História Seu Coração É Meu - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Narusasu, Sasunaru, Vampiro
Visualizações 163
Palavras 3.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá!
Obrigado pelos comentários e favoritos!
Para quem pediu, está ai, o capitulo da note de Naruto e Sasuke na boate Konoha! Não tem nada muito explícito, mas espero que gostem.
Boa leitura!

Capítulo 3 - Nightclub Konoha


 

Finalmente sexta-feira! Pelo menos posso comemorar por ser o último dia de aula antes do final de semana. Talvez, esse dia pudesse ser melhor, mas não, estou trancado no escritório de Ino tentando montar um trabalho da disciplina de Didática, claro que esse trabalho deveria estar pronto há semanas, mas esse não é o feitio de Naruto Uzumaki, não seria Eu se não deixasse para última hora. Graças a Kami a Boutique não estava movimentada, assim Ino poderia se virar sem mim.

 

― Perfeito Naruto, da próxima procure fazer isso com antecedência... – repreendi-me encarando o pouco que havia escrito, sem contar que terei que apresentar para a sala toda. ― Droga, acabei de ganhar um zero... – diferente do ensino médio, os professores de ensino superior não aceitam qualquer trabalho, a opção Ctrl+C e Ctrl+V está fora de cogitação. ― Vamos Naruto você consegue, use essa cabeça loira e linda para pensar.

 

Minha vida nesses últimos dias estava completamente agitada, depois que Deidara foi morar com o namorado eu me tornei o alvo em casa, isso porque já fazia dois anos que ele está residindo na mansão Uchiha. Minato e Kushin a todo custo querem me levar fazer feira ignorando o trabalho que tenho, não tenho vergonha de meus pais serem feirantes, pelo contrário, a feira nos possibilitou o sustento, mas prefiro andar com minhas próprias pernas, sem falar que tenho a faculdade para pagar. Consegui apenas metade de uma bolsa e necessito que minhas notas sejam adequadas para mantê-la, por isso, preciso que esse trabalho fique coerente com o que é pedido.

 

As horas foram passando, o horário do almoço chegou e acabei optando por comprar uma marmita e comer ali mesmo, Ino foi almoçar no restaurante próximo com Gaara. Arg! Não suporto aquele ruivo metido a besta. Engoli meu almoço e retornei a frente do computador, sorri ao ver que meu trabalho ganhava vida, por volta das 18h00min consegui concluí-lo. Imprimi uma cópia para leitura e a outra salvei em meu Pen drive, tomei um rápido banho no chuveiro de Ino, troquei apenas a camiseta do uniforme e agradeci minha chefa quase beijando seus pés pelo que havia feito por mim, Ino é uma grande amiga. Corri para a faculdade e por pouco não cheguei atrasado, cansado segui para a minha sala não podia, nem mesmo, cabular aula já que a apresentação do trabalho seria na última. Graças a Kami hoje é sexta-feira, repetia como um mantra.

 

Suei, senti dor de barriga, tremor tudo isso antes do trabalho, durante ele eu gaguejei e não reconhecia a voz que saia da minha boca, mas graças a Kami ocorreu tudo bem e consegui uma nota razoável, agora eu e meus amigos, Kiba e Shino, iremos comemorar na Estação Konoha, a única boate dessa cidadela. Poderia ir para a casa, no entanto merecia uma bebida, boa e gelada. Fazia algum tempo que não me divertia e também não transava quem sabe não encontro alguém legal essa noite. Foi pensando nisso que segui para a boate com o sorriso de orelha a orelha, modéstia parte não seria difícil encontrar alguém para foder, ou melhor, me foder. Fazia algum tempo que não transava com alguém bom de cama que me fizesse desejar ser fodido, sempre sou eu a comandar, não sei por que, mas essa noite eu sinto que será diferente, na verdade eu desejo que seja diferente.

 

Caminhamos em direção ao local, durante o trajeto Kiba tentava convencer Shino a ficar com ele, os dois tiveram um lance no passado, porém não vingou e parece que Kiba ainda sentia algo pelo outro.

 

O local era extremamente iluminado não era a primeira vez que vinha ali, mas a cada vinda tinha algo diferente, dessa vez era o letreiro em luzes de neon que foi modificado. Depois que pagamos nossa entrada seguimos para o meio do povo estava lotado parecia que Konoha inteira estava ali, o que eu não duvidava, já que não tinha outro ponto de diversão na cidade. Caminhamos até o bar e pedi uma bala na agulha, cara, porém boa. Senti a mistura de sabores descer por minha garganta como o mais doce mel, céus eu precisava disso.

 

Estava em meu terceiro copo, Kiba e Shino dançavam em meio à multidão, homens sem camisa e mulheres de minissaia tomava conta da pista e foi no meio dessas pessoas que eu o vi. Estava do outro lado da pista encostado no pilar de sustentação me encarando, na verdade, não sabia se era para mim e acabei olhando em volta, mas constatei que somente eu estava naquela direção. Sim, aquele arrogante, sexy e gostoso de nome Sasuke Uchiha me encarava sem o menor pudor.

 

O homem, que parecia ser esculpido pelos deuses, estava a alguns metros de distância, todos naquela cidade conheciam o filho caçula do médico Fugaku, principalmente por o mesmo seguir os passos do pai. Tão jovem e já havia se formado em medicina, talvez, fosse alguns anos mais velho que eu, não sabia. O único contato que tive com ele foi exatamente há 4 anos atrás, quando o conheci em uma virada de ano que passei com Deidara na praça de Konoha, na época meu irmão já namorava com Itachi. Sasuke acompanhava o irmão, o estranho é que ele não mudou muito desde então. Não nego o quanto fiquei encantado com ele mesmo que ainda estivesse descobrindo minha sexualidade, ele mexeu muito comigo, porém também descobri o quanto ele era metido. Toda vez que alguém se aproximava dele tentando puxar papo ele ignorava completamente a pessoa, parecia ter o rei na barriga. Sorri ao lembrar-se desse dia acho que se tivesse mantido o contato com ele eu me apaixonaria. Blééé Naruto, como pode cogitar a possibilidade de se apaixonar por aquele babaca. Agora entendo quando dizem que é sempre a primeira impressão que fica! Claro que o fato das raparigas, que comparecem a Boutique, ficar suspirando por ele contribuiu bastante. O engraçado é que depois desse encontro, mesmo ele sendo cunhado do meu irmão, nunca tivemos a possibilidade de nos conhecer, o que conheço dele é pelas fofocas da Boutique e foi isso que me ajudou a montar sua descrição de bastardo.

 

― Caramba... – observei ele atravessar a boate sem se importar com os corpos que batiam em si. ― Kami-sama o que eu faço? – virei o restante de minha bebida goela abaixo e percebi de canto de olho ele se encostar ao balcão e pedir algo. Aproveitei e o observei dos pés a cabeça, a calça preta parecia ser de couro, provavelmente legitimo, e destacava perfeitamente suas pernas, a peça combinava perfeitamente com a camisa vinho e o coturno, ninguém diria que ele era um médico, estava mais para um dançarino de pole dance. Céus Naruto, que pensamento ridículo.

 

― Meu estilo de roupa não lhe agrada? – fiquei branco feito papel, será que ele percebeu a secada que eu havia lhe dado? ― Não precisa ficar assim, só estou brincando... Como está Naruto? – acho que ele percebeu minha cara de paspalho e resolveu ser cortês, típico dos Uchihas, Itachi é um pé no saco.

 

― Vou bem e você Uchiha? – perguntei e solicitei uma nova bebida.

 

― Sasuke.

 

― O que? – lhe encarei confuso.

 

― Me chame de Sasuke.

 

― Ok, Sasuke! Então, como está? – perguntei adorando pronunciar seu nome, o por quê? Nem eu mesmo sabia.

 

― Melhor agora! – isso foi uma cantada?

 

― Às vezes, precisamos sair e curtir um pouco... – nada a ver o que eu disse, mas está valendo.

 

― Na verdade isso aqui estava um tédio até você chegar! – de novo, céus ele realmente estava dando em cima de mim? ― Só está melhor por você estar aqui, foi isso que quis dizer. – direto. Kami-sama, aquele bastardo gostoso estava me cantando na cara dura. Jamais imaginei que ele gostasse da fruta, se bem que, de todo o tempo que Deidara está com Itachi ele nunca mencionou que Sasuke tinha alguém. Bom, melhor pra mim, tudo bem que ele não é minha pessoa favorita, mas é um pedaço de mau caminho e ainda quero transar loucamente essa noite.

 

― Está me cantando, Uchiha? – inocente igual o capeta.

 

― O que acha? – acho muito bom, pensei.

 

― Estranho, nunca conversamos antes e na primeira oportunidade você joga suas cantadinhas barata. – debochei.

 

― Hm! Achei que estava surtindo efeito minha cantada barata, - respondeu sorrindo e tomando um gole de sua bebida. Encarou-me nos olhos e não sei se eram as luzes da boate, mas eles pareciam rubros, ou ele havia chapado uma. Não, essa última estava fora de cogitação ele agia perfeitamente bem e não exalava nenhum cheiro suspeito. ― Só prefiro ser direto e poupar uma conversa amistosa... E desnecessária. – dessa vez ele virou o corpo em minha direção e me encarou com cobiça. ― Eu quero transar essa noite Naruto, de preferência, com você. O que me diz? – meu coração deu um pulo dentro do peito e foi parar em minha garganta.

 

― Eu... E-Eu... – droga, anda Naruto desenrola. A gargalhada que ele deu me vez voltar a realidade e cogitar a possibilidade dele estar zuando com minha cara. Estranhamente o partido mais cobiçado da cidade, tanto por sua beleza quanto por seu dinheiro, sugere transar comigo, ou eu estava sendo abençoado pelos deuses ou havia algo errado ali.

 

― Acho que você já me respondeu. – dito isso ele agarrou meu pulso, mas não antes de depositar algumas notas sobre o balcão, e me arrastou para fora. É os deuses estavam me abençoando e eu realmente merecia, principalmente depois do sufoco que foi concluir aquele trabalho de Didática. Não tive tempo de avisar Kiba e Shino, a única coisa que fiz foi apanhar a mochila, com meus livros e cadernos, que estava ao pé da banqueta que sentava e deixar-me ser arrastado por ele. Passamos pela multidão em uma velocidade assustadora, não sabia se era pelas várias doses de bebida que tinha tomado, mas parecia não sentir meus pés sobre o chão durante o percurso. Saindo do calor infernal da boate senti a brisa gélida bater em meu rosto, indicando que estávamos do lado de fora, porém foi em questão de minutos que senti meu corpo pegar fogo novamente. Minhas costas bateram contra a lataria de um carro e tive meus lábios tomados pelo do Uchiha, ele me beijava afoitamente sugando todo o ar que possuía, me senti completamente rendido somente com aquele toque, finalmente alguém me possuiria de jeito naquela noite como eu desejava, embora jamais tivesse imaginado ser aquele homem.

 

Suas mãos apalpavam meu corpo sem nenhuma decência parecia ter esquecido que estávamos do lado de fora da boate. Da minha boca seus lábios seguiram para meu pescoço mordendo-o de leve, as mãos adentraram minha camiseta e eu senti o quanto seus dedos eram gélidos, estranhei já que a noite estava agradável e foi somente quando ele tomou meus lábios novamente que eu percebi que eles também eram extremamente frios.  Excitava-me com a possibilidade de incendiar aquele corpo todo, no sentido figurado claro. Afastei-o tentando trazê-lo de volta a realidade e percebi que seus olhos, ainda, estavam vermelhos.

 

― Está tudo bem? Seus olhos... – ele não me deixou terminar e jogou-me dentro do carro, que por sinal era dele, e seguimos para algum lugar.

 

Durante o caminho ele não disse nada se mantinha concentrado na estrada, ao contrário do que achei, minha excitação aumentava cada vez mais somente ao visualizar sua face, o magnetismo que ele exalava era intenso e meu pênis vibrava dentro da calça. A expressão rígida, os lábios finos, as mãos apertando o volante na tentativa de controlar-se de alguma forma, me deixava ansioso para tê-lo. A camisa vinho, um pouco aberta, deixava seu tórax exposto, a pele era pálida e firme, senti uma enorme vontade de beijá-la e não me fiz de rogado. Desabotoei o sinto, e o vi olhar-me confuso, inclinei-me sobre ele e desabotoei o restante de sua camisa, enquanto observava ele morder o lábio inferior. Deslizei meus dedos sobre sua pele sentindo a textura de seus músculos aproximei meus lábios e beijei seu peito dando leves mordidas, ele ofegou baixinho quando chupei seu mamilo, que estavam salientes, sorri contra sua pele para provocá-lo mais.

 

― Naruto... Por favor... – ele pediu, provavelmente por estar dirigindo, mas ignorei-o, precisava saborear aquela pele e foi o que fiz até ele dizer que havíamos chegado. Observei o lugar e me dei conta que estávamos na mansão Uchiha.

 

― Está louco Sasuke, se Deidara me ver aqui ele vai desconfiar... – falei exasperado, não queria que meu irmão ficasse desconfortável por saber que eu teria uma foda com seu cunhado, ainda mais em sua própria casa.

 

―Relaxa eles estão dormindo! – respondeu direcionando-me pela mansão até seu quarto. Poucas vezes estive ali, mas achava aquele lugar incrível. Sasuke abriu a última porta do corredor e adentrei-a me deparando com um grande e luxuoso quarto. Não tive tempo de observar os detalhes, pois assim que fechou a porta ele me agarrou me lavando até o céu com seu beijo. Nunca havia sido beijado daquela maneira, minha mente nublava e meu corpo ficou dormente me proporcionando sentir apenas aquele ato o resto não fazia diferença, somente eu e ele.

 

Suas mãos deslizaram por minhas costas em uma caricia leve, fechei os olhos e aproveitei aquela sensação, meu corpo estava em chamas e por onde seu dedo percorria parecia que uma trilha em fogo era feita, estranho, pois seus dedos eram tão gélidos, suspirei ao ter minha língua chupada e gemi baixinho. Sasuke afastou-me e encarou-me com aqueles olhos rubros, parecia a ponto de me atacar e foi isso que ele fez rasgou minha camiseta com uma facilidade incrível e me jogou na cama, eu o queria, céus como eu queria aquele homem me fodendo. Observei ele seguir até mim retirando a camisa lentamente abrindo a calça deixando a mostra um pouco de seu púbis. Pirei, ele não usava roupa intima seu membro estava quase saltando para fora, conseguia ver parte da cabeça rosada, e parecia ser enorme, mordi meus lábios em expectativa. Ele abaixou a calça e chutou-a com os pés para longe, seu falo apontou em minha direção e imediatamente eu fiquei de quatro sobre a cama. Com a face em sua direção, abri minha boca e pus a língua para fora o lugar de seu pênis era dentro da minha boca e foi isso que ele fez quase me engasguei, ao ter aquele tamanho todo em minha boca, chupei-o, chupei como jamais havia chupado alguém em minha vida. Meus olhos lacrimejavam ao ter a garganta tocada, me controlei ao máximo para que a sensação de ânsia não me dominasse, não era nojo, longe disso, era apenas uma reação normal igual quando queremos vomitar e tacamos o dedo bem no fundo da garganta. Estava extremamente excitado e sentia meu orgasmo se aproximar somente por ouvir seus gemidos roucos, a mão sobre meus fios loiros apertava-os sem pudor. Senti Sasuke tentar controlar o ritmo e logo seu quadril iniciou um vai e vem frenético, deixei-me ser dominado por ele e pelo orgasmo que me atingiu, bebi todo o leite que foi derramado em minha boca o gosto não podia ser melhor. Não tive tempo de recolher, com a língua, as gotas que escorreram por meu queixo, pois Sasuke simplesmente avançou sobre meus lábios misturando todos os sabores possíveis entre saliva, esperma e bebida. Aquela noite seria maravilhosa e que se dane o amanhã eu só quero esse maldito Uchiha me comendo com toda sua força.

 

Gemi, estava rouco e minha voz ameaçava me abandonar não sabia quantos orgasmos já havia tido. Sasuke me chupou eu gozei, ele enfiou seus dedos em mim e eu gozei, ele lambeu minhas bolas e me penetrou com a língua e eu gozei e agora provavelmente vou gozar pela segunda vez tendo seu pau entrando e saindo da minha bunda em uma velocidade absurda, minha próstata nunca apanhou tanto como hoje, meus joelhos estão prontos a ceder. De quatro nessa cama eu sou possuído do jeito que pedi e desejei, minha pele está brilhosa de suor, saliva e sêmen, sinto minhas vistas escurecerem, mas antes de me entregar ao cansaço sinto seus jatos quentes inundando minha entrada, na mesma velocidade que elas entraram a minha essência saiu. Despejei-me mais uma vez sobre o lençol de cor azul, porém dessa vez não foi somente meu esperma que caiu sobre o tecido caro e macio meu corpo, também, desabou sobre ele. Estava exausto, meus olhos não me obedeciam e nem meus lábios que insistiam em sorrir feito um idiota e finalmente eu adormeci.

 

 

 

― Senhor amado, parece que fui atropelado por um caminhão! – praguejei assim que acordei sentindo meu corpo reclamar. A cama estava tão confortável, não me lembrava de ter ido para a casa devo ter bebido e arranjado briga, por isso, essa dor insuportável em meu corpo e no meu... Opa, opa, opa! Apalpei minhas nádegas e senti a ardência em minha entrada. Sentei-me rapidamente na cama, me arrependendo logo em seguida, pois a dor piorou e a agulhada em meu c* foi maior. Olhei pelo quarto e percebi não ser o meu, eu havia transado, e pelo jeito loucamente, mas não me lembrava de nada, mirei a cama e encontrei uma cabeleira negra no lado oposto ao meu. Somente as costas estavam a mostra o rosto enfiado no travesseiro impossibilitava de visualizar o desconhecido, aproximei e retirei as mechas de sua face e Kami-sama, feito um gato, eu saltei para longe dele. Eu havia transado com Sasuke Uchiha, minha nudez, os hematomas em minha pele, a dor em meu quadril e o sêmen seco, que escorreu da minha entrada por toda a parte inferior de minha coxa, indicava isso.  ― Céus, Deidara vai me matar, preciso sair daqui antes que alguém apareça. – vesti-me do jeito que deu e sai a passos de Légolas, para ninguém me ouvir, mas infelizmente eu não era aquele elfo delicioso do Senhor dos Anéis e acabei dando de cara com Mikoto e Fukaku-san.

 

― Naruto-kun? – disse Mikoto me encarando no meio da sala.

 

― O-Oi! – droga, o que eu faço, faltava apenas alguns passos para alcançar a saída.

 

― Está tudo bem Naruto? – dessa vez foi Fugaku. ― Acho que Deidara ainda está dormindo, aconteceu algo para aparecer tão cedo? – hã? Ele acha que estou chegando e não saindo? ― Deve ser, pois nem penteou os cabelos... Espera! Se meteu em briga, olha esse roxo em sua bochecha... – automaticamente levei minhas mãos até meu rosto cobrindo o local onde ele havia apontado com o dedo e de repente Fugaku gargalhou. ― Sasuke não pegou leve contigo, não é? – eu devo ter adquirido diversos tons de vermelho depois daquilo.

 

― Eu...

 

― Cala a boca Fugaku vai constranger o menino. – Mikoto o repreendeu. ― Não quer tomar café ou um banho Naruto? – caramba eu devo estar fedendo a sexo.

 

― Não, não Mikoto-san, o-obrigado e-eu preciso ir, tchau! – dito isso sai correndo, quer dizer mancando, ainda pude ouvir Fugaku-san dizer “Esse é meu filho” se gabando daquele bastardo. Caminhei alguns metros e chamei um táxi, pois minhas pernas ameaçavam ceder a qualquer momento, não me lembro de nada da noite anterior, a única prova que tenho de que aquele homem me proporcionou a melhor transa da minha vida são os danos físicos. Talvez, só talvez, Sasuke Uchiha tenha subido ao meu conceito! Sorri encarando as árvores pela janela precisava de um banho e de algumas horas de sono.


Notas Finais


Beijoss e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...