História Seven In One - GOT7 - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Bpop, Imagine Got7
Visualizações 24
Palavras 1.148
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura! 💙

Capítulo 3 - Capítulo 2: Tensão


Uma semana depois...

- Vocês demoraram! - Ana reclama.

- Desculpe, omma, mas a professora nos segurou na sala! - Maia responde com leve irritação.

Maia, Nina e Cami estavam em seu último ano na escola. As provas finais estavam perto e Ana - como uma boa amiga e mãe - resolveu ajudá-las, junto com Josy. Agora, as cinco meninas estavam caminhando para praça de alimentação de algum shopping localizado no Rio de Janeiro.

- Ana, acho que estudar aqui não será a boa ideia. - Nina comenta, segurando alguns livros nos braços próximo ao peito.

- Não vamos estudar aqui, puppy, vamos comer alguma coisa e iremos para praça estudar. - Ana se senta em uma mesa vazia.

- Cadê a Joana? - Camila pergunta, se sentando ao lado de Josy.

- Ela não pode vir. - Josy responde.

- Mas por que? - Nina franze os olhos confusa.

Josy suspira pesado. - A madrasta dela está em casa.

As cinco garotas suspiraram tensas e triste.

- Isso não pode está acontecendo... - Maia rosna, apertando os punhos.

- Pensei que ela...

- Tivesse terminado com o sr Lima?! - Josy põe os braços na mesa, os cruzando. - Todas nós pensamos, mas parece que o término tinha data de vencimento.

- Joana não merece isso! - Maia protesta, chamando atenção dos presentes na praça.

- Ninguém merece. - Ana se pronuncia pela primeira vez. - Já basta a mãe dela ter a abandonado, e, para foder mais com a vida da menina, o pai dela encontra essa mulher!

- Depois de tudo que nós fizemos... - Nina murmura baixo.

- Ele deve ter tido um bom motivo para ter voltado com ela. - Camila põe o dedo indicador no queixo. Era assim que a morena pensava em algo.

- É bom mesmo que aquela vadia não encostar mais um dedo na Joana, se não, eu não me responsabilizo pelos os meus atos! - Maia estala os dedos.

Um ar tenso se instalou na mesa daquelas meninas. Não por muito tempo, pois as mesmas compraram os seus devidos lanches e uma conversa tranquila se espalhou na mesa. Ambas terminaram seus lanches e saíram do shopping, indo para praça, que estava um tanto movimentada.

- Odeio Física! - Maia murmura irritada, tirando o livro da mochila.

- Amo Física! - Ana debocha, pegando o livro das mãos da mais nova.

(...)

Joana respirava fundo, tentando - inutilmente - se acalmar, mais uma vez discutira com seu pai. Ainda não acreditava que seu pai tinha voltado com aquela bruxa de sua - não mais ex - madrasta. Seu pai sabia o que aquela mulher fizera contigo, a batera das piores formas possíveis e ainda a ameçava, dizendo se ela contasse para alguém ou para seu pai, ela iria acabar com a vida do mesmo e com a sua vida.

Fora um ano convivendo naquele inferno e, de uma maneira ou outra, suas amigas acabaram descobrindo tudo. Foi em um churrasco na casa de Maia, as meninas estavam na piscina, Joana pusera um biquíni, esquecendo completamente das manchas em seu corpo. A Lima quase tivera a alma arrancada de seu corpo por causa dos olhares de Josy e Ana, as mais velhas - além das outras meninas - a forçaram a contar o que era aquelas marcas e, sem muita escolha, contou tudo o que tinha passado e estava passando.

A par da situação, as seis garotas bolaram um plano para que seu pai soubesse da verdadeira cobra que era a sua atual. Fora um tanto arriscado, mas no final de tudo, elas desmascararam a mulher. Mas Joana ainda não conseguia acreditar naquilo! Seu pai estava lhe escondendo algo.

- O que esconde, pai...? - Sussurrou ela.

(...)

- Oi meninas.

Três corpos voaram na direção da Joana. A morena riu, tentando retribuir o afeto.

- Aquela puta lhe fez algo?! - Maia pergunta.

- Você está bem?! - Fora Nina a perguntar.

- Está ferida?! - Camila pergunta também.

- Calma, meninas! Assim vai acabar matando ela! - Ana surgi na sala, sendo acompanhada por Josy.

- Calma, gente. - A Lima rir, sentindo os três corpos lhe soltarem. - E sim, estou bem. Aquela mulher não me fez algo de ruim.

- Ainda bem! Se não ela estaria fodida nas nossas mãos. - Maia estala os dedos.

- Ainda não entendo o por que de seu pai ter voltado com ela? - Nina comenta.

- Também não consigo entender. - Jo se senta no sofá, sendo seguida pelas as demais.

- Aquela mulher nem era para estar solta. - Ana comenta. - Seu pai foi muito solidário por não denunciá-la.

- Pois é... - A menor suspira.

- Bom, se ela tentar algo, já sabe né?! - Camila aponta para cada uma.

- Vamos matá-la! - Maia soca o ar.

- Não viaja, Maia! - Josy revira os olhos.

- Pois é, matar não é uma questão "simples" - Nina cruza os braços.

- Vocês são um bando de mariquinhas! - A Hale mostra a língua. - Temos que cortar o mal pela raiz! Ou seja, matando a raiz!

- Você fala desse negócio de matar/morte com tanta tranquilidade que chega ser assustador! - Ana comenta com os olhos arregalados para a morena.

A Hale dá de ombros. Eram 16h da tarde e todas estavam na sala da casa de Ana sem nada para fazer.

A não ser...!

- Tá um tédio do caralho! - Joana pula do sofá. - Vamos dançar!

Todas concordaram e riram, Camila conecta o celular na tv e põe na sua playlist já conhecida.

GOT7.

(...)

- Yaba sugi (yaba sugi, yaba sugi) my swagger!

Todas riram ofegantes, em menos de duas semanas aprenderam aquela coreografia. A porta da frente foi aberta, revelando o dono da casa.

- Pai! - Ana o abraça. - Chegou cedo.

- É, terminei o serviço mais cedo. - O homem ver as amigas de sua filha deitadas no chão e no sofá. - Pelo visto você não está sozinha. - Riu.

- Nunca! - Ana rir.

- Boa tarde, meninas.

- Boa tarde! - Responderam em únissono.

- Pelo visto já estam treinando para o festival, né?! - O mais velho se senta na poltrona disponível.

- Que festival?! - Nina pergunta.

- Ué, não estão sabendo do festival que terá na nossa rua?! - Todas negaram. - Pensei que você soubesse, Ana!

- Desculpe mas eu não sabia! - Defendeu-se ela. - Mas nos conte como vai ser esse festival.

- Será um tipo de "reunião da vizinhança", vai ter comes e bebes, música, dança e algumas atrações.

- Huuum... - Murmuraram em conjunto.

- Vão participar?!

Elas se olharam entre elas, Josy foi a resposta definitiva, olhando para Ana.

- Quando vai ser a festa?! - Ana pergunta.

- Daqui a dois meses.

Ana olha novamente para as suas amigas.

- Quando vai ser o ensaio, meninas?!


Notas Finais


História tensa da nossa Joana ;-;
Cada uma das meninas terá um "passado obscuro", para dar um ar de "graciosidade" na fic.

Espero que tenham gostado e qualquer erro ou algo sem nexo, me desculpem!

Mil beijos de brigadeiros! 😙💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...