História Será que ele ainda lembra de mim? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Culpa É Das Estrelas
Tags Adolescentes, Drama, Romance
Exibições 20
Palavras 1.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Londres?


3 de março de 2004

Era meu aniversário de 5 anos, eu estava tão feliz, Jimmy iria vir, ele disse que tinha uma coisa para me falar, eu gosto muito dele, quando eu crescer eu quero que ele se torne o meu namorado.

— Ei Bryan, não coma os brigadeiros antes dos nossos amigos chegarem! - disse para Bryan cruzando os braços.

— Amigos? Que amigos? Os únicos que aparecem são Hazel e Jimmy - mamãe nos interrompeu antes que eu pudesse responde-lo.

— Candy, a Sr. Smith chegou, e trouxe as crianças - sai correndo para vê-los.

Bryan e eu demos aquele abraço de urso neles e agradeci a Sr. Smith pelo presente, ela disse que Hazel que escolheu. Era uma linda pulseira com estrelinhas e uma corujinha, eu amei.

— Crianças vão brincar, daqui a pouco cantamos parabéns - mamãe disse, concordamos balançando a cabeça.

Não sabíamos exatamente do que brincar, tínhamos tantas brincadeiras, mas um queria uma coisa, então decidimos votar, e brincar na areia ganhou.

— Olha Hazel, o que acha desse maravilhoso rio? - Bryan disse jogando um pouco de água em um buraco.

— Ficaria mais bonito se colocasse algumas florzinhas.

— Bryan está horrível, não tem vida nele - eu estava tentando irrita-lo, é muito legal fazer isso.

— Candy coitado - Jimmy levantou-se - Vamos pegar algumas flores para colocar em volta, vem.

Fui com Jimmy até as flores, mas percebi que ele não estava pegando as flores. Ele parou na minha frente e estava parecendo uma pimenta.

— Can...- ele disse, mas o resto não saiu.

— Dy - completei, ele deu um sorriso.

— Eu queria dizer que eu gosto de você, e... - ele tirou 2 colares do bolso, os dois tinham uma fita amarrada e um lacre de latinha pendurado - eu queria te dar isso... Ér, o que você acha de fazer uma promessa?

— Que tipo de promessa? - perguntei confusa.

— De casar comigo - ele colocou um dos colares em meu pescoço e me deu o outro - Esse colar é a marca da nossa aliança, eu irei te amar eternamente, e só irei parar quando você se interessar por outra pessoa.

— Eu não entendi, mas eu prometo te amar também - coloquei o colar em seu pescoço.

Jimmy me deu um beijo na bochecha, deu risada e saiu correndo. Depois disso brincamos mais um pouco e minha mãe chamou para cortar o bolo, ele estava muito gostoso!

Julho de 2004

— Mamãe, por que eles tem que ir embora? - eu disse chorando.

— Minha querida, o lugar deles é lá, eles precisam ir.

— Mas mamãe o meu lugar é ao lado do Jimmy.

— Filha você ainda não sabe o que é o amor.

— Sei sim mamãe, amor é quando duas pessoas sorriem juntos e aceitam os defeitos uma das outras. Você não amava o papai? Então eu também amo o Jimmy .

— Eu amava o seu pai, agora ele foi para um lugar maravilhoso, vamos mudar de assunto, vamos ir para o aeroporto nos despedir.

— Ei sua chata para de chorar, da um sorriso, a gente vai ver eles quando a gente crescer - Bryan como sempre me irritava e ao mesmo tempo tentava me ajudar.

Nos despedimos da Sr. Smith, da Hazel e do Jimmy. Mamãe e Bryan estavam falando para eu não chorar, mas eles que acabaram chorando no final, claro que eu deixei cair algumas gotinhas, mas eles deixaram cair o triplo. Não foi fácil me despedir de um dos meus primeiros amores como diz mamãe, mas eu vou me casar com ele, fizemos uma promessa.

Fevereiro de 2011

— Desculpe crianças, mas não tenho dinheiro para comprar doces hoje.

— Acho que você nunca tem mãe.

— Bryan não fale assim com nossa mãe.

— Desculpa mãe.

— Tudo bem querido, acho que hoje da para comprar duas balinhas.

Nossas condições não estavam boas, minha mãe perdeu o emprego e estava difícil arranjar outro. Passamos por várias dificuldades e no meu aniversário de 12 anos não haveria bolo e nem presente. As contas só estavam aumentando e estávamos vivendo de aluguel, foi um período difícil.

2 de janeiro de 2014

Apesar de ainda não termos muito dinheiro estávamos sem dívidas, e nossa mãe tinha feito um concurso para um serviço na Inglaterra, Canadá ou Brasil. Um grande número de vagas, porém muitos inscritos, mas eu acreditava na mamãe, eu sei que ela é capaz.

>>><<<

Uma carta chega do correio.

— Vamos mãe abre logo, será que você passou?

— Calma Bryan eu vou abrir.

— Vai mãe! - ela abre, lê e coloca a mão na boca. - Eai?

Um profundo silêncio tomou conta da sala por um minuto.

— Eu consegui! - ela grita, meu irmão e eu abraçamos ela.

— Mas em qual país? - Bryan pergunta.

— Inglaterra, Londres, o voo é amanhã às 5h da manhã.

— MEU DEUS! PRECISAMOS ARRUMAR TUDO HOJE! - grito.

Bryan me ajudou com as malas, e eu ajudei ele a organizar sua mala, mamãe arrumou a dela e nos deu um monte de remédio, vômito, dor de cabeça, caganeira... Sim caganeira. Perguntei onde iríamos morar ela disse que em um apartamento, mas depois de colocar a gente em uma escola, nos mudaríamos para outro lugar.

>>><<<

Eram 4h30min e já estávamos no aeroporto, minha mãe realmente é apressada Jesus!

— Mãe, olha meu cabelo. A senhora quis sair tão cedo de casa que nem deu tempo de arrumar.

— Para de graça chatonilda, não precisa se preocupar com o cabelo.

— Você usa boné para esconder esse bombril do seu cabelo.

— Pelo menos quando eu tinha 14 anos não coloquei meia no sutiã pra parecer que eu tinha peito.

— Cala a boca idiota.

— Opa você ainda tem 14.

— Otário daqui a pouco eu faço 15. Só porque você faz aniversário dia 1 de Janeiro não precisa ficar se gabando.

— Eu me gabando? HA HA HA HA.

— PAREM VOCÊS DOIS! VOU TER QUE BATER EM VOCÊS DOIS EM PÚBLICO?

— Não mãe - fizemos bico.

Passamos pela segurança e pegamos nossas malas, estava tudo certo, pegamos a passagem e subimos no avião, mamãe sentou sozinha, Bryan e eu sentamos um do lado do outro.

— Você se lembra? - Bryan me perguntou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...