História Sessões de terapia - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Jin, Seokjin
Visualizações 10
Palavras 2.926
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Love it

Capítulo 20 - 19 - Combinação


Eu fiquei boquiaberta, estava completamente envergonhada, estava com tanta raiva que simplesmente não pensei que podia ser outra pessoa. Olhei para o ruivo com lágrimas de vergonha, me abaixei para ajuda-lo.

- Mochi, pelo amor de deus me perdoa! - disse ajudando ele a limpar a roupa - Eu estou tão estressada que não pensei em nada mais do que tentar me defender.

- Tudo bem, eu já devia imaginar que não era bom chegar do nada se tratando de você - disse coçando a nuca.

Eu suspirei alto, fiquei na ponta do pé e dei um beijo em sua bochecha.

- Dizem que beijinho cura tudo! - disse e ele riu - O que traz você aqui?

- Perdi uma amiga há alguns anos, hoje seria o aniversário dela! - indagou triste - E você, veio ver seu amigo?

- Como sabe dele? - exclamei boquiaberta.

- Jin comentou sobre você ter perdido seu melhor amigo com toda aquela confusão - respondeu.

Ele se aproximou e me abraçou forte, já tinha dias desde a última vez que nos falamos, Jimin era tão fofo que parecia um travesseiro fofinho e acolhedor. Deixei as lágrimas saírem, um vento frio começou, uma chuva fraca veio em seguida. Corremos para de baixo de uma árvore rindo. Seus olhos meigos me lembravam um urso de pelúcia.

A velocidade do vento aumentava, gradativamente a chuva se tornava intensa. Ele dissera que seu carro estava na outra quadra, corremos em meio aos pingos gelados da chuva, ao avistarmos um Toyota preto ele correu mais rápido. Eu tomei o banco do carona e ele do motorista, nos encaramos rindo, ambos encharcados. Jimin ligou o rádio para descontrair o tempo até a chuva passasse, o locutor balbuciava sobre o tempo.

- E agora a últimas notícias do clima - disse o locutor - ao que indica estamos em meio a uma tempestade, cujo o tempo de duração é indeterminado.

Ao ouvir isso Jimin ligou o carro e arrancou, fiquei com os olhos arregalados. Ele virou algumas ruas, estava quase impossível enxergar pelo vidro então ele tomava bastante cuidado. Com o tempo ele entrou em um estacionamento subterrâneo, eu não queria ter medo dele, era o Jimin! Eu só confiava nele por causa do Jin, o que na verdade era o simples fato de eu transferir minha confiança do Seokjin a ele. Ele saiu do carro e eu fiquei ali estática, Jimin deu a volta e abriu minha porta indicando para que eu saisse.

O barulho da chuva era alto fora do prédio, ele pediu que o seguisse. Muitos carros entravam no lugar, senti meu nervosismo aumentar.

- Aqui é um hotel ótimo, e como está muito perigoso andar de carro nessa tempestade é melhor ficarmos aqui - exclamou ele - eu já fiquei aqui várias vezes, por conta de eventos da empresa. Tem uma loja de roupas, poderemos comprar roupas e por a nossa para secar.

Eu o seguia ate o elevador da garagem, entramos junto de um casal que pareciam turistas. Estava com a cabeça baixa, entretanto, podia senti o olhar do ruivo em mim.

- Hey! - disse me abraçando - Não ache que eu lhe trouxe aqui porque quero algo, só não vou por você em perigo. Confia em mim!

- Ta bem... - falei hesitante.

Assim que o elevador parou saímos para o hall do hotel, fiquei vidrada com aquele lugar, era lindo e brilhante; deveria ser um hotel 4 estrelas ou 5. Andamos ate a recepção, Jimin ia fazendo o check-in, eu fiquei olhando a recepcionista que nos encarava torto.

Ela tinha aquele olha de 'vocês vão se pegar', eu apenas revirei os olhos. Jimin era incrivelmente gato, mas o viu apenas como amigo.

- Onde fica mesmo a lojinha? - perguntou ele a moça.

- No corredor, na última porta a esquerda - disse ela sorrindo, seguida de uma piscadela ao ruivo.

Os olhos da recepcionista de cabelos lindos e jeito ousado me encarou, como se esperasse ver ciúme. Respondi com a sobrancelha levantada, não estava nem ai para ela. Eu e o Minie andamos pelo enorme corredor, não tinha nem como não encontrar a tal loja, a entrada era grande e chamativa. Entrei nervosa, estava rodeada de roupas lindas e maravilhosas, e provavelmente caras. Não irei deixar Jimin pagar por elas, ele já pagara o hotel, eu tinha um cartão e podia arca com aquele custo.

- Escolha algo e fique mais linda do que já é, e não se estresse com o preço - exclamou o ruivo.

- Relaxa - disse tirando o cartão da bolsa - palas roupas eu pago!

Sai na direção da sessão feminina, eram tantas opções incríveis que eu só faltei babar. No final escolhi uma calça de cintura alta de couro preta, uma bermuda no mesmo estilo porém de algodão. Peguei também uma blusa de linho azul escura e uma camisa grande de algodão cinza. E claro, as roupas íntimas.

Me dirigi ate o caixa e uma atendente loira sorriu para mim. Em seu crachá sua foto e seu nome brilhavam, era fofa e vestia uma camisa de linho verde escuro com o emblema do hotel, junto de uma calça também linho, porém preta.

- É só isso? - perguntou a moça simpaticamente - Nada confortável para passar a noite? A sessão de pijamas fica a esquerda.

Ela apontou uma sessão no canto esquerdo, me permiti olhar um pouco. Havia diversos pijamas lindos, vários com o meu estilo: short e camisa grande. Peguei um peça a meu gosto, levei para o caixa e a moça loira sorriu satisfeita por me fazer comprar mais coisas. Uma mão tomou meu ombro, ao me virar vejo Jimin com uma pilha de roupas. Paguei as minhas com o cartão, ele fez o mesmo em seguida.

- Aproveitem sua estadia no Lite Fellings! - disse a loira.

Saímos no corredor, muitos ali tinham um ar elegante e empresarial. Me senti muito deslocada, com a roupa molhada e o cabelo emsopado e bagunçado. Jimin por outro lado, mesmo com o efeito da chuva e do vento, parecia incrivelmente adequado ao lugar. Pegamos o elevador que estava vazio, ao chegarmos no sexto andar seguimos para o quarto. Uma suíte com duas camas, incrivelmente linda, era bastante amplo e bem decorado.

- Escolha a cama que quiser - disse ele.

Peguei a cama "perto" da porta, ele adentrou o banheiro, não me importei dele tomar banho primeiro. E mesmo com o aquecedor, o frio ainda era constante. Fui até a grande janela, cuja a mesma havia uma sacada, porém pela tempestade forte não podia sair para apreciar a vista.

Escutei um barulho vindo da minha bolsa, meu celular ainda estava intacto e seco na bolsa, peguei-o e vi o nome da minha mãe no discador.

- Kim Julien!?! - disse ela numa mistura de preocupação e irritação - Onde você está?

- Em um hotel, com um amigo, não quis enfrentar a tempestade para voltar de carro com ele - expliquei.

- Em um hotel... com um amigo?!!!? - disse em reprovação.

- Calma, ele é do bem - falei - estava visitando Jae quando eu o encontrei no cemitério, conversávamos quando a tempestade começou. Viemos para cá, já que a casa dele é algumas quadras depois da nossa.

Era audível sua irritação, ela bufou e depois cedeu.

- Não saia nessa chuva, e cuidado com esse tal amigo - sem tom agora era preocupado.

- Okay, mãe - falei.

Assim que ela desligou, Jimin saiu do banheiro com o cabelo molhado que secava com a toalha. Usava uma camisa azul escura de mangas curtas, com um short preto. Ele fez sinal para que eu fosse tomar um banho quente, uma fumaça de vapor saia da porta do banheiro.

O banheiro era extremamente luxuoso, com uma banheira enorme, pia em mármore e um box de vidro temperado em um azul água. Liguei o chuveiro quente, o vapor quente tomou o cômodo, livrei-me das roupas molhadas e entrei no chuveiro. A temperatura fez meus músculos gelados da chuva relaxarem, um óleo de banho ficava em uma prateleira no canto do box, ao despejar um pouco nas mãos o aroma doce infestou o lugar.

Ao terminar senti-me renovada, vestira o pijama que escolhi, eram ambos cinza, na camisa havia um desenho de um urso branco com detalhes em preto. Sai e vi Jimin jogado na cama, mexendo no celular com olhar pesado. Sentei na beira da cama dele, bagunçei seu cabelo e o mesmo riu.

- Minha mãe ligou - indaguei - quase teve um surto quando disse que estava em um hotel com um amigo.

Ele riu e seus olhos se tornaram dois fios pequenos, com a cena eu não resistir, apertei levemente sua bochecha. Não é possível que haja um ser na terra que resista a fofura de Park Jimin!

- Jin ligou, pergunto como eu estava. Porque faz um que eu não apareço pelo consultório. - exclamou ele - Eu disse que estava com você. Ele começou a fazer um monte de perguntas e quis saber porque eu estava com você, e quando eu disse que íamos dormir juntos em um hotel só faltou surtar.

Eu comecei a rir. Por que Jin teria uma reação assim? Eu não quis fazer preposições, não queria um desilusão. Meu riso cessou em seguida, eu não sabia muito o que dizer agora, Jimin era um grande amigo; entretanto, ficar em um hotel com ele é demais.

- Jimin você tem namorada? - as palavras sairam da minha boca rapidamente, e logo me arrependi do que disse.

- N-não - disse nervoso.

Eu senti o rubor tomar conta do rosto, não queria que ele achasse que eu tinha interesse.

- Mas tem alguém que eu realmente gosto - disse ele - e estamos ate saindo!

Seu tom se animou, eu sorri em resposta. Qualquer um teria sorte se sair com ele. Jimin tinha ótimas qualidades, apesar dos problemas de anciedade, era alguém fofo e atencioso. Sem contar que parecia uma pelúcia humana, provavelmente dava para usa-lo de travesseiro.

- Que ótimo! - exclamei - Qualquer garota teria sorte de ter um chance sua.

- É, qualquer garota podia - disse ele que estava vermelho mas seu tom ficou triste - mas talvez não seja bem assim.

Sua voz se tornou em um sussurro, toquei seu ombro e um bocejo involuntário tomou os lábios do garoto. Senti um cansaço também.

- Acho que devíamos dormir, não? - indaguei.

Ele concordou com a cabeça e eu fui deitar na outra cama.

[...]

Acordei com o celular tocando debaixo do travesseiro. Protestei ate acordar, conseguia ouvir uma voz que vinha do banheiro. Era extremamente linda e angelical, o dono da voz saiu do cômodo com um um terno preto bem passado e sapatos brilhantes. Olhei para o homem gracioso a minha frente.

- Achei que fosse um anjo - falei - Sua voz é incrível!

- O-o q-que? - falou nervoso - Não, eu não sei cantar.

- Imagina se soubesse! - falei irônica.

Tomei a toalha que estava em uma secadora no canto do quarto. Sim o quarto tinha uma secadora! Fui para o banheiro, o dia estava frio após a tarde de ontem. Lá fora ainda chovia, porém nada mirabolante. Um banho que fez bem para acordar-me, ajeitei bem o cabelo, mas a umidade deixou os fios rebeldes. O amarrei num rabo de cavalo baixo, vesti a blusa de linho junto da calça de couro que comprara. Sai do banheiro e vi Jimin no telefone, ele parecia apreensivo.

- Não é isso... eu não estou... deixa eu explicar - dizia no que parecia ser uma briga - teve a tempestade, não haja como criança! ...Se acha que agir assim não é criancice então não sei o que é, mas que próximo disso é demais! Olha, vamos nos ver hoje... como assim você quer vê-la!?? Eu... ela não.

- Jimin? - exclamei nervosa.

Ele com toda certeza brigava com a garota que estava saindo. E eu era a o motivo. Ele deve ser contado que estávamos no hotel.

- Você a verá! - disse meio irritado - Feliz?

Ele assentiu como se a pessoa do outro lado da linha fizesse o mesmo. Assim que me desligou, me encarou envergonhado.

- Não fica assim, Julien! - ele disse - Logo aquele ser chato e infantil que eu amo vai parar com a birra. Mas tem como você sair conosco hoje?

Seu tom não pedia, implorava. Concordei com a cabeça.

- Te mando as coordenadas do lugar - disse fazendo sinal de condutância.

Eu ri. Peguei minha bolsa, peguei as roupas secas e já limpas junto da sacola da lojinha, fomos para o elevador. Diferente da outra vez o elevador estava cheio agora, havia homens e mulheres vestidos em ternos e roupas sociais. Outros vestiam roupas simples, com certeza eram turistas. No hall do hotel havia uma fila grande para fazer o check-out, porém não demorou muito para as pessoas na fila serem atendidas, essa era a diferença de um hotel de luxo. E eu ainda me perguntava de onde saia a coragem do Jimin de pagar nossa estadia ali.

Eu ia andando pelo hall até o elevador para o estacionamento. Porém, uma mão segurou meu braço, vi Jimin sorrindo divertido.

- Por aqui! - disse ele me guiando.

- Mas o estacionamento está naquela direção - indaguei.

- Vamos tomar um bom e renomado café - exclamou.

Andamos pelo corredor que ficava a lojinha, parando em uma porta dupla pintada de vermelho. Jimin abriu a porta como um cavalheiro, meu queixo caiu. O cheiro de comida era extremamente convidativo, andamos ate uma mesa à esquerda. Um rapaz fofo e bonito veio nos atender.

- Eunwoo! - disse Jimin ao garoto - Esta aqui é uma grande amiga, kim Julien.

- Oi - disse seguida de uma leve reverência.

- É um prazer, Srat. Kim! - disse dotado de uma voz linda.

- E como esta a vida de Trainee? - perguntou Minnie.

- Está no curso, talvez eu debute no próximo ano! - disse Eunwoo animado - Mas, eu realmente gostaria de anotar seus pedidos.

- Eu quero um Latte e um croissant - exclamou o ruivo. - Escolha algo Ju!

- Suco de maracujá e sanduíche natural, por favor - disse.

O moreno assentiu e se foi rumo a uma porta no canto da sala, provavelmente seria a cozinha. Enquanto esperávamos, Jimin olhava o celular, digitava e assentia sozinho, imaginei que ele devia estar resolvendo coisas do trabalho. Peguei meu celular na bolsa, havia algumas mensagens, quando vi quem era um sorriso se formou em meus lábios.

Jin: "como você está? Está mesmo em um hotel com o Jimin??

Eu ri baixinho, fiquei pensando se isso era ciúme ou a boa e velha preocupação do Seokjin. O estranho que não era só essas, e eu nem escutara o celular tocar na noite anterior.

Jin, 20:30: "Por que você não me respondi!??

Jin, 20:35: " Estou ficando preocupado. DIGA ALGO PELO AMOR DE DEUS!!

Ligação perdida: Jin, 21:00

Jin, 21:02: "Por que você não atende??"

Me, 07:34: "Porque eu tava dormindo!"

Ele teria um surto com essa resposta. Mas eu não o culpo, a culpa é do sono.

Jin, 07:34: "NÃO ME ASSUSTE ASSIM. Fiquei preocupado."

Me, 07:35: " estou bem, logo vou pra casa."

Jin,07:35: " Tenho de ir trabalhar, ate mais tarde"

Me, 07:36:"Até! ;)"

E sem muita demora nosso café chegou, agradecemos a Eunwoo que depois sumiu pelo lugar, que estava bem cheio. O som das conversas, de línguas diferentes tomavam conta dali. Assim que provei o sanduíche quase caí para trás, apesar de ser um prato simples, aquele parecia ser feito pelo deuses. O suco não era diferente, tinha a composição certa e um gosto maravilhoso.

Jimin se deliciava com seu pedido, assim que terminamos eu me ofereci para pagar, mas o café da manhã ali era grátis, o que me fez pensar que com certeza o valor da diária compensava, ou seja; devia ter sido os olhos da minha cara somados os outros órgãos do meu corpo.

- Deixo você em casa ou na faculdade? - disse ele enquanto íamos pelo estacionamento.

- Em casa, vou pegar alguns livros - respondi.

O caminho foi bem divertido, ficamos zoando e cantando. O que nem é recomendado no trânsito, era perigoso se distrair assim, ainda mais por que a estrada estava lisa pela chuva. Minutos depois eu estava me despedindo do Mochi.

- Obrigado pela noite, você foi meu herói!

- De nada! - falou ele me abraçando.

Retribuí com carinho, depois sair correndo pela leve chuva ate a entrada da minha casa. Assim que peguei a chave para abrir a porta se abriu, vi minha mãe com aquele olhar preocupado.

- Julien! - disse ela me puxando para dentro e me abraçando - Você está bem? Esse seu amigo tentou algo? Por que saiu sem avisar?

- Mãe, calma. O Mochi foi um cavalheiro, não aconteceu nada. - falei envergonhada - Eu tenho que ir pra faculdade mãe, deixa eu subir pra pegar os livros.

- Tudo bem, mas eu levo você de carro - disse ela.

Eu subi e peguei a mochila, quando desci minha mãe já me esperava no carro. No caminho ela fez um enorme interrogatório, eu apenas ria dos seus comentários sobre meninos e a repreendia quando tocava no assunto de sexo seguro.

Quando cheguei, vi Kook sentado de baixo de uma árvore, seu cabelo estava molhado mas a roupa estava seca. Olhei pada ele que percebi que chorava, corri e me abaixei preocupada.

- Biscoito!? O que houve? - disse ele.

- Acho que o cara que eu to saindo está me trocando - disse  ele.

Eu o abracei forte. Ele estava abatido e isso me doeu demais.

- Calma, Jungkook, eu tô aqui! - exclamei


Notas Finais


Oi bolinhos de arroz
A pedaço de gente trouxe mais um cap
Espero que gostem
Bja da pedaço de gente
Corações coreanos a todos♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...