História Seus lábios que me guiam - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mamamoo
Personagens Hwasa, Moonbyul, Solar, Wheein
Tags Mamamoo, Moonsun
Visualizações 197
Palavras 3.194
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Fluffy, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


FINALMENTE SAIU! Queria agradecer a todos que esperaram <3
Foi difícil escrever esse capítulo por ter mudado milhões de vezes os acontecimentos dele.
Mas eu espero que gostem! Desculpem por ter demorado tanto.
Eu fiquei tão feliz que terminei, que nem revisei. Se encontrarem algum erro, peço perdão.
O capítulo teria sido maior mas decidi fazer um capítulo separado para os próximos acontecimentos.
Gostaria de agradecer pelos 49 favoritos! Fico muito feliz por todos vocês que deram uma chance a fic!

Aproveitem esse capítulo! sz

Capítulo 5 - A surpresa e o desconhecido.


 Todo o meu corpo estava leve, era como se um vento forte batesse eu sairia voando. Minha mente estava a mil e ao mesmo tempo estava descontraída, mas meus pensamentos só conseguiam pensar em uma coisa. Eu estava beijando Moonbyul. Não aprofundamos mais o beijo, ficamos apenas aproveitando o contato de nossos lábios. Sentia que era uma surpresa para ela também, algo que nenhuma das duas esperasse acontecer. Me separo dando um último selinho, deixo nossas testas coladas e abro os olhos para encará-la. Ela ainda tinha seus olhos fechados mas sorria lindamente, me fazendo sorrir também. Passo minhas mãos em suas bochechas, apertando-as em seguida. Ela ri e se separa, me fazendo soltar suas bochechas.

Está com sono? - pergunta.

Apenas concordo e ela segura minha mão, me puxando em direção ao seu quarto. Ela arruma os cobertores e nos deitamos, ficando viradas uma para a outra. Ficamos nos olhando por alguns minutos até que o sono começou a me dominar, forçava para manter meus olhos abertos mas era quase impossível. Moonbyul parece ter notado isso já que também fechou seus olhos. Dei mais uma olhada em seu rosto antes de fechar meus olhos lentamente. Sinto as mãos de Moonbyul me puxando para ela, me abraçando em seguida. Fico surpresa com sua ação mas sorrio mais uma vez antes de me entregar ao sono.

 

Dois meses depois.

 

Eu sentia como se tudo na minha vida estivesse melhor, de um jeito tão perfeito que era difícil de acreditar. Minha relação com Moonbyul conseguiu se tornar mais forte do que já estava, depois daquele dia começamos a nos tratar de forma diferente. Quando estávamos no ônibus, ela sempre segurava a minha mão escondida ou fazia carinho em meus cabelos quando ninguém olhava. E mesmo nervosas e tímidas, sempre que conseguíamos, trocávamos beijos e carícias. Conversas por mensagens se tornou algo mais presente nos nossos dias. Quando dava a hora do almoço, corria para pegar o celular e poder falar sobre qualquer coisa com ela e a mesma fazia a mesma coisa, pois sempre me respondia em questões de segundos.

Mas tinha algo que me incomodava e tinha certeza que a ela também. O que nós somos e o que é isso que sentimos? Nunca chegamos a discutir sobre nós e no começo não havia necessidade, apenas era algo para podermos aproveitar. Mas era algo que estava começando a martelar em minha cabeça depois que Wheein fez perguntas sobre isso. Quando eu contei para ela sobre a noite que beijei Moonbyul, a mesma não se mostrou surpresa, disse que era algo que já esperava. Nesse tempo, saímos mais vezes com Moonbyul e Hwasa, aumentando nossa amizade com Hwasa. As duas apoiavam a relação que eu tinha com Moonbyul, isso era algo que me deixava feliz e aliviada. Wheein não perdeu a oportunidade de aumentar ainda mais sua a amizade com Hyejin. Era como eu chamava: o quarteto mágico.

As duas estavam muito ocupadas conversando sobre algo que eu não entendia para notar como eu encarava Moonbyul enquanto ela tomava seu suco. Ela tentava prestar atenção e ficava frustrada ao perceber que não entendia suas falas. Começo a rir de suas expressões, fazendo-a me olhar e corar. Agora era sua vez de me encarar. Seu olhar profundo conseguia me fazer esquecer tudo em nossa volta, não era preciso palavras ou gestos, apenas seus olhares conseguem transparecer todos os seus sentimentos.

E como nos outros dias, no final do dia eu ia para sua casa, onde víamos filmes abraçadas em seu sofá.

x

– Você poderia fazer esse favor, Yongsun?

Minha chefe me pediu para trabalhar ao final de semana, para substituir uma das meninas que trabalha nesses dias. Ela teve que fazer uma cirurgia no qual eu não perguntei qual era, então vai ficar algumas semanas para descansar.

– Tudo bem, amanhã estarei aqui.

– Agradeço de coração, seu esforço não será em vão! - ela aperta minha mão e sai da sala onde estávamos.

Respiro fundo e sentindo a tristeza me dominar por saber que teria que trabalhar final de semana. Meus dias de descanso foram embora, pelo menos vou ganhar um dinheiro a mais. Volto para o estabelecimento e atendo os clientes que chegaram. Assim que entrego o pedido deles, escuto a porta se abrir, tocando o sininho. Olho para o homem parado e vejo que era do meu curso. Seu nome era Minhyuk mas alguns semestres a frente e apesar de mais velho, parecia mais novo que eu.

– Yongsun? Não sabia que trabalhava aqui. - sorri ao me ver.

– Faz um bom tempo que estou aqui, na verdade. - digo enquanto limpo umas mesas.

– Mas venho aqui todo sábado, como nunca te vi?

– Não trabalho finais de semana.

– Faz sentido, é a primeira vez que consigo vir numa sexta.

Faço menção para ele sentar em uma das mesas que terminei de limpar. Ele apenas concorda com a cabeça e senta na cadeira que estava apontando. Fico esperando enquanto ele pensava no seu pedido e o observo encarar o cardápio a sua frente. Não tinha conversado muito com ele, mas soube que ele tratava bem todo mundo e era simpático demais. O que eu estranho muito. Vejo-o colocar o cardápio na mesa e me encarar, sorrindo novamente.

– O que você vai querer? - falo, me ajeitando para anotar seu pedido.

– Um pedaço desse bolo de chocolate com morango e um suco de laranja. - diz, apontando para as fotos do bolo no cardápio.

– Certo, trago em alguns minutos.

Vou para trás do balcão e começo a preparar seu suco, pegando o pedaço do bolo após. Levo até ele e me posiciono perto do balcão, observando todos os clientes enquanto aproveitavam o que haviam pedido. Alguns estavam rindo com seus amigos ou enquanto olhavam seu celular, outros estavam sozinhos lendo um livro ou apenas apreciando o que estavam comendo. Eu gostava de ver como as pessoas estavam felizes. Ao virar um pouco o meu rosto para olhar as pessoas que estavam no canto do lugar, me assusto com uma pessoa parada ao meu lado.

– Agh, você me assustou! - digo, com a mão em meu coração.

– Desculpe, não foi intencional… - Minhyuk se mostra preocupado.

– Tudo bem, foi um pequeno susto.

Ele apenas acena e se direciona ao caixa, pagando e voltando a ficar ao meu lado.

– Amanhã você trabalha?

– Não costumo trabalhar finais de semana, mas amanhã eu irei estar aqui... - era nítido o desânimo em minhas palavras.

– Então nos vemos amanhã! - ele levanta sua mão, esperando que eu bata com a minha na sua. Quando faço o high five, ele vai até a saída, sorrindo e acenando mais uma vez antes de sair.

– Eu nunca falei com ele, apenas algumas palavras… Qual o problema dele? Parece que nos conhecemos há anos… - cochicho enquanto olhava para ele pela janela do café.

Balanço minha cabeça e volto ao meus afazeres, atendendo mais pedidos e rezando para o tempo passar rápido. Quando o relógio marca o horário de saída, me apresso para trocar de roupa e pegar minha mochila. Vou até o ponto e fico a espera do ônibus chegar. Olho pelo vidro do celular como estava meu cabelo e tendo ajeitar um pouco passando a mão por ele. Fico sentada no banco por alguns minutos até que, por fim, vejo o ônibus vindo. Levanto e entro no veículo quando o mesmo para em minha frente. Automaticamente, meus olhos percorrem pelo interior, procurando a única pessoa que me interessava. No fundo, afastada de todos, vejo a dona dos cabelos prateados mais lindos que já conheci. Vou andando em sua direção e paro ao seu lado, observando-a entretida em um de seus livros. Sento-me ao seu lado e continuo a olhando, notando como seu rosto estava calmo e totalmente focado no livro. Ela era linda até lendo um livro. Suas duas mãos estavam segurando o livro, então pego uma delas e entrelaço em minhas mãos, chamando sua atenção, me olhando assustada. Ela sorri e beija minha bochecha.

Por que não me avisou que estava aqui?

– Você estava tão linda lendo que não quis lhe atrapalhar. - sorrio.

Vejo-a corar e acabo rindo de suas expressões. Era bom que podíamos conversar em libras livremente, ninguém naquele veículo entendia o que estávamos falando, então não era preciso se preocupar com as palavras.

Me desculpe, esse livro é muito bom.

– Não se preocupe, eu acho incrível que você goste tanto de ler. - minha mão que ainda estava entrelaçada na sua, é apertada por Moonbyul, recebendo um sorriso junto.

Pensou no que podemos fazer esse final de semana? Temos que aproveitar que não é semana de provas. - Moonbyul pergunta.

Infelizmente, nada. Terei que trabalhar nesse final de semana. - mostro uma cara triste e apoio minha cabeça em seu ombro, sentindo ela apoiar a sua sobre a minha também. E ficamos nessa posição até o momento de sair.

Vamos andando de mãos dadas até a universidade e nos despedimos com um beijo rápido, certificando que ninguém viu, e então, cada uma indo para sua sala.

x

Não conseguia mais sentir minhas pernas, meu corpo já estava pensando e ainda faltava mais quatro horas de trabalho. Pensava que não iria cansar tanto, já que era minha rotina, mas foi uma surpresa para meu corpo ter mais um dia de trabalho quando ele está acostumado a trabalhar apenas cinco dias na semana. Havia muito mais clientes que durante a semana, o que me fez ter que trabalhar mais rápido para atender a todos. Estava lavando alguns pratos quando sinto alguém tocar meu ombro, olho para o lado e vejo que era a minha chefe.

– Muito obrigada por quebrar esse galho, Yongsun! - e sorri. - Saiba que vai ser muito bem recompensada. - fala baixo, evitando que outras funcionárias ouvissem.

Apenas aceno com a cabeça, sorrindo de volta. Continuo lavando os pratos e ela vai para sua sala. Ao terminar, seco minhas mãos e me posiciono para atender clientes que não paravam de chegar. No meio de várias pessoas, noto Minhyuk entrando e me encarando no mesmo segundo. Ele sorri e acena com sua mão, lhe dou um sorriso rápido como resposta. Ele escolhe uma das mesas próximas de onde eu normalmente ficava e faz sinal para eu me aproximar. Eu pego o bloco de notas e me preparo para anotar seu pedido.

– O que deseja? - pergunto enquanto escrevo o número da mesa na folha.

– Calma senhorita! Só lhe chamei para conversar.

– Eu não estou aqui para conversar, é meu horário de trabalho. - sigo séria, sem tirar meu olhar do bloco de notas.

Percebo que ele iria falar alguma coisa, mas acabou fechando sua boca e olhando para o cardápio. Nesse segundo, escuto a porta se abrir, olhando para ver quem entrava e sinto meu coração parar. Seus cabelos escuros, num tom azul que chegava a parecer preto, usando uma jaqueta jeans e uma blusa branca, suas calças pretas rasgadas nos joelhos deixando-a mais atraente. Em seus pés haviam sandálias pretas, em outra pessoa ficariam estranhas mas nela combinaram de um jeito inacreditável. Seu olhar cruzou com o meu e desejei que as pessoas em nosso redor sumissem, para que eu pudesse correr ao seus braços. Moonbyul sorri animada e faz o sinal perguntando se estou bem. Concordo com a cabeça e a sigo com meus olhos até que ela senta em uma das mesas perto de onde eu estava. Fico a olhando enquanto ela observava o cardápio, vendo todas suas reações a cada pedido que olhava. Ela havia pintado seu cabelo sem me contar. Mas essa cor combinou tanto com ela que não teria como brigar com ela, não importa a cor do seu cabelo, ela ficaria linda de qualquer forma.

– Você a conhece? - Minhyuk se pronuncia.

– Ahn?

– Você a conhece, certo? Sinto que já vi você com ela. - diz olhando Moonbyul atentamente

– Sim, eu conheço ela. - passo a mão sobre minha testa, torcendo que ele não tenha visto nada de diferente.

– Ela é tão linda… - diz baixinho, mas consigo ouví-lo por estar perto.

– O que… - minha atenção é cortada quando uma das funcionárias vai atendê-la. Moonbyul continuou olhando o cardápio sem notar a presença da moça ao seu lado, que a chamava. Sem pensar duas vezes, vou até ela, tocando seu ombro. - Deixe essa comigo, atenda o rapaz lá. - aponto para Minhyuk, que ainda olhava para Moonbyul.

Cutuco o braço dela, fazendo-a me olhar. Ela sorri instantaneamente, me sorrir também.

Você pintou o cabelo sem me contar.

– Me desculpe, queria fazer surpresa.

– Tudo bem, você ficou muito linda. Não posso conversar muito com você, minha chefe pode reclamar.

– Okay, então irei fazer o meu pedido. - ela aponta para o bolo de chocolate com morango e para a xícara de café.

– Anotado, irei trazer.

Ando até o balcão, mas meu braço é segurado.

– Ela é surda? Como aprendeu libras? - Minhyuk parecia desesperado através das palavras ditas.

– Sim, ela me ensinou. - mexo meu braço, deixando que ele entenda que era para soltar.

– Você deveria me ensinar…

– Por que eu deveria? - o encaro séria.

Quando ele abre a boca para me responder, a funcionária chega com seu pedido. Olho mais uma vez para ele e depois para Moonbyul, respiro fundo e vou preparar o que ela pediu. Assim que preparo seu café, pego o pedaço de bolo que pediu, andando até sua mesa para lhe entregar.

– Ela pediu o mesmo bolo que eu? Que coincidência. - Minhyuk fala quando passo por sua mesa.

Apenas reviro os olhos continuo andando. Coloco o prato sobre a mesa, tirando sua atenção do celular. Ela sorri e olha para o bolo, mostrando uma cara de satisfeita ao ver o doce. Ela agradece e eu me afasto, voltando para o meu lugar de sempre mas não deixando de trocar olhares com Moonbyul, que sempre sorria quando olhava para ela.

Quando menos percebi, já era horário de finalizar meu expediente. Moonbyul havia ficado no café, disse que iria me esperar até que meu horário acabasse. Pego minha mochila e troco minha roupa, dando graças a deus em poder tirar aquele uniforme desconfortável. Ao sair do café pela porta dos fundos, encontro Moonbyul olhando para o céu encostada no poste ao lado da entrada. Seguro sua mão ao me aproximar, lhe puxando para longe do café, nos escondendo das pessoas atrás de uma loja que tinha na rua. Olho para os lados, me certificando que ninguém estava vendo e então, encaro Moonbyul, que sorria e me olhava profundamente como sempre fazia, que conseguia me deixar sem ar todas as vezes.

Você está incrível com esse cabelo, conseguiu ficar mais linda. - digo.

– Solar…

Eu adorava todas as vezes que ela dizia esse nome, sua voz não era tão desafinada como antes, era como se tivesse praticando para melhorar sua pronúncia. Mas eu não me importava com sua forma de falar, simplesmente por ouvir sua voz mesmo que por um segundo, eu já me sentia a pessoa mais feliz do mundo. Eu não sabia como ela havia aprendido a falar esse nome mas foi uma das melhores coisas que aconteceram comigo.

Passo minha mão em seu rosto e desço até sua mão, entrelaçando nossos dedos. Ela levanta minha mão e a beija, me olhando em seguida e aproximando seu rosto do meu. Ficamos alguns segundos apenas nos olhando e então colo nossas bocas, sentindo seus lábios macios aos meus. Com minha mão livre, seguro seu rosto, passando levemente os dedos. Sinto sua mão em minha cintura, me fazendo arrepiar por todo o corpo. Não importava quantas vezes nos beijávamos, sempre parecia algo novo. Sinto sua língua em meus dentes, abro um pouco a boca para deixar que ela colocasse sua língua dentro. Passava em cada canto da minha boca, me fazendo ter sensações inacreditáveis a cada segundo. Ela solta minha mão e coloca em minha nuca, me puxando para mais perto. Envolvo seu pescoço com meus braços, apertando com força nossos lábios. Eu queria ficar com ela desse jeito o resto da minha vida, era como se isso me completasse.

Após alguns minutos daquela forma, escuto passos e vozes se aproximando. Solto a Moonbyul no mesmo segundo, que me olha sem entender, e seguro sua mão, a puxando para o lado oposto dos sons. Mostrou para Moonbyul as pessoas passando pelo lugar onde estávamos, escuto-a respirando fundo e rindo, me fazendo rir também.

Foi quase.

– Vamos tomar mais cuidado da próxima vez, a rua é muito perigosa. - digo.

Amanhã terá o dia de folga? Você precisa descansar, seus olhos já estão com olheiras.

– Vou, só de pensar que terei que acordar cedo amanhã eu desanimo.

– E onde vai dormir? - pergunta.

– Na minha casa. - respondo, confusa com sua pergunta.

Você poderia dormir lá em casa, assim poderia dormir um pouco mais já que é perto do seu trabalho.

– Não se incomode com isso, é minha rotina todo dia.

Já está decidido, você irá dormir na minha casa.

Antes que eu pudesse protestar, ela começa a andar e me puxando pela mão. Depois de alguns segundos acabo me rendendo, então caminho ao seu lado. Fico feliz que as pessoas não tem preconceito por duas mulheres estarem de mãos dadas, imaginam serem duas amigas apenas passeando pela cidade. Isso me deixa aliviada. Assim que chegamos ao seu apartamento, ela vai para cozinha preparar algo para nós comermos. Pego meu celular para avisar Wheein que não iria para casa hoje, mas noto mensagens de um número desconhecido.

Desconhecido: Oi Yongsun! Sou eu, Minhyuk.

Desconhecido: Sei que pareço desesperado, mas o que acha de me ajudar com sua amiga? Eu realmente gostei dela e seria muito bom ter você me ajudando nessa.

Desconhecido: Eu sei que não nos falamos muito, mas isso é um pedido de alguém que está desesperado por não saber como me comunicar com ela.

Desconhecido: Responda quando ver essas mensagens, por favor.

Olho para aquelas mensagens sem saber qual reação ter. Sinto uma vontade enorme de mandar esse cara sumir da minha vida e da Moonbyul, mas eu não poderia ser tão inconveniente assim. Entorto a boca ao imaginar ele dando em cima de Moonbyul, um pequeno ciúme cresce dentro de mim.

– Oh… - escuto uma voz ao meu lado, me assustando com o som.

– O que… - ao olhar para a direção da voz, vejo Moonbyul com uma reação espantada. - O que aconteceu?

– Esse cara das mensagens, quem é ele? - diz tentando ver a tela do meu celular.

Ele é do meu curso, parece que gostou de você quando a viu no café hoje. - mando rapidamente uma mensagem para Wheein e desligo meu celular. - Ele é um idiota.

– Está com ciúmes?

– Talvez, é estranho pensar que um cara está afim de você.

– Pelo o que eu vi nas mensagens, ele quer sua ajuda, o que irá fazer?

– Não sei, ainda não pensei.

– Apenas faça o que ele pedir e deixe o resto comigo.

Olho para Moonbyul, que pisca para mim. Confusa, começo a rir da possível brincadeira que iria aprontar com o jovem. Estava ansiosa para saber o que estava pensando.


Notas Finais


Bom, eu espero que tenham gostado desse capítulo, pretendo deixar mais emocionante no próximo!
Não sou muito boa com palavras rs

Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...