História Série Seres Sobrenaturais: O Sanatório - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 15
Palavras 1.469
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! *Seja lá quem esteja lendo* como vão?

Capítulo 3 - The Suicidal


Fanfic / Fanfiction Série Seres Sobrenaturais: O Sanatório - Capítulo 3 - The Suicidal

 

-Não. ..não, porque quer saber? Não, não - ela está me perturbando como todas fazem, como fez com Matt.

-Calma é só um pergunta - Disse simpaticamente

-Não importa... Não, não quero saber deles - encarei o chão

-Ok, vamos falar de você - disse olhando minha ficha - aqui diz que você não da trabalho a duas noites, como está se sentindo hoje ? - disse me olhando

-Nem sei, nunca me senti bem.. Quero ir embora - Falei quando ouvi um sussurro, vozes, tormento

-Não Andrew, a consulta ainda não acabou - Disse tentando me acalmar

-Não.. Não..- Falei me levantando com as mãos nos ouvidos - você não entende.. ME TIRA DAQUI OU EU TE MATO - fui pra cima dela, não pude evitar

 

E logo os enfermeiros apareceram ali, e me arrancaram de lá.

 

-Me solta...não.. Não - eu ouvia as vozes gritarem cada vez mais alto

Eles me arrastaram pra fora do consultório, eu já via agulha em alguma daquelas mãos.

-Ah não..-Falei tentando chutar, mas senti quando enfiaram aquela agulha no meu braço, e eu queria matar todos

Eu perdi as forças pra lutar contra as vozes, tudo foi se escurecendo, eu não queria me entregar a escuridão, mas os meus olhos não me obedeceram.

 

***

 

 

Eu estava em um chão gelado, minha cabeça explodia e parecia que eu carregava o mundo sobre ela, me levantei ainda sem enxergar nada eu estava no chão do meu quarto. "Cadê Matthew?" Pensei ainda tentando enxergar pois só via sombras.

Aos poucos eu fui conseguindo enxergar o quarto, e ele estava na cama dele dormindo com certeza por sedativos porque só assim pra gente dormir. Me sentei na minha cama olhando pro chão. A voz daquela médica repetia a mesma pergunta várias vezes na minha cabeça e aquilo latejava, me fazendo odiá-la.

Me levantei e fui até o banheiro do quarto onde só tinha uma pia com um espelho, acho que nem deveriam chamar isso de banheiro, o espelho eu quebrei então só tinha um pedaço, lavei o rosto, levantei o rosto olhando no mínimo pedaço de espelho.

Eu vi ele ali era meu pai olhando pra mim como me olhou quando me jogou aqui. Me assustei caindo pra trás sai do banheiro.

Me encostei naquela parede de sempre, fiquei olhando o quarto.

 

-Acorde - Sussurrei mexendo os dedos olhando pra janela, desejando que Matthew acordasse

Depois de meia hora olhando pros cantos e sussurrando a mesma frase, fui pra cama e sentei agarrando meus joelhos abaixei a cabeça.

-Andrew? - alguém falou acho que foi no quarto, ou foi na minha cabeça? Reconheci, era a voz de Matt

Levantei a cabeça rapidamente.

-Dormiu mesmo, hein? - falei olhando pra ele

 

-Grande merda eu odeio fechar os olhos pra dormir - disse bagunçando os cabelos, me encarou com aqueles olhos verdes como água, arregalados e assustados - Eu vi ela lá Andrew - disse fracamente

 

Ele se referia a mãe dele que batia nele uma merda, era tudo uma merda.

-Odiei aquela médica, acho que ela vai embora também - falei colocando a mão na nuca e rindo

-Ameaçou ela também - deduziu gargalhando

Ficamos ali naquela conversa sem nexo por uma ou duas horas não lembro.

Tempo depois Ficamos em completo silêncio, e então ouço portas bater e gritos achei que eram alucinações, mas Matt olhou pra mim com os olhos arregalados.

Os Gritos vinham do Quarto ao lado, que eu achei que estava vazio alguma coisa tinha acontecido.

 

-Cara, esse grito foi sobrenatural - Matt disse sussurrando

Corri até as grades tentando ver algo, algo tinha acontecido no quarto da frente, eu não consegui ver o que era.

 

-Não é bom... Não é n... Não é bom - falei escorregando na parede

Matthew correu até mim.

-Calma não é aqui, eles vão te sedar, calma - ele disse olhando pros lados

-Matthew eu vou matar ela... Vou matar... Matar aquela médica... Ela me perturbou - minha cabeça explodia em vozes, gargalhadas e gritos.

-Esqueça as vozes - Matt disse sentando ao meu lado e agarrando os joelhos

Eu fui tentando esquecer as vozes, mas eu vi alguma coisa vir na minha direção me assustei, é inútil tentar esquecer.

-To tentando Matt, eu vi alguma coisa - falei ofegante

-Nós sempre vemos coisas que a medicina diz ser imaginação - disse rindo

-Idiota - falei e acabei rindo

-Ai viu! o idiota consegui te acalmar - disse  convencido.

 

***

 

Já era manhã quando a enfermeira abriu a porta.

 

-Acordem garotos! - a enfermeira disse entrando no quarto

Ela olhou pro lado da cama, e riu pelo nariz.

-Ah, os garotos que não dormem, venham está na hora da recreação

Me levantei seguindo ela ao lado do Matthew, recreação é quando ficamos em uma espécie de pátio com mesas TV's  e podemos andar pelos corredores, se for seguro para outros internos.

 

-Então, vamos descobri o que aconteceu ontem? - Matt disse se sentando em uma mesa que tinha um tabuleiro de Xadrez

-Obviamente, quem está no quarto ao lado do nosso? não tinha ninguém até ante ontem - falei

-Quem chegou esses dias? - ele disse pensando e foi ai que eu lembrei

-Tem uma garota ela é Japonesa, no dia da consulta ela puxou assunto comigo, com certeza ela tá no quarto do lado e foi de lá que vieram os gritos - Falei

-Tá ok, sabe o nome dela? A gente tem que procurar ela - Matt disse olhando para os internos ao redor

-Não sei era um nome japonês cara, Kayumo, Kitty, Yumi, Sei lá! - Gargalhei - Lembrei é Yuki, o nome dela é Yuki!

Deu risada alto

-Ok, vamos atrás da garota ela deve estar por ai, voltamos aqui em... - olhou pro relógio na parede - 10 minutos.

Ele se levantou e foi por um lado e eu para o outro.

Passei por um cara que nem falava ele gritava, já esmurrei ele porque ele me assustou enquanto eu andava pelos corredores dei risada lembrando, passei por uma mina loira que conversava sozinha, eu olhei pro fundo das mesas e vi uma garota cabelos longos e pretos, estava sentada de costas, era ela com certeza me aproximei.

-Hey - cutuquei ela que sorriu quando me viu

-Oi Andrew - disse com uma animação

-Oi, é preciso que me conte uma coisa, vem comigo? - perguntei

 

Ela levantou e veio caminhando do meu lado, cheguei na mesa que eu estava antes com Matt e ele ainda não tinha voltado

 

-Então é ela? - disse quando chegou apontando

-A própria - falei sem emoção

-Oi eu sou Yuki - ela sorriu, mas porque ela sorri tanto?

-Oi Yuki, eu sou Matthew e eu e o Andrew somos Curiosos, você está no quarto 457? - falou tudo rápido e eu soltei uma risada

-Sim, estou - disse a garota tentando ouvir bem as palavras

-O que aconteceu lá ontem?- perguntou

-Não posso falar, eles vão me sedar de novo - ela sussurrou olhando pros lados

-Relaxa, não vamos contar pra eles, fala ai- Falei

-Ok, bom eu não a conhecia, era uma ruiva ela estava naquela dia da consulta não sei se vocês viram ela, eu estava olhando pela grade quando eu vi ela se enforcando com alguma coisa, o pior foi que alguma coisa puxou a corda com força, era algo ruim e então eu gritei quando vi que o corpo dela voou contra a porta - Disse sussurrando, e eu lembrei da garota ruiva daquele dia da consulta foi ela.

-Então ela se suicidou? - Matthew perguntou mais pra si mesmo

-Não, aquela coisa matou ela, eu juro que não estava alucinando - Falou

-Ok, pode ir - Falei e fiz sinal pra ela sair

-Deixa eu ficar aqui? -Ela disse

-SAI! - falei alto, ela se assustou e levantou

 

Ela me olhou depois olhou pro Matthew, e saiu andando.

 

-Bom, conseguimos as informações - Falei satisfeito

-Você não presta Andrew, coitada da garota - disse com aquela gargalhada

-não confio nela cara, mal a conheço - olhei ao redor

-Ok, o que temos? - ele perguntou, mas minha atenção foi para outra coisa, gritos

 

Eu virei para o lado do corredor que ia para aos quartos, eram gritos muito altos, todos olharam naquela direção quando passaram enfermeiros segurando uma garota ruiva, era novata porque ainda estava com roupas casuais e camiseta de força, um exagero, eles passaram com ela para os quartos.

 

-Essa ai deve ser uma das internas novas, lembra? - Matthew disse

-Lembro sim

Ainda dava pra ouvir os gritos da garota "Não quero ficar nesse lugar quero minha casa, meu quarto, minha mãe" ela tinha uma força para gritar, era impressionante "meus pais não fariam isso comigo".

Ah eles fariam sim, as pessoas são capazes de tudo.

 


Notas Finais


E então estão gostando? comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...