História Seu Fã Número Um - ShortFic Ruggarol - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Agustín Bernasconi, Candelaria Molfese, Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Agustín Bernasconi, Candelaria Molfese, Karol Sevilla, Personagens Originais, Ruggero Pasquarelli
Tags Fã Número Um, Karol Sevilla, Lutteo, Mensagens, Romance, Ruggarol, Ruggero Pasquarelli, Shortfic, Soy Luna, Tonymartin
Visualizações 197
Palavras 619
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Harem, Luta, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi. Voltei. Eu sei que estou demorando nas atualizações de algumas fics, mas aos poucos vou atualizando.. Esse capítulo ficou um pouco pequeno, mas fiz com todo o carinho pra vcs e sinto que irão amar..
Boa leitura..

Capítulo 3 - Você É Linda


Karol Sevilla apenas permanecia parada no corredor pensando nessa proposta louca de namoro falso com Ruggero Pasquarelli vinda dos produtores de Soy Luna, como também o Fã Número Um habitava sua mente fazendo-a pensar no quão romântico e carinhoso ele parecia ser, ao mesmo tempo se perguntando quem poderia estar por trás daquilo tudo. A atriz tentava pensar em alguém que conhecesse que podia vir a ser capaz de fazer algo assim, porém ninguém vinha em sua cabeça. Ninguém mesmo.

A morena se assustou ao sentir uma mão tocar seu ombro de leve, sentindo um arrepio percorrer todo seu corpo com apenas aquele toque. Virou a cabeça para ver os olhos negros e o sorriso hipnotizante de Ruggero Pasquarelli, quem estava pertinho dela. - Ai, Rugg. Me assustou. - Reclamou, sorrindo de leve e fazendo o sorriso do rapaz se ampliar. - O que faz aqui? - Perguntou. Estava curiosa e não entendia o motivo da presença dele ali. 

Pasquarelli respirou fundo, por um instante se perdendo no rosto de anjo de Karol. De SUA Karol. Não importava quantas vezes ele olhasse para a amada, sempre ficaria fascinado. Karol era linda, perfeita. Tinha rosto de anjo. E sempre o deixava feito um bobo apaixonado. Coisa que ele realmente era, para falar a verdade. A amava desde o primeiro momento em que pousou os olhos nela, há dois anos atrás. O moreno podia ter demorado a perceber o que sentia, porém agora sabia que sempre foi e sempre seria amor. - Vim aqui ver como estava. - Respondeu, encostando-se na parede ao lado dela. - Você recebeu uma mensagem mesmo, ou quis escapar depois de saber que terá que namorar comigo, hein, mocinha? - Brincou.

Karol corou levemente. Pois querendo ou não essa novidade de namoro falso mexeu sim com ela. A relação poderia acabar sendo falsa, mas ainda assim os sentimentos dela pelo colega de elenco eram reais. Reais até demals. Bateu no ombro de Pasquarelli. - Engraçadinho. - Ironizou. - Mas eu recebi uma mensagem sim. Era minha mãe querendo saber onde eu estava. - Mentiu, não querendo contar para Ruggero sobre o admirador secreto. Ao menos não por enquanto.

Ruggero riu, pois sabia perfeitamente que a jovem estava mentindo. - Dona Caro sempre preocupada. - Karol a acompanhou na risada, afinal o italiano estava mais que certo. - Mas, e o namoro falso? O que achou? - Questionou, ficando um tanto quanto ansioso pela resposta que Sevilla daria.

Ela suspirou. - Não sei. É uma ideia bem louca. Mas só assim pra você querer namorar comigo, né, Pasquarelli? - Retrucou, sentindo-se mal com suas palavras pois na mente dela eram nada mais que a verdade.

Ruggero respirou fundo, tentando disfarçar seu incómodo. Lhe doía saber que Karol pensava que ele nunca iria quere-la quando na realidade ela era quem ele amava. Perfeita para ele. - Eu namoraria com você sim. Você é legal, divertida, alto astral, amiga, carinhosa. E o principal. Você é linda. - Confidenciou, aproximando-se e não podendo se conter de acariciar o rosto da mexicana suavemente. Ambos estremeceram com o toque. Olhares se conectando um no outro e corações batendo fortes no peito.

- Vo, você acha? - Gaguejou, baixando o olhar com vergonha. Ruggero levantou seu queixo e a encarou com ternura, fazendo-a se derreter.

- Acho. - Disse. - A mais linda de todas. - Confessou em um sussurro baixo e quase inaudível para a morena. O olhar de Pasquarelli baixou para a boca de Sevilla. Respirou fundo. Não se conteve e roçou os lábios nos dela suavemente. Karol se surpreendeu. A sua consciência dizia ser errado. Eram apenas amigos, e ele ainda namorava com Candelária apesar de tudo. Entretanto, seu coração mandava-a corresponder ao beijo, e assim aconteceu.


Notas Finais


ROLOU BEIJO!! Beijo, pessoas. BEIJO. B-E-I-J-O!! Tá, parei, kk. N disse que vcs iam amar? Se alguém acha que foi apressado demais quero lembrar que isto é uma shortfic, e ainda tem muita coisa pra acontecer..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...