História Seus Contornos... - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Error Sans, Frisk, Ink Sans, Mettaton, Papyrus, Personagens Originais, Sans, Toriel, Undyne
Tags Horroxlust
Visualizações 52
Palavras 1.116
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieeeeee

Turu bom?

Capítulo 7 - It's so good to feel you...


As mordidas violentas já não é como davam tanto o menor quanto no começo. Claro, aquela dor que Horror provocava em Lust o incomodava, devido a pressão, mas era tão bom quando ele a aliviava com a língua, que o de olhos púrpuras não se importava em soltar gemidos involuntários, — pois ele sabia que isso atiçava o companheiro a continuar.

O maior pode sentir as mãos de Lust sobre sua blusa, quase em desespero tentando arrancar-lhe as vestes de cima, isso fez o esqueleto com o crânio quebrado dar um sorriso malicioso, atendendo ao pedido do menor e tirando o casaco de frio e a camisa branca suja por um líquido avermelhado, deixando assim, as costelas e os ossos amostra, com as marcas que Lust adorava tanto ver. Voltou a atacar o preciso do menor, com mordidas e chupões violentos, podendo ouvir os gemidos novamente.

Como estava impaciente — aliás, parecia que sempre estava assim. —, rasgou as vestes de lust, tanto as de cima como as de baixo, as transformando em perfeitos trapos que foram jogados em um canto qualquer do quarto, tendo a uma visão melhor do corpo do dono dos olhos púrpuras. Este que ao notar o olhar de Horror sobre sí, estranhamente obteve uma coloração no rosto, desviando o olhar. 

O maior soltou uma risada rouca com a atitude de Lust, levou uma das mãos até o rosto do menor chamando sua atenção. Quando seus olhos se encontraram, Horror se aproximou, perto o bastante para que pudessem sentir as respirações quentes no rosto um do outro. Ficaram se olhando, ansiando por um beijo, e aquilo torturava a ambos, até por impulso Lust puxar o maior, finalmente quebrando aquela distancia insuportável, e conectando suas bocas, num beijo mais calmo e suave do que os demais. As línguas dançavam com suavidade.

Durante isso, com uma das mãos o que estava por cima, tratou de começar a magoar o membro do menor por cima das roupas, o que fez com que Lust soltasse gemidos entre o beijo que, não se desfez em nenhum momento. O local massageado começou a ganhar um certo volume, o que indicava que Horror estava fazendo um bom trabalho.

Se separaram para retomar o ar, suas caixas toraxica subiam e desciam devido o abuso de prender suas respirações, entretanto, um fio de saliva ainda os mantia ligados, até suavemente desaparecer. O maior começou a lamber e chupar novamente o pescoço de Lust, agora com mais 'carinho' — assim por dizer. —, começou a descer, distribuindo chupões e leves mordidas pelo corpo de Lust juntamente com um rastro de saliva, que deixava por onde passava.

Tratou de se livrar da última maldita peça que os impedia de continuar sua diversão, e pode ver com clareza o quão excitado estava o menor, que pareceu corar ainda mais soltando um gemido, quando Horror começou a lamber e chupar devagar. Os gemidos obtidos eram de desaprovação, e manha do menor.

Isso durou alguns minutos, e Lust estava a ponto de empurrar a cabeça de Horror para que o mesmo fosse mais rápido. Mas não foi preciso pois o maior tratou de apressar o ritmo, visto que já havia torturado demasiadamente Lust. Isso foi bom para os dois, o de olhos púrpuras, se agarrou aos lençóis não conseguindo se conter com tamanho prazer que sentia, se contorcendo e vez ou outra revirando as orbitas com um pequeno escorrimento de saliva no canto da boca. Arrepios as vezes sentidos, pelo fato de Horror fazer questão de roçar os dentes afiados no membro do menor, que as vezes machucavam pela sensibilidade do local, mas... Aquilo parecia realmente não incomodar.

Com a aceleração do movimento, não demorou para que Lust chegasse a seu limite, e se desmanchas se por completo, despejando seus fluidos dentro da boca do maior que tratou de não desperdiçar, engolindo de uma só vez, e depois passando a língua entre os dentes com a visão a sua frente.

A esse ponto, Lust estava exausto. Acreditava, firmemente que apenas Horror conseguia o deixar esgotado com as preliminares. As quais ele aguentava muito bem, e por muito, muito mais tempo com os outros. Sabe se lá, o que o maior tinha de tão fascinante que fazia com que o menor se entregasse por completo.

Tão exausto que estava, tomou um susto quando Horror o penetrou com tanta força, já começando estocadas violentas, que faziam Lust gritar, revirando os olhos com um sorriso nada descente, por tamanho prazer que sentia. Dentro de sua boca, era possível ver fios de saliva conectados a língua que estava para fora. A gritaria era tão, mas tão prazerosa para Horror, que ele nem se importava se alguém ouvia ou não — e com certeza alguém estava ouvindo. —. As estocadas/envestidas, continuaram por um looogo tempo, incansáveis, sem perder o ritmo, pareciam cada vez mais fortes, até Horror conseguir acertar o ponto G de Lust o que o fez se agarrar ainda mais aos lençóis, com o rosto com um grande rubor, soltando gemidos/gritos ainda mais prazerosos do que antes.

Ambos estavam ansiosos ainda pelo que vinha a seguir, Horror começou a se focar apenas naquela região, dando fortes estocadas. Lust por sua vez entrelaçou as pernas no quadril do maior, se levantando e se agarrando o mesmo, o trazendo ainda mais perto de sí. Horror continuou as envestidas, até a mais violenta delas fazer ambos gemerem, trazendo consigo os fluidos do maior, que preencheram o interior menor por completo, enquando os de Lust sujavam os dois, que caíram sobre os lençóis muito exaustos, talvez por isso acabaram que por dormir e nem se quer perceberam.


-------


Horror acordou com a luminosidade que adentrava a janela, preenchendo o local. Olhou a sua volta, não encontrando Lust, o que o frustrou de uma certa forma. Rapidamente, se levantou colocando as vertes, sentindo a falta de seu casado. Resolvem deixar aquilo de lado, saindo pela porta, e descendo as escadas.

Um sorriso satisfeito surgiu em seu rosto ao ver que o menor ainda estava alí. Lust caminhava pela cozinha, parecia preparar alguma coisa para ambos. 

Lust pode sentir quando braços se envolveram em sua cintura, e pode sentir o rosto do maior se apoiando em seu ombro, espreitando o que o mesmo estava fazendo. Nada de mais, um café da manhã convencional como qualquer outro.

Por fim se sentaram a mesa, e o menor ficou observando quando o maior levando o alimento a boca, gostando do que sentiu, Horror devorou tudo sem pressa alguma, o menor sorriu de canto. Como já havia comido, nao sentia apetite algum.

Foram para o sofá, Lust se sentou, e Horror se deitou apoiando a cabeça no colo do menor. Com o controle em mãos, ligando a TV e assistindo a um programação qualquer.


Notas Finais


Hehehehe, Limão top.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...