História Various L.s - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Larry Stylinson, Oneshot Larry, Sexo
Visualizações 391
Palavras 2.063
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - D-daddy? ABO (hbottom).


E mais uma vez, Harry se arrastava entre os lençóis até colocar os pés sobre a madeira fria do chão. Há três dias atrás havia terminado seu primeiro cio, mas ainda havia hematomas por seu pequeno corpo: arranhões por suas coxas, barriga e peito. Ele não sabia como havia feito aquilo, mas sabia que doeu passar sozinho. 

-Aula?- Pensou consigo mesmo, ao olhar no relógio. Eram por volta das seis horas, resolveu tomar um banho e relaxar. 

Não sabia o que vestir, então apenas pegou uma calça moletom larga e uma camisa branca. Arrumou os cabelos e vestiu o tênis, logo pegando a mochila. Saiu no corredor de sua casa e já ouviu o rádio ligado. Ao chegar na cozinha, viu seu pai sentado na cadeira, lendo o jornal. O maior levantou o olhar e encarou Harry. 

''Desculpe, pai, não consigo controlar meu cheiro. Está sendo um dia difícil...''

''Bom dia, querido.'' Anne o serviu uma tigela de cereal. ''Mais uma semana de aula, mas não se preocupe, é Outubro e logo as aulas acabarão.''

''Assim seja, mãe.''

Depois do café, seu pai o levou para a escola. Harry não gostava daquele lugar, da sua sala, ele era o único ômega, haviam alguns betas, mas a maioria era alfa. E aquilo o fazia uma presa fácil entre tantos outros. 

Andou os corredores da escola e pôde sentir os olhares sobre si. Suspirou, abraçando os livros nos pequenos braços, se direcionando rapidamente de sua sala. 

Ao contrário de Harry, Louis era um alfa, mas era suave, era na sua. Não se importava muito com relacionamentos, queria esperar a hora certa, mas sabia que seus pensamentos mudavam quando via Harry Styles pelos corredores. O garoto adentrou a sala e passou por ele. Tomlinson sentiu suas narinas arderem com aquele cheiro, fez com que seu corpo todo pecasse em chamas. 

Harry sentou-se duas cadeiras atrás de Louis. Afundou-se na carteira, desejando morrer. 

Naquele dia, a aula foi complicada. Louis não conseguia se controlar em nada, aquele cheiro que vinha ao seu fundo da sala tirava sua concentração. Assim que Harry se levantou e pediu para sair da sala, Louis foi atrás, dizendo que precisava ir até a enfermaria, não estava se sentindo bem. 

Ele seguiu o menor até o banheiro, o encontrou parado em frente ao espelho, suspirando. Tomlinson chegou devagar, parou atrás de Styles e ficou ali, esperando que o menino dissesse alguma coisa. 

''Hmm...'' Harry comentou, dando de ombros. ''V-você está aqui por causa de meu cheiro, não é?'' 

''Sim... Isso é um problema?''

''É, eu preciso aprender a controlá-lo... Antes que algo pior aconteça.''

''Tipo o quê?'' Louis e Harry não eram tão chegados um no outro, se conheciam de vista ou eram apenas colegas de sala. Mas não era assim que ambos pensavam. 

Styles se escorou na pia, encarando Tomlinson através do espelho. 

''Você conseguiria se controlar me vendo assim, empinando?'' Perguntou, colocando um sorriso no rosto. 

''A-ah...'' Ele fez com que Louis gaguejasse, envergonhado. 

''Hein, Daddy?''

''D-daddy?''

''Yeah...'' Styles virou-se de frente para o garoto, o empurrando contra a parede. ''Você ficou louco pelo meu cheiro, não foi? Acho melhor acabar com isso aqui, agora, antes que outro venha e faça.'' 

Louis já não estava se controlando, Harry estava provocando de todas as maneiras. O ômega desceu a mão pelo peito do alfa, chegando até o cós de sua calça e colocando a mão para dentro. 

''Oh! Você está excitado, ow, Daddy...'' Styles gemeu ao que brincou com os dedos no pênis de Louis. ''Não vai gemer?'' O alfa estava ao máximo querendo não fazer aquilo, mas um gemido rasgou sua garganta quando o outro o masturbou levemente. 

''H-harry...'' 

''Isso, geme no meu nome...'' Os dois sorriram, iniciando um beijo calmo. Louis agarrou Harry com força pela cintura, enquanto isso encostou a porta do banheiro e a trancou. 

''Promete pra mim que não irá gritar, eu vou acabar com você.'' Styles assentiu com uma carinha de inocente, enquanto tirava a própria camisa. Louis passou a chupar um dos mamilos do colega, enquanto brincava os dedos no outro. 

Harry Visão

Eu estava me desfazendo com aqueles toques: Louis Tomlinson tinha pegada, estava deixando minhas próprias carícias no chinelo. Fui pressionado contra a parede fria, gemi pelo contato, e sua mão apertando minha bunda só fez com que as coisas piorassem. 

''Como é possível que um garoto de quatorze anos tem tanto fogo como você? Hm?'' Não respondi, apenas beijei seus lábios desajeitadamente enquanto ele me dava um impulso. Passei as pernas por sua cintura e seu corpo se friccionou contra o meu. 

''Eu posso sentir que você está excitado.'' Sussurrei contra seu ouvido, tendo sua boca sugando a pele sensível de meu pescoço. Puxei sua camisa desajeitadamente, arranhando suas costas com pouca força. Sorri, suas mãos adentraram minha calça e me apalparam com vontade. 

Fui colocado no chão e Louis descartou minha calça. Ficou de joelhos em minha frente, foi puxando devagar minha cueca, até que ela estava no chão, junto da calça. Seus olhos encaravam os meus, enquanto sua boca me chupava devagarinho, espalhando saliva por todos os cantos. Levei a mão na boca, não queria gemer com aquilo, até minhas pernas estavam fraquejando. 

Ele tinha uma boca deliciosa, me chupava rapidamente, enquanto brincava com seus dedos em um de meus mamilos. 

''L-louis...'' Gemi ofegante, apertando os olhos. 

''Hm?'' Comentou ele, enquanto me masturbava, esperando uma resposta. 

''I-isso é tão bom...'' Voltou a sugar minha glande, já escorria pré-gozo por ela, fazendo seus lábios ficarem mais úmidos. Logo, ele levantou-se do chão e beijou meus lábios rapidamente, tirando a própria calça. 

''Eu não queria ter que te foder rápido, mas não temos tempo, temos que voltar para a sala.''

''Não, Loueh! Faça o serviço direito. Pense que você é a primeira pessoa que me toca d-dessa maneira.'' Um brilho surgiu em seus olhos, e logo ele me forçou a debruçar sobre o mármore da pia. Me empinei, balançando o quadril levemente. ''O quê vai fazer agora?''

''Você verá...'' Se ajoelhou no chão novamente, o rosto em minha coluna, e deixou beijos por ali, enquanto depositava tapas fortes em minha bunda, fazendo o barulho ecoar por todo o banheiro. 

''Oh... Você está me batendo, Daddy! Isso é tão bom.'' Os beijos foram descendo cada vez mais, até que pude sentir sua língua lamber minha entrada, devagar, quente. ''NÃO... PORRA!'' 

''Você gostou disso?'' Assenti, o encarando pelos ombros, e ele repetiu o ato, fazendo-me encostar a cabeça no mármore frio. 

''L-lou...'' Seu dedo quis fazer companhia da língua, e logo uma dor interna me invadiu, ele havia penetrado aquele dedo em mim. ''I-isso dói...''

''Vai passar, relaxa.'' Ele usava seu cuspe como lubrificante, para que não doesse tanto. Mas não estava adiantando tanto. ''Relaxa, Harry!'' Um tapa foi deferido em minha coxa e gemi, recebendo uma carga de arrepios por todo o corpo. 

Sua outra mão me masturbava lentamente, me provocando. A outra mão também se movia lentamente, fodendo-me com dois curtos dedos. A sensação era maravilhosa, mesmo sentindo dor. 

''Está gostoso?'' Perguntou, a baixa risada podia ser ouvida. 

''Yeah...'' Respondi, gemendo abafado. Ele beijava minha cintura, mordia, lambia. O olhei por cima dos ombros, tentando fazer uma cara de inocência.

''Não adianta fazer essa carinha, Harry, eu sei que você é bem safado.'' Sorri, logo gemendo com a falta de seus dedos. ''Eu vou te foder tão forte e tão fundo que você vai pedir pra parar.''

''Eu duvido.'' Ele retirou sua cueca, começou a se masturbar lentamente, se preparando para acabar comigo. Juntou nossos corpos e começou a roçar seu pênis em minha apertada entrada. 

''O quê você tá sentindo?'' Sussurrou em meu ouvido, logo depois de puxar meus cabelos. 

''Tesão, muita vontade de te dar.'' Ele sorriu com aquelas palavras, suspirando pesadamente contra meu pescoço. Segurou na base de seu pênis e o forçou contra minha entrada, que se contraía em prazer. 

''Relaxa, caralho!'' Sua glande me invadiu com força. Aquilo me faltou ar, doeu demais, fez com que meu corpo se afundasse em dor. 

''L-louis...'' Gemi, serrando os punhos. ''Por favor, não se move... Está doendo muito.'' 

''Ah, Harry, não foi eu quem mandou você provocar.'' Ele moveu seu quadril, se afundando cada vez mais. 

Meus olhos teimavam em derramar lágrimas. Coloquei as mãos contra o espelho, gemendo, meus pés quase saíam do chão. 

Depois de um tempo, Louis conseguia se movimentar, mesmo que fosse muito pouco. Para si, parecia ser prazeroso, mas para mim doía ainda. 

''Faz algo para não doer tanto...''

''Talvez eu não tenha te preparado direito.'' Ele retirou seu membro de mim e voltou a penetrar seus dedos. Era menos doloroso e menos prazeroso, mas eu precisava daquilo se quisesse algo melhor. 

Ele brincou com dois dedos dentro de mim, me ouvindo gemer baixo várias vezes. Jogou uma de minhas pernas para cima da pia, me fazendo perder a sanidade. Eu podia ver sua expressão pelo espelho, Louis fazia tudo enquanto mordia os lábios, sorrindo. 

Depositou beijos por minhas costas e nuca, deslizando seus lábios finos por meu pescoço. 

''Acha que está preparado?'' Assenti, o vendo se posicionar atrás de mim. E novamente, sua glande me invadiu, dessa vez com menos dor e mais prazer. Agora era fácil se movimentar para trás e para frente. 

Louis fazia-me chupar dois de seus dedos enquanto segurava minha cintura. Seu quadril fazia pressão contra o meu, ambos tentavam engolir os gemidos, para que ninguém ouvisse. Saliva escorria por sua mão e pingava sobre o mármore da pia. Eu quase revirava os olhos, aquilo estava me destruindo, mas era bom.

''O-OH...'' Tentei falar algo, mas foi difícil, aquele era o orgasmo mais prazeroso que eu já havia recebido em toda minha vida. Deixei que o gozo escorresse e pingasse no chão, enquanto Louis terminava o serviço. 

Se masturbou de leve e espalhou seu gozo por minhas costas, gemendo abafado contra meu ouvido. Ele deixou seu corpo recostado no meu enquanto nos recuperávamos do orgasmo, mas seria difícil, ambos ainda pegávamos fogo, queríamos por mais. 

Meu corpo foi virado de frente para o seu,  Louis mordeu meus lábios, os sugando em seguida. Aquilo fez com que todo aquele fogo de antes retornasse duas vezes pior. 

''Me prende na parede e me fode com força.'' Sussurrei contra seus lábios, o deixando, TALVEZ, levemente agressivo.

''Ajoelha.'' Logo, me ajoelhei em sua frente, e ele guiou minha cabeça até que seu pênis pulsasse dentro de minha boca. ''Oh, Deus, que língua quente.'' A rodeei em sua glande que já expelia pré-gozo, Louis havia um gosto forte e gostoso. 

''Hmmm...'' Gemi, masturbando todo o resto que não cabia em minha boca. 

''Eu não p-preciso nem te ajudar...'' O encarei, lambendo toda sua extensão. 

''Pra uma primeira vez estou fazendo certo, Daddy?'' 

''Primeira vez? H-harry...'' Louis se derretia com meus toques, mas eu não ficaria dando prazer por tanto tempo, não sou um ômega que abaixa a cabeça para qualquer um. 

''Vai, agora me dê o que eu mereço.''

''Vou te dar...'' Ele me ajudou a levantar do chão, e logo eu estava prensado entre seu corpo e a parede. ''Você vai chorar de prazer, gracinha...''

''Oh, Loueh...'' Sua boca sugava a pele de meu pescoço e deixava beijos por ali, pude sentir seu membro passear por minha entrada,  a forçando ali. 

''Você é tão apertado, te ver molhadinho é uma das minhas perdições.'' Gemi quando sua glande me invadiu fortemente, causando-me uma onda de dor. Mas ignorei, ele esperou que eu me acostumasse com aquilo, e logo jogava seu quadril contra mim, indo o mais fundo que podia. Eu ia me desmoronar daquela maneira, então Louis fez com que eu sentasse sobre o mármore da pia e se encaixou entre minhas pernas, começando tudo lentamente. 

''A-ah...'' Arranhei suas costas, suas mãos apertavam minha cintura com força. 

''H-harry..'' 

''Yeah, Daddy.'' A frase foi suficiente para que eu pudesse sentir meu interior se arder. Louis espalhou seu esperma pelo mármore da pia, logo começando a me masturbar, dando uma força. Tombei a cabeça para trás e vim em suas mãos, gemendo abafado. 

''Isso, Harry...'' Nós ficamos alguns minutos parados, ofegantes, um analisando o rosto do outro, até que bateram na porta do banheiro. Nós pegamos nossas roupas rapidamente e vestimos, sem fazer qualquer tipo de barulho, e a abrimos. A inspetora estava ali, e logo saímos, voltando para a sala de aula, para não pegar detenção.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...