História Série Adoráveis - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Imagine Exo, Você
Exibições 153
Palavras 4.287
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, que surto de criatividade...
Eu escrevi e reescrevi, um pouco frustrada pela ideia não ser em si, uma história normal de professor e aluna, mas eu fiquei maravilhada com o resultado...
Espero que gostem ❤

Capítulo 4 - Meu adorável professor - Kim Minseok


Fanfic / Fanfiction Série Adoráveis - Capítulo 4 - Meu adorável professor - Kim Minseok

Nem em um milhão de anos eu me imaginaria em um lugar como esse... Mas agora eu não posso dar para trás e pedir para ir embora. Não quando uma grande quantia de dinheiro foi entregue nas mãos dos responsáveis, que prometeram algo que eu necessitava de volta.

Plaisir é uma escola. Não, não uma escola normal. Mas uma escola para mulheres que querem voltar a se sentir... Desejadas.

Mulheres da alta sociedade se encontram nesta sala, a maioria no auge dos seus quarenta anos, mas eu... Eu tenho pelo menos a metade da idade e não pareço tão rica quanto as mesmas, apesar de deter uma enorme quantia nas minhas contas.

Onde eu fui me meter?

Minha auto-estima não é tão baixa assim e nem ao menos eu fui casada para que eu exiba toda a minha sensualidade para um homem. Mas eu tive que aceitar a proposta da minha melhor amiga. Uma ótima melhor amiga, para falar a verdade.

Lindsay é casada e recebeu um convite para participar de uma das aulas da escola de alta classe, então sem pestanejar, a advogada aceitou, já que o seu casamento já não andava o mesmo de antes e ela achava que estava tudo muito desgastado, e o seu relacionamento precisava de algo a mais... As aulas de sexo - se é que eu posso chama-las assim - pareciam uma ótima ideia para ela. Mas de uma hora para a outra, seu marido mudou e seu relacionamento voltou para o topo, maravilhoso como nos tempos de namoro.

Mas era tarde de mais... Ela já havia depositado metade do dinheiro e não poderia voltar atrás, já que a devolução acontece somente depois da primeira aula se a mulher não de sentir satisfeita com as informações passadas. Então, como se fosse uma ótima ideia, Lindsay chegou a chorar para que eu participasse do pequeno "curso" de cinco aulas, proclamando que eu sou solteira e preciso de um pouco mais de sensualidade para encontrar um homem a minha altura. E que também, se seu marido ricaço soubesse que ela estava procurando por algo do tipo, ela simplesmente estava perdida.

- Bom dia - uma voz me tira dos pensamentos e eu levanto meu olhar das minhas pernas cruzadas, procurando pelo dono da voz.

Um homem de cabelos negros com algumas mechas roxas anda até o meio do círculo que nós formamos, sem mesas, apenas cadeiras que deixam os sapatos de marca balançando a mostra, como se competissem entre si para saber qual é o mais caro. Seu corpo parece ser bastante forte embaixo dos trajes sociais e eu respiro fundo, não escutando a pequena conversação que era formada antes da sua chegada despercebida por todas.

- Bom dia - elas dizem em coro e eu apenas observo o homem que não parece um professor especializado em... Sexo.

- Sejam bem vindas a primeira aula - sorri e apoia seu corpo na mesa atrás do mesmo, que até agora não havia sido notada por mim - Espero que possamos nos entender quanto ao assunto retratado e que os seus problemas sejam solucionados com as valiosas informações que passaremos.

Molho meus lábios e observo suas coxas grossas contra o tecido da calça social preta, pensando nas varias horas que ele deve passar malhando para ter um corpo assim.

- Eles prometeram total sigilo - uma voz fina se forma na sala, mas eu não me preocupo em voltar a minha atenção para uma das mulheres, possivelmente sustentadas por seus maridos de meia idade - Eu acho que nenhuma de nós quer que a informação de que as mulheres de alta classe frequentam aulas... aulas como esta, sejam vazadas para a mídia - sinto o seu tom esnobe e tento não revirar os olhos.

- Assinamos um contrato também, senhorita - sorri e cruza os braços - Se tivesse lido com mais calma, teria passado os olhos por todos os parágrafos - seu tom não é rude ou esnobe como o da mulher, é normal, como se fizesse uma observação qualquer - Suas identidades nunca sairão daqui, eu posso assegurar isso para cada uma de vocês - passa os olhos pelas oito mulheres e para em mim, como se perguntasse o por que da minha presença, mas logo ele o desvia e volta a atenção para o resto das moças - Podemos começar? - pergunta e elas assentem, eu também concordo - Vamos começar com as perguntas... Você primeiro - aponta para a mulher de vermelho, na outra ponta da meia lua que formamos - Sem qualquer timidez, estou aqui para tirar duas dúvidas, assim poderemos nos entender - tenta a relaxar.

- Bom... - sua boca cheia de botox pronuncia com um pouco de dificuldade - Eu apenas não consigo ter um orgasmo quando tenho relações com o meu marido... - algumas mulheres acenam timidamente, como se concordassem - Como eu posso mudar isso? Eu o acho atraente, mas apenas isso não funciona...

- Boa pergunta, senhorita Kim - o homem de cabelos escuros sorri e passa o polegar pelos lábios enquanto seus braços continuam cruzados embaixo do peito - O sexo começa muito antes das estocadas ou nas preliminares - cerra os olhos para a mulher - A sedução que levara ao sexo começa desde o primeiro olhar que você lança para seu marido quando vocês acordam ou quando ele chega do trabalho - molha os lábios e eu me deixo suspirar - A excitação deve acontecer muito antes das mãos dele explorarem seus seios ou entrarem dentro da sua calcinha. Mas tudo deve correr fluentemente, sem esforços de mais ou inquietude de querer faze-lo a qualquer custo... Apenas pense no que te excita e não tenha vergonha ou medo de abrir o jogo com seu companheiro, por que fazer isso é essencial para uma boa relação, tanto entre quatro paredes quanto fora delas - sorri para a mulher, que acena como se estivesse degustando as suas palavras.

- Mas e se nós mesmas não gostarmos da ideia dessas fantasias sexuais enquanto nossos maridos parecem apenas se viciarem nelas? - uma outra senhora pergunta um pouco mais baixo.

- A graça das fantasias são elas não ficarem apenas nos pensamentos, na fantasia em si - ri e descruza os braços, os coloca apoiados na mesa atrás do seu corpo, um de cada lado - É normal os homens fantasiarem com fazer sexo em lugares diferentes ou até mesmo em ver suas mulheres vestidas apenas de peças intimas - molha os lábios e eu tenho que cruzar as minhas pernas para tentar acalmar a inquietação no meu interior com o seu pequeno ato - Não tenham medo ou vergonha de fazer algo diferente... Isso é sempre bom, e lembrem-se: quanto mais simples a surpresa, mais excitante ira ser para o seu companheiro e mais prazeroso será para você!

Suas palavras soam em um tom calmo e dão a impressão que ele já fez isso varias vezes, a palestra eu quero dizer. E também não posso negar que Minseok, eu acho que é esse seu nome, é bem atraente enquanto fala esse tipo de coisa.

- E como sabemos que eles estão gostando do que estamos fazendo? - a outra pergunta, colocando uma mecha dos lindos cabelos loiros para trás da orelha - Hum... Na cama - completa um pouco receosa.

- Não force ou finja o prazer que não esta sentindo - diz normalmente enquanto cerra os olhos para a mulher, que parece totalmente absorvida em suas palavras, assim como todas - Seja sexy, sensual e confiante, mas nunca tente ser ou imitar alguém que você viu nas revistas ou na internet.

- E se eles exigirem que sejamos iguais a elas? - a mesma mulher de longos cabelos loiros pergunta, descruzando e cruzando as pernas finas e longas - Eu sei que não sou como as mulheres de vinte anos e sei que elas são quem atraem, pelo menos a estética, os homens.

Ha. Eu quero ver ele responder essa.

- Na hora do sexo, acredite, nenhum homem vai pensar sobre a sua idade ou se seu corpo é mais atraente do que o que ele viu na televisão - sorri e passa o indicador novamente pelo lábio fino - Você deve conduzir o homem ao prazer, quase como a hipnose. Esqueça as preliminares que envolvem apenas segurar o membro dele até que esteja duro ou passar seus lábios pelo seu pescoço, isso não será o suficiente para que ele esteja totalmente laçado.

- Então o que devemos fazer? - a morena ao meu lado quase que protesta e parece totalmente curiosa.

- Você deve o falar o que quer, o que espera que vocês façam - passa os olhos pelas mulheres ao meu redor e para em uma que permanece calada, tímida - O que falaria para seu marido, senhorita Hon?

- Bom... hum... - ela parece surpresa e tensa com todos os olhares das mulheres e do professor - Eu quero você? - gagueja as ultimas palavras.

- Algo mais profundo... - ele suspira e passa novamente os olhos pela sala, parando-os sobre mim e fazendo meu coração palpitar de leve pela ansiedade - Você, senhorita... (s/n) - diz num sorriso - O que falaria para um homem antes mesmo de um mínimo toque? Você se sente excitada, mas não é o bastante para começarem sem qualquer tipo de preliminares. O que você diria para ele?

O que eu diria para um possível futuro marido? Varias frases clichês invadem a minha mente mas esse não é o problema. O olhar de Minseok esta sobre mim e agora eu entendo a inquietude das mulheres.

Ele é tão atraente que as palavras apenas demoram para surgir na minha mente, uma vez que os meus olhos estão passeando pelo seu corpo escultural.

- Eu não consigo esperar para te sentir dentro de mim - minha voz sai baixa e eu engulo seco quando ele balança a cabeça.

- O que você quer que ele faça com você? - pergunta serio, mantendo o contato visual com os meus olhos - Ele terá uma ereção apenas com essas palavras...

- Eu quero que você me coma - digo, mas quando as palavras saem da minha boca, a vergonha que eu achava que teria apenas não aparece - Por favor.

Minseok sorri e se afasta da mesa, começando a andar até o meio da sala, exibindo todo o seu corpo forte contra o tecido dos trajes sociais.

- Isso - aponta para mim e olha para as mulheres - Não tenham medo de falar o que pensam ou o que querem, apenas acabem com qualquer barreira que sejam formadas entre vocês e seus parceiros - acena e algumas mulheres concordam - Vamos falar um pouco mais sobre isso...

Eu realmente não me lembro do que Minseok acabara de falar, eu se quer me preocupo em desfaçar meu olhar sobre ele e seu corpo de tirar o fôlego.

Não me atrevi a abrir a boca depois da minha resposta, mesmo sabendo que eu acertei, mas eu simplesmente estou preocupada em saber mais sobre o professor. Suas palavras fluem tão calmas e estudadas que eu me pergunto como ele aprendeu sobre tudo isso. Quero dizer, se apenas as suas palavras me deixam quentes, eu mal posso imaginar ele as colocando em pratica.

- Bom, vocês estão dispensadas - sou acordada pela sua voz e rapidamente me recomponho, observando que ele se mantém novamente com o corpo recostado sobre a mesa no centro da sala - Nos encontraremos na próxima terça-feira - sorri para as mulheres, que passam por ele com pequenos sorrisos nos lábios pintados, totalmente encantadas.

Me levanto rapidamente quando noto que eu sou a única que esta sentada. Ajeito o minha saia lápis e passo minhas mãos cuidadosamente pelos meus cabelos, tentando me equilibrar nos meus saltos pela hora em que passei sentada.

- (s/n) - ergo meus olhos e paro no meio do caminho, observando Minseok se afastar da mesa e deter toda a sua atenção sobre mim - Podemos conversar? - ergue as sobrancelhas e eu aceno rapidamente com a cabeça, me sentindo totalmente surpresa.

O homem de cabelos negros anda até a porta e a fecha, voltando novamente a andar em direção a mesa.

- Aconteceu alguma coisa, professor? - pergunto um pouco preocupada.

- Não - responde calmamente - Eu apenas queria fazer algumas perguntas, pode ser? - cruza os braços e recosta seu corpo na mesa.

- Sim, claro - aceno e me aproximo, não muito, sabendo que não será muito bom ficar perto de Minseok, para a minha sanidade.

- A senhorita esta frequentando as aulas no lugar da senhora Park, certo? - aceno e o homem cruza os braços - Existem alguns papéis que precisam ser assinados para que as identidades sejam trocadas e você possa participar normalmente das aulas.

Seu perfume é forte e masculino, como se me fizesse ter certeza de toda sua virilidade. Eu não tenho dúvida, uma vez que somente seu olhar pode me fazer suspirar por varias vezes.

- Eu o farei, professor - sorrio e passo a mão levemente pela minha testa, sentindo-a incrivelmente úmida - Irei passar todos os documentos necessários por e-mail - aceno e recomeço a andar, sentindo que a qualquer momento todo o ar ira se esvair dos meus pulmões.

Mas antes que eu consiga passa pelo seu corpo, sua mão agarra meu pulso e meu corpo é puxado levemente para que volte. Pisco algumas vezes e vejo que Minseok continua na mesma posição, mas agora um sorriso toma conta do seu rosto.

- Você não é casada.

Sua frase é carregada de ironia e eu franzo meu cenho enquanto tento não parecer mais surpresa ainda.

- Não - respondo devagar - Não sou casada - respiro fundo e olho para seus dedos ao redor do meu pulso, subindo novamente meus olhos para o fitar - Isso é um problema, professor? - a ironia se faz na minha voz e o homem de cabelos negros acena.

- Um grande problema, senhorita (s/n) - passa seus olhos pelo meu rosto e morde os bochecha - Esse pequeno curso foi feito apenas para mulheres comprometidas com problemas em seus casamentos...

- Eu posso querer evitar um problema futuro - digo não querendo parecer ligar - Ou eu devo arranjar um casamento ruim para depois tentar arruma-lo? - franzo o cenho.

- Não - nega com um pequeno sorriso - Mas não queremos formar uma opinião que ainda não existe, apenas ajudar a solucionar algo que já foi construído, senhorita (s/n).

Seu pequeno sorriso é quase como uma arma.

E eu não quero me render.

- Eu posso ter alguém - o que não é totalmente uma mentira.

- Um amigo com quem fica as vezes - passa a língua pelos lábios - Somente isso, (s/n). Você não tem tempo para relacionamentos e esta nesse curso apenas pela sua melhor amiga - ri.

Como ele sabe disso?

A minha mente parece confusa e eu tento me lembrar de ter comentado isso com alguém, mas somente eu e Lindsay sabemos dessa pequena escola numa pequena ilha a alguns minutos de Busan.

- Vocês pagam alguém para nos espionar? - pergunto sarcástica, observando o moreno acenar, me deixando boquiaberta e sem reação alguma.

- Não espionar, mas pesquisamos a fundo sobre a vida das nossas alunas - me explica - Temos que saber com quem estamos trabalhando.

- Ok - suspiro - Então eu não devo mais participar das aulas? - olho para o moreno que nega com a cabeça.

- Você é uma mulher bem sucedida e não precisa estar aqui - olha para minha boca e eu sinto um arrepio correr a minha espinha - Uma dominadora nata, (s/n) - respira fundo e fita meus olhos - Você quem escolhe com quem ira sair e só escolhe homens submissos ou que não sejam dominadores. Esse é o casamento perfeito, diferentemente das mulheres que estavam ao seu lado a alguns minutos.

- Tudo o que estou escutando me leva a pensar que eu não devo frequentar essas aulas...

- Não, (s/n) - diz num sorriso - Tudo o que eu disse enquanto respondia as pessoas não te acrescentaram em nada. Você gosta de preliminares e o sexo para você é algo que acontece quando seu corpo quer. Tudo o que eu respondia era para resolver os problemas daquelas mulheres e seus casamentos fracassados - passa os olhos pelo meu pescoço descoberto - Você é atraente e sexy o suficiente para despertar à luxúria em um homem, a qualquer hora...

- Eu realmente gosto de guiar as minhas relações - respondo sem saber o porque de estar fazendo isso - Mas essas aulas podem me trazer uma nova experiência.

Ainda olhando para seus olhos, sinto os seus dedos apertarem com um pouco mais de pressão meu pulso, fazendo uma pequena onda percorrer meu corpo.

- Talvez - vira um pouco a cabeça para o lado - Mas as minhas palavras simplesmente não entraram na sua mente, (s/n)...

- Eu apenas acho que você quer me manter longe, Minseok - aproximo meu corpo do seu e vejo seus olhos escuros me fitarem com certa curiosidade e surpresa, mas isso apenas me fazer continuar - Há algum problema com a minha presença?

Sua mão solta meu pulso e seus olhos não desgrudam dos meus, como se quisessem me desvendar. Mas agora eu estou sendo  totalmente guiada pelos meus instintos, que parecem querer me levar para um lugar obscuro e perigoso.

- Existe um grande problema, senhorita (s/n)... - aproxima seu rosto do meu e sinto sua respiração quente sobre mim - Eu não consegui me concentrar durante toda aula, por sua causa... Isso é um enorme problema para mim...

Pisco algumas vezes para tentar digerir as suas palavras, por mais que elas já estejam claras em meus pensamentos.

- O senhor deveria ser um pouco mais profissional então, professor.

Ele mantém a sua expressão seria, mas seus olhos não mentem que ele esta se divertindo com a situação. Mas o problema é que eu também estou.

- Esta sendo difícil com você... - morde os lábios e da os pequenos passos na minha direção, ficando de frente para mim - Estou no meu ambiente de trabalho, senhorita (s/n) - abre um pequeno sorriso.

Minseok não é tão alto quanto os homens com quem eu costumo ficar, mas eu não me importo com isso. Seus olhos são espertos e sua boca fina é simplesmente tão chamativa que eu não consigo tirar meus olhos dela.

- Mas eu realmente não me importo - digo baixo - Não agora.

Em um piscar de olhos os meus lábios são capturados pelos seus e as suas mãos rapidamente rodeiam a minha cintura, me forçando contra o seu corpo forte e me fazendo sentir todos os seus músculos duros, deliciosamente pressionados contra os trajes sociais.

Ainda com nossos lábios colados e nossas línguas ocupadas demais explorando quase que desesperadamente umas as outras, levo minhas mãos até seu paletó e seguro os dois lados, descendo-o e o jogando para algum canto da sala. Seus dedos agarram meus cabelos e me puxam para mais perto, enquanto seu corpo me vira e eu sou guiada cegamente para algum canto.

Uma das suas mãos abandona meu corpo e eu ouço o barulho de papéis caindo no chão enquanto meu corpo encosta em algum lugar duro, possivelmente a mesa, mas não abro os olhos para me certificar.

Num piscar de olhos meu corpo é levantado e Minseok me senta no objeto frio, que entra em contato com a minha perna descoberta pela saia não muito longa.

- Alguém pode nos encontrar aqui... - afasto nossas bocas para dizer sem folego as palavras, sentindo meus pulmões queimarem.

- Eu não me importo - repete as minhas palavras antes de voltar a abocanhar meus lábios, apertando ainda mais a minha cintura.

Abro as minhas pernas para que Minseok se acomode entre elas e as nossas intimidades cobertas se choquem num delicioso atrito, que tira um gemido das nossas gargantas. Suas mãos deslizam pelas minhas coxas, acariciando-as e param na barra da minha saia, ficando por um tempo la antes de a subir lentamente. Me levanto ao máximo para que ela esteja pendendo na minha cintura e a minha calcinha fique a mostra.

Espalmo minhas mãos em seu peitoral e desabotoo os primeiros botões da sua camisa social, descolando nossos lábios para poder observar maravilhada a sua pele.

Desço as minhas mãos até a sua calça mas paro no meio do caminho, levantando meus olhos para fitar Minseok com um sorriso, sendo retribuída.

Sem preliminares.

Eu já estou totalmente excitada.

Sua explicação ressoa pela minha cabeça e eu vejo que o seu jogo de sedução começou muito antes de me chamar para ficar na sala. Minseok me notou desde o momento em que entrou na sala, mas não fez muito caso para que eu o notasse. Talvez a maior atenção quando ele insistiu para que eu falasse o que diria para um homem na hora H, mas eu acho que essa pergunta não sairá dos meus pensamentos.

Enquanto a minha mão esta em seu abdômen malhado, as suas descem e encontram o zíper da sua calça social, desabotoando-a e tirando seu membro duro para fora.

Um arrepio corre o meu corpo e eu agarro sua nuca, o trazendo novamente para perto e plantando um beijo em seus lábios macios, sentindo a ponta do seu corpo encostar na minha entrada coberta. Ofego e solto um gemido quando Minseok faz uma leve pressão contra o tecido fino, forçando sua glande e levando os dedos até minha calcinha molhada, colocando-a para o lado.

Seu rosto se afasta do meu e se enterra no meu pescoço, soprando de leve a minha pele quente. Fecho meus olhos quando sinto seu membro começar a me preencher aos poucos, enquanto seus dedos apertam a pele das minhas coxas e seus quadris continuam com o movimento lento, até que sua ereção esteja por completo dentro de mim.

Mordo os lábios e agarro meus ombros, sentindo o meu interior o acolher e o apertar, se acostumando com seu tamanho.

- Tão apertadinha - diz baixo no meu ouvido e eu jogo minha cabeça para trás, deliciada com a sensação que a sua voz rouca me traz - Droga, você é tão quente.

Cravo as minhas unhas em seus ombros cobertos quando seus movimentos começam a tomar intensidade, gemendo baixinho em seu ouvido enquanto desgrudo as minhas mãos do seu corpo e deito o meu corpo na mesa, sentindo a madeira fria em contato com os meus ombros nus, descobertos pela fina blusa de seda.

Seus olhos estão focados no meu rosto e uma das suas mãos aperta meu seio coberto, enquanto a outra continua a agarra a minha cintura para que seus movimentos sejam mais profundos.

- Minseok... - gemo baixo e agarro os dois lados da mesa, tentando conter o meu grito de prazer.

Seu rosto esta levemente vermelho e eu posso enxergar a veia do seu pescoço saltada enquanto seu quadril se mexe freneticamente em contato com a minha intimidade. A cena não podia ser mais erótica e eu não consigo tirar meus olhos dos seus, que brilham de prazer.

Minha visão fica turva e seu corpo se debruça sobre o meu, entrando mais fundo e atingindo todos os pontos possíveis dentro de mim.

- Olhos abertos - ele diz sério e eu obedeço, sentindo um tremor e uma deliciosa queimação tomarem volta do meu ventre conforme a minha intimidade parece ficar mais sensível a cada estocada.

Um orgasmo longo e devastador me atinge enquanto mantenho meus olhos abertos, fitando a sua boca semiaberta. Sua respiração fica cada vez mais forte e um gemido rouco escapa dos seus lábios, sinto seu membro pulsar no meu interior e logo seu rosto esta enterrado novamente no meu pescoço. Nossas respirações fortes e descompassadas se misturam.

Aperto meus olhos e um barulho toma conta da sala silenciosa, tirando toda a sua atenção.
Minseok se levanta, afastando-se do seu corpo enquanto ajeita suas roupas. Eu também me recomponho e desço da mesa, ajeitando minhas roupas e observando Minseok falar ao celular.

Suas roupas estão perfeitamente arrumadas, mas seus cabelos... Seus cabelos estão completamente bagunçados, indicando o maravilhosa transa que acabará de ter.

Será que existe mais homens como Minseok pelo mundo?

- Senhorita, (s/n) - uma voz masculina me tira dos pensamentos e eu me obrigo a afastar meus olhos do traseiro do professor, que também se vira para observar o diretor do "curso" - Estou atrapalhando...? - olha interrogativo para Minseok.

- Não - responde rapidamente e coloca o celular novamente no bolso da calça - Eu estava conversando com a senhorita (s/n) sobre os papéis que ainda precisam ser assinados - acena para o homem de meia idade.

Passo a mão pelos meus cabelos, tentando conter os fios bagunçados, não querendo deixar prova alguma para trás.

- Ah, claro - o homem sorri na minha direção - espero que a senhorita esteja gostando das aulas...

Aceno com um sorriso e coloco uma mecha dos meus cabelos para trás da orelha, me sentindo incrivelmente desconfortável nessa sala.

- Estou sim - sorrio - O professor é bastante atencioso - olho para Minseok e o mesmo pisca descaradamente quando o homem ao seu lado esta distraído.

- Espero que a senhorita volte e acompanhe as outras aulas - noto a malicia no tom de Minseok e logo o mesmo esta sorrindo descaradamente para mim.

Acompanhar as outras aulas parece tentadoramente delicioso... Você não perderá nenhuma aula do professor Minseok, sim?


Notas Finais


Me desculpem por qualquer erro de escrita, amores 💕
Beijo 💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...