História Sex Life - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carrossel
Personagens Adriano Ramos, Alícia Gusman, Bibi Smith, Carmen Carrilho, Cirilo Rivera, Daniel Zapata, Davi Rabinovich, Jaime Palillo, Jorge Cavalieri, Kokimoto Mishima, Laura Gianolli, Marcelina Guerra, Margarida Garcia, Maria Joaquina Medsen, Mário Ayala, Paulo Guerra, Valéria Ferreira
Visualizações 281
Palavras 1.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu fiz esse capítulo com muito prazer!!! Espero que gostem!!! 💕

Capítulo 2 - Two


Fanfic / Fanfiction Sex Life - Capítulo 2 - Two

Eu nunca entendi o verdadeiro propósito de se ir à escola, a única coisa que sei é que eu vou para a escola todos os dias com a Marcelina.

PAULO: Será que a Alicia já tá na escola?

MARCE: Eu não sei, mas porque você tá perguntando isso?

PAULO: Por nada, é que, bom, a Alicia, ela, bom…

Ela começou a rir.

MARCE: Eu só tô zoando um pouco. Eu sei das suas ficantes.

Minha cara mudou de expressão num instante. Marcelina é uma das meninas mais inocentes e quietas mas sabia que eu tinha minhas ficantes.

PAULO: Vo-você sabe?

MARCE: Claro que eu sei, afinal sou sua irmã. Sei tudo sobre você.

PAULO: Quantas…?

MARCE: Carmen, Alicia e Margarida.

PAULO: Então você sabe de todas?

Eu continuava um pouco espantado e com medo do que ela iria fazer com essas informações.

MARCE: Sei, mas eu não tolero isso, você sabe…

Parecia que tinha dado uma merda daquelas.

MARCE: Mas se elas estão de acordo, eu tenho que respeitar, afinal você é meu irmão e elas são minhas amigas.

PAULO: Só não comenta nada, por favor… A Carmen não quer expôr o nosso relacionamento.

MARCE: Então só eu sei?

PAULO: A Alicia também, não contei pra Margarida porque senão ela iria encher meu saco como ela faz quando fico com a Alicia.

MARCE: Todo mundo acha que você tem um casinho com a Alicia, agora a Margarida eu não sei, talvez alguns achem.

PAULO: Ainda bem que ninguém sabe…

MARCE: E eu prometo ficar de bico calado!

Nós chegamos na escola e cumprimentamos todo mundo como todo santo dia.

KOKI: Cara, eu fiquei te esperando pra jogar videogame ontem e você não apareceu!

PAULO: Videogame?

KOKI: É, cara! Nós marcamos de jogar no mesmo horário pra conseguir jogar junto! Não lembra?

PAULO: Me desculpa, cara… Eu esqueci total…

Eu virava o olho para ver Alicia. Seus olhos, seus lábios… As mechas roxas do cabelo… O uniforme que estava um pouco curto e mostrava um pedaço da barriga… O conjunto da obra me fascinava.

KOKI: Você tá secando a Alicia de novo?

PAULO: Não, é impressão sua!

Eu rapidamente peguei o meu celular e mandei uma mensagem perguntando se ela gostaria de sair à noite comigo. Na hora ela respondeu que sim e olhou para mim mordendo os lábios.

KOKI: Cara, você tá fazendo de novo!

Eu olhei com uma cara feia pra ele que logo entendeu o recado. Nem precisei falar nada porque o sinal tocou e fomos ter aulas muito chatas que me deixam cansado e com um pouquinho de raiva. Ainda bem que tudo passou muito rápido e fui direto para casa.

PAULO: Koki, eu tô te falando! Vou sair com a Alicia de noite!

Koki adora me ligar no celular, mas nunca entendi o motivo. Confesso que conversar com ele sobre os meus problemas me acalma.

KOKI: Então era por isso que você tava secando ela hoje!

PAULO: Talvez eu tivesse… Mas só um pouqinho…

Posso resumir o meu dia em almoço, conversa com o Koki e tarde com a Marcelina. Nós temos conversado bastante ultimamente e eu acho que isso ajuda na nossa relação de irmãos.

MARCE: Paulo, o que tá fazendo?

PAULO: Me arrumando.

Eu estava terminando de abotoar minha camisa e finalizando meu penteado. Para dar um toque final, passei um perfume.

MARCE: O papai sabe que você pegou o perfume dele?

PAULO: Não, e nem precisa saber…

MARCE: Tá bom, mas eu posso chamar uma amiga pra vir aqui em casa?

PAULO: E eu lá mando em você? Quem manda é o pai e a mãe!

MARCE: A mãe no caso, né?

Eu olhei para o espelho do quarto e ameacei chorar um pouquinho. Ainda bem que consegui me segurar.

PAULO: Às vezes eu esqueço, sabe, que eles, bom, se divorciaram…

Depois do clima horroroso instalado no meu quarto eu desci e peguei um taxi até o restaurante.

PAULO: Moço, por favor, eu fiz uma reserva em nome de Paulo Guerra.

Ele olhou nos registros e me levou até a mesa. Pude ver Alicia, vestindo um vestido preto meio brilhante, com o cabelo todo feito só pra essa noite.

PAULO: Voce tá linda!

ALLY: Você também tá lindo…

PAULO: Nunca achei que fosse te ver desse jeito…

ALLY: O vestido tá ótimo, o problema é essa merda de sapato de salto que minha mãe enfiou no meu pé!

Eu ri fraco.

ALLY: O que vamos pedir?

PAULO: Não sei… Vê o que você gosta que eu pego o mesmo.

ALLY: Vai ser difícil escolher algo vendo esses preços!

PAULO: Não se preocupe com nada, eu pago tudo.

ALLY: Se é assim eu vou abusar um pouquinho…

O jantar, a comida e as risadas não se comparam nada com o que fizemos a seguir. Nossos corpos se tocando enquanto entrávamos aos beijos em meu quarto foram a melhor parte da noite. Os lábios quentinhos e macios de Alicia são um máximo.

PAULO: Eu tenho que pegar a camisinha…

ALLY: Você tem é que falar menos…           

Nós continuamos nos beijando e aproveitando para remover as nossas peças de roupas até sobrarem só as íntimas. Eu enfiei a mão dentro de sua calcinha, a fim de mexer no seu clitoris.

ALLY: Awwn…

Eu retirei a minha mão e fui lentamente retirando o sutiã e a calcinha de Alicia. Ela entrelaçou suas pernas em meu quadril e eu a prensei na parede. Comecei a chupar seus peitos.

ALLY: Awwn… Paulinho…

Eu senti sua mão dentro de minha cueca e me contive para não gemer. Estava uma delícia. Ela saiu de sua posição e foi me empurrando até eu sentar na beira da cama.

PAULO: O que vai fazer?

Ela se agachou na minha frente, abaixou minha cueca e começou a chupar meu pau.

PAULO: Awwn… Alicia… Que gostoso… Awwn… Cacete…

Ela ficou por um tempo daquele jeito até se jogar na cama e abrir as pernas pra cima.

ALLY: Me fode, seu gostoso!

Eu fui até a minha gaveta e achei a camisinha. Rasgei o saquinho e a coloquei no meu pau duraço.

PAULO: Agora que a coisa vai pegar fogo!

Eu a coloquei meu membro todo em sua bucetinha apertada e comecei com estocadas fracas.

ALLY: Awwn…

Eu comecei a dar estocadas mais rapidas até estar praticamente fodendo ela.

ALLY: Awwn… Paulo…

PAULO: Geme meu nome bem alto… Geme…

ALLY: Paulo…

Eu continuei com as estocadas e ela só gritava que estava muito intenso e que adorava ter o meu pau em sua buceta.

PAULO: Gata… Eu vou…

 ALLY: Eu também…

Eu senti os jatos de porra acertando a camisinha e senti o gozo de Alicia melecando o látex e escorrendo em minhas bolas. Por fim nos deitamos um do lado do outro, completamente ofegantes.


Notas Finais


O que acharam?? Comentem bastante!!! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...