História Sessão Da Meia-noite - Capítulo 72


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Drama, Fanfic, Fic, Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, One Direction, Romance, Zayn Malik
Visualizações 88
Palavras 916
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 72 - Proposta


Fanfic / Fanfiction Sessão Da Meia-noite - Capítulo 72 - Proposta

POV BRU

Acordei com meu celular tocando. Com muita dificuldade, abri meus olhos e peguei o celular que tocava alto.

"Chamada de Chico"

Atendi.

Bru: alô

Chico: Bru?

Bru: eu mesma

Chico: te acordei?

Bru: eu precisava acordar mesmo

Chico: então, bom dia -falou animado

Bru: bom dia -tentei alcançar o tom de animação dele mas o sono estava mais forte- mas, e ai? O que devo a honra da sua ligação em plena -olhei a hora- 7h34 da manhã?

Chico: então, você sabe que eu sou modelo, não é?

Bru: sim -falei com os olhos fechados.

Chico: vamos ter um evento muito importante e precisamos de cinco modelos. Philip, meu empresário, quer modelos conhecidas, mas eu lembrei de você, e acho que você seria excelente pra isso, você tem tudo o que ele precisa.

Bru: mas eu não sou modelo, muito menos uma modelo conhecida

Chico: e se eu disse que eu te coloquei nisso e você esta entre as 10 meninas pra fazer o teste de cast? -sentei rápido

Bru: você o que?!

Chico: não me xinga. É que enquanto ele ia falando de como ele imaginava tudo aquilo na reunião, eu só consegui imaginar seu corpo

Bru: se estava com saudades, era só ligar -brinquei e rimos- eu não tenho estruturas pra ser modelo

Chico: tem, tem sim. E é só um trabalho, um bom trabalho que te dará um bom dinheiro. Eu só preciso que você fale sim pra eu poder fechar

Bru: aonde vai ser?

Chico: Paris

Bru: oh, Deus! -passei a mão na cabeça- Quando vai ser o teste?

Chico: depois de amanhã

Bru: você é louco, Francisco! -ele riu.

Chico: e ai?

Bru: estou com medo de você acabar me levando pra Turquia pra eu virar prostituta, ou vender meus órgãos -rimos.

Chico: putz! Você descobriu, e agora? -rimos

Bru: precisa da minha resposta ate quando?

Chico: ate meio-dia pra eu pegar as suas passagens

Bru: posso te retornar daqui a pouco?

Chico: pode

Bru: então já te ligo -desliguei e me levantei- eu esqueço que aqui no Brasil tem o "beijo, xau" antes de desligar -falei enquanto saia do quarto- mãe?

Mãe: na cozinha -fui ate lá

Bru: recebi uma proposta de emprego em um evento -me sentei em frente a ela.

Mãe: evento? Aonde?

Bru: é, Paris -ela arregalou o olho e se engasgou com a bolacha.

Mãe: vai fazer o que em Paris? É pra que esse trabalho?

Bru: é pra eu ser modelo

Mãe: fotográfica ou de passarela

Bru: passarela

Mãe: mas, filha, aquelas mulheres são tão desnutridas -ela me imitou -eu tinha essa mania de falar toda vez que eu via alguma modelo ou quando alguém dizia que eu tinha porte de modelo- ela riu.

Bru: o cachê é alto, mãe, nós precisamos de dinheiro, precisamos sair dessa vida.

Mãe: você quer ir?

Bru: eu quero dinheiro -rimos- eu quero tirar a gente daqui, sabe? Todo esse lance com meus avós, com o Daniel. Eu preciso, sabe?

Mãe: ah, filha, você se cobra tanto... -acariciou meu rosto.

Bru: eu só quero mudar, mãe. Se você não quiser, eu continuo procurando emprego por aqui mesmo

Mãe: com essa crise? Acho melhor você aceitar -sorriu

Bru: você tem razão?

Mãe: você precisa se distrair e fazendo o que tem vontade

Bru: por que eu sinto que você não quer

Mãe: eu quero, eu só não quero você longe. Você passou por tanta coisa e eu não estava la pra te proteger de todo o mau.

Bru: mãe, fica em paz, Anne esta em Londres -ela riu- devo aceitar?

Mãe: é claro, a gente precisa mudar de vida -ri fraco, levantei e abracei ela.

...

Chico: alô?

Bru: quando vamos?

...

Dan: vai embora de novo? -o ignorei enquanto arrumava as malas- vai continuar me ignorando? -sim- você esta fazendo isso há quase duas semanas e isso é tão infantil -o olhei.

Bru: eu sou a infantil da história? E sim, estou indo embora. Não é o que você queria? Então.

Dan: eu não quis dizer aquilo

Bru: mas disse -fechei a mala.

Dan: me desculpa

Bru: eu só quero que você, uma vez na sua vida, me ajude

Dan: eu vou ajudar

Bru: eu espero

Dan: vai voltar pra Londres?

Bru: não, eu não volto mais pra la

Dan: e pra onde você vai?

Bru: Paris. Tenho um teste pra modelo. Se eu passar, vou trabalhar em um evento importante e ganhar um dinheiro bom.

Dan: acha que você vai passar?

Bru: ainda pergunta?

Dan: desde quando você é convencida?

Bru: não fui convencida, eu quis dizer que sou azarada. Se eu passei vai ser por milagre de Jesus -ele riu.

Dan: então vou começar a rezar desde agora -eu sorri enquanto tentava colocar a pulseira- eu senti sua falta, B. Não foi fácil sem você aqui, ainda mais quando fui aceito no trabalho e não tinha ninguém pra comemorar porque a mamãe resolveu passar a folga dela dopada. Você pode ficar com raiva e me xingar de todos os nomes, mas eu não fumo maconha porque eu gosto, mas pra esquecer do inferno que é minha vida.

Bru: vem cá -abri os braços e ele me abraçou- eu fumei maconha em Londres -ele me olhou surpreso

Dan: você o que?

Bru: pois é, e depois fui assaltada -rimos.

Dan: mas você gostou?

Bru: de ser assaltada? Não, foi muito ruim -brinquei e ele riu.

Dan: não quis dizer isso.

Mãe: Bruna, tem um homem te procurando -gritou.

Bru: leva minha mala? Eu já vou.

Dan: ta -pegou a mala e saiu do quarto.

POV TAI

Bea: você acha que eu deveria ligar pra Bruna?

Tai: eu pensei em mandar uma mensagem. Eu sinto falta dela. E ontem, depois da nossa conversa com os meninos, acho que todos nós percebemos que fomos precipitados

Gray: pode ter sido qualquer pessoa que queria ferrar a Anne e acabou colocando a culpa na Bru

Tai: ta, mas quem?

Thay: eu -olhamos pra ela.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...