História Sete Vs Uma - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amigos, Drama, Drogas, Ecchi, Família, Linguagem Imprópria, Linguagem Sexual, Romance, Sexo
Exibições 153
Palavras 2.559
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Me desculpem a demora, estou em época de prova. Olha ta bem grande esse capítulo, por que achei que vocês merecessem, deixei o hentai pro próximo se não ficaria muito grande, pensei que não daria certo, por eu nem ao menos saber o que escrever, mas quando eu comecei, não consegui parar e sinceramente eu gostei desse cap, se tiver erros perdão não li pra concertar ainda.

Capítulo 31 - Paraíso.


Fanfic / Fanfiction Sete Vs Uma - Capítulo 31 - Paraíso.

~ 01:30 ~

- Me de mais uma chance. - Ele sussurrou, me causando arrepios.

- Chance de? - Perguntei sorrindo.

- Te levar pro Paraíso - Ele sussurra beijando meu pescoço.

~ 10:30 ~

Hoje eu poderia acorda um pouco mais tarde, ja que os meninos deixaram claro que querem me ver só  na festa, bom o que isso significa? Dia de folga, e não eu não vou sair pra fazer cabelo, compra roupa, nem nada do tipo, é só uma festa e eu não estou tão animada, só vou mesmo por causa que agora eu ja chamei a Ariany e os meninos disseram que querem me ver, bom isso é uma boa chance, vai que eu consigo fazer com que eles me perdoem seria uma boa, bem que com aquela tia de esquina lá, vai ser difícil.

Levantei e fui para o banheiro, fiz minhas higienes, fui pra cozinha, botei o café pra fazer, peguei meu celular e disquei o número da Ariany, no segundo toque ela atende.

- Fala piriga - Ela praticamente grita.

- Bom dia, pra você também. - Falei em tom normal.

- Fala, pra que esta gastando seu crédito, com uma pessoa tão maravilhosa feito eu?

- Quero saber do Arthur. - Falei simplista.

- Ele vai ficar aqui. - Respondeu como se fosse seu próprio filho.

- O irmão é meu e ele tem casa. - Falei.

- Ele é nosso filho, pow, pai tem direito dessas coisas. - A gente riu juntas.

- Se você é o pai, ta dizendo que é a ativa da relação? - Falei em tom malicioso.

- Lógico, passiva. - Ela respondeu no mesmo tom. - Enfim, Arthur vai ficar comigo. Amanhã de tarde te entrego, beleza?

- Beleza. - Falei.

- Ta animada?

- Não... Não muito.

- Então se anime, 21:00? Passo ai e te busco. - Falou simplista.

- Ta bom, ativa. Tchau, tenho que me resolver - Falei.

- Quer ir tomar sorvete com as crianças? - Ela perguntou.

- Posso responder não? - Perguntei rindo.

- Não. 15:00? Vamos?

- Ta, Ary, isso não é uma fanfic lésbica nem um filme de romance - Ela gargalhou.

- Ai, pode nem brincar, mas piriga, vou passar ai, 15:00. - Ela disse.

- Tchau. - Desliguei.

Tomei meu café e fui pro quarto, arrumei e fui ver uma roupa pra mim ir a festa, foi difícil mas acabei achando uma, separei e depois peguei uma pra ir com a Ariany na rua.

Pus uma música alta, fiz minha comida, Arthur fazia falta, mas né a "pai" dele não quis trazê-lo, na verdade Ariany, sempre me ajudou com ele e como realmente ela fosse o "pai" dele, quando tinhamos que ir pra boate, ela sempre arrumou alguém pra ficar com ele, por ser mais social que eu. Se não fosse por ela, várias vezes ele teria que ficar naquela casa sozinho, com aquela vadia. Mesmo Ariany tendo que cuidar da sobrinha, ja que sua irmã mais velha era uma puta drogada, ela sempre dava um jeito de me ajuda com o Arthur.

~10:15~

Escuto a porta abri e logo levanto, era a Ariany, o Arthur e a Lua *Sobrinha da Ari*. Os mais novos correm até a mim e me dão um abraço.

- Dês de quando você tem a chave da minha casa? - Me virei pra Ariany.

- Você me deu, lembra? - Ela pergunta - Não? - Ela se auto responde - Foi quando você esqueceu la em casa.

- E eu achei que eu tinha perdido... Você é uma vaca. - Falo e ela rir.

- Você vai assim? - Ela fala olhando pro meu pijama.

- Um segundo. Arthur, vem cá, vamos trocar essa roupa de Augustinho, que Ariany pôs em você. - Falo rindo pra Ariany, ele me da a mão e nos dois vamos em direção ao o quarto.

- A roupa é linda ta! - Ariany grita da sala.

Nós dois rimos.

- Meli - Arthur me chama.

- Fala - Viro pra ele.

Ele fica brincando com os dedos e olhando pra baixo.

- Ou, o que houve? - Falei me abaixando pra ficar na sua altura.

- Porque eu não conheço o papai e a mamãe?  - Ele agora levanta seu olhar pra mim.

Eu respiro fundo, essa pergunta me pegou de surpresa, ele nunca me perguntava sobre os dois.

- Arthur... - Fecho os olhos e o abraço - É difícil explica.

- Me fala, por favor Meli. - Os seus olhos estavam cheios de lagrimas e com certeza os meus também - Como foi que eles nus deixaram? - Ele funga e limpa seus olhos, logo suas mãos limpam meus olhos também, ele deu um sorriso de canto.

- A mamãe ficou com câncer, assim que engravidou de você. - Ele me olhou confuso - Câncer é uma doença, muito, muito forte - Ele assentiu. - Ai quando você nasceu ela não aguentou e se foi.

- A culpa foi minha? - Agora ele chorava

- Não põem isso na sua cabeça, por que não foi, me ouviu? - Ele assentiu sério - Não foi e pronto, você não tem culpa de nada.

- Jura? - Pergunta com a voz falha, ele me mostra o dedo mindinho

- Juro. - Entrelaço meu mindinho no dele e logo soltamos

- E o papai?

- Bom o papai você conheceu. Só não se lembra. - Ele sorriu - Ele nus amava muito, mas pra cuidar da gente, era difícil, mesmo que tivesse várias outras opções de trabalho, ele preferiu seguir o lado errado da vida. - Ele assentiu.

- Entendi já. - Ele me interrompeu - Vamos, quero sorvete.

Eu sorri, levantei, pus uma bermuda jeans nele e uma blusa xadrez clara. Troquei a minha também, optei por um short jeans e uma blusa branca jogada de lado.

A tarde foi boa, fiquei conversando com Ariany, sobre a festa, no balanço e as crianças ficaram brincando, depois Ariany levou eles pra casa e eu fui para minha.

~20:00~

Eu já estava me arrumando, eu mesma fiz meu cabelo e minha maquiagem, optei por usar um short branco rasgado, um cropeed cinza de manga até os cotovelos, um tênis branco e uma jaqueta jeans claro amarrado na cintura.

Sai e dei cara com Ariany, ela usava uma calça Jeans rasgada, um tênis preto e um cropped com estampa militar. Ela deu um sorriso.

- Ta gata, demais - Ela disse com um sorriso malicioso - Se eu fosse lesbica te comia.

- Você também esta - Falo.

- Vamos? - Ela da um passo em minha direção. Vejo o carro preto.

Ela se aproxima.

- Mark vai nessa festa também. Chamaram ele. - Ela sussurra.

- Mark? - Pergunto.

- O fotógrafo gato, meu homem. Meu, sabe. - Ela disse rindo.

- Hum... - Dei um sorriso malicioso e olhei pra dentro do carro. - Gatinho, bom partido.

- Chama ele de gatinho de novo, que você fica sem os dentes. - Ela diz séria

- Ui... - Falo e a gente vai em direção ao carro.

Entrei no carro, olhei pro Mark, também conhecido como fotografo gato.

- Oi - Ele fala e sorri, eu retribuo.

- Eae - Falo.

- Ta bom de apresentações - Ariany fala olhando pra trás. - Ela que é a Melissa, a mãe do meu filho e pai da minha filha.

A gente riu.

- Entendi, vocês dividiram entre quem é a ativa e quem é a passiva né? - Ele perguntou ainda dirigindo.

- É - Ela responde simplista. - Não precisa se preocupar, quando a gente transar e você larga de cu doce, eu deixo você ser o ativo. - Ele revira os olhos parecendo envergonhado.

Eu comecei a rir.

- Rir não. - Ela disse olhando pra trás - Você é outra cheia de cu doce, invés de fazer a teoria da branca de neve, fica ai mais encalhada que baleia.

- Nem todo mundo é tão apressada como você - Falo.

- Exatamente. - Mark sussurra e olha pra ela.

- Amor, não aja assim. - Ela fala apertando a bochecha dele - Ontem, quem estava apressado, não era eu. - Ela fala rindo.

- Cala a boca - Ele fala rindo sem graça.

Eu continuo rindo, a gente chega em frente a uma mansão. Tinha uns seguranças na frente. Eles apenas viram nossos nomes na lista e liberou pra gente poder entrar.

Do lado de fora tinha um gramado grande e uma piscina, tinha algumas pessoas se pegando, outras sentadas no gramado conversando, já escutavamos uma musica animada vindo de dentro da casa. Quando entramos no corredor, iluminado pelas luzes néons podiamos ver gente se pegando, não só homens e mulheres, tinha todo tipo de gênero naquele corredor, Ariany me olhou com malícia e olhou pra Mark, a gente riu e ele olhou negando com a cabeça e rindo também, entramos na sala, onde tinha muita gente espalhada pela casa, gente dançando, gente bêbada, se agarrando, conversando em grupos, meus olhos rodaram aquela sala, procurando por um certo alguém, ou por certas 7 pessoas, logo vejo eles sentados numa mesa com algumas pessoas rindo, a gargalhada do Tae me chama atenção, eu acabo rindo também, logo vejo a vadia, sentada do lado dele, reviro os olhos.

- Vai la. - Ariany fala me dando im empurrãozinho.

- Agora não. - Falo meio sem graça.

- Vamos la - Mark que parecia não apresta atenção fala.

- Vamos, gato - Ariany fala rindo e ele rir também.

- Viadagem. - Falo pra Ariany.

- Vamos branca de neve. - Ela me puxa.

Chegamos mais próximo, eu estava atrás da cadeira do Jin, ele me olha rindo.

- Você veio. - Namjoon levanta e me olha.

- Você esta... - Taehyung que agora estava em pé, antes de completa ele passa a sua língua de jeito sexy na parte interior dos lábios. - Bem.

Ariany o interrompe

- Gostosa. - Ela fala e bate na minha bunda.

- Sim, gostosa. - Ele completa e rir sem graça.

- Você também, esta bem bonito - Falo observando ele de cima a baixo, como alguém, com uma calça preta de couro *Que marcava até a vida dele*, uma blusa preta e uma jaqueta vermelha, podia ficar tão lindo?

- Obrigado. - Repondeu.

Falei com todos e me sentei, estávamos numa boa, até o Yoongi estava sendo gentil, menos a Yang Mi que as vezes, vinha de palhaçada e estava começando a me irrita.

- Vamos pegar bebida comigo, Melissa - Yang levanta e da um sorriso cínico.

- Eu? - Falo apontando pra mim mesma. Ariany lança um olhar mortal - Você tem pernas.

- Ha Lissa, vamos... - Ela fala fazendo biquinho.

"Sinto e lhe dizer, mas esse biquinho de piranha não rola comigo"

- Vai lá, Melissa - Ariany fala me empurrando.

Mas que porra ela estava fazendo?

- Ta. - Dou de ombro.

Fomos em silêncio, as vezes ela me olhava de canto de olho, mas escolhi a opção ignora. Sinto alguém puxando meu braço.

Yang Mi, ela me pôs encostada na parede.

- Você tem algum tipo de problema? - Eu pergunto me soltando dela.

- Qual é o meu problema? - Ela repeti apontando pra si. - Vamos lá, meu problema, nada mais, nada menos que você.

- Se eu sou seu problema, pode descartar ele, até por que de você só quero distancia. - Falo tentando sair da parede.

- Me escuta. - Fala num grito, eu arqueio a sombracelha e dou um sorriso cínico. - Você pode até querer distância de mim, mas enquanto você estiver perto dos meninos, você vai me ter por perto.

- Você é possessiva garota. - Falei rindo. - Calma que tem sete.

- Garota o troço é o seguinte, não sei qual é o teu plano, mas o meu tu não vai atrapalhar não. - Ela fala e é só ai que eu entendo o "plano" dela.

- Nem pra ser puta, você serve, desgraçada. - Sorrio e reviro os olhos - O que tu vai tentar fazer? Golpe da barriga? Essa é velha e não costumam funcionar quando desclassificadas como você resolvem fazer... E outra - Dou mais um sorrisinho cínico e volto a ficar séria - Se você acha, que você vai conseguir concluir seu planinho comigo por perto, tu ta muito enganada, tu nem tente, tocar em qualquer que seja do dinheiro dos meus meninos, nem que seja 10 centavos. - Falo e ela me segura de novo.

- E você sua puta, nem tente estragar meu plano, você não sabe do que eu sou capaz. Acho melhor tu se afasta se não... - Antes dela falar eu inverto as posições.

- Se não? - Aumento a minha voz. - Vai fazer o que? Me bater? - Ela estava vermelha de tanta raiva.

- Não, não bato em favelas - Ela responde tentando da um sorriso.

- Por que sabe que eu vou te quebrar no meio. - Falo - Então você vai fazer o que? Me matar é? - Dou uma gargalhada e já posso ver algumas pessoas nos olhando - Vai me matar é sua piranha? - Falo entre risos.

- Garota me larga. - Ela fala tentando se solta.

- Cadê a fodona de alguns minutos atrás? Ela morreu? Foi? - Dou outra gargalhada e a solto. - Só vou te solta, por que estou longe de ser lixero pra tocar em lixos feito você.

Escuto uns "Uuuuuuu" vindo de algumas pessoas, quando me viro vejo o Yoongi e o Namjoon rindo, o Jungkook com um 'O' formado em sua boca, dês de quando eles estavam ali? Ariany estava parecendo ter convulsões de tanto rir. Ela anda até a minha direção e me puxa pro banheiro.

- Posso saber o que rolou? - Ela me pergunta rindo.

- Acredita que a magrela veio me ameaça? - Falo rindo - A propósito des de que parte vocês estavam ali?

- "Vai me matar é sua piranha?" - Ela imita a minha voz, a gente começa a rir. - Eu amei muito. Ela quase cagou.

- Ela é retardada. - Falo rindo. - Vamos, tenho que agarrar um deles ainda - Tenho certeza que foi o excesso da bebida, por que eu não falaria isso.

~01:20~

Depois do ocorrido com a Yang Mi, evitei ficar na mesa junto com eles, fiquei mais tempo na pista de dança, a festa parecia mais escura ou talvez fosse a bebida, não me considerava alguém bêbado, mas que eu já estava meia tonta, sim eu estava, sinto mãos grandes rodeando minha cintura, tento me virar, mas a pessoa não deixa.

- Calma... - Eu conhecia esse sussurro, mas não pude identificar de quem era.

- Vai me estrupar é? - Pergunto rindo e me viro, minha visão estava meio embassada.

- Não, bom... Não pretende ser um estrupo. - Posso percebe que ele se abaixou pra ficar do meu tamanho.

- Sério isso? Que cantanda horrível - Falo e ele solta uma gargalhada, eu conhecia ela, mas mesmo assim não pude identificar quem era.

- Vamos pra um lugar mais vazio. - Ele sussurra.

- Eu não. Ta louco? Eu nem te conheço. - Falo.

- Quem te disse isso?

- Bom, eu não consigo te ver, então no momento eu não te conheço. Você vai me falar quem você é? - Falo encostando minha mão em seu peito.

- Não. Talvez, com uma condição. - Ele fala e posso perceber um sorriso se forma em seus lábios.

- Fala ué, vai que... Da certo - Falo rindo.

- Me de mais uma chance. - Ele sussurrou, me causando arrepios.

- Chance de? - Perguntei sorrindo.

- Te levar pro Paraíso - Ele sussurra beijando meu pescoço.


Notas Finais


Mano sério eu amei esse capítulo, agora o clima vai começar a esquentar. Me perdoem de novo.
Mas ai se eu não ficar de recuperação... Se Deus quiser slskkssk, as férias tão chegando ai eu vou volta a da toda atenção a fic...

De a opinião de vocês por q eu amodoro...

BEIJOS E QUEIJOS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...