História Seu coração me pertence? - I - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Hoseok, Jhope, Jin, Kpop, Romance
Exibições 52
Palavras 4.023
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Esse capítulo deu trabalho, mas consegui terminar, desculpem a demora~
OBS: Qualquer erro considere como uma mera ilusão.

Capítulo 41 - Mídia


Fanfic / Fanfiction Seu coração me pertence? - I - Capítulo 41 - Mídia

Cobertura, quarto de Jungkook – Sábado – 10:04 AM

Entramos no quarto de Kook que era ao lado do de hóspedes e Dawon fechou a porta se virando para me olhar, cruzando os braços em seguida.

Me desculpe, mas eu não aguento mais ver isso e não fazer nada. Já está ao limite. – Suas palavras soaram duvidosas a mim; me encarava revelando certa ansiedade.

O que aconteceu? Por que está agindo assim unnie? – Perguntei.

Eu sei de tudo, tudo mesmo. E depois do que vi aqui, preciso tomar alguma atitude, é minha última chance. – Disse em tom sério.

Como assim tudo?

Você e meu irmão, ______... – Mordeu o lábio hesitante – Ele te ama, você não vê? Ambos estão sofrendo, porém não fazem nada a respeito, por acaso são masoquistas? – Riu sem humor; engoli em seco e olhei para o chão um pouco nervosa, não esperava por isso. – Olha, – Colocou as mãos em meu rosto e me fez olhar nos seus olhos. – O que quer que seja, sobre você e o Jin, não deixe que a dó, ou seja lá o que for, te consuma e faça perder quem realmente ama. – Soltou meu rosto e se afastou um pouco cabisbaixa. – Por favor, tome logo uma decisão, ele está sofrendo muito e eu não gosto de vê-lo assim...

Dawon eu... não é dó, é- – Fiz uma pausa para pensar. – Só não posso, agora. – Queria chorar, porém me segurava, também estou sofrendo, não tenho forças para explicar e agir sozinha, não com tudo isso acontecendo. – Tenho coisas pendentes para resolver ainda. E ele está debilitado também, devo manter minha postura e-

Postura?! ______, o Hoseok não liga para sua "postura". Ele quer atenção e carinho como alguém que seja, de certa forma, especial para você, e não como um mero paciente. – Me interrompeu exaltada, acabei ficando sem palavras. – Pare de se preocupar demais, nada é como queremos, se você quer viver seu amor, viva! Os outros apenas devem aceitar sua escolha. – Suspirou após diminuir o tom e permaneci fitando-a, raciocinando o que dissera.

N-Não é tão simples... – Respondi finalmente obtendo sua atenção.

Sei que não, mas é a única saída. – Jogou o cabelo para trás e olhou para a janela. – Sobre as "coisas pendentes" resolva-as logo, porque se demorar ele pode desistir e se machucar ainda mais, inclusive você. Meu irmão respeita muito o Jin, e nunca o provocaria. Só se estivesse bem desnorteado... o que vem acontecendo esses dias... entende?

– ... – Assenti sem dizer nada, seu olhar ainda estava sobre mim.

E minha mãe... ela não sabe sobre vocês dois, mas está preocupada contigo. Não me disse o porquê e isso me preocupa também. – Preocupada comigo? Isso é novo.

Tudo bem, eu vou cuidar de tudo, só preciso de mais tempo. Ok?

Pense com carinho no que eu lhe disse, essa semana com você foi curta, mas foi boa o bastante para saber o quão incrível você é. Hoseok me falou tanto sobre você. – Estremeci um pouco, porém ela sorria sozinha parecendo ter lembranças com o irmão.

Irei cuidar dessa situação...

Está bem. – Acariciou meu ombro me dando força e sorri fraco.

Ah! Mais uma coisa. Pode ficar com a minha cama, é melhor que o colchão. – Riu divertida e retribuí abraçando-a, e dessa vez me recebeu como se já soubesse.

Bom, tenho que trocar o curativo do JHope, te vejo depois. – Sorri me retirando e ela assentiu entendendo.

[...]

Quarto de Hoseok – 10:27 AM

 

Me sentei na cama de Hoseok esperando-o sair do banho, sua mãe estava junto com ele, o ajudando. Aproveitei para pensar mais a fundo sobre o que Dawon disse.

Sim, sei muito bem que Hobi está sofrendo, e isso que me faz sentir ainda mais culpada. Entretanto, o mesmo ocorre com o Jin. É algo bem macabro, eu não quero deixar nenhum deles machucados, mas se isso continuar acontecendo terei que pôr um fim em tudo com Jin e ficar com quem eu realmente amo. Ele terá que aceitar, se me ama, vai entender, não é? É o que normalmente as pessoas pensam...

Minha cabeça dói em pensar nisso, será por causa do peso da culpa que insisto em carregar? Eu poderia me livrar facilmente dela apenas deixando Jin e ficando com JHope, assim, de repente? Não faz muito sentido, da forma que Jin age acho que poderia acabar em uma briga feia entre nós três, afetando até mesmo o grupo, algo que não quero de forma alguma que aconteça.

Pronto. Mais um problema que me esqueci: o grupo.

Não afetaria apenas o Jin e sim o grupo todo. O que eu devo fazer?

Pense ______, apenas pense... – Dou batidas em minha cabeça tentando amenizar a dor que pulsava de leve.

______? O que está fazendo? – Escutei a voz doce da mãe de Hoseok, olhei para a direção que vinha e a vi sorrindo de lado, gozando da situação que via em relação a mim.

Ah, já terminaram? – Me levantei de súbito ajeitando minha roupa um pouco nervosa.

Sim, você cuida do resto, não é? Posso ver? – Questionou ainda com o mesmo tom.

Bem, se quiser, posso até ensiná-la. – Sorri e ela retribuiu concordando.

Omma! Me ajuda a colocar isso aqui. – Hoseok exclamou dentro do banheiro e ri com a forma que se expressou, certamente sobre a roupa íntima ou a camisa, não sei; ela voltou para dentro do banheiro para o ajudar.

Ele se vestiu e fiz o tratamento, hoje estava com um semblante sério, sua irmã irá embora, entendo seu lado. Também fiquei da mesma forma quando Vivian viajou, e falando nisso, ela ainda não me ligou, estou preocupada.

Ei... o que está pensando? – Hobi me acordou dos pensamentos e percebi que sua mãe não estava no quarto.

Oh? Sua mãe?

Ela foi falar com a noona.

Ah... – Destravei o corpo e me sentei ao seu lado na cama. – Estou preocupada... – Respondi a sua pergunta anterior com um tom solitário.

O que foi? – Pegou em meu pulso e se aproximou tentando encontrar meus olhos.

Minha irmã e os garotos não me atendem, faz alguns dias. Acho que estão muito ocupados... – Sorri fraco e olhei para sua mão sobre meu pulso e a acariciei.

Estranho... eu falei com o Suga hyung ontem. – Comentou e o olhei com um leve espanto.

M-Mas- por quê?

Não. Foi bem rápido, ele só quis saber se eu estava bem e logo desligou. – Suspirou olhando o chão.

Ah. – Suspirei.

Enfim, porque não procura notícias na internet, talvez encontre algo. – Enquanto falava sua mãe entrou no quarto.

Notícias? – Questionou interessada no assunto.

Vou procurar. Concordei com a ideia, não havia pensado isso antes.

Sim, ela quer saber sobre os outros. – Quando ele terminou a expressão de sua mãe não fora muito convincente, porém ela conseguiu esconder bem do filho, mas não de mim.

Hum... filho eu te trouxe esse cappuccino, beba. – Colocou a bandeja na cama e pegou a caneca entregando para Hobi que ficou um pouco feliz. – _____ podemos ir no quarto de hóspedes? Vai ser rápido, Dawon me pediu para te mostrar algumas coisas. – Me olhou parecendo mentir.

Que coisas? – Hoseok questionou encarando a mãe.

Coisas de mulheres. – Riu espalmando o filho de leve; Hobi virou a caneca com uma careta.

Vamos? – Ela perguntou e assenti me levantando e a seguindo.

Ao chegarmos ao quarto ela pediu para que me sentasse ao seu lado e permaneceu quieta, algo em mim tentava perguntar o que realmente queria dizer, porém me mantive quieta e tensa.

Desde que cheguei aqui notei que seu comportamento é um pouco estranho, pensei que talvez fosse por ser estrangeira, mas descartei quando vi a forma que acordava pela madrugada. – Não sei se era possível, mas senti meu corpo congelar totalmente quando dissera as últimas palavras. – Guardei isso esses dias, esperando que passasse, só que não passou. Todas as noites você emite sons, se levanta chamando por meu filho e depois volta como um fantasma. Isso não é normal... o que você tem?

Ah, isso... eu só estou abalada. Tudo ainda é muito recente, não me acostumei em vê-lo daquela forma. Tenho medo que durante a noite passe mal, isso me assombra desde que vi as... “coisas” que ele passou. Não se preocupe comigo. – Sorri fraco explicando, mas ela não se convenceu, imagino se tenha uma personalidade forte e grande percepção, isso será um problema se eu tentar esconder o fato ao qual eu amo seu filho.

Querida... – Pegou em minha mão com carinho e colocou sobre seu colo junto as suas. – Você deve se livrar desses pensamentos negativos e manter sua mente leve, bom- – Olhou para frente procurando palavras. – So-bre meu filho, sei que irá melhorar em breve e tudo vai passar, não quero que ele fique triste e perca a vontade e a esperança que sempre teve. Então, por favor, faça o possível para o ajudar, você é a única que de alguma forma o deixa alegre. Não sei o tipo de amizade que ambos têm, mas é forte e estão ligados. – Lágrimas tristes desciam de seus olhos, porém mantinha a voz forte.

Ommonim... – Sussurrei em um fio de voz e ela balançou a cabeça negativamente para que eu não dissesse nada.

Saiba que estou aqui para apoiar vocês, então não economize em me chamar para qualquer coisa que seja. Se estiver com problemas, me diga e eu farei o possível para ajudar. – A conversa estava se tornando estranha, ela não me conhece e está me tratando assim. – Qualquer coisa, me diga. Entendeu? – Me encarou certa do que dizia e assenti.

Tudo bem, vou melhorar. – Apertei suas mãos e ela sorriu fraco e se levantou saindo do quarto e me deixando sozinha.

Parei para observar o quarto e pensar, até que vi meu celular conectado ao carregador e me lembrei do que Hoseok dissera minutos atrás. O peguei acessando a internet e pesquisando sobre o BTS, “notícias recentes”.

– “BTS sofre com escândalo e encontra dificuldades no exterior”? O que é isso? – Me surpreendi ao ler e cliquei rapidamente na notícia.

“BTS foi atacado dias atrás em frente ao hotel que hospedavam no Japão no momento que saiam para seguir viajem para a Tailândia. E hoje pela manhã no aeroporto de Hong Kong foram cercados por fãs furiosas que gritavam e insultavam, especialmente, o membro mais velho, Kim Seok Jin. O acusando pelo estado de Jung Ho Seok, o membro que se acidentou no primeiro concerto na Olympic Park Gymnastics Arena semana passada.

Aparentemente, Seok Jin provocou a queda de Ho Seok do palco, porém os outros membros se recusam a admitir tal fato. “Jin hyung nunca faria isso, ele não é esse tipo de pessoa. ”, disse o mais novo do grupo, Jeon Jeong Kook. A Big Hit postou recentemente uma carta pedindo desculpas aos fãs pela ausência de um dos idols, porém não poderiam cancelar a turnê e devolver o dinheiro e que recompensariam todos da melhor forma. As fãs se mostraram compreensivas após isso, mas ao surgir uma onda de acusações anônimas acabaram se revoltando sem um motivo explícito ou provas.

No momento não temos mais informações sobre o caso, mas o show do grupo em Bangkok foi cancelado por segurança aos rapazes.

Eu sou Lee Chang Jun, e desejo que todos tenham um bom fim de semana! Até a próxima! ”

Soltei o celular procurando algum lugar para me segurar.

Não pode ser... – Sussurrei chocada com o que acabara de ler.

Não é possível que ainda acreditem nessa besteira. O Jin não fez nada...

 

~ Jin P.O.V ON ~

Osaka, hotel – Quinta-feira – 6 AM

Dormi bem durante essas duas horas, escutar a voz de _____ foi bom, mesmo tendo sido tão breve. O que não saiu da minha cabeça foi aquele “espião” que estava me observando. Espero que seja apenas uma fã.

8:45 PM

Nos encontramos no salão de espera do hotel quando já havíamos arrumados as malas, a próxima cidade será Bangkok na Tailândia, um lugar agradável e que guardo boas memórias.

Pegaram tudo? Namjoon? Jimin? – Vivian questionou citando os nomes mais preocupantes e tendentes a esquecer as coisas.

Sim! – Responderam em uníssono.

Ok- Ah, – Seu celular começara a tocar. – É o Heechul, me esperem aqui. – Saiu em direção à porta atendendo a chamada, não dava para ver a parte de fora do hotel de onde estávamos, tinha uma parede com uma decoração luxuosa na frente, onde do outro lado fica a portaria junto ao hall de entrada.

Está melhor? – Jimin cochichou perto de mim.

Sim, me desculpe. – Respondi sinceramente.

Tudo bem. – Espalmou meu ombro e foi até Jungkook para conversar, permaneci em pé olhando a decoração aconchegante.

Passou alguns minutos e Vivian voltou com seguranças atrás de si, sua expressão não era nada boa.

Temos um problema. – Disse ofegante, como se tivesse corrido uma maratona.

Ei, o que aconteceu? – Jimin perguntou se aproximando.

Há garotas por todos os lados ali fora, conseguem ouvi-las? – Apontou o dedo em direção a entrada, nos surpreendemos com isso. Normalmente mantemos em sigilo o local que estadiamos.

Agora sim, mas como souberam que estamos aqui? – Namjoon se levantou da poltrona retirando os fones de ouvido.

Eu não sei, mas temos que passar por elas. O voo é daqui a pouco, não podemos perde-lo. – Passou a mão no cabelo visivelmente tensa, fechei o punho me lembrando daquela câmera. Certeza que foi aquela pessoa. – Jin... – Me olhou com um semblante preocupado.

Sim. – Respondi.

Elas... bem, você precisa se camuflar. – Franzi o cenho com certa raiva e fechei ainda mais meus punhos.

Por que ele deve fazer isso? – Taehyung questionou indignado.

Vocês irão saber, agora vamos! Antes que piore. – Pegou as malas e nós fizemos o mesmo. – Estes seguranças irão garantir que fiquem parcialmente seguros, então mantenham total atenção. – Assentimos seguindo-a e na porta vimos Heechul gritando com alguém, bem irritado.

VOCÊ É UM IRRENPONSÁVEL! QUANDO VOLTARMOS A SEUL ESTARÁ DEMITIDO! – Paramos no caminho bloqueado por ele, e logo me encarou, assim, desviou sem dizer nada e conversou com os seguranças dando instruções.

Entramos do meio da multidão, geralmente passamos por multidões em aeroportos, shoppings e etc., mas são sempre pacíficas, agora desta vez as “fãs” parecem selvagens, gritam e berram em japonês, pude entender os seguranças ao meu lado dizerem que estão xingando, na verdade, me xingando, pois, meu nome sempre era citado. Os gritos passaram a me deixar inquieto, eu apertava com força a bolsa que carregava tentando manter a calma e sair daquele sufoco, a máscara que coloquei cortava sessenta por cento do meu ar. O caminho não acabava, isso por acaso é um apocalipse? Está tão quente, meu braço direito está ardendo por algum motivo, meu machucado na nuca está pulsando. EU PRECISO MANTER A CALMA! ______ me ajuda... eu não posso aguentar.

JIN! – Ouvi uma voz familiar gritar perto de meus ouvidos. – VAMOS JIN, TEMOS QUE IR! Vi Namjoon puxar meu braço direito e na frente estava nossa van preta, podia ver vultos a minha volta se mexendo. ENTRA! – Gritava e me puxava, até que voltei a realidade entrando no automóvel e tendo o som de volta como um baque. Alguém entrou depois de mim e fechou a porta de correr com certa força, era Vivian, ela me olhou e empurrou Namjoon para o lado.

Não sei o porquê, mas ela é muito semelhante a _______, fiquei a observando calado e vendo-a mexer a boca dizendo coisas, mas eu não conseguia escutar, apenas admirar. Então pegou em meu braço direito e continuei observando-a e sentindo um sorriso surgir em minha boca. Se aproximou do meu corpo para olhar meu braço com expressões preocupadas e continuei admirando-a.

Quando levantei minha mão para tocar seu rosto, senti uma dor insuportável vinda da minha cabeça e a mesma mão que levantei, levei até meu machucado.

Ah, droga. – Murmurei apertando meus olhos.

Jin, o que foi?! Sua cabeça também dói? – Me perguntou com os olhos arregalados e Namjoon se aproximou. Olhei para meu braço em suas mãos e vi sangue.

O-O que é i-sso? – Arregalei os meus também retirando meu braço de si e reparando o ferimento. Me arranharam, três marcas de unhas, grandes, permitindo rasgar a pele e o sangue fluir como um leve corte com a lâmina de uma faca. Agora senti uma dor mais intensa tanto no braço quanto na cabeça. – Minha mochi-la, onde está? – Perguntei com a voz falha vendo Vivian e Namjoon me olharem sem saber o que fazer.

Jimin! – Ela gritou. – Pegue a mochila do Jin! Ele precisa do remédio! – Se levantou ao encontro com o chamado.

Calma, eu coloquei aqui. – Respondeu confuso.

Ela pegou a mochila e me trouxe, indiquei onde estava e assim me entregou as pílulas, haviam apenas duas, as últimas. Tomei sem cerimônia e bati a cabeça no encosto do banco tentando respirar melhor.

Estou farto disso. – Sussurrei e eles se entreolharam cabisbaixos.

Vai passar, não se preocupe. – Vivian tentou me consolar. – Você só- droga. – Pegou o celular vendo que recebia outra chamada. – Ah, é minha irmã... – Encarou a tela do aparelho que ainda tocava. Namjoon segurou seu pulso e negou para que não atendesse. – Mas-

Agora não é o momento. – Disse e ela pensou um pouco e então concordou desligando o celular e colocando na bolsa.

Hoje de madrugada. – Comecei obtendo a atenção dos dois. – Eu vi alguém me observar no prédio da frente.

O quê? – Nam indagou.

Devemos tomar cuidado. – Terminei.

Deve haver alguém por trás disso, temos que descobrir quem... veja o que fizeram com você. – A mais nova disse e sorri fraco.

Eu já estou machucado, isto não é nada. – Me referi aos arranhões no braço e ela franziu o cenho discordando.

[...]

Chegamos ao aeroporto e fui encaminhado até a enfermaria para cuidar do meu braço, acabamos perdendo o voo. Mas recebemos reembolso e Heechul resolveu nos levar para Hong Kong, com o consentimento de Si Hyuk (Hitman Bang), já que é caminho, e de lá para Bangkok.

Será melhor assim... – Jimin comentou enquanto aguardávamos a chamada para o voo.

Não tenha tanta certeza. – Vivian o respondeu. – Até lá todos já saberão, preparem-se para o pior. As mídias já estão comentando sobre, espero que minha irmã não veja isso. – Disse preocupada.

Também espero. – Ressaltei e eles me olharam compreendendo.

Minha dor havia passado com o efeito dos remédios, comprei mais, porém não sei até quando resolverão esse problema, existe aquele fato de que viciam e acabam não satisfazendo mais.

Ela está me ligando... – Taehyung balançou o celular no ar referindo-se a ______.

Não atenda, você definitivamente não pode falar com ela. – Vivian disse enquanto olhava com os olhos arregalados para a sua própria tela do celular.

O que foi? – Perguntei.

Há assuntos sobre você e ela também, Jin. Dizem que estão tendo um caso e que- Ah meu Deus... – Soltou o celular no colo e colocou as mãos na cabeça irritada.

O que é? – Jimin pegou o celular de seu colo e começou a ler me deixando tenso. – “Parece que uma das estrelas mais comentadas do momento está criando um escândalo para sair do grupo e se casar com sua nova amante. Há informações de que-“

PARE DE LER! – Vociferei interrompendo Jimin e chamando atenção de todos a volta. – Pare de ler... – Repeti com um tom mais baixo, olhando para o chão tentando me acalmar.

Calma... – Yoongi disse.

Des-culpa. – Jimin me olhou assustado.

Foi isso, isso- É de ontem, eu estava irritado com isso! Eles não sabem o que falam, eles- Ah – Suspirei sentindo lágrimas virem.

Me dê os celulares de vocês! – Vivian se levantou estendendo a mão. – Me deem! – Firmou a voz e permaneci calado para não chorar.

Por quê? – Kook perguntou indignado.

Temos que nos desligar ou ficaremos loucos. – Pegou nossos celulares e desligou, guardando em sua mala.

Tem razão. – Namjoon disse guardando os fones.

Mantenham a mente limpa, iremos sair dessa. Vamos apenas continuar nosso trabalho, ok? – Reforçou pegando na mão de Jimin. Assentimos entendendo, o que achei que não poderia piorar, só piora.

Hong Kong – 1:10 AM

Pegamos o voo para Hong Kong às 9:20 PM e chegamos agora, a empresa reservou três quartos no hotel ao lado do aeroporto onde dormiríamos até o próximo voo para Bangkok, às 7:05 AM. As horas passavam e eu e meus companheiros de quarto, Jungkook e Yoongi não dormíamos, meu sangue pulsava de raiva. Quero notícias, quero ver ______. Sinto tanta falta, devia tê-la respondido quando pude, agora só lamento.

Bangkok, Tailândia – 9:30 AM

Chegamos à Bangkok, finalmente, mas me desanimei assim que vi mais fãs exaltadas e furiosas vindo em nossa direção. Como Vivian disse “preparem-se para o pior”. Respirei fundo tapando meu rosto com o boné e a máscara e me juntando aos outros para enfrentar as garotas enfurecidas que gritavam meu nome e o de Hoseok meio a frases com sua língua nativa.

Ei, Jin, vem por aqui. Venha, tem uma saída vazia por aqui! Chame os outros! – Escutei uma voz feminina me chamar e dizer tais coisas e a procurei desesperadamente. – Aqui! Vem! – Vi uma mulher balançar a mão me chamando e algo me dizia para segui-la. Virei para alertar os outros, mas estavam longe e difíceis de se alcançar meio a tantas pessoas, resolvi ir sozinho, uma loucura.

Ela me puxou e corremos para fora dali. Seus cabelos eram curtos e ruivos escuros, só isso que consegui ver. Ela colocou um chapéu e um óculos e se virou para mim, não consegui identificar seu rosto, mas no local onde paramos estava vazio e seguro.

Quem é você? – Questionei ofegante e ela respirava da mesma forma.

Só alguém que te ajudou. Adeus... – Sorriu sem mostrar os dentes, ainda assim não conseguia ver seu rosto por completo. Se virou para ir embora e então a segurei.

Obrigado. – Sussurrei e ela se manteve virada, soltei seu pulso e ela caminhou em direção a saída. – Posso saber seu nome?! – Exclamei.

Jin! Como veio parar aqui?! – Namjoon tirou minha atenção da mulher que me salvou, quando voltei a olhar por onde saíra vi a porta se fechar devagar, ela não me respondeu.

Droga... – Murmurei.

Ei! – Insistiu.

Só achei um caminho mais fácil, vamos! – O empurrei em direção a que veio olhando para o lugar onde vira a ruiva, balancei a cabeça para esquecer e ignorei as perguntas de Namjoon.

Agora estou curioso sobre ela.

~ Jin P.O.V OFF ~

 

______? Vamos? – Escutei a voz de Dawon vindo da porta e sequei minhas lágrimas rapidamente aproveitando que estava de costas para a mesma.

Oh, sim, vou só, – Limpei a garganta me levantando ainda de costas. – Me arrumar. – Sorri e ela retribuiu.

Okay, estaremos te esperando. – Fechou a porta e me sentei novamente ainda abalada com o que li.

Eu não aguento mais... – Passei a mão em meu rosto lamentando, meu coração está tão apertado. E a culpa só aumenta.

[...]

Caminhei até a sala em passos fracos e vi os três conversando divertidamente, havia três malas perto do hall de entrada. Quando me viram se levantaram, exceto Hoseok que está na cadeira de rodas.

Não poderei ir então... – Hobi disse triste.

Eu ficarei com ele, você não pode ficar sozinho aqui. – Alertei e eles se entreolharam.

Tudo bem, minha mãe irá comigo. – Dawon sorriu como se dissesse que não há problema algum. – Enfim, foi muito bom passar esse tempo aqui, conhecer você e aprender coisas novas, do tipo... não me desesperar quando alguém estiver quase morrendo na minha frente! – Riu e rimos dela. – E poder ficar ao lado do meu dongsaeng. – Puxou a voz como um aegyo (fofura) – Pretendo voltar em breve, quem sabe no Natal. – Riu fraco, despedidas são sempre tristes. – Obrigada por cuidarem bem de mim, e você – apontou para seu irmão – continue lutando, você ainda poderá dançar, está me ouvindo?

Sim noona, pare com esse drama... – Revirou os olhos rindo contagiando nós três por sua estupidez.

Dawon se despediu novamente e me abraçou calorosamente, ambas saíram aos “prantos” e acabei chorando mais do que elas quando me sentei no sofá.

Vejo que vai sentir muita falta dela. – Hoseok se aproximou de mim e fez carinho em minhas costas. Olhei para ele sorrindo fraco e então me virei para abraça-lo.

Não posso contar, então irei apenas usar momentos a meu favor, mesmo sendo egoísmo, preciso disso.


Notas Finais


hehehehehehe~

Links Imagine

*Jin na van, dizendo que devem tomar mais cuidado em relação a pessoa que viu durante a madrugada*:
http://67.media.tumblr.com/b9accf081c738af13fcea9efa5e5bb41/tumblr_oezbk3fNar1s2rkgmo1_400.gif


GIF DO CAPÍTULO ANTERIOR (esqueci de colocar, então pra quem não viu)

*Jin escorando na sacada*:
https://67.media.tumblr.com/896c6e98142c49098f1eb555595c3dba/tumblr_inline_obnqqoAU7q1sg8y0h_540.gif


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...