História Será que Gosto dela? - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cúmplices de um Resgate
Tags Cumplices De Um Resgate, Novela, Refira
Exibições 27
Palavras 1.582
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 27 - O monstro do ciume


Fanfic / Fanfiction Será que Gosto dela? - Capítulo 27 - O monstro do ciume

Safira chega à casa da mãe.

Safira: Mãeee! Chegamos

A mãe estava na cozinha e vem toda apressada.

Aurora: Safira? O que aconteceu ? que pressa é essa?

Safira: Nada mãe é que eu preciso correr com o plano...

Aurora: Oi minha Pitica. Tudo bem? Nem tinha visto você

Priscilla: Oi vovó. Pode atender a louca da minha mãe?

Safira: O que você disse mocinha?

 Priscilla: Que eu te amo. –gargalha

Safira: Ah que bom! Pensei ter ouvido outra coisa

Safira chega perto da filha que se assusta

Safira: Ei calma, medo de mim?- diz meio triste

Priscilla logo percebe que a mãe estava magoada

Priscilla: Não, só que um passarinho me contou que você é a rainha da cosquinha.

Safira sorri. Aurora percebe o brilho nos olhos da filha.

Aurora: E com certeza é a sua mãe Regina. Estou certa?

Safira cora diante do olhar da mãe.

Priscilla: É sim!

Aurora: Ah Safira! Sou sua mãe. Até parece que mão me conhece

Safira: É que mesmo você aceitando me parece estranho. Vira – se para a filha- Então quer dizer que a sua mãe fala isso de mim?

Priscila dá de ombros.

Priscilla: Fala ué. Pra ela você é a rainha do gelo, do universo, do mundo mãe. Vai me dizer que você não sabe? Ai que vocês duas! Revira os olhos.

Safira pega a filha e começa a fazer cócegas

 Safira: Nos duas o que??? – faz cócegas na filha que ri e começa a rir também??

Priscilla: Nada, nada mãe para mãe. Safira ria. – Para mamãe para!

Safira para, sua vontade de beijar a filha era gigante, maior que ela. Encosta o nariz na mão da filha e depois seus próprios narizes e a enche de beijos.

 Safira: Ai meu toco de gente. Amo você

Priscilla: A surpresa te deixou feliz. Te amo também.

Safira. Por falar em surpresa, mãe você e a Pri vão me ajudar numa surpresa pra Regina, como você já sabe e venho pegá-las daqui uma hora. Preciso correr pra ajeitar tudo. Cuida dela pra mim????

Aurora: Que pergunta! Claro!

Safira: Obrigada. – dá um beijo rápido na mãe. – Até depois! Ah e Gi não se suje

Priscilla: Mãe, quando você ta toda apressada você me chama de Gi é meio estranho. Não vou me sujar.

Safira : Desculpa Pri é que eu gosto dos seus dois nomes. E cuida bem da sua bolsinha.

Priscilla: Calminha mãe. Calminha. Vai dar tudo certo. Você vai estar linda e a mamãe também.

Safira: Será que vai dar tudo certo? – ela estava nervosa, super ansiosa.

Aurora: Safira, filha confie mais em você. vai dar tudo certo. –safira abraça a mãe demoradamente.

Safira: Obrigada.

Safira sai apressada porta afora. Aurora se vira para a neta, toda querendo chorar.

 Priscilla: O que foi vovó?

 Aurora: Nada querida. A Regina realmente mudou a sua mãe....

Priscilla: Ela geralmente não abraça né?

Aurora: Sim. É isso.

Na mansão

Regina tinha se arrumado, e como sempre estava deslumbrante, mas insegura por dentro por causa da reação de Safira.

Paolla e Geraldo: UAU irmãzinha

Paolla: Quando eu disse pra arrasar não era tanto

Geraldo: ta linda!

Otávio fiu fiu: ta deslumbrante

Paolla: EI alguém esta muito saidinho hoje

Otávio: calma eu só fiz um elogio á sua irmã.

Regina: Obrigada eu sei que vocês me amam e que eu nasci pra arrasar

Geraldo. Otavio e Paolla: palmas para a convencida

Regina: ai gente para! Vamos logo quero saber o que a Safira ta me aprontando

Paolla: Calma impaciente. Geraldo você pode pegar essa pessoa nesse endereço??? Acho que vai gostar dela- Paolla entrega um papel com endereço ao irmão

Geraldo: Porque eu??

 Regina: Ah vá logo estrupício. Aproveita que você não vai segurar vela a noite toda!

Geraldo: Lembrando que se não fosse por você eu não estava segurando vela irmãzinha, e sim, esse lugar seria seu.

Regina faz uma pose de desafio com um sorriso no rosto e chega bem perto do irmão

Regina: É, mas eu nasci pra conseguir absolutamente tudo que quero.

Os irmãos riem. Era normal entre eles se provocarem. Otavio, Raul e Gemima que haviam chego apenas sorriem.

Geraldo sai para buscar a tal companhia, só ai Regina se dá conta das visitas

Regina: Olá, mas que reunião agradável. Parece que o negócio e serio hoje. Alguém aqui disposto a me contar?

Gemima: Como vai Regina?

Regina: bem obrigada

As duas na realidade não se suportavam, por conta da infância.

Paolla e Raul: surpresa é surpresa, Não se conta.

Regina: Então vamos logo todo mundo!

TODOS: APRESSADA!

Regina: Claro! É da minha mulher que estamos falando!

NA BOATE

Safira já havia arrumado tudo. A decoração, as musicas o lugar todo. Incluindo ela mesma. Estava elegante, num vestido rosa com a maquiagem forte chamativa, mas não ao ponto de parecer exagerada. Safira sabia se vestir muito bem e se maquiar muito bem, apesar da sua vida quase sempre monocromática. Sua única preocupação era que Regina gostasse, afinal se é que devia e quando devia explicação ou estar bonita fora pra ela mesma era para sua namorada. O resto era o resto.

Estava nervosa, será que Regina gostaria da surpresa? Será que ela mesma era o suficiente pra Regina??

Começou a andar de um lado pra outro. Onde estariam? Havia combinado com a cunhada todos os detalhes e ainda teria que buscar Priscilla.

~~ PAUSA AQUI

Regina, Paolla, Otavio, Raul e Gemima, já haviam saído. Regina havia preferido ir com a irmã e o cunhado, pois não suportava a prima e ainda como estava curiosa e apenas Paolla sabia de tudo...

Paolla havia vendado Regina ao sair de casa o que a deixou mais curiosa.

Regina: DÁ PRA ME CONTAR AONDE ESTAMOS INDO??? EU PROMETO QUE NÃO FALO NADA PRA SAFIRA

Paolla e Otávio: não, aguenta! Já já chegamos

Regina: já chegamos?

Paolla e Otavio riem

Regina: O que foi?

Otávio: Desculpa Regina é que você tá parecendo o burro do Shrek

Regina: ah SEU........

Paolla: chegamos! Espera eu tiro você Regina.

O coração da ruiva vai a mil em um segundo. Safira havia chego toda misteriosa em casa, e pelo modo como estava a surpresa parecia ser grande. Pra dizer a verdade percebera Safira tão ansiosa que se surpreendera. Parecia Pri em seu aniversário, no natal...

Suas duas vidas. Exatas cópias lindas uma da outra, não na aparência, no modo  de ser. Seria eternamente grata a Safira por ter entrado em sua vida... e ainda lhe dado Pri.

Paolla pegara sua mão, Otávio a outra. Dependia desses dois agora pra chegar a onde quer que fosse.

Raul e Gemima estavam atrás acompanhando – os.

Raul: Reg, você faz ideia de onde possa estar?

Regina: Claro que não. Vocês não me contaram nada!

Paolla: Calma Regina. Você esta vendada. Anda devagar

Otavio: aqui são degrais. Cuidado, devagar

Regina: Estou me sentindo a minha filha!

Safira que já havia visto eles chegarem estava na porta, não se contem e ri.

Regina: Saf? Amor é você né? Conheço a sua risada. Pode me dizer aonde estamos?

Safira: Sim sou eu minha ruiva. Espera um pouquinho você já vai saber.- chega perto da namorada e segura sua mão – Vem devagar, faltam dois degrais acho melhor ser um pouco a Priscila e confiar em mim e nesses doidos. – ri

Regina: Em você eu confio. Neles não! – Enquanto os outros riem, Safira secretamente se emociona

Regina nota a mudança na namorada, mesmo ainda vendada.

Regina: Saf? Eu sei que você está nervosa, mas, tem algo errado com o que eu acabei de dizer?  

Safira: Não nada.

Paolla: Que bonito hein! Que cena mais linda será que eu estou atrapalhando o casalzinho aí? Vai começar a sessão melação!

Regina nesse momento queria matar a irmã. Sabia que era difícil para Safira se expressar, agora as chances tinham ido por água abaixo mesmo.

Regina: cale a boca e beija seu marido de preferencia. O único que tinha pra segurar vela também não vai. Faz algo de útil Paolla!

Paolla: Desculpem!

Safira visivelmente desconfortável tenta quebrar o gelo que se forma.

Safira: Bom, antes de tirar essa venda, tem umas duas pessoas que tem que estar aqui... Regina você pode entrar, mas por favor sem tirar a venda?

Regina: Ok. O que você não me pede que eu não faço? Vai buscar a Pri???

Safira: sim! É rápido!

Eles entram Safira e Regina estão de mãos dadas, apesar de Paolla ainda ajudar a irmã. Safira senta a namorada. Uma musica suave começa a tocar, mas Regina nada pergunta, ia esperar a filha, isso parecia ser importante para Safira.

Safira: Bem eu vou indo. Prometo volto voando – diz nervosa

Regina: voando não, vai devagar, mas traz a Pri logo eu não aguento de curiosidade!

Safira: foi modo de dizer. Hmmm por acaso você esta cuidando de mim?

Regina: Sempre. Espera não vai me dar um beijo? É você que tem que fazer essa tarefa já que tiveram a brilhante ideia de me vendar e eu não envergo a sua boca, o que é uma pena

Safira fica encabulada.

Safira: Calma ansiosa. Já vai – dá um beijo rápido na namorada que pega sua mão e como aquele dia no hospital em que pedira a mão da mesma a cheira e deposita um beijo.

Safira deixa o local, querendo voltar rápido. Estava nervosa, emocionada.

“ Em você eu confio” Aquela frase ecoou durante o caminho inteiro. Regina confiava nela. E ainda mais, Regina não sabia nem o significado, mas a ultima cena, valia muito pra ela. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...