História Será você a salvação deste garoto? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Exibições 16
Palavras 1.466
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Peço mil perdões por nn ter postado... É que tive alguns problemas e não consegui postar... Na vdd ainda estou com problemas... Mas eu vou ter um treco se eu não escrever... Enton espero q gostem desse cap... :')

Capítulo 4 - Jung Hoseok


( Hoseok ) 
             Me sinto decepcionado por esperar as férias por tanto tempo e quando elas chegam elas se vão mais rápido do que você pode ver... Isso entristece meu coração de forma absurda... Enfim... Chega de lamentações, agora era momento de enfrentar mais um ano.  Primeiramente, meu nome Jung Hoseok, mas todos que me conhecem me chamam de J-Hope, estou no segundo ano do ensino médio e eu não aguento mais ter que estudar nessa escola, os funcionários me estressam, os alunos me estressam... Acho que só continuo nessa escola por causa dos meus amigos, Jungkook, Jimin, Suga, Jin e Rap Monster ( sim, isso tudo de gente, mas pelo menos por eles eu continuo nessa escola ).

      Eu estava mais uma vez desanimado pra ir pra escola e ainda era o primeiro dia de aula do ano... Eu já podia ver o quanto que eu ia reclamar esse ano, talvez um dos meninos até jogue uma pedra na minha cabeça pra eu calar a boca... Talvez o Suga... Quem sabe... Mas eu não tinha escolhas senão ir pra escola então sem mais demora eu fui né... Sofrer faz parte. Cheguei na escola, reencontrei os meninos, as aulas foram... Chatas né, só apresentações dos professores e isso foi chato em si. Quando cheguei em casa tomei um banho e sai novamente em busca de emprego por que né... Tô precisando muito disso então fui atrás. Entreguei currículos em devidos lugares e esperando ter notícias dos lugares que eu já tinha entregado mas ainda nava então decidi ir até lugares que eu nunca tinha ideia de ir procurar, como trabalhar na casa de alguém como empregado doméstico mesmo eu estava sem escolhas, qualquer coisa que viesse eu aceitava. 

             Eu acabei entrando em uma rua da qual eu nunca tinha ido, eu não moro á tantos anos aqui então por mais que não pareça, ainda tem muito lugar que eu não conheço. Havia uma casa, muito antiga por sinal, todas aquelas casas envolta era de um estilo bem antigo, bem antigo mesmo, mas aquela era a mais antiga dentre todas, a mais notável por sinal. Havia uma placa dizendo: - Estamos contratando auxiliar de cozinha e empregado(a) doméstico. Embaixo estava o telefone do lugar, eu o anotei e apertei a campainha e em menos de 7 segundos uma pessoa abriu, era uma garota de cabelos curtos e suas pontas meio azuladas, com um semblante triste por sinal e logo ela me convidou para entrar. Eu perguntei sobre a vaga de empregado doméstico e ela não respondeu, eu não entendi o por que disso, ela só continuava a andar e ao chegar á uma porta estreita apenas olhou para o lado e disse: - Eu não queria fazer isso com você... Eu realmente... Não queria. 

              Eu não entendi completamente nada, eu só queria saber se a vaga de empregado ainda estava aberta, mas pelo comportamento dela não seria isso e era estranho. Após entrar em uma sala pequena, eu vi um senhor sentado em uma poltrona no centro da sala, e três garotas á sua esquerda, logo após a outra se juntou á elas. Aquele homem me convidou para sentar- me á sua frente, e eu fui, mas logo duas garotas já se colocaram ao meu lado e ele disse: - Eu sei que está aqui por ver o anúncio na frente da casa... Certo?

- Isso mesmo. 

- Sinto muito... Mas não precisamos de você pra isso... E sim para outra coisa... 

- Mas então porq - Antes que eu terminasse a pergunta, duas garotas que estavam ao meu lado colocaram suas mãos e me levantaram, e MISERICÓRDIA! QUE FORÇA SOBRENATURAL ERA AQUELA? Não que duas garotas não tivessem força pra me levantar de uma cadeira... É que não era nada comum,eu não entendia mais nada do que acontecia, eu só estava indo atrás de uma vaga de emprego... Era muito pedir isso? Então aquele homem diz: - O que você pensa quando digo que pode se tornar um anjo da morte? 

- Como é que é? Moço eu vim atrás de emprego, não vim atrás de anjo da morte nenhum não... Podem me soltar? 

- Não... Não podemos... Aliás, nunca poderemos fazer isso. - Ele anda até a minha direção e diz: - É engraçado como as pessoas se deixam levar por qualquer coisa... Quem diria que uma simples placa anunciando uma vaga iria trazer você aqui... Sinta-se honrado... Acaba de ser tornar o meu mais novo anjo da morte... - Naquele momento eu não entendia nada... Absolutamente nada... EU SÓ QUERIA UMA VAGA DE EMPREGO! ERA SÓ ISSO! Me diz o que você entenderia quando fosse procurar um emprego e vem uma pessoa dizendo que você é um anjo da morte... Pois é... Você não entenderia nada... NINGUÉM ENTENDERIA! Eu só queria sair daquele lugar... Eu não entendia mais nada eu só queria sair dali. Aquele homem colocou sua mão em minha testa e em meu peito e disse: - Obedeça. - Dali se formou um pentágono em minha testa e em meu peito... Eu tentava me soltar das mãos daquelas garotas, mas era impossível... A força delas era algo fora do normal... Aquele símbolo ardia, como se eu estivesse sendo queimado vivo... Aos poucos fui perdendo os sentidos e a última pessoa que eu vi foi a garota que abriu a porta pra mim... Com um olhar entristecido.

 

 

               Quando eu acordei, me vi em um quarto pequeno, com apenas uma janela e a garota que abriu a porta  pra mim usava meu celular, e quando ela percebe que eu a observava ela diz: - Que bom que acordou... Já faz 2 dias desde que não acorda.

- Pera... 2 dias... Você tem certeza? Me diz que isso é um pesadelo por favor... 

- Eu queria que fosse um quando aconteceu comigo... Mas não... Infelizmente não é...

- E a minha mãe? E os meus amigos? 

- Mandam mensagens o tempo todo perguntando de você... Eu digo que não posso dizer...

- Você tá se passando por mim? 

- Claro, por que vou dizer quem eu sou? Não vale a pena, não ajudaria em nada... Mesmo eu dizendo que não pode dizer onde está continuam á perguntar... 

- Olha eu não sei quem é você mas eu também não me interesso em saber... Só me tira daqui... Por favor me tira daqui... 

- Eu não posso... Se fosse assim eu teria tirado várias pessoas daqui e não teria deixado você nem entrar aqui... Mas se eu fizer isso... Vai ser pior, aquele homem que fez isso em você...Ele pode fazer isso com sua mãe e amigos... E você não quer isso quer? Me desculpa... Eu queria te ajudar... Eu não posso...

- Então pelo menos diz... Quando eu vou sair daqui... 

- Você nunca vai sair daqui... 

- E-Então... O que vai acontecer comigo? 

- Você será usado em um experimento... o tornarão em um anjo da morte... Bem isso você já é... É só estimular suas asas, e seus poderes... Pode parecer estranho... Mas é isso... 

- E por que isso? E por que comigo?

- Eu não posso falar mais nada por enquanto... Se não nós dóis seremos punidos e você vai sofrer o bastante... Não vai precisar mais do que isso... Desculpa... Eu não posso dizer... Só posso dizer que está morto... Não exatamente morto mas... Não há muito o que fazer... Você já está praticamente morto - Então ela sai do quarto ainda com meu celular em mãos, era como se ela soubesse que eu iria pedir socorro ou algo do tipo e eu já estava chorando, eu sentia dor... Eu sentia desespero... Eu queria a minha mãe... Eu queria os meus amigos... Eu queria qualquer pessoa que me tirasse... Não, eu não estava morto... Isso não podia ser verdade. Percebi que elas trocaram minhas roupas... Era uma roupa estranha... Mas não era o que importava, eu apenas observava tudo, se tinha alguma maneira de sair dali... Mas a janela estava trancada e muita ferrugem... Eu sentia dor em todo meu corpo, não teria força nem mesmo pra me levantar, eu apenas ficava sentado naquela cama.

         Eu olhava em direção aos meus pensamentos confusos, e ela lá... Prestes a fechar a porta, mas ainda a me observar, eu chorava tanto... Eu olhei pra ela rapidamente e depois olhei pra baixo e falei aos prantos: - E-Eu só queria um e-emprego... Era só i-isso que eu queria... - Ela apenas pediu desculpas e fechou a porta. E eu fiquei lá, sozinho, chorando, confuso... Aquele símbolo que aquele homem fez... Ainda era muito dolorido... Ela disse que eu vou sofrer bastante... Eu só queria saber o que farão comigo... Eu só queria voltar pra casa... Eu não queria mais nada... Era só isso... 


Notas Finais


Bem... Demorou mas saiu... Espero que tenham gostado e em breve lanço mais cap da minha outra fic... Espero mesmo que tenham gostado e até mais amorzinhos ^^ '3'


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...