História Seul Drift - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Jikookwriters

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jeongguk, Jeongguk!seme, Jeongguk!top, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jimin!uke, Jungkook, Kookmin, Namjin, Vhope, Vmin, Yoonmin
Visualizações 227
Palavras 3.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Chapter III


Jeongguk não conseguia tirar o enorme sorriso do rosto; a noite entre ele e o Park havia sido tão boa e descontraída. Sem contar o que ele havia lhe dito antes de iniciarem mais um beijo gostoso.

"Eu preciso tanto de você, Jeongguk."

Se sentia uma garotinha colegial daquelas que abraçavam o travesseiro contra o corpo e soltavam gritinhos de felicidade. Queria muito avançar para o próximo passo com Jimin, no entanto, não iria fazer isso até que ele terminasse o que quer que fosse que ele tinha com Taehyung. Estava fora de cogitação se apaixonar pelo Park enquanto ele ainda estava com o Kim. O Jeon não suportaria ser apenas uma distração para Jimin até que ele se cansasse das reclamações de Taehyung e viesse terminar consigo. 

Isso o quebraria.

Havia decidido que na próxima vez que se encontrassem, iria ter uma séria conversa com Jimin, iriam colocar as cartas na mesa de uma vez por todas. Só esperava que o ruivo sentisse por si o mesmo que sentia por ele.

Naquela noite, estavam todos no estacionamento, bebiam e curtiam ao som de pneus cantando e sons potentes. O casal Kim estava encostado no carro de Namjoon, os dois abraçados. Taehyung dançava e bebia mais ao longe sob os olhares atentos de Hoseok e por vezes de Jimin, que parecia zelar pelo mais novo. O Jeon estava encostado também no carro do Kim, com Jimin sobre seu colo, e mantinha a mão na cintura do mais velho em um aperto firme. Ainda não havia conversado com o Park, lhe faltava coragem, na verdade. Não queria admitir, mas estava com muito medo da resposta do outro. Hoseok havia lhe dito que as coisas melhorariam se ele conversasse sério com o ruivo, mas Jeongguk desconfiava que o primo só queria que seu caminho ficasse livre para que pudesse tentar algo com Taehyung.

Jeongguk não sabia o porquê, mas acabou decidindo que iria correr contra o Kim de cabelos avermelhados, esperava de alguma forma mostrar a Jimin que era muito melhor do que Taehyung. No entanto, o Park havia sido totalmente contra a sua decisão.

"Jeongguk, não faz.", a voz do ruivo saiu em forma de aviso.

"O que? Por quê?", franziu as sobrancelhas, não entendendo o porquê do Park não querer que ele desafiasse o Kim.

"Você ainda não está pronto.", respondeu simples.

"Eu estou mais do que pronto, você mesmo disse que eu tinha melhorado muito."

Jimin levou a garrafa de cerveja aos lábios antes de respondê-lo.

"Você ainda está melhorando, Jeongguk."

"É melhor escutar o Jimin.", Jin aconselhou, pondo a mão no ombro do mais novo. "Se ele acha que você ainda não está pronto é porque não está."

Jeongguk se desvencilhou bruscamente da mão do mais velho e tirou Jimin do seu colo, levantando-se em seguida e olhou sério para os outros.

"Eu vou te mostrar, Jimin.", o mais novo sentenciou com um olhar decidido e inabalável.

"Você não vai gostar do resultado final.", murmurou e deu de ombros, indo se sentar ao lado de Hoseok e lhe abraçar de lado, com um braço no pescoço dele.

Jeongguk bufou alto e ignorou o Park, indo, em passos decididos, até o Kim, desafiando-o. Taehyung abriu um sorriso enorme e aceitou prontamente, olhando para o Jeon com um olhar completamente satisfeito. 

Jimin balançou a cabeça em negação.

"Ah, tão bonito, mas tão burrinho.", o Park murmurou e os outros riram, logo se levantando para assistir a próxima corrida.

 

[...]

 

"Eu te avisei.", o Park disse simplista com uma expressão de tédio enorme.

Bom, já dava para imaginar qual havia sido o resultado final da corrida; o Jeon saiu, mais uma vez, como perdedor. Mais uma vez se martirizava por não dar ouvidos as outras pessoas e ser tão burro e orgulhoso. Jeongguk bufou alto e passou as mãos nos cabelos com força, grunhindo e chutando o ar.

"Jeongguk, você não cansa de perder, não? Puta merda, eu se fosse você nunca mais entraria em um carro.", Namjoon comentou, recebendo uma cotovelada de Jin em seguida.

"Ele só ganhou porque trapaceou!", exclamou irritado. 

"Você tem que aprender a perder, Jeongguk.", disse Jimin, indo acariciar os cabelos do Jeon em forma de consolo, mas o outro se afastou bruscamente e o Park recolheu a mão um pouco constrangido. "Sério que vai ficar assim comigo só porque perdeu para o Taehyung?"

O Jeon não disse nada, apenas desviou o olhar do mais velho.

"Fala comigo, por favor.", pediu um pouco angustiado.

Jeongguk abriu a boca para falar alguma coisa, mas se calou. Suspirou e tentou ficar mais calmo, não queria discutir com Jimin, mas precisava retirar de dentro de si o que estava sentido, por isso, resolveu dizer realmente o que estava acontecendo. 

"Parece que todo o seu esforço foi jogado no lixo! Se eu não consigo vencer o Taehyung como que eu vou te vencer, Jimin?"

"E por que quer me vencer? Quer recuperar o seu orgulho?", Jimin perguntou calmamente, queria saber o que o mais novo estava sentindo realmente. Com aceno de cabeça indicou para que os outros o deixassem a sós com o Jeon.

"Não é isso...", murmurou baixinho. "Se eu vencer você quer dizer que eu realmente aprendi tudo o que me ensinou, e que nada disso foi em vão."

"Você quer me orgulhar?", perguntou surpreso e um leve sorriso ameaçava escapar de seus lábios.

Jeongguk desviou o olhar constrangido e, com um leve rubor na bochecha, assentiu. Jimin suavizou a expressão e sorriu de lado, estava finalmente entendendo os sentimentos do mais novo. 

"Sabe como as pessoas estão te chamando agora, Jeon?", a voz maldosa se pronunciou atrás dele e Jimin estreitou os olhos. "Loser."

"Taehyung, para.", pediu o Park, olhando com seriedade para o Kim.

"Eu só vou parar quando ele voltar para o buraco de onde ele veio."

"Você não cansa de ser tão babaca, Kim?", Jeongguk retrucou, tentava manter a calma, mas Taehyung era tão insuportável que era difícil ficar perto dele por muito tempo sem querer esganá-lo.

"E você não cansa de ser tão ruim no drift?"

"Se é por isso, vamos correr em uma pista onde não usaremos o drift. Te farei comer poeira!"

Taehyung riu soprado.

"Você realmente não cansa..."

"Jeongguk."

"O que, Jimin?", perguntou rude.

"Não importa o que você faça, você não vai ganhar do Taehyung. Sinto muito, mas é a verdade."

Jeongguk mordeu o lábio com força e olhou para o Kim, que sorria satisfeito, bufou alto e bateu no ombro dos dois ao passar por eles. Jimin sequer o chamou ou foi atrás de si, e isso o deixou magoado. Olhou para trás e viu Taehyung e Jimin muito próximos como se fossem se beijar, mas não ficou para ver o resto. Estava cansado demais daquela situação toda; sua estranha relação com Jimin (se é que havia alguma), as constantes provocações de Taehyung, e ainda havia a sua fama de perdedor na Toca...

Pela primeira vez, ele quis voltar para casa.

 

[...]

 

Fazia mais de horas que o Jeon estava em um bar qualquer de Seul, bebendo tudo o que tinha direito e mais um pouco. O motivo era, mais uma vez, Park Jimin. Fazia quase uma semana que os dois não se viam, sentia muita falta do mais velho, mas não estava nem um pouco a fim de ter que aguentar Taehyung e suas provocações, e muito menos continuar com aquela merda de relação que tinha com Jimin. No entanto, a saudade falou mais alto e, naquela noite, resolveu que iria intimar o ruivo para saber o que afinal ele queria consigo. Soube por Hoseok que o Park estava dando mais uma de suas festas na casa dele, era a oportunidade perfeita para falar com Jimin, por isso, foi até lá. 

Preferia não ter ido.

Se não tivesse ido não teria visto Jimin e Taehyung quase fodendo no sofá.

No meio tempo em que estava ali, já havia recebido mais de dez ligações de Hoseok, duas de Jin e até Namjoon havia lhe ligado, mas isso já fazia muito tempo. Jimin não lhe enviou uma mensagem sequer. 

E, porra, aquilo doía. 

Doía saber que o Park estava pouco se fodendo para si, como se o Jeon não fosse importante, como se ele não valesse o esforço de sua preocupação. Como se os beijos que trocaram não fossem nada além de diversão ou a excitação de fazer isso por trás de Taehyung (mesmo que tivesse certeza de que o Kim já sabia sobre aquilo).

Cansado e muito bêbado resolveu que já era hora de deixar de ser um covarde e voltar para a casa logo. Caminhou aos tropeços até seu carro, notando alguns homens envolta dele, analisando seu Nissan Silvia com admiração.

"Com licença?"

"Oh, você é o dono dessa belezinha aqui?"

"Sim."

O homem moreno e de pele bronzeada a sua frente lhe encarou de cima a baixo, sorrindo ao constatar que o Jeon se encontrava alterado pela bebida. Seus olhos tinham um brilho muito perigoso, o qual Jeongguk não notou.

"Que tal uma aposta, huh?", 

 

[...]

 

Jeongguk sentiu suas costas baterem com brutalidade contra a parede do edifício e acabou tossindo sangue por isso, sentindo seu corpo doer como o inferno e o sangue escorrer por sua têmpora.

"P-Por f-favor, me deixem i-ir.", suplicou com dificuldade, já que dois dos homens o prendiam na parede suja. "Vocês j-já tem meu c-carro."

O homem de pele morena balançou a cabeça em negação, sorrindo de lado.

"O combinado foi o carro do perdedor e mais vinte mil dólares. Você tem muita confiança, huh? Apostar tudo isso sem ter mais do que cem dólares no bolso, sinceramente! Você realmente achou que ia vencer?", debochou, o olhando com escárnio.

Jeongguk rosnou e tentou avançar no outro, fazendo os outros dois o segurarem e rirem.

"Acabem com ele."

Jongin se apoiou em seu mais novo carro e buscou na jaqueta de couro seu maço de cigarro, acendendo-o e tragando-o em seguida. Assoprou a fumaça entre os lábios carnudos e com a mão livre fez movimentos de sinfonia apreciando os murmúrios de dor vindos do Jeon, enquanto os olhos estavam fechados e um sorriso adornava seus lábios.

"E-Eu p-posso pedir p-para...", foi interrompido ao sentir um chute em sua costela e sufocou um grito. "A-Ah... Alguém pode trazer o d-dinheiro."

Os outros dois olharam para Jongin, esperando a resposta do líder, que deu de ombros, não ligando realmente.

"Certo, moleque. Você tem cinco minutos."

Jeongguk se sentou no chão e se arrastou até a parede, buscando o celular afoitamente nos bolsos de sua calça. Por sorte o celular ainda estava inteiro, mesmo que a tela estivesse trincada. A primeira pessoa que veio a sua mente foi Hoseok, obviamente, mas o primo parecia ocupado demais para atender a sua ligação, sendo que ele havia lhe ligado mais de dez vezes anteriormente. Pensou em ligar para Jin ou Namjoon, mas não tinha tanta intimidade com os dois para pedir uma quantia de dinheiro tão alta como aquela. A única pessoa que lhe sobrou foi Jimin.

Justo Jimin.

O Park lhe atendeu no último toque, tinha uma voz rouquinha de sono e não parecia muito bem humorado por ter sido tirado de seu precioso cochilo. No entanto, sua voz se tornou séria ao ouvir ao ouvir sobre a situação em que o Jeon se encontrava, se arrumando o mais rápido que pôde e em menos de meia hora estava no local.

Jimin andou em passos largos e rápidos até o Jeon, segurando-lhe a face com delicadeza e um olhar analítico, procurando ver se o moreno estava bem. Crispou os lábios e franziu as sobrancelhas ao ver o estrago que estava o rosto do maior.

"Ah, Jeongguk...", murmurou baixinho após um longo suspiro. "Vem, vamos levantar."

"E-Eu t-tô bem.", respondeu fraquinho.

Jimin ajudou o maior a levantar e passou um braço dele por seu ombro, tentando equilibrá-lo e tomando cuidado para que não acabasse machucando ainda mais Jeongguk.

"Ora, ora, Park Jimin.", a voz soou debochada e arrogante.

O Kim havia se levantado e já estava bem próximo dos dois pilotos, os observando com cautela e com um brilho diferente no olhar. Jimin o olhou com uma expressão desgostosa.

"Jongin."

"O Yoongi vai adorar saber disso.", ele indicou com a cabeça para Jeongguk, sorrindo de lado.

Jeongguk se perguntou quem era Yoongi e porque Jimin parecia tão afetado ao ouvir aquele nome. Não era a primeira vez que havia ouvido o nome, Hoseok costumava lhe enviar peças sempre, mas, bom, não achou que fosse importante ou relevante.

 "Pegue seu dinheiro e suma daqui, Jongin.", Jimin retrucou entre dentes e jogou o dinheiro para que o moreno o pegasse no ar. 

"Hm...", botou a mão no queixo pensativo. "Pensando melhor, acho que quero trinta e cinco mil dólares."

Jimin trincou o maxilar e o olhou atravessado.

"Eu não tenho esse dinheiro agora. Preciso ir buscar."

Jongin fez um som de negação com a boca. 

"O seu carro vai completar o que falta."

O ruivo praticamente rosnou, não gostando nada da ideia de perder seu precioso carro, mas Jeongguk era mais importante, por isso, jogou a chave para o Kim.

"Certo. É seu." Jongin sorriu alegre e com um aceno de cabeça vai embora cantando pneu, como se zombasse do Park.

Jimin suspirou e sacou o celular, ligando para Namjoon ir buscá-los.

"Jimin..." 

"Cala a boca, Jeon.", mandou rude. "Eu não quero ouvir a sua voz."

 

[...]

 

Jeongguk acordou sentindo seu corpo todo doer e sua cabeça latejar, o fazendo gemer e choramingar. Olhou ao redor e notou que estava em seu quarto deitado em sua cama. Franziu o cenho ao não se lembrar como havia ido para ali. Apenas lembrava-se de estar bebendo em um bar qualquer e depois de ter corrido com alguém, mas depois disso as lembranças ficavam embaçadas e pouco confiáveis.

Hoseok abriu a porta do quarto e notou que o primo já estava acordado, em seguida se apoiou na batente da porta, observando o moreno se sentar com as costas encostadas na cabeceira da cama.

"Ora, ora, a bela adormecida acordou.", debochou ao cruzar os braços.

Jeongguk lhe mostrou o dedo do meio.

"Que merda aconteceu ontem?", pôs a mão na cabeça e resmungou mais alguns palavrões.

"Bom, aparentemente, você bebeu um porre e aceitou o desafio de um cara, mas você resolveu esquecer que não tinha um tostão no bolso e que estava bêbado.", sua voz que antes estava calma e controlada, se tornou grave e alta. "Bêbado, Jeongguk! Você tem noção do que poderia ter acontecido? Uma surra não é nada... Como você acha que eu iria ficar sabendo que meu primo havia se envolvido em um acidente, ou pior, que você poderia estar morto, huh?!"

Jeongguk abaixou a cabeça e mordeu o lábio inferior ao ouvir o Jung gritar consigo. Sabia que ele estava certo, havia sido muito irresponsável ao ter feito aquilo. Não queria causar problemas para o primo e muito menos para seu tio.

Hoseok suspirou.

"Vá tomar um banho que eu te ajudo a trocar os curativos. Sorte sua que o Jimin gosta muito de você e deu o carro preferido dele em pagamento, caso contrário você estaria ferrado."

"O Jimin? Ele me ajudou?"

"Sim. Você não lembra?"

"Vagamente. Ainda estou lembrando."

"Além disso tudo, ele ainda teve que te ajudar no banho e fazer os seus curativos enquanto você estava bêbado. Você é um problema e tanto, hein, Jeongguk."

"Ah, hyung, não seja malvado. Eu já estou me sentindo um merda o suficiente.", choramingou.

"Quero só ver com que cara você vai encarar o Jimin.", o Jung disse com um enorme sorriso no rosto, chegava a ser assustador.

Seu hyung era tão malvado consigo.

 

[...]

 

Havia tentado ligar o dia todo para o Park, mas ele não lhe atendeu e muito menos respondeu suas inúmeras mensagens, portanto, o único jeito era ir até o Park. Hoseok sabia que não deveria deixar o primo sair do jeito que estava, mas a vontade de ver cabeças rolarem era maior do que a preocupação que sentia.

Ao chegarem ao estacionamento, os dois primos acabaram se deparando com o tal Jongin ajoelhado com ambas as mãos no chão e a cabeça abaixada, perante Jimin, que lhe olhava de cima com um olhar superior. Taehyung sorria ao seu lado. Os dois se aproximaram, empurrando sem o mínimo de delicadeza alguns curiosos que observavam a cena com interesse.

"Eu não ouvi direito. Repita.", a voz de Jimin soava imponente e arrogante.

Jongin trincou o maxilar e cerrou os dentes, se sentindo humilhado.

"Aceite as minhas desculpas, Jimin-sshi."

Jimin sorriu e balançou a cabeça levemente em negação, antes de chutar com força o rosto bonito de Jongin, o fazendo cair no chão e sangue sair de sua boca. Se abaixou até que seu rosto ficasse bem próximo da face do Kim e segurou os cabelos dele com força, forçando-o a encará-lo.

"Se tocar no meu carro ou em Jeongguk outra vez, será a última vez que terá mãos.", os olhos frios do ruivo fizeram o Jeon estremecer e arfar, atraindo a atenção de Jimin para si, que apenas o ignorou. "E traga o outro carro."

"Yoongi quer trazê-lo pessoalmente.", o Kim respondeu após tossir. "Ele está bem interessado no seu garoto."

Jimin franziu as sobrancelhas e olhou novamente para Jeongguk, que lhe olhava tenso. O Park deu leve sorriso e isso serviu para tranquilizar o moreno pelo menos um pouco e por hora.

"Eu quero que suma daqui antes que eu resolva te dar uma surra. E é melhor que eu não veja teu rosto por aqui por um bom tempo, Jongin."

Jeongguk nunca havia visto o Park tão sério quanto naquele momento, não parecia nada com o Jimin carinhoso que lhe roubava selinhos e acariciava seus cabelos enquanto sorria com seus olhinhos meia-lua. Esse Jimin lhe assustou, pois o fazia lembrar que não sabia muitas coisas acerca do ruivo, não conhecia seu passado e suas inúmeras faces. Só queria que o piloto lhe desse a chance de desvendá-lo.

O Kim levantou do chão e saiu com seu carro para fora do estacionamento, não sem antes direcionar a Jimin um olhar mortífero, mas o ruivo não pareceu abalado. Em seguia, Jin expulsou todos os curiosos dali e eles logo esqueceram a cena, ocupados demais em festejar e correr. Hoseok logo lhe deixou sozinho alegando ter assuntos a resolver; Jeongguk observou com curiosidade o primo andar até Taehyung. Mas logo sua atenção foi para Jimin, que lhe indicou com a cabeça para que entrasse no carro junto consigo, sendo obedecido rapidamente.

"Jimin?", perguntou após terem saído do estacionamento.

"Precisamos conversar."

Jeongguk engoliu em seco, observando o perfil sério do Park, logo sendo retribuído por ele.

"Hoje nós vamos colocar todas as cartas na mesa, Jeongguk."
 


Notas Finais


Faaaaaaala, xuxus!

Gente do céu, vocês não sabem o quão difícil foi escrever esse capítulo! E eu não faço a minima ideia do porquê! Ao meu ver ficou maçante demais... No próximo capítulo saberemos mais sobre o Jimin e sobre o que ele sente em relação ao Taehyung e ao Jeongguk.

Espero que tenham gostado do capítulo.
Obrigada a todos que leram, até sábado que vem! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...