História Sex Hot Magcon - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon
Personagens Aaron Carpenter, Cameron Dallas, Carter Reynolds, Hayes Grier, Jack and Jack, Jack Gilinsky, Jack Johnson, Matthew Espinosa, Nash Grier, Nate Maloley, Personagens Originais, Sammy Wilkinson, Shawn Mendes, Taylor Caniff
Exibições 273
Palavras 1.626
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi gente. quero agradecer aos 26 favoritos e a todas (os) que comentaram
fiz esse capitulo com o cameron a pedido de @Lana_Bibs
boa leitura.

Capítulo 3 - Cameron Dallas


Fanfic / Fanfiction Sex Hot Magcon - Capítulo 3 - Cameron Dallas

 - Katherine, estão te chamando na direção! – falou a professora assim que entrou na sala de aula.

Senti os olhares de todos os meus colegas em mim. Revirei os olhos, respirei fundo e sai da sala. Os corredores se encontravam vazios mesmo faltando alguns minutos para as aulas acabarem. Em menos de uma hora essa escola ficaria completamente vazia, apenas as faxineiras ficavam para darem uma geral na escola.

Assim que a secretária me viu, levantou imediatamente.

- Seu pai está a sua espera. – falou ela e me direcionou até a sala do diretor, julgo, meu pai.

- Mandou me chamar? – perguntei entrando na sala.

Ele se encontrava de costas para a porta, parecia estar olhando alguns papeis em seu balcão. Reparei que tinha outra pessoa sentada em uma das cadeiras que se encontravam na frente de sua enorme mesa.

- Sim, sente-se aqui -  apontou a mão para a cadeira que se encontrava vazia. Dei alguns passos até estar onde ele me pediu. – Quero ter um assunto muito serio com você e com Cameron.

Assim que aquele nome foi pronunciado, minha espiração falhou. Virei lentamente a cabeça e o vi sentado na cadeira ao meu lado. Nossos olhares se encontraram e eu acabei por revirar os olhos levemente.

- Fiquei sabendo que os dois brigaram mais uma vez. – falou meu pai me olhando sério. – Acho que estão passando dos limites. É nos corredores, na sala de aula, na educação física e até na biblioteca.

- Pai, o senhor sabe que a culpa não é minha. Cameron vive me provocando, fazendo piadas ridículas e sem graça. Não há motivo...

- Você não tem como provar Katherine, é muito fácil sair inventado coisas. – falou Cameron com um sorriso debochado nos lábios.

Há um ano atrás Cameron começou a me perseguir. Vivia fazendo piadinhas de mal gosto a meu respeito. Não podia dar um passo sem que ele estivesse atrás pra me encher o saco.

- Parem. – manifestou-se meu pai nos encarando com um olhar severo. – assim que as aulas terminarem os dois vão para a biblioteca, tem uma seção nova que precisa ser organizada e quero que fiquem um tempo juntos até se acertarem. E não adianta reclamarem. Quero a seção arrumada e os dois saindo de lá como se fossem velhos amigos.

Assim que ele terminou de falar o sinal tocou e pude ouvir os passos desesperados de alunos querendo sair o mais rápido possível daquele prédio. Nunca tive tanta inveja deles.

Levantei de minha cadeira e fui até a minha sala para pegar as minhas coisas. Me despedi de alguns colegas e fui até a biblioteca. Assim que estava quase chegando reparei que não havia mais ninguém, conseguia ouvir apenas meus passos.

- Olá bonitinha – falou uma voz de repente e eu pulei colocando a mão no peito devido ao susto. 

- Vamos fazer o seguinte – falei me virando para ele e jogando meu dedo indicador em sua cara, estava de saco cheio disso tudo. – nós vamos arrumar essa maldita seção em silencio absoluto, eu não vou dizer uma palavra e você muito menos, quanto antes terminarmos melhor, quando sairmos daqui, nunca mais me procure, nunca mais ande atrás de mim, se me vir na rua ou em qualquer lugar não venha falar comigo, quero ter o mínimo de contato possível com a sua pessoa. – falei respirando fundo, precisava jogar aquilo pra fora – e se meu pai perguntar algo, diga que nos acertamos e que cada um seguiu para um lado. Por favor Cameron, eu quero distancia de pessoas que só me estressam, já estou com mil problemas na cabeça e mais um como você eu não quero.

Quando terminei de falar Cameron estava com um olhar diferente, parecia frustrado e com raiva de algo, ele deu um passo em minha direção e eu gelei, dei um outro passo para trás e o encarei nos olhos. Em seguida ele bufou pesadamente e passou por mim pisando duro indo até a porta da biblioteca onde ele entrou e bateu a porta atrás de si.

Depois de alguns minutos resolvi entrar também, afinal estávamos os dois no suposto “castigo”.

Entrei na biblioteca, larguei minhas coisas e fui até Cameron que já estava organizando alguns dos livros. Podia ouvir alguns xingamentos de sua parte mas resolvi ignorar.

Estávamos quase na metade quando ouvi um estouro grande atrás de mim. Me virei para ver o eu havia acontecido e pude ver Cameron com o rosto vermelho e desviando de alguns livros que estavam em seu caminho e impediam a sua chegada até mim.

- O que você está fazendo? – perguntei assustada e tentado me livrar de sua mão que segurava firme meu braço, ele me levando até a outra parte da biblioteca onde se encontravam as mesas. – Cameron, precisamos arrumar os li...

Fui bruscamente interrompida quando ele me pegou pela cintura me fazendo sentar na mesa, em seguida uma de suas mãos foi para a minha cintura e a outra para o meu cabelo. Sua boca colou na minha cortando minha fala e dando inicio ao beijo mais desesperado que já tivera dado em alguém.

Tudo aconteceu muito rápido. Em um segundo estávamos arrumando os malditos livros e no outro ele estava me beijando, e eu retribuindo. Sua língua coçou a minha levemente e agradeci mentalmente por estar sentada.

Por  mais que Cameron me irritasse, eu precisava admitir que ele me atraia.

Levei minhas mãos até seus cabelos e acompanhei seu beijo, suas mãos agora se encontravam em minha bunda onde ele me puxava cada vez para mais perto, fazendo com que eu pudesse sentir o enorme volume no meio de suas pernas. Nossas línguas brincavam uma com a outra me proporcionando uma sensação maravilhosa que seu gosto causava.

Finalizei o beijo prendendo seu lábio inferior entre meus dentes e o puxando de leve.

- O que foi isso? – perguntei ofegante e recuperando o folego.

- Não fala nada – falou ele atacando meu pescoço. – preciso disso, preciso de você e se não fizer isso agora juro que terei um ataque.

Sua fala me pegou de surpresa, mas permaneci em silencio, apenas aproveitando sua boca em meu pescoço.

Seus beijos foram descendo até chegar ao tecido da blusa que eu usava. Suas mãos subiram até a barra da mesma e a puxou para cima expondo meu tronco e peitos cobertos pelo tecido fino do sutiã. Seus olhos me devoraram e o vi morder os lábios.

- Tira essa calça. Tira tudo porra, se não eu juro que rasgo tudo. – falou ele.

Conforme eu tirava minhas roupas, percebi que ele fazia o mesmo com as suas. Quando eu estava sem nenhuma peça de roupa tapando meu corpo, senti novamente suas mãos me segurando. Olhei para Cameron e ele estava apenas com sua cueca box.

- Deita na mesa de barriga pra cima e abre bem as pernas.

Fiz o que ele pediu e fechei os olhos apenas esperando que ele fizesse o que eu estava imaginando. Alguns segundos depois senti sua língua quente e molhada entrar em contato com minha intimidade.

Soltei um alto e rouco gemido. Minhas mãos foram para seus cabelos onde eu os agarrei. Sua língua deslizou lenta e suavemente por toda a minha extensão de baixo para cima, onde ele parou para acariciar meu clitóris. Depois voltou pelo mesmo caminho e me penetrou até onde alcançava.

- Cam... – gemi seu nome me controlando pra não gritar de prazer.

Cameron continuou o que estava fazendo. A cada segundo que passava sentia que meu ápice estava chegando. Meus gemidos estavam ficando mais altos e minhas mãos apertavam cada vez mais seus cabelos.

- Goza pra mim Katherine – falou ele com a voz rouca e abafada.

Um minuto depois estava com os olhos levemente revirados e gemendo seu nome. O orgasmo havia me atingido em cheio e com certeza fora o melhor que eu já tivera.

- Minha vez babe – falou ele tirando a cueca. – vou fazer rápido porque ainda precisamos terminar aquela bagunça ali atrás.

Não tive tempo de concordar, pois logo senti seu pênis me penetrar. Estendi minhas mãos para que ele as segurasse. Suas estocadas começaram lentamente para que eu pudesse me acostumar com seu tamanho, mas logo em seguida ele começou a aumentar o ritmo.

Seus gemidos eram canção para meus ouvidos e ficava cada vez mais excitada só de ouvi-lo. Cameron dizia coisas sujas em meu ouvido e volta e meia se inclinava para lamber meu peito ou pescoço. Revirava os olhos com mais frequência a medida que suas estocadas iam mais fundo e sentia o segundo orgasmo chegando.

- Estou quase lá babe, - falou ele jogando a cabeça para trás e gemendo alto meu nome. – vem comigo de novo.

Alguns minutos depois estávamos os dois gemendo um o nome de outro com as respirações ofegantes.

Cameron saiu de dentro de mim e me ajudou a sentar. Seus braços me envolveram e ficamos ali, eu sentada em cima da mesa e ele em pé na minha frente abraçando um ao outro.

- Agora sim – falou ele me dando um beijo na testa. – estou em paz comigo mesmo.

Olhei confusa para ele.

- Eu precisava disso, precisava sentir o teu gosto. Eu ficava te seguindo e te enchendo o saco porque eu precisava me aproximar de você de alguma maneira. – falou ele me olhando fundo nos olhos.

Não respondi, dei mais um beijo em seus lábios e depois começamos a nos arrumar. O clima estava completamente diferente de alguns minutos atrás onde nem se quer nos olhávamos na cara.

Terminamos de arrumar os livros e algum tempo depois estávamos saindo pelo portão da frente como se fossemos velhos amigos.

Cameron me convidou pra passar o resto do dia em sua casa e eu claro aceitei. 


Notas Finais


Desculpem se tiver algum erro.
não esqueçam de fazer seus pedidos.
beijinhos e até o proximo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...