História Serendipity — Love & Reign - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Allbulletproof, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mpreg
Visualizações 1.051
Palavras 1.968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


▶Listen: The Words - Christina Perri

Capítulo 13 - The Words


Fanfic / Fanfiction Serendipity — Love & Reign - Capítulo 13 - The Words

Castelo Escarlate - 08h25

 

Jungkook não podia afirmar que estava amando Jimin, não era algo que simplesmente pudesse ser dito de um dia para o outro. Seus sentimentos não agiam dessa forma.

Entretanto, imaginar que pudesse perdê-lo para alguém, lhe causava ânsias e angústias inexplicáveis. Jungkook entrou em uma zona de insegurança e ciúmes, uma zona perigosa para alguém que mal podia entender o que estava sentindo.

Há poucos dias atrás, negava ao fato de um dia podia amar Jimin e agora seu coração buscava por isso de uma forma descontrolada. Porém, ainda assim era muito novo para ser afirmado, Jungkook precisava aprender sobre si mesmo e sobre o que estava sentindo.

Foi despertado de seus pensamentos quando o menor – que ainda dormia em seu peito – tossiu. Jungkook desviou os olhos das grandes janelas – que mostravam o nascer do sol – para olhá-lo.

Jimin estava com a pontinha do nariz vermelho, os lábios ressecados e um semblante de dor. “Resfriado...” Pensou Jungkook, respirando fundo. O desejo gritante de cuidar daquele ser tão frágil pairava sobre o coração dele, ver Jimin mal – de qualquer maneira que fosse – lhe causava um grande incômodo.

– Jimin? – Jungkook o chamou baixinho, vendo o menor se remexer em seus braços. – Acorda, meu amor. – O chamou novamente e sem se tocar na palavra tão carinhosa que proferiu.

Jimin abriu os olhos devagar, sentindo a garganta doer. Logo esboçou um sorriso pequeno, porém sincero. Ele não entendia o porquê de Jungkook estar lhe tratando daquele modo, mas não questionaria. Tudo o que sempre quis foi ser amado e receber carinho, mesmo que tudo acabasse no outro dia.

Contentava-se com aquele momento ainda que fosse passageiro. Jimin não era ganancioso, seu coração era puro demais para exigir algo além do que lhe era dado. Desde pequeno aprendeu a saciar-se com qualquer demonstração de afeto, mesmo que apenas fossem falsos.

Sua mãe sempre lhe tratava com amor e carinho na frente de outras pessoas. Porém, entre paredes a situação era bem diferente. Jimin nunca entendeu sua mãe por ser assim, pensava que a culpa estava nele por sempre a ver estressada e com raiva.

Quem poderia explicar para ele que Yang Mi apenas aturava o filho por ele ser “uma fonte de lucro e amizades de altos níveis” – como a mesma chamava. Jimin atraía isso para ela, sendo a pessoa encantadora que era.

Ela não amava o próprio filho, pois sempre quis ter uma menina que pudesse ser submissa assim como ela era com o próprio marido.

Então, Yang Mi, criou o seu bonequinho de vidro. Ensinando ao filho que ele não tinha o direito de questionar, recusar, desobedecer, escolher e sonhar.

Jimin apenas tinha que aceitar.

– Bom dia! – Jimin apoiou seu queixo no peito do seu esposo, vendo Jungkook lhe dar um sorriso lindo.

– Bom dia... – Jungkook sorriu ainda mais ao ver aqueles lindos olhos. Uma visão tão bela e pura.

– Você dormiu bem? – Jimin perguntou sorrindo. Sua voz estava um pouco rouca por conta da dor em sua garganta.

Jungkook reparou na voz de Jimin e então levou sua mão até a testa do menor. – Você está febril. – disse suspirando. – Vou mandar chamar o médico para lhe ver. – Ele deu um selar na testa de Jimin e o tirou de cima do seu corpo com cuidado. – Fique aqui, vou mandar lhe trazerem seu café. – Jungkook apenas ajeitou sua roupa um pouco, olhou Jimin se enfiar mais dentro dos cobertores e sorriu antes de sair do quarto.

 

(...)

 

– Como ele está? – Jungkook perguntou ao médico que estava examinando Jimin. O mesmo já tinha tomado seu café, mesmo que não tivesse sentindo fome o suficiente pra isso.

– É um resfriado... Vou receitar a ele uns antibióticos. Porém, temos que ficar de olho em sua amenia. – O médico disse enquanto retirava o termômetro de Jimin.

– Desculpa, o senhor disse anemia? – Jungkook indagou confuso.

– Sim, ele está com anemia ferropriva. Eu havia feito os exames e os entreguei ao seu amigo, achei que o senhor sabia. Em todo caso, ele precisa se cuidar caso queria que não agrave. – O médico disse sorrindo para Jimin. – Ele vai ficar bem. – prescreveu a receita e retirou-se do quarto, deixando Jimin e Jungkook a sós.

– Como se sente? – Jungkook perguntou sentando-se na cama. Buscou as mãos de Jimin e as segurou com carinho.

– Estou bem... – Jimin sorriu. O toque de Jungkook lhe deixava feliz e acolhido.

– Suas mãos... São pequenas e delicadas. – Jungkook as beijou com ternura. Chegou-se mais para perto de Jimin para beijar aqueles lábios, que havia se tornado um vício para ele.

– Estou doente, você pode pegar... – Jimin afastou-se um pouco do rosto de Jungkook, preocupado.

– Eu não me importo... – Jungkook falou enquanto olhava descaradamente para os lábios do loiro. Antes que Jimin pudesse responder, Jungkook o beijou, colocando seu corpo com cuidado em cima de Jimin, enquanto suas mãos acariciavam a cintura do menor. O beijo era carinhoso, porém quente e Jungkook podia sentir os batimentos acelerados de Jimin.

Jungkook perguntava-se como poderia sentir-se tão bem ao beijar Jimin, era uma sensação gostava e ao mesmo tempo confusa. Quanto mais ele beijava, mais o desejo de tê-lo e amá-lo crescia.

Já Jimin, sentia seu corpo arder com tantas sensações que eram provocadas com os beijos e os toques do seu esposo. Sentia que Jungkook o completava de alguma forma e para ele não era nada confuso. Era tudo muito claro... Jimin estava ficando dependente de Jungkook.

– Eu preciso resolver algumas coisas... Você ficará bem? – Jungkook cessou o beijo, já sentindo um grande vazio.

– Sim... Eu acho que vou dormir. Estou com sono. – Jimin falou sentindo seu corpo pesar. Com certeza era por conta dos remédios que havia tomado.

– Tudo bem... – Jungkook sorriu e deu um selinho em Jimin. – Mandarei Taehyung ficar de olho em você. – Selou as bochechas coradas do menor, vendo Jimin fechar os olhos e sorrir.

Jungkook teria uma conversa com seu amigo, ele precisava esclarecer algumas coisas.

 

(...)

 

– Estou aqui... – Disse Yoongi entrando no escritório de Jungkook. Ele havia resolvido afastar-se um pouco do castelo, mesmo que sua preocupação com Jimin fosse grande.

– Por que não me disse que Jimin estava com anemia? – Jungkook não perdeu tempo.

– Faria diferença? Agora você se preocupa com ele? – Yoongi sentou-se na cadeira em frente a mesa de Jungkook. – Não é como se eu tivesse esquecido disso, até porque encarreguei Taehyung de cuidar de Jimin por mim.

– Por você? – Jungkook jogou a cabeça para o lado e riu nervoso.

– Sim... por mim, ou esperava que eu confiasse em você para cuidar dele? – Yoongi questionou mesmo sabendo onde o amigo queria chegar.

Jungkook respirou fundo, dando-se por derrotado. Era fato que estava indo contra as suas próprias palavras, mas ainda assim sentia-se inseguro em proferir o que sentia em alta voz, quando nem conseguia admitir para si mesmo.

Yoongi riu. – Está arrependido, certo? – Ele viu o amigo lhe olhar confuso. – Arrependido de ter dito que nunca o amaria, arrependido porque está nutrindo um sentimento e está frustrado por não entender o que sente. – Yoongi era um “raio x”, conseguindo sempre decifrar os outros.

– Impossível não sentir algo quando ele sorrir... – Jungkook confessou quase que gritando, soltando o ar fortemente pelo boca.

– Eu sei... Foi exatamente por isso que me apaixonei por ele. – Yoongi também fez sua confissão. Ele era sincero demais para negar tal sentimento.

– Você o quê? – Jungkook segurou com força os braços da cadeira que estava sentado. Inquietou-se por dentro e novamente e o ciúmes se fez presente.

– Sim... Eu me apaixonei por ele. – Yoongi falou calmo. – Não irei fingir ou esconder isso de você e nem dele. – disse por fim.

– Você ainda tentará conquistá-lo? – A voz de Jungkook saia num tom grosso por conta da raiva. Um sentimento novo tomou conta de si: a tristeza. Tristeza essa que apenas sentiu quando Mi-Cha partiu, mas que agora era pelo fato de perder Jimin.

Ciúmes, medo e tristeza.

– Ele não é um jogo ou um objetivo, Jungkook. – Yoongi sabia que o valor de Jimin não se media. Sabia muito bem que seria baixo de sua parte tentar fazer com que Jimin se apaixonasse. Ele preferia que esse sentimento fosse natural, assim como o dele. – Não se preocupe, não farei nada que ele não queira. Porém, que fique claro que eu não me afastarei dele porque simplesmente você quer.

– Eu não pedi isso... – Porém ele queria isso. Jungkook sabia que havia um grande risco de Jimin se apaixonar por Yoongi.

– Eu lhe conheço bem, Jungkook... Desde que nós éramos crianças. – Yoongi tinha base em afirmar que o amigo era um pouco egoísta, que ele não gostava de dividir atenções e coisas materiais. Jungkook não gostava de perder ou de sentir-se inferior. – Tenho que ir... – Yoongi levantou-se e arrumou o paletó que vestia. – Espero que pense bem o que sentes... Saiba que Jimin não é uma propriedade sua. Não force ele a te amar, sentimentos não são brinquedos e Jimin não é um boneco. – Falou porque sabia que Jungkook odiava ser rejeitado. Deu as costas para o amigo e se foi.

Jungkook tinha muito o que pensar e aprender.

 

(...)

 

Jimin dormia tranquilamente quando Jungkook adentrou o quarto tarde da noite. Ele havia passado o dia fora e ainda estava sem sono, mesmo que não tivesse dormido.

Tirou o dia para pensar em si mesmo e em tudo o que estava acontecendo. Sentia que aos poucos Mi-Cha saia do seu coração, porém a presença dela era constante nas paredes daquele castelo.

Jungkook deitou ao lado de Jimin – que estava de lado e de costas para ele – e o abraçou, sentindo o aroma suave dos cabelos loiros. Ele beijava todo o ombro coberto de Jimin por uma fina camisa de seda branca, enquanto o encaixava junto ao seu corpo.

– Jungkook? – Jimin chamou sonolento, sentindo o calor alheio.

– Sim, meu bem... – disse Jungkook enquanto beijava o pescoço branquinho do menor.

Jimin virou-se de frente para Jungkook, esboçando um belo sorriso ao fitar o rosto do seu esposo.

– Você tomou banho? – Jungkook perguntou enquanto passava os dedos por entre os fios de Jimin.

– Sim... – Jimin encaixou seu rosto no peito de Jungkook, que estava um pouco desnudo por conta da camisa aberta.

– Você se alimentou bem? – Jungkook sentia seu pelos se arrepiarem com a respiração de Jimin em seu peito. Usou seus dedos para acariciar toda a lateral daquele corpo cheio de curvas, começando pelas coxas até a cintura dele. Observando o quanto Jimin tinha um corpo perfeito.

– Comi... Tae cuidou de mim. – Jimin sorriu e fitou os olhos de Jungkook. – Eu gosto quando você me abraça... – Confessou baixinho e envergonhado.

– E eu gosto de lhe abraçar... – Jungkook puxou Jimin para mais perto, suas mãos faziam movimentos mais precisos nas curvas de Jimin. – Você se sente melhor? – Jungkook perguntou enquanto levantava o rosto delicado do menor.

– Bem melhor... Na verdade não sinto mais nada de dor. – Jimin passou suas mãos pelos braços definidos de Jungkook.

– Jimin? Canta pra mim? – Jungkook pediu baixinho. Só a voz de Jimin poderia acalmá-lo naquele momento, aquela voz havia se tornando um de seus sons preferidos.

Jimin sorriu e pensou na melhor música para aquele momento. Ele desejava que Jungkook pudesse o amar nem que fosse por um momento. 

 

"Todas as luzes repousam em você. O resto do mundo some da vista e tudo o que eu vejo é amor. Por favor, diga que você sente isso também.

E todo o barulho que ouço aqui dentro... Inquieto, ruidoso, implícito e selvagem. E tudo o que você precisa dizer para fazer tudo isso desaparecer, é que você se sente do mesmo jeito também.

E eu sei que a parte mais assustadora é desapegar, porque o amor é um fantasma que você não pode controlar. Te prometo que a verdade não pode nos ferir agora, por isso, deixe as palavras escaparem de sua boca."

Notas Finais


Bom dia pessoinhas! A LETRA DESSA MUSICA SE ENCAIXOU TANTO.

⚠ Antes de vocês lerem aqui, quero lhes fazer uma pergunta: A noite de amor dele está pronta, eu soltaria como um bônus desse capítulo de noite. Vocês querem? Ou acham cedo? 🤔🤔🤔🤔

Enfim, era pra esse capítulo ter saído de madrugada. 😓

Porém, um rato entrou no meu quarto e eu taquei fogo nele e vim para a sala. (Mentira a parte do fogo) Mas eu realmente deixei ele lá. E eu sempre reviso no pc porquê o spirit tem a leve mania (que eu odeio) de deixar espaços grandes entre os parágrafos.😣

Outra pergunta: Vocês lêem uma fanfic ansiando por um lemon? Porque vejo muito gente falando: "sem lemon eu não leio." 🤔

Sabe, eu leio mesmo assim... Se a história for boa e contagiante. E espero que as minhas não precisem necessariamente disso para prender leitores. Entendem? 🤗

Eu gostei desse capítulo porque yoongi LACROU.

BEIJOS E COMENTEM TA? 😘

+ DE 100 FAVORITOS, EU AMO VCS CARA. FELIZ. 💜💜💜💜💜💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...