História Sex, Drugs and Revenge - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Drama, Drogas, Romance, Sexo, Vingança
Exibições 16
Palavras 2.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom dia :)

Boa leitura, xoxo.

Capítulo 10 - Contando os minutos


A verdadeira lealdade leva anos para se construir e apenas segundos para se destruir. 

 

               A chuva caia fortemente e bem pavorosa, o dia chuvoso estava escuro deixando a casa mais escura do que já era em dias ensolarados. O grupo de jovens que se juntavam na sala estavam cada dia mais próximos dos assassinos dos Wenham. Liam, que ficara encarregado de procurar todos os dados dos assassinos, estava dormindo largado no sofá, pois estava horas a procura de alguma coisa e nada achou. Já Zayn e Harry que só serviam para atrapalhar tudo, dormiam um jogado em cima do outro em outro sofá. Natalie que fora dormir um pouco em seu quarto para poder virar a noite em pesquisas levantou-se e quando chegou a sala se deparou com os três homens dormindo feito umas crianças.

 

– Idiotas. – Ela soltou uma leve risada nasalada e balançou sua cabeça negativamente pelo jeito que eles estavam dormindo.

– Hum, eu peguei eles? – Liam fala assustado acordando de seus sonhos.

– Ah, pegou sim. – Natalie brinca e dá um beijo na bochecha do amigo. – Boa noite, criancinha. – Ela o cumprimenta.

– Sem graça. – Ele fez uma careta para a amiga. – Mas boa noite. – Sorriu.

– Vamos, acordem seus preguiçosos, bando de mulherzinha. – A garota tentava acordar Zayn e Harry batendo-lhes com almofadas.

– Mulherzinha eu? – Harry fala com a voz embargada de sono e rindo fraco com seus pensamentos no dia em que ele e Natalie transaram. – Eu não parecia mulherzinha quando nós...

– Cala a boca. – Natalie diz descontraída e ri.

 

               Os homens acordam de verdade de seus transes e vão fazer suas coisas pessoais, como comer, tomar banho e escovar os dentes. Em menos de uma hora eles se encontram na mesma sala de antes para terminarem suas pesquisas.

 

– Vou atrás de qualquer pista daqueles safados. – Natalie fala olhando algo no notebook que estava em seu colo. – Eu quero matar eles com minhas próprias mãos.

– Mas para isso acontecer você precisa se recuperar do seu braço. – Disse Liam se sentando ao lado da garota.

– Verdade, precisa mesmo. – Harry concordou e deu uma mordida na maçã vermelha que estava comendo.

– É, e eu não vou deixar você sair sem se recuperar. – Completou Zayn tomando um gole do seu suco.

– Vocês são o que agora?! Hã?! Meus pais?! – Natalie pergunta séria só que acaba fazendo os homens rirem.

– Você está machucada, podem te machucar mais ainda... – Disse Harry.

– Tudo bem, mas ninguém vai me ajudar pegar eles? – Diz com certa ironia em sua voz. – Quem vai me ajudar? – A garota olha para um de cada vez.

– Eu. – Disse Zayn sem pensar duas vezes.

– Eu. – Disse Liam.

 

               Dois dos três homens que estavam com Natalie ficaram a favor dela, mas Harry ainda estava pensando em sua escolha, o mesmo abaixou a cabeça, pensou mais um pouco, a garota o olhou e ele percebeu, no mesmo instante ele a olhou fixamente e via que ela pedia ajuda e pedia muita ajuda.

 

– Eu. – Disse Harry de vez com aquele timbre de voz rouca que acabava com as estruturas de Natalie.

 

               Natalie ficou feliz e logo sorriu. Todos ali estavam ao lado dela, Zayn não conseguia se ver longe de tudo aquilo, queria estar com ela para tudo e protegê-la do perigo que corria, não só com a Scotland, mas também corria perigo com a Yardies. Já Liam, era um confidente dos Wenham e os consideravam como pais para ele, tudo o que ele queria era justiça e sabia que mesmo com tudo isso acontecendo ele estava certo de que iria conseguir fazer justiça, e com as próprias mãos. E Harry só estava ali porque no começo queria se aproximar mais de Natalie, o que achou uma besteira porque ele nunca correu atrás de mulher alguma, elas que corriam atrás dele como cachorras, mas com o tempo ele foi percebendo que Natalie não é igual as outras mulheres que ele já ficou, então decidiu ajuda-la, ela era uma boa pessoa e fazia ele bem, todavia eram da mesma máfia e deveriam se ajudar.

               Horas se passaram e todos já estavam cansados novamente, já era de madrugada e Natalie ainda fazia suas pesquisas. Os homens ao lado dela já estavam bocejando e se espreguiçando de tanto sono, o que era normal, pois todos ali eram preguiçosos demais.

 

– Vamos dormir? – Perguntou Zayn a Natalie.

– Não, se quiser ir dormir, vai. – Respondeu ela focada nas coisas que estava lendo.

– Ok, mas vê se não fica a madrugada toda nessa pesquisa. – Disse Zayn impaciente e foi para o quarto.

– Eu também vou dormir, adeus. – Liam acena andando até a porta, mas para repentinamente. – Ah, e não mexe nas minhas pastas privadas, hein senhorita. – Completou ele.

– Tá bom Don Juan, tchau. – Natalie brinca e ele vai indo embora rindo da piada da garota.

 

               Liam e Zayn haviam ido dormir, sem sinal deles e apenas Natalie e Harry ficaram na sala. O homem segurava um copo com licor em uma das mãos, ele a olhava fixamente e logo ela percebeu. Natalie se mexeu desconfortável pelo olhar de Harry nela e logo dirigiu sua atenção a ele.

 

– Você não vai dormir também? – Perguntou ela.

– Não. – Disse e levantou-se. – E você? Não vai dormir? – Perguntou ele sentando ao lado de Natalie.

– Não vou dormi tão cedo. – Respondeu a garota e ele fechou o notebook dela rapidamente. – Ei, seu folgado.

 

               Harry a encarou, para ela o homem estava fazendo um jogo de sedução que não estava funcionando. Será que ele está bêbado? –Pensou ela. Harry fez a garota o olhar direito, o olhar de um jeito diferente e começou a seduzi-la. Sem pestanejar ou pensar direito, Harry se aproximou de Natalie e os dois sabiam o que viria depois disso.

Natalie o via se aproximar, calmo, como se tivesse feito aquilo milhões e milhões de vezes, e ela ali, quase entrando em desespero por dentro, pensando na sensação e no gosto que já havia provado e sentia falta. Era inevitável, não tinha como escapar... E a verdade é que Natalie não queria escapar, de forma nenhuma. Então ela o deixou lhe envolver e se aproximar, torcendo para que ele não reparasse no seu rosto quente, que a garota já sentia que estava vermelho. Chegou a hora, ele carinhosamente deu um beijo rápido, um selinho, aquilo serviu para acalma-la. Antes que ela pudesse pensar em alguma coisa ele já abria espaço entre os lábios dela cerrados com sua língua quente e macia, que logo adentrou a boca dela, ele virou um pouco o rosto e os lábios de ambos se encaixaram com perfeição. Começaram a beijar-se, ele explorava a boca dela assim como ela explorava a dele, calmamente, sem nenhuma pressa. O beijo demorou para cessar, foi aí que tudo começou a esquentar, Harry a deitou no sofá e deitou por cima dela segurando seu peso para não machucá-la. Estava tão envolvente que nada poderia estragar, a não ser que Harry tocasse no braço machucado de Natalie, e foi exatamente o que ele fez. No mesmo instante a garota gemeu de dor e empurrou levemente Harry para parar com o beijo.

Dor, filho da puta! –Natalie gritou em seus pensamentos.

 

– Ai! – Natalie gritou e levantou-se na hora.

– Me desculpa, não era minha intenção. – Ele disse preocupando-se com o braço da garota.

– Tudo bem. – Ela bufou cansada e chateada porque ele estragou o clima. – Vou continuar com algumas pesquisas, licença. – Concluiu pegando o notebook e sentando no sofá novamente.

 

               O clima havia acabado quando ele tocou no braço dela que ainda doía, e muito por sinal. Harry chateado com ele mesmo por ter estragado tudo logo se levantou e colocou mais bebida em seu copo. O homem sentou-se novamente de frente para Natalie e ficou bebendo a madrugada toda.

 

– Vai ficar bebendo? – Natalie levanta seu olhar até Harry, logo o encarando.

– Sim, vou ficar aqui com você. – Harry deu um pequeno sorriso.

– Não vai não, não preciso de babá. – Rebateu ela ironicamente.

– Ah, disso você precisa sim. – Ele responde sarcástico, mas logo muda sua expressão para sério. – Você acha que eu sou burro igual aqueles dois imbecis que foram dormir?! – Harry altera levemente sua voz. – Eu sei que se eu te deixar aqui sozinha você vai atrás daqueles cafajestes. E com toda certeza você iria morrer se fizesse isso. – Completou respirando fundo. – Não vou te deixar sozinha.

– Olha aqui, não preciso de babá! Odeio quando as pessoas ficam em cima de mim dizendo o que eu tenho que fazer. – Natalie se altera também. – E quem você pensa que é para aumentar a voz para mim? – Perguntou indignada.

– Ah, você quer saber quem sou eu? – Perguntou irônico e bravo. – Sou aquele cara que te deu prazer nesse sofá e nessa sala! – Gritou se levantando do sofá irritado.

– Eu não gosto de você, pelo contrário, te odeio! – Cuspiu a garota sem medo das consequências. – E quer saber de uma coisa? Eu não tive prazer nenhum com você e não tenho nenhum orgulho de dizer que um dia eu transei contigo! – Gritou ela levantando do sofá irritada também.

 

               Harry a encarou irritado e perplexo com o que a garota disse e num instante joga seu copo cheio de licor no chão com tanta força que Natalie se assusta com o vidro quebrando-se. Ele a encara por alguns segundos com a respiração acelerada, ofegante, e sente seus olhos arderem, iria chorar, então logo saiu da sala com as lágrimas prontas para caírem. Natalie o encara também e vê o quanto suas palavras o magoaram. Naquele momento a garota se sentia estupida, mas teve seus motivos para o xingar e falar besteiras, pois ele a irritou demais.

               O homem foi para o seu quarto furioso, batendo a porta e se jogando na cama. Ele só pensava nela nesses últimos dias e não conseguia parar de pensar. Logo ele caiu na real de que nunca chorou e nunca irá chorar por ninguém, limpou algumas lágrimas que hesitaram em cair e fechou os olhos, ao fechar viu Natalie a sua frente. Toda vez que a via ele tinha mais vontade de ficar com ela, era diferente de outras garotas que já ficou, ela era determinada, forte e o mais interessante: vingativa. Harry só pensava em parar com isso, porque para ele isso já estava passando dos limites dele, então aos poucos foi se acalmando e deixando de lado tudo o que a garota disse, pois esquecer ele não irá. E quando ele estiver fodendo ela e a mesma gemer em seu ouvido ele irá perguntar: Você está tendo prazer? –Harry riu pelo seu pensamento malicioso e logo dormiu sonhando em foder a garota, no sentido literal e na vida pessoal também.

               Enquanto isso na sala Natalie ainda tentava raciocinar tudo o que acabara de acontecer entre ela e Harry. Foi uma coisa estranha e nada legal. Ela pensou tanto nisso que acabou cansando de pesquisar o paradeiro de Tyler e Mark. Nat queria ter os dois assassinos na mão dela, chorando por perdão, implorando a ela que não os matassem, e claro, eles implorando ou não, ela irá matar. Natalie não tinha piedade alguma deles naquele momento. Sentiu um leve calafrio percorrer seu corpo, bocejou e seus olhos foram ficando pesados, longo sentiu que iria dormir, então encostou-se no sofá e adormeceu em segundos.

 

×××

 

– Bem, eu consegui algumas coisas sobre eles. – Disse Liam ao longe e Natalie ouvia tudo.

– Você vai ajudar a matar ou vai procurar eles? – Perguntou Zayn, aos poucos Natalie abria os olhos e os esfregava para acordar de vez, pois a garota ainda estava deitada no sofá.

– Os dois, porque os pais de Natalie foram muito importantes para mim, sempre me ajudaram e eram como se fossem meus próprios pais. – Liam diz caminhando para mais perto da garota deitada.

 

               Natalie estava deitada no sofá, ainda com os olhos fechados e fingindo que estava dormindo. Ela ouvira os dois homens conversando sobre seus pais e ficou curiosa em saber o que era. Logo veio à tona na cabeça dela tudo o que estava acontecendo nesses últimos dias e que sua vida mudou drasticamente. Nat se sentia uma estúpida por não saber nada de seus pais, aliás, todos sabiam menos ela, todavia Natalie os amava mesmo assim. Em um ato repentino ela mexe-se no sofá e sente um dor invadir seu braço machucado.

 

– Ai. – Sussurrou, mas mesmo assim Liam e Zayn ouviram a garota.

– Nat? – Zayn a chamou e ela abriu os olhos vagarosamente. – Acordou meu anjo? Vem cá que eu te ajudo. – Disse indo ajudá-la a levantar do sofá.

– Estou com muita dor. Pega meus remédios lá no quarto? – Nat dá uma pequena desculpa para Zayn sair dali.

– Pego sim, já volto. – Respondeu ele dando um sorriso para a garota, que logo retribuiu.

 

               Após Zayn sair da sala Natalie observa Liam, que estava mexendo em seu notebook. O homem digitava muito rápido e não piscava direito, logo percebeu que estava sendo observado por Natalie a alguns segundos, então fechou o notebook a sua frente e a olhou de volta sabendo que ela queria conversar com ele.

 

– Tá tudo bem Nat? – Pergunta Liam.

– Sim, tudo bem. – Ela respondeu ainda pensativa.  – Sabe, você está a tanto tempo nessas pesquisas e não achou nada ainda? – Natalie perguntou tentando descobrir alguma coisa, pois ouviu ele e Zayn conversando sobre terem descoberto algo.

– Não achei nada por enquanto, todavia não irei descansar, então não se preocupe. – Liam indagou e no mesmo instante Natalie sabia que ele estava mentindo, a garota se decepcionou com a resposta do amigo e nunca imaginou que ele mentiria assim para ela, então se calou por falta do que falar.

 

               O homem voltou a mexer em seu notebook ignorando a presença dela ali. Natalie segurava o choro que estava querendo vir, ela estava se sentindo traída, pois viu que Liam escondia algo dela que não queria falar, isso significava para ela que o homem não confiava por completo em lhe contar coisas sobre os seus próprios pais. Uma lagrima solitária caiu pelo seu rosto, mas limpou rapidamente quando viu Zayn se aproximar com seus remédios.

 

– Trouxe água para você. – Ele sorriu.

– Obrigada. – Disse ela pegando os remédios da mão de Zayn.

 

               A garota logo estranhou o terceiro remédio que estavam tomando, pois era a primeira vez que tomava e não se lembrava dele das outras vezes. Natalie deitou-se no sofá e caiu no sono novamente.

 

– Como está a minha agente preferida? – Pergunta o homem mais velho aproximando-se da garota a sua frente.

– Exausta, hoje aprendi a dar tiros de fogo. – Ela sorriu largamente ao seu pai.

– Aposto que aprendeu nos primeiros minutos, né? – O homem caminhava com o braço sobre os ombros da filha em forma de proteção.

– Papai, você sabe que... – O barulho de um disparo corta a frase da garota.

 

               O disparo tinha sido ali, a garota freneticamente procurava da onde veio e onde acertou. Ao olhar para o lado viu seu pai caindo ao chão bruscamente e seu sangue sujando o chão branco do local. Ela abaixou-se para ver seu pai, mas logo foi puxada pelo braço e levada a força para longe.

 

– Me solta! – Ela grita tentando se debater.

– Natalie, tem que aprender a ser mais educada com os amigos. – O timbre rouco soou perto do ouvido da garota e a mesma levou um susto quando reconheceu aquela voz.

– Harry?!

– Eu mesmo. – Ele sorriu maleficamente para ela.

 

– Não! – Natalie grita assustada e acordando do seu sono profundo.

 

               Olhou para um lado e para o outro procurando alguém para lhe ajudar e trazer um copo d’agua, mas não havia sinal de ninguém naquela casa. Nat estranhou, pois estava no seu quarto invés de estar no sofá da sala, onde havia dormido. A mesma se levantou vagarosamente, desceu as escadas e foi a procura dos três homens que estavam ao seu lado. Procurou na cozinha e ninguém estava lá, procurou na sala e nada, ela procurou pela casa inteira e nada deles. Eles não estão em casa, Nat pensou rápido e correu até a porta de entrada. Quando foi tentar abrir ela estava trancada e Natalie se desesperou.

 

– Droga! – Murmurou para si mesma e voltou para a sala para procurar alguma coisa do paradeiro deles.

 

               Quando chegou a sala se deparou com o notebook de Liam ligado em cima da mesa de centro. Logo a garota pegou o notebook, sentou-se no sofá e começou a ler o que estava ali.

 

~Duas horas antes~

 

– Você sabe onde eles estão? – Harry perguntou surpreso.

– Sim. – Respondeu Liam.

– Estamos esperando o que? Vamos atrás deles logo. – Zayn pronuncia-se pegando sua arma e checando para ver se estava tudo ok.

– Mas e a Natalie? – Harry perguntou preocupado.

– Eu pedi ao Zayn dar um diazepam a ela, agora Natalie deve estar dormindo profundamente. – Liam fala rápido e checa sua arma também.

– E ela não vai atrás deles desse jeito. – Concluiu Zayn.

– Ela está machucada Harry. – Liam tenta suavizar os pensamentos de Harry que estavam a milhão com essa loucura.

– Mas ela quer matar eles com as próprias mãos. Se der alguma merda eu vou falar que foram vocês e ela vai ficar puta com os dois, fiquem ciente. – Harry se acalmou e pegou sua arma a checando também.

– Depois eu falo com ela. – Disse Zayn.

– Vamos? – Perguntou Liam pegando a arma dele e a chave do carro.

– Vamos. – Harry e Zayn falaram juntos.

 

               Foram às pressas para o carro, Liam iria dirigir, Harry acompanhava o homem no banco do passageiro, enquanto ao Zayn foi com a sua moto. Liam dirigia em alta velocidade, ultrapassava sinais vermelhos e Zayn fazia o mesmo. Se eles não estivessem indo para uma missão tão importante iriam estar se divertindo com aquilo tudo. Em minutos os três homens chegaram ao local desejado, onde Mark e Tyler se escondiam, era uma fábrica abandonada e suja. Saíram do carro e viram Zayn descendo da sua moto. Os três caminhavam lentamente até a entrada principal em silêncio, ficaram escondidos por alguns segundos até ouvirem os dois agentes conversando.

 

~Agora~

 

               Desgraçados, Natalie gritava em sua cabeça e respirava fundo enquanto isso. 


Notas Finais


Então pessoal, está gostando? Eu estava escrevendo esse capítulo com mais de 5.000 palavras, mas resolvi dividir ele porque estou a duas semanas sem postar e a outra parte eu ainda estou tentando terminar. Sim, tentando, porque minha cabeça não está boa para escrever hoje, infelizmente :'(

Beijos, xoxo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...