ouvir a porta do quarto ao lado ser batida com muita força, acho que Bieber não estava em um de seus melhores dias, mas não me importava, passei a tarde toda pensando em uma proposta que brotou do nada em minha mente, e eu precisava propor isso a ele, era a única alternativa que encontrei para ter algum contato com minha mãe, era loucura, era meu passaporte para o inferno, mas diante das circunstâncias, era minha única alternativa  .

Uma hora depois, procurei Justin em seu quarto, bati na porta umas cinco vezes, e o mesmo não abriu. Desci as escadas da casa a sua procura, não é possível que esse cara já tenha saído, e eu nem ouvi o barulho de seu carro.

-Carlota? - chamei-a.

-Sim Flor.

-Viu Justin? -perguntei.

-Ele está em seu escritório menina - disse

-Okay - falei caminhando em direção ao mesmo.

-Se eu fosse você, não entrava ai - alertou Carlota.

-Porque?

-Bieber não está em um de seus melhores dias.

-Eu já percebi, mas o que eu tenho pra falar, não pode ser adiado - completei . Voltei a ir em direção  ao seu escritório, dei duas batidas na porta, recebendo um" entre "como resposta. Bieber estava focado em alguns papéis que estavam em sua frente. -Posso falar com você? - perguntei, recebendo o olhar fuzilador de Bieber sobre mim, me fazendo engolir em seco.

  Bieber não respondeu, só encostou suas costas no estofado de sua cadeira, olhando fixamente para mim, deduzi que isso seria um 'sim'.

-Bom, eu andei pensando o dia todo nisso- comecei- e cheguei a conclusão de que nós dois temos algum tipo de interesse -falei, recebendo um olhar confuso de Justin. - Bom, o que eu to querendo dizer, é que, é que -gaguejei- eu tenho uma proposta para te fazer - disse por fim. Uma gargalhada preencheu o silêncio da sala, me fazendo ficar com medo e irritada ao mesmo tempo, como ele ousa rir de algo que pra mim é muito importante. -Pare de ser patético - falei, e a gargalhada de Justin se cessou ao mesmo tempo, sua face ficou rígida, ela não gostou nada disso- isso é importante pra mim, e de alguma maneira você pode ser beneficiado. - Justin ficou por alguns minutos me olhando, me senti desconfortável, parecia que ele podia me ver através de minhas roupas, me senti nua aos seus olhos.

-Prossiga - disse o mesmo.

-Você sabe, que o que eu mais quero e falar com minha mãe- senti Bieber ficar tenso - E nós dois sabemos, que o que você quer é me ter para si, e a minha proposta é a seguinte Você deixa eu falar por ligação com minha mãe uma vez por semana, e em troca, eu fico nessa casa por vontade própria - completei olhando a reação de Justin,o mesmo pegou seu cobo com Whisky, dando uma golada, bebendo todo o líquido que ali havia, bateu o copo na mesa, levantando em seguida, dando pequenos passos em minha direção, como se ele não estivesse preocupado em chegar rápido até mim.

Perto de mim, Justin acariciou minha bochecha, passando a língua suavemente sobre seus lábios.

-Sabe que eu não preciso disso -falou - mas até que é uma boa, ok -disse se afastando de mim, ainda bem, já estava ficando nervosa com tal aproximação - eu aceito sua proposta - disse estendendo sua mão, olhei por alguns segundos até finalmente aperta-las - Mas preste bem atenção- disse Bieber fazendo uma leve pressão em minha mão - Qualquer passo infalso, ou se eu sonhar que você está me enganado, eu acabo com você, daí tchauzinho mamãe. -falou Justin . Suas palavras me fizeram arrepiar por inteira, e o que eu menos queria, era morrer, não agora que meu plano estava só começando.










Notas Finais


Desculpem os erros ortográficos. .


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...