História Sete Finais - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Tags Black Pink, Bts, Romance
Visualizações 78
Palavras 1.845
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


¤ A Min Nya (irmã do Suga), é interpretada pela Ryu Su-Jeong do grupo Lovelyz. Ela está na capa do capítulo.

¤ O Lee Swon é interpretado pelo Tae-Yong do grupo NCT.

Capítulo 5 - 5


Fanfic / Fanfiction Sete Finais - Capítulo 5 - 5

Seoul, Capital da Coréia do Sul


Desnorteada, Soyoon tentava achar algum local para esconder o rosto. Não eram muitas as pessoas que ainda olhavam para a menina, mas ela achava que ainda era uma péssima opção encarar os rostos das pessoas.

Wee San abaixou-se na altura de sua amiga e tocou em seu ombro com cuidado.

 — Ai meu Deus, tá tudo bem com você? Você se machucou?

— Eu acho que machuquei um pouco mais os meus joelhos. Mas não é nada que não possa dar um jeito depois. — Soyoon disse se aconchegando um pouco mais no chão, sentia os seus joelhos doerem, mas permanecia forte com o intuito de não preocupar sua amiga com pequenas coisas, mesmo que soubesse que o que o garoto havia feito não era algo tão pequeno, pelo menos para o seu psicológico.

— Vou na cozinha buscar algo para colocar no seus joelhos. — Wee San avisou. — Não vou demorar. Espera um pouco!

Assim, sua melhor amiga se levantou e foi em direção à cozinha da escola sem dar chances para que Soyoon a impedisse.

Deu uma leve arfada se preparado para levantar-se, mas tomou um susto ao sentir seu braço ser rodeado por uma mão feminina e olhou para cima imediatamente.

— Você está bem? — a voz era suave e calma. Lentamente a menina ajudou Soyoon à se sentar novamente na cadeira da mesa a qual estava antes da confusão acontecer. — Taehyung é mesmo um idiota! — exclamou colocando algo parecido com band-aids nos joelhos de Yun que permanecia confusa.

— Quem é você? — Soyoon perguntou um pouco baixo e a menina soltou uma risada se levantando de onde estava abaixada com o intuito de fazer um curativo nos joelhos de Yun.

— Desculpe por me aproximar assim no nada e me meter em sua situação. É só que eu acho rídiculo o que eles fazem com as pessoas. Eles se acham os reis do mundo. — com fofura, a garota revirou os olhos. — Sou Min Nya!

— Yoon, isso foi o máximo de gelo que eu consegui, desculpe! — ao ouvirem a voz aguda de Wee San, ambas as meninas olharam em sua direção. 

Wee San arregalou os olhos puxados.

— Tá tudo bem, San. Ela acabou de me ajudar. — a morena apontou para Nya que sorriu sem graça.

— Por que ela te ajudou? — Wee San  perguntou desconfiada se sentando em uma das cadeiras.

— Talvez pelo fato de ainda existirem pessoas boas no mundo. — Soyoon murmurou.

— O que você ganha com isso? — Soyoon arregalou os olhos ao ouvir sua amiga falar com ignorância com quem havia a ajudado.

— Wee San!

— O quê é? Ela é irmã do número 2°, Min Yoongi, você sabia? — San anunciou esperando a reação negativa de sua amiga. Yoon engoliu saliva e olhou para Nya.

Soyoon congelou. Sabia que uma pessoa da Realeza do Atakura Seoul, ainda mais a irmã de um Elite, nunca a ajudaria por vontade própria com boas intenções. Mas, por outro lado, sabia que sua visão estava distorcida desde que as coisas ruins começaram à acontecer, fazendo-a desconfiar de todas as pessoas, elas sendo perigosas ou não.

— Isso é verdade?

Nya olhou para outro lugar e respirou fundo. Colocou em cima da mesa a bolsinha de band-aids que segurava com as mãos finas. Agarrou uma mecha de cabelo colocando-a atrás da orelha esquerda.

— É verdade. — respondeu Nya.

Soyoon observou com interesse quando Nya enrolou um dedo no outro olhando desconfiada ao redor de si. Yoon estremeceu de irritação, mas não conseguiu demonstrar nada além de chateação e cansaço, então se apoiou um pouco mais na cadeira e assentiu.

Para Yoon, parecia um mau agouro que a irmã de um dos integrantes da grande Elite a ajudasse esperando uma utilidade futura em cima disso, mas ainda assim permaneceu calada imaginando o que essas pessoas ganhariam enchendo-a a paciência.

— Espera aí! — a menina Nya quase berrou, olhou um pouco furiosa para Soyoon. — Você não pode achar que estou aqui por causa da Elite! - apontou discretamente para o grupo que se levantava para sair do refeitório.

— Por que eu não deveria achar? — exclamou Soyoon, que ainda procurava ver algum resíduo de mentira nas expressões da menina.

— Fui sincera quando te ajudei.

— É melhor eu ir andando. Vamos, Wee San. Quero estar perto das salas quando o sinal tocar. — Soyoon disse se levantando e colocando a mão no braço de sua amiga.

Ambas começaram à andar em direção à saída do local. Yoon negava com a cabeça enquanto andava, parecia inconformada e isso só piorava ao poder reparar que as pessoas ainda a olhavam com divertimento. 

Se perguntava quando humilhar alguém passou à ser engraçado e prazeroso para as pessoas.

 — Soyoon — Wee San soltou baixo chamando-a. — A menina... parece estar vindo para cá enquanto nos acompanha.

Quando já estavam perto da escadaria que levava os alunos em direção às salas, as meninas se viraram vendo que Nya realmente andava como se acompanhasse os passos das mesmas.

Yoon semicerrou os olhos.

Ficaram paradas esperando que a menina chegasse logo até elas, e então, quando ela estava um pouco mais perto, cruzou os braços e negou com a cabeça.

 — Eu tive que vir até aqui pra dizer que isso foi ridículo! — rosnou Nya. — E que vou tocar no assunto novamente, eu acho ridículo o que os amigos do meu irmão fazem!

Soyoon imitou um som de desconforto e desviou o olhar de Wee San.

 — Em primeiro lugar, você precisa saber que nós sabemos que pessoas da Realeza não falam com pessoas como a Wee San e eu. — exclamou Soyoon.

 — Eu não ligo para isso. — disse Nya com amargura.

— Em segundo lugar, se você não sabe de nada ou finge não saber sobre anormalidade... devo dizer que você se preocupar com o que o número 5, Taehyung, fez comigo, é muito, muito anormal e só pode ser uma gracinha sua com participação dos Sete Elite

— Ah! — retrucou Nya. — Eu não me comporto como eles!

— E em último lugar, é melhor você sustentar essas minhas informações antes que acabe destruindo sua imagem social por tentar me ajudar. Não quero ser responsável por isso. — Soyoon jogou de vez.

— Eu não ligo pra nada disso.

— Mas eu ligo. Tive contato com pessoas do grupo do seu irmão e desde então meu dia está sendo um inferno. Não posso simplesmente aceitar ajuda de alguém como eles ou que tenha pelo menos ligação com eles, é pedir pra me jogar de um precipício. — continuou Soyoon.

— Eu te ajudei por vontade própria! — Nya explicou novamente. Yoon suspirou.

— Eu sou bolsista. É melhor ficar longe de mim.

Nya ficou ali parada, seu rosto pálido esfava confuso e decepcionado, mas também guardava irritação no olhar. Olhava as costas de Soyoon e Wee San depois que ambas viraram para subir antes que o sinal tocasse. Mal pôde engolir o que tinha ouvido. 


                       ~《》~


Enquanto Soyoon e Wee San andavam lentamente, Soyoon olhava sempre para frente evitando analisar seus joelhos machucados graças às várias quedas que havia sofrido em apenas um dia.

Soyoon sabia perfeitamente bem que só estava aguentando aquele malditos machucados por conta dos curativos que a menina havia feito. Ela era grata com isso, mesmo que em sua mente estivesse ciente que não podia confiar em nada que viesse de pessoas como as que a menina convivia. Era um grande trauma para Soyoon pensar em coisas relacionadas à Os Sete Elite e à Realeza do Atakura Seoul.

— Por que Taehyung fez aquilo? — Wee San perguntou.

— Você acha que o que ele fez mudou o sentimento maluco que você tem em relação à ele? — retrucou Soyoon enquanto ambas seguiam diretamente para a sala, mesmo que o sinal ainda não tivesse soado. San odiava quando sua amiga respondia suas perguntas com outra pergunta, mas não ia se queixar. Por isso começou à pensar no  peso que era para ela responder aquilo.

— É complicado. Talvez se eu ouvir o motivo, eu... — Yoon revirou os olhos.

— O motivo é que não existe um motivo, Wee San. Ele fez aquilo por querer. — pararam em frente à sala.

— Eu sinto muito. — Yoon apenas assentiu e entrou na sala indo diretamente para sua mesa, se sentou e manteve a cabeça entre os braços procurando relaxar um pouco.

Wee San apenas deixou sua amiga quieta e também foi se sentar. Tudo ainda estaria bem caso a porta não tivesse sido aberta logo em seguida.

Lee Swon, um dos representantes dos interesses dos Alunos, entrou na sala e tomou um pequeno susto ao ver as meninas dentro da sala. Andou um pouco e ergueu as sobrancelhas.

— Alguma de vocês é Yun Soyoon? — Soyoon ergueu a mão direita indicando que era quem o garoto procurava.

O menino andou lentamente até ela. Não era tão alto, mas sua estrutura muscular fazia-o parecer um pouco maior. Seu cabelo era escuro e bem cortado, sua pele branca condizia muito bem com o tom do uniforme e sua expressão um pouco séria ou até mesmo tímida, levava Soyoon à crer que talvez mais problemas viesse pela frente.

— Aconteceu alguma coisa? — a menina perguntou. Swon segurou mais firmemente o pequeno bolo de papéis que carregava consigo e olhou folha por folha por alguns segundos.

— Deve ter ouvido algo sobre os eventos que serão organizado por alunos representantes de cada ano, então, aqui está seu papel para que você fique ciente de tudo, inclusive das regras. — Yoon arregalou os olhos ao ouvir o menino terminar de falar. Pegou a folha a qual ele entregou para a mesma e leu de relance algo como "Organização de Eventos."

— Como assim? Por que eu estou recebendo esta folha? — meio desesperada, a menina questionou. Swon a fitou intrigado.

— Não te comunicaram? Você vai ser uma das representantes do terceiro ano.

— Você só pode estar brincando! — no entanto, o garoto continuou sério, isso fez Yoon gemer em reprovação.

— Na folha também estão oa horários de algumas futuras reuniões então se você perdê-la, deve imediatamente pedir outra. — terminou de explicar. — Alguma dúvida?

— Dúvida... — Yun pensou. — Talvez não. Mas... sou contra eu ser representante de eventos do terceiro ano!

— Então é melhor você reclamar com o os responsáveis pelo Conselho Estudantil. — foi direto, parecia estar cansado e isso era compreensível já que seus deveres eram pesados e corridos.

— Por que justamente eu fui escolhida? — Yoon resmungou fazendo uma pequena careta insatisfeita.

— Essa questão eu posso resolver pra você. — Swon deu um sorriso falso. — Porque você é a garota mais inteligente da escola.

Swon se virou de costas pronto para sair da sala. Era um menino muito estressado para sua idade, mas ainda assim, não pensava na hipótese de largar seu cargo de representante. Colocou a mão na porta, mas parou quando ouviu ser chamado novamente.

— Lee Swon, espera! — Yoon gritou exasperada. — Quem é o outro Representando de Eventos do terceiro ano? Quem vai formar dupla comigo?

Swon suspirou revirando os olhos. 

— O número 1 dos Sete Elite, Park Jimin.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...