História Sereias Existem? - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Alzack, Aquarius, Aries, Bacchus Groh, Bickslow, Bisca Connell, Cana Alberona, Câncer, Capricórnio, Carla (Charle), Chelia Blendy, Coco, Droy, Elfman Strauss, Erik (Cobra), Erza Scarlet, Evergreen, Flare Corona, Freed Justine, Frosch, Gajeel Redfox, Gemini, Gildartz, Grandeeney, Grandine, Gray Fullbuster, Happy, Hibiki Lates, Horologium, Ichiya Vandalay Kotobuki, Igneel, Ivan Dreyar, Jellal Fernandes, Jet, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Kagura Mikazuchi, Kinana, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Lector, Leon, Levy McGarden, Libra, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Lyon Vastia, Macao Conbolt, Makarov Dreyar, Mavis Vermilion, Meredy, Metalicana, Metallicana, Michelle Lobster, Millianna, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Nikora "Plue", Pantherlily, Personagens Originais, Pisces, Rogue Cheney, Romeo Conbolt, Rufus Lore, Scorpio, Sherry Blendy, Sting Eucliffe, Taurus, Ultear Milkovich, Ur, Virgo, Warren Rocko, Weisslogia, Wendy Marvell, Yukino Aguria, Zeref
Tags Bacchana, Cana, Canaxbacchus, Erza, Fairy Tail, Gale, Gruvia, Jerza, Juvia, Levy, Lucy, Mirajane, Miraxus, Nalu
Visualizações 86
Palavras 758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sim, fiz um capítulo diferenciado.

Capítulo 6 - Coisinha da peste, eu já disse que existe.


Fanfic / Fanfiction Sereias Existem? - Capítulo 6 - Coisinha da peste, eu já disse que existe.

Laxus dreyar caminhava em direção a sala, estava cansado e com uma enxaqueca dos infernos. A única coisa que pensava era: Por que fui aceitar beber com aquele mongolóide?

Na noite passada, Bacchus e Laxus haviam bebido até não aguentar mais. Laxus chegou em casa no meio da madrugada e teve de ouvir um falatório de horas de seu avô Makarov que brigava com ele.

Laxus tinha que admitir, para um velhinho ele ainda estava bem jovem, falou sem gaguejar uma única vez e quase bateu no loiro com um vaso de plantas. 

- Bom dia pela adormecida. - Makarov diz.

- Ah não velhote, agora não, por favor.

- Velhote? Velhote? - Laxus revirou os olhos, sabendo no que ia dar. - Eu sou velho sim, mas na sua idade chegava na hora certa em casa e não virava noites bebendo se grava nas custas de qualquer amigo! - Laxus suspirou, sentando no sofá e começando a trocar de canal, enquanto ouvia Makarov falar em seu ouvido. Apesar da dor de cabeça, apesar da vontade imensa de gritar e sair dali, Laxus só podia ouvir calado.

- Makarov, não seja tão rígido com seu neto, ele apenas sabe curtir a vida. - Diz a empregada. - Diferente de você.

- Lurdes, não fale asneiras!

- A é? Você vicia reclamando de não poder sair por causa que seu pai não deixava. Eu me lembro muito bem disso. - Lurdes tinha mais ou menos a idade de Makarov, era filha da antiga empregada, então já conhece Makarov e Laxus muito bem.

- Eu preciso trabalhar, tchau para vocês. - Laxus aproveitou a oportunidade para fugir dali.

Ele entrou em seu carro e o ligou, primeiro teria que passar na casa Bisca e Alzack, ele havia prometido que só por hoje cuidaria de Asuka para eles poderem fazer uma breve viagem.

Chegando na frente da casa de Bisca e Alzack, antes mesmo de descer do carro, Asuka já corria em direção ao loiro toda alegre e sorridente.

- Laxus-nii! - A pequena se agarrava fortemente as pernas de Laxus, pedindo por colo, e logo seu pedido foi realizado.

- Asuka não corra assim, pode cair. - Diz Bisca saindo na porta e indo em direção aos dois. - Obrigada por cuidar dela para nós hoje Laxus.

- De nada, vocês também precisam de um tempo sozinhos. Eu preciso ir, cadê Alzack?

- Alzack tá lá dentro de arrumando. Novamente, obrigada por cuidar dela hoje. 

- Novamente, de nada. - Laxus coloca Asuka na cadeirinha no banco de trás do carro. 

- Não, eu quero ir na frente! - Asuka diz fofa cruzando os braços e inflando as bochechas.

- Asuka, não pode. - Busca diz beijando a testa da filha, logo se despedindo de Laxus em um aperto de mãos.

Um pouco longe da casa de Bisca, Laxus se sente aliviado.

- Cara, eu tenho que ser tão formal perto desses dois. Eu ein, carai. - Ele diz, mas percebe o que disse. - Asuka, não repita isso nunca! Nem conte para sua mãe que eu disse isso!

- Hã? Tá! - Ela sorri inocente, e Laxus solta um suspiro. - Mas o que carai significa?

Laxus se assista parando de repente o carro.

- Nada, não significa nada! Nadinha! Nunca mais fale isso! É proibido! Tá bom?

- Tá bom! - Ela sorri inocente, Laxus foca no trânsito e volta a dirigir normalmente.

Depois de alguns minutos, Asuka começa a cantar uma música que viu em um desenho, Winx, toda alegre, ela pede para Laxus cantar com ela, e como Laxus também gostava de Winx, os dois começaram a cantar. E Laxus pagou de retardado para os outros motoristas.

- Winx! Quando damos nossas mãos, nós tornarmos poderosas. Porque juntas somos invencíveis! Winx! É tão bom poder sorrir, e o mundo iluminar! Venha se juntar a nós voando! - Resumindo, eles repetiram a mesma música mil vezes. 

Finalmente, chegam na empresa em que Laxus é herdeiro. Como Laxus diferente dos outros já é adulto, ele já trabalha como diretor da empresa. 

Chegaram cantando Winx e todos riram deles, já acostumados a ver a cena daquele dois cantando músicas infantis. 

Eles foram até o escritório roucos de tanto cantar, mas continuaram cantando por amor as Winx.

- Eu sou a Musa! - Asuka grita.

- E eu sou a Layla/Aisha! - Laxus grita.

- E nós somos as Winx! - Os dois gritam juntos quando o elevador abre. 

O dia passou alegre e na volta para a casa de Asuka, a pequena faz uma pergunta.

- Laxus-nii, sereias existem?

- Sim.

- Existem não, o Romeo-nii disse que não existia!

- Coisinha da peste, eu já disse que existe.


Notas Finais


Sim, fiz um capítulo diferenciado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...