História Será que ele ainda lembra de mim? - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Culpa É Das Estrelas
Tags Adolescentes, Drama, Romance
Exibições 15
Palavras 1.061
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Novas amizades


De acordo com o médico, algo fez com que Jimmy recupera-se um pouco a memória, mas ele estava ardendo em febre. Depois de eu fazer o menino quase morrer praticamente, eu deitei na cama e dormi. Só acordei no outro dia com o meu irmão ligando a luz na minha cara.

— Desliga essa luz Bryan.

— Acorda, senão vamos chegar atrasados na escola.

— Vamos andando pra escola?

— Sim.

— A mãe já chegou?

— Ela está dormindo no momento – ele taca um travesseiro em mim – Vamos menina levanta!

— Coloca uma camisa idiota, não mereço ver o seu tanquinho.

— É irresistível, eu sei. E você troque de roupa.

— Eu dormi com a roupa que eu ia pra escola, não sou burra igual você.

— Há Há Há... Sua blusa está toda amarrotada.

— Bryan... Empresta uma blusa?

— Por que não pega as suas?

— Porque elas estão manchadas de comida, as limpas eu já usei.

— Toma – ele jogou uma blusa branca com uma gravata preta nela – Já aviso que ela vai ficar grande.

— Eu não ligo... Empresta seu all star de cano alto também? É para combinar com a legging.

— Meu Deus, quer minha cueca também? – ele cruzo os braços e olhou para mim – Eles estão embaixo da cama.

— Muito obrigada, eu te amo lindo – fiz um coração com as mãos, ele me mostrou o dedo do meio – Sem educação.

— Vai escovar esses dentes, vamos com a Hazel, e você fica aí enrolando.

— Cala a boca.

Fui ao banheiro e fiz as minhas higienes. Eu estava indo para à cozinha, antes de descer as escadas passei pelo quarto de Bryan, ele estava deitado com uma bolsa d' água na testa. Meu irmão passou do meu lado e falou para eu ir logo. Desci as escadas e fui para a cozinha.

— Sr. Smith cadê a Hazel? – perguntei.

— Ela já foi, se vocês forem rápidos conseguem alcança-lá – ela disse.

Bryan e eu pegamos uma torrada e enfiamos na boca, e logo depois saímos correndo. Para nossa sorte Hazel só estava a dois quarteirões longe de casa, conseguimos alcança-la.

— Vocês são muito lentos – ela disse.

— Candy dormiu demais – Bryan disse.

— Eu estava cansada, que implicância.

— Vocês dois se amam – Hazel falou rindo.

— Não nos amamos – falamos juntos e ela deu risada.

Chegamos na escola e os dois me abandonaram. Eu estava tentando abrir o meu armário, mas eu não consegui e dei um soco nele.

— Calma, não é assim que abre esses armários – uma menina ruiva disse para mim com um sorriso no rosto.

— Então me ensine a mágica.

— Coloque sua senha – coloquei a senha e ela bateu duas vezes no armário e deu um tapinha em seguida, e ele abriu.

— Nossa!

— Quando eu cheguei aqui um menino muito bonito me ajudou, eu apenas tento fazer o mesmo – ela sorriu.

— Quem? – perguntei colocando meus livros no armário.

— Jimmy... Qual seu nome?

— Candy... Candy Miller. E o seu?

— Sophia Johnson, você é irmã do Bryan?

— Sou, como você sabe?

— Eu vi ele com a irmã do Jimmy, então fui atrás de fontes confiáveis para saber seu nome.

— Você viu eles? Para onde eles foram?

— Eles entraram na sala.

— Irmão traíra, me troca pela namoradinha – ela deu risada.

— Minha sala é do lado da sua, então... Vamos?

— Vamos.

Sophia era muito bonita, e ainda gostava de Jimmy, se eu gostasse dele não teria chances. Ela é uma garota bem legal. Paramos em frente à sua sala, Sophia me deu um beijo no rosto e falou tchau. Quando entrei em minha sala olhei para Bryan com um olhar mortal, ele ainda teve a ousadia de dar risada.

Quando as aulas acabaram, Soph estava na porta da minha sala me esperando para comermos.

— Eu não sabia que tinha um refeitório – eu disse.

— Quando eu cheguei aqui eu achei que não tinha também, mas Jimmy me falou que tinha.

Entramos no refeitório e nos servimos. Tive a impressão que todos estavam olhando para mim, mas acho que era só impressão. Soph e eu nos sentamos em uma mesa, ela adorava falar. Três garotas entraram no refeitório, aquelas de antes, e deram uma olhada fatal em mim.

— Sophia, quem são elas?

— A loira chama Ambre, a morena de

olhos azuis Anny e a de olhos verdes Margareth.

— A Ambre deu em cima do meu irmão, e a Anny tem raiva de mim.

— Ambre da em cima de todos e a Anny gosta do Jimmy, mas ele não gosta dela, ele gosta de mim – eu gelei.

— Sério? – ela ficou um pouco vermelha.

— Todos dizem que sim.

— E você gosta de quem?

— Promete não falar pra ninguém? – concordei com a cabeça – Eu gosto do Jimmy.

— Por que vocês não namoram?

— Porque não tenho coragem para pedir, você é boa com textos?

— Mais ou menos, por quê?

— Bom, eu vou fazer um discurso para os primeiros colegiais sobre o que é o amor, e eu não sou boa com textos.

— Eu tinha boas notas em redações, posso ajudar.

— Obrigada!

Soph disse que precisava ir para casa e me deu o número do seu telefone para eu mandar o texto. Não fazia ideia do que escrever sobre o amor, eu não tenho experiência nisso.

Eu estava perdida em meus pensamentos e esqueci que eu devia procurar meu irmão para irmos para casa, mas não o encontrei. Ele deve ter ido embora com a Hazel e me esquecido.

Coloquei meus fones e comecei a andar achando que estava indo na direção certa. A rua estava deserta, eu não lembro de ter passado por ela antes, comecei a ficar preocupada. Havia um carro preto parado, resolvi perguntar onde eu estava. O homem dentro do carro me olhou da cabeça aos pés e falou que eu estava na Rua Alameda Browser, agradeci e continuei andando. Resolvi mandar uma mensagem para o meu irmão para ele vim me buscar nessa rua, mas quando olhei pro lado o carro preto estava me seguindo. Não sei qual era as intenções daquela homem, nem quero pensar, vi uma bicicleta na outra quadra. Enviei a seguinte mensagem de texto para meu irmão:

Para: Bryan

Estou na Rua Alameda Browser, estou perdida e tem um carro preto me seguindo, me ajuda. EU TO FALANDO SÉRIO, E POR QUE VOCÊ ME ABANDONOU SEU TROUXA.

Atravessei a rua e o carro continuou me seguindo. Não sei de quem era aquela bicicleta, eu não ligava se estava roubando, mas eu montei nela e comecei a acelerar, e o carro? Ele também acelerou.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...