História Severo Snape e Hermione Granger- Um segredo de Hogwarts - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 84
Palavras 1.916
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


EU HERMIONE GRANGER JURO SOLENEMENTE NÃO FAZER NADA DE BOM

.

Capítulo 4 - TESTE DE RESISTENCIA


Fanfic / Fanfiction Severo Snape e Hermione Granger- Um segredo de Hogwarts - Capítulo 4 - TESTE DE RESISTENCIA

Fora das masmorras procuramos um atalho para biblioteca, ao chegarmos nos escondemos no corredor vazio mais afastado o possível de outros alunos.

Rony tirou a mochila das costas, abriu e retirou um pergaminho de cor amarelo envelhecido, estava enrolado e amarrado por uma fita azul, o reconheci quando olhei de perto.

- Rony! Você roubou o pergaminho! Como você?… Porque fez isso? - Berrei esquecendo-me que estava em uma biblioteca escondida por ter sido cúmplice de um roubo.

- Sssssssss!! Hermione, silêncio! Estamos na biblioteca, - cochichou Harry pondo a mão no meu ombro suavemente.

- Fred e Jorge disseram que as fitas têm um significado, as vermelhas são as provas corrigidas dos alunos , a amarela a chamada, verde as notas notas e azul os conteúdo programático das aulas e anotações do professor – explicava Rony enquanto cuidadosamente desenrolava o pergaminhos.

- Harry,  podemos ser expulsos! A essa hora ele já sentiu falta – Lhe alertei assustada, era óbvio que Harry seria o primeiro suspeito e eu cúmplice já que entrei na frente do Harry e desviei atenção do professor.

- 1° etapa de seleção... teste de resistência…. alunos indicados pelo diretor….. nossos nomes estão aqui Hermione. - Harry lia em voz alta curioso.

-Por isso ele queria usar Legilimens em você Harry - Rony comentou.

- Harry…  - curiosamente perguntei, - Quanto tempo durou o feitiço de Snape?

- Uns 10 segundos eu acho, mas foi suficiente para Rony ir e voltar disfarçadamente…. Mas o que ele viu?- Insistiu Harry.

Eu encarei Harry no olhar mais sereno que pude, mas estavam marejados, ele entendeu e então sussurrou:

- Mione… eu sinto muito, você não devia ter tentado me ajudar, eu sint… - Harry tentou me consolar.

- Tudo bem Harry. - Eu sorri e toquei seu ombro.

- Vamos esperar a próxima aula e ver como ele se comportara, talvez ele deva estar se sentindo muito vitorioso em saber que alguém gosta dele e por coincidência é a namorada de “Potter… a grande celebridade” - Harry tentou imitar a voz do professor de forma fria e preguiçosa. - Quem sabe na realidade ele jogue indiretas pra mim me chamando de corno…

Rimos juntos e o gelo foi quebrado.

- Harry… insiste carinhosamente - vamos temos que devolver o pergaminho.

- Uma boa ideia – Rony ficou mais próximos a nós – O problema é saber como!

- Vocês planejaram como pegar mas não como devolver…. - foi minha vez de usar um tom irônico.

- Podemos procurá-lo e dizer que ele deixou cair – sugeriu Rony.

- Eu não acho que ele vá acreditar vindo da gente Rony – tentei trazer Rony para realidade.

- Vamos pedir para o Dobby fazer – Harry falou com uma voz de quem mostrava que tinha acabado de ter uma ideia, e realmente parecia infalível.

Depois de passarmos despercebidos pela biblioteca, voltamos para as masmorras na esperança que Snape estivesse dando aula e não em sua mesa, significaria que ele não  teria dado falta do pergaminho.

Quando chegamos o professor não estava sua mesa, talvez ainda não tivesse percebido, mas também não estava dando aula, estava parado na porta e trocava sussurros com uma outra professora enquanto os alunos na sala repetiam a mesma aula.

-Ele está com a professora McGonagall, deve esta fazendo a denúncia, ele nos viu Harry!

-Rony ficou pálido e apertou as vestes.

-Fique calmo Rony, pode ser uma aviso ou uma visita – Harry tentou acalmá-lo, olhei para o Rony e balancei a cabeça num gesto positivo.

- Harry puxou uma caixa cor grafite de veludo e quando abriu havia uma pedra esverdeada, Dobby a entregou a Harry e disse que sempre precisa-se de ajuda devia segurar a pedra encantada e chamar por ele , assim Harry fez.

O Elfo se materializou em nossa frente um minuto depois e antes que pudesse nos saudar soltou um molhado espirro, chovendo sobre nossos pés risco de catarro.

- Harry Potter Chamou Dobby! -Abraçou Harry euforicamente, - Dobby feliz em ver Harry Potter e seus amigos.

- Dobby, o que aconteceu com você? - Harry sussurrou antes de tampar a boca do elfo enquanto Rony batia o dedo indicador na boca pedindo de Silêncio.

- Dobby ficou resfriado… Dobby ganhou sapatos do senhor Dumbledore para aquecer os pés de Dobby – O elfo abaixou a cabeça e apontou para os sapatos, seus olhos brilhavam - Dobby se sente aquecido.

- Harry, não pode pedir para Dobby fazer isso, ele deu um espirro assim que despertou – olhei para Dobby.

Ele era magro, mas estava mais magro que costume, o longo nariz avermelhado que escorria conforme ele se movia, lembrei que tinha ervas ricas em vitamina c na bolsa e ofereci ao elgo:

-Dobby vou te dar umas folhas para você tomar um chá.

- Dobby aceita com muito carinho as ervas da senhorita hermione, mas Dobby foi chamado para ajudar Harry Potter e Dobby quer ajudar – O elfo pegou as folhas da minha mão e guardou dentro de seus sapatos novos.

-  Hermione, não temos outro plano – Harry insistiu.

- A professora McGonagall está voltando Harry  - Rony sussurrou em nossa direção.

-Dobby rápido! quero que pegue esse pergaminho e devolva para a mesa do Professor Snape sem ser visto por ninguém, nós vamos distrair a atenção deles. - Harry pediu rapidamente.

Quase não se entendia nas instruções aceleradas que ele dizia, mas o elfo lhe observava atentamente e esfregando o enorme nariz pontudo que escorria fazia gesto positivo com a cabeça.

O elfo pegou o pergaminho e escondeu embaixo das vestes, deu um estalo de dedo e desapareceu da nossa frente .

- Oh! Crianças, não deveriam estar na aula de Herbologia? - McGonagall nos perguntou assim que nos encontrou um metro afastados da porta das masmorras.

em trio estávamos atrás de um enorme coluna que era iluminada por uma tocha de chamas fracas.

- Nós… estávamos… - Rony tentou se explicar enquanto eu e Harry assistimos Snape chegar por trás silenciosamente como se seus pés não tocassem no chão, veio surgindo por trás de McGonagall como uma fumaça negra que sobe. Rony perdeu a voz.

- Potter… - Snape chamou Harry secamente- o que faz aqui?

- Perdi meu estojo depois da aula, estou refazendo meus passos para encontrá-lo - Harry mentiu.

- Incrível sua habilidade de mentir Potter, - Você é igualzinho seu ….. se interrompeu ao ouvir um espirro.

Todos nós viramos para a vista que tínhamos das masmorras com a porta aberta, vimos Dobby com o nariz mais vermelho de que quando chegou, suas veste molhadas que agora tinham mais uma função, limpar o nariz do elfo.

- O que você está fazendo aqui seu… - Snape bravejou mas foi interrompido pela resposta rápida de Dobby.

- Dobby não fez nada meu senhor, Dobby só ficou curioso para assistir as aulas de defesa meu senhor.

Ficamos imóveis assistindo tudo aquilo enquanto a professora McGonagall observava o estado de Dobby.

Snape olhou por segundos para Dobby e rapidamente se virou para Harry, olhou  para o elfo novamente e franziu a testa na direção das masmorras, lentamente virou a cabeça para Harry novamente e fixou um olhar frio para nós três.

- Ou veio devolver alguma coisa, - murmurou com os olhos cerrados em direção a Harry.

- Não entendi – interrompeu  McGonagall.

- Hoje depois da aula do senhor Potter… ele iniciou friamente de forma vagarosa e ameaçadora – senti falta de um material que tenho certeza que seria de muito interesse ao senhor Potter – finalmente tirou os olhos de Harry, mas sem mexer um músculo, deslizou apenas os olhos na direção do elfo, dobby se encolheu e voltou os olhos para Harry.

- E o que seria esse material Severo? - A professora perguntou curiosa olhando para nós três e a masmorra.

-  Minhas…  anotações – ele respondeu vagarosamente com os olhos fixos em Harry outra vez.

- Severo isso é uma acusação muito séria. -  A professora encarou Snape e depois Harry. - Senhor Potter sabe que roubo é expulsão.

- Eu não peguei nada professora, só vim refazer meus passos para ver se meu estojo caiu  pelo caminho – Harry se defendeu.

- Severo têm provas do que está acusando o senhor Potter? - A professora perguntou para Snape convencida da mentira de Harry.

Severo tirou os olhos de Harry e os levou a Dobby devolveu o olhar para harry e respondeu:

- Não mais – nós olhou friamente e apertou o maxilar.

- Bom, então tenha certeza antes de denunciar um aluno da grifinória, e quanto ao senhor Potter... se alguém encontrar seu estojo ele será devolvido, tenho certeza que um de seus colegas terá mais de uma pena para emprestar ao senhor. - McGonagall nós fez sinal para seguirmos para a aula de Herbologia e pediu para Dobby procurar madame pomfrey.

Demos de ombros e saímos, três passos na direção das escadas que nos tirariam dali sã e salvos ouvimos Snape:

- Não conhecia se talento em desenho – nós paramos e subitamente abaixei a cabeça, ele pareceu gostar porque continuou. - Está de detenção . . . - Ele sentenciou-me sadicamente e continuou imóvel ao lado da coluna como que aberto a uma resposta porque não se retirou.

Fiquei anestesiada olhando para meus pé enquanto passos cada vez mais altos se aproximavam de nós, ele estava vindo em nossa direção, vi o olhar de raiva no Harry e Rony também viu, ele segurou a mão de Harry, mas foi em vão, Harry virou-se irritado em um gesto instintivo e perguntou procurando conter a voz.

- Desculpe professor, mas porque motivos?

- Oh Sr. Potter – ele virou os olhos para harry em tom de sarcasmo – tentando devolver o favor que lhe foi feito na aula de defesa? Um tanto tarde para protegê-la não não acha? - Snape queria provocá-lo. - A senhorita Granger deve prestar atenção em seu duelo e não no dos outros…

- Mas… - Harry tentou intervir, mas Snape não lhe deu a palavra.

Continuou com a voz mais alta para que a de harry fosse abafada pelo som frio e ameaçador do professor.

- QUANTO AO SENHOR Potter, está de detenção dor sua petulância e falta de criatividade em mentir, e eu vou encontrar todas as evidências disso Potter.

- Me senti culpada pela detenção de Potter, mas não conseguir levantar a cabeça.

Rony continuava imóvel torcendo para conseguir ficar invisível mas não voltou sem uma detenção por ser cúmplice, Eu segui sem dar uma palavra o caminho inteiro, nem mesmo na aula de Herbologia, quando a professora nos pediu para abrirmos o livro lembrei imediatamente do que aconteceu em uma manhã inteira, os desenhos do meu professor favorito era guardado no livro de herbologia, meus olhos marejaram, eu senti falta de ficar só e com medo de ficar sozinha, não queria dividir esse tipo de sentimento com Harry e Rony, lembrei da murta que geme.

Torci que aula terminasse logo pela primeira vez no ano e assim que ela se terminou minha mochila já estava pronta.

- Preciso ir na biblioteca – apressei-me.

- Mas Mione, marcamos de tomar chá com Hagrid – me indagou Rony.

- Deixa Ronny. - Harry me entendeu, não conversamos o caminho inteiro mas Harry me olhava e sabia que estava prestes a explodir. - A gente te espera lá mione.

- Tá, você que sabe – respondeu Rony desanimado.

Eu abracei os dois e sai rapidamente ao mesmo tempo que colocava a mochila nas costas e fui em direção ao banheiro da murta que geme.

 


Notas Finais


VEJO VOCÊS NOS COMENTARIOS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...