História Serendipity - Camren - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Exibições 44
Palavras 751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi novamente, bebês... talvez o capitulo anterior tenha ficado um tanto confuso. Mas, agora já acho que vão compreender melhor... espero rsrs

Boa leitura! Qualquer erro irei revisar e editar depois

Capítulo 2 - Pesadelos ou quase isso


Seis meses antes....

A névoa espessa se espalhava de modo uniforme no ar gélido da noite. O vento uivava forte, tornando o ambiente ainda mais assustador. Vozes nervosas martelavam meus ouvidos, e por mais que não conseguisse compreender o conteúdo que elas formavam, sabia que era algo importante, visto o tom  dos participantes.

Minha visão estava prejudicada pela opacidade cada vez maior da penumbra que se estendia. Porém, consigo enxergar, mesmo que de forma um tanto distorcida e rápida, um par de olhos brilhantes! Havia algo neles, havia vida, diferente de todo aquele ambiente impessoal.

Repentinamente, tudo começava a se mover. Mas, na verdade eu não me via andando,  me sentia como se estivesse sendo carregada. O ritmo continuava incessante, até que bruscamente parava. Novamente as vozes, agora possuindo um timbre novo. Porém, diferente de antes, elas se alastravam por menor tempo.

Agora, tudo que ouvia era a brisa que causava o farfalhar das arvores! Estava cada vez mais frio. Quando eu já estava quase congelando, vejo um objeto reluzente e pontiagudo se aproximar rapidamente, cada vez mais perto de mim, até que puff. 

- Aaaaah! Arf! Arf! Arf! - em um solavanco forte levanto ofegante percebendo o que tinha acontecido mais uma vez... mais um  pesadelo tinha me visitado. Desde que me lembro, sonhos ruins sempre fizeram parte da maioria das minhas noites. Contudo, com o decorrer da minha idade, eles tinham se tornado cada vez mais presentes, cada vez mais sinistros ... Reais.

- Esta tudo bem com você Camila? - uma voz apreensiva ecoa até mim. Por mais que o quarto não estivesse com nenhuma fonte luminosa para me auxiliar no reconhecimento de quem estava vindo em minha direção, eu jamais a confundiria. - Eu a ouvi gritar, fiquei preocupada.... são eles novamente? 

- Sim, estão cada vez piores, estou começando a achar que Martin tinha razão, talvez isso seja mesmo o....

- O dia do exame final se aproximando, sim com certeza é isso - ela me interrompe. Conheço muito bem a garota a minha frente, por isso, sei reconhecer o tom receoso em sua voz . E também sei que ela detém motivos para assim fazer. Já que ... 

- Você esta nervosa e ansiosa...  isso está afetando sua cabecinha de mini gênio.  Não precisa se preocupar , você sempre foi a melhor da turma, bom.. não melhor que eu, é claro. Mas... Irá se sair bem, sei que vai. - sinto sua voz irônica me atingir

- Olha só... amor próprio é tudo, mas não se iluda, isso não faz bem pra você, baby - a respondo com o mesma entonação debochada dela 

- Haha! Okay, mocinha.. Já está na hora da senhorita tentar dormir outra vez. Amanhã temos a iniciação dos exames finais. Sei que você é boa, porém... só vai estar na minha equipe se estiver descansada suficiente para usar essa sua visão de águia a nosso favor.

- Você sabe que mesmo que eu estivesse com um tapa olho, todos iriam me querer 

- Ui! Onde você aprendeu a ser tão convencida?

- Aprendi com a melhor, baby... você é uma ótima professora, bom... pelo menos pra isso - falo com um riso divertido, o que faz a garota se aproximar, acender o abajur ao lado da minha cama, e me fuzilar com os olhos

- Vá dormir antes que eu te encha de tapas, sua abusada - mesmo com sua voz áspera  e seu olhar de ameça, tudo que eu consigo fazer é rir

- Mesmo querendo da uma de brava, você é a coisa mais fofa e linda que já vi 

- Pare de rir sua idiota! Fofa vai ser  minha mão na sua cara se você não calar essa boca! Tchau, amanhã te quero inteira e não se atrase. - ela se levanta depositando um leve beijo na minha testa e saindo rumo a porta...

- Dinah...- falo com tom mais ansioso, e isso  a faz parar subitamente em frente ao corredor dos dormitórios. 

- Apenas... - ela pausa e respira fundo, fazendo-me perceber que sabia exatamente o que estava passando na minha mente

- Apenas tente dormir, Camila... eu estou com você, talvez ele tenha mesmo razão - ela suspira mais uma vez - Mas... eu estou com você - sem nada mais a dizer, ela sai... me deixando sozinha novamente, mas agora mais aflita pelas aquelas palavras "Talvez ele tenha mesmo razão". O peso da incerteza comprimia meus pulmões, não saber realmente a verdade estava me sufocando. 

 


Notas Finais


Até a próxima bebês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...